Ancorado escrita por Edgar Varenberg

Ancorado

Quando a maré é muito forte e suas asas te abandonam, sobrevivência torna-se mais que instinto; torna-se a vivência, sobreposta de prioridades. O mar é tão traiçoeiro que é cheio de vida, e é então que se percebe o momento de avançar e o momento de parar. Sobreviver com cautela envolve estar, infelizmente, preso. Pelo quê? Por quem?


Classificação: Livre
Categorias: Poesias
Personagens: Indisponível
Gêneros: Darkfic, Drama, Poesia, Romance
Avisos: Nenhum

Capítulos: 10 (2.270 palavras) | Terminada: Sim
Publicada: 02/06/2015 às 16:33 | Atualizada: 10/09/2015 às 04:01

Notas da História:

Todos os poemas aqui escritos me pertencem. A capa foi achada no Google e editada conforme meus interesses.


Capítulos

2. Por que não Marina?
246 palavras
3. Contra-mão sem saída
215 palavras
4. Gravidade Zero
223 palavras
6. Ledo Engano
137 palavras
9. Memória de Elefante
249 palavras