Palavras que poderiam ter sido evitadas escrita por Makita Sama


Capítulo 4
Carta 4


Notas iniciais do capítulo

Se hoje ainda tem muito racismo, imagina em 1998





Piracicaba, Oito de Abril de Mil Novecentos e Noventa e Oito.

Remetente: Maria
Destinatário: Paula

Olá, sou a pessoa que você mais odeia.
Tem tomado os medicamentos?
Espero que não tenha desistido de viver.
Fiz uma coisa horrível, tudo por falta de informação.
Ninguém naquele lugar me disse!
Eu era uma iniciante no ramo.
“Mentira! Você tinha ódio na veia!”
Se fosse assim, eu não teria enviado essa carta.
Adorava os cabelos longos, mas não queria nada além da amizade.
Nossa relação poderia ser muito boa se eu não tivesse recebido aquele sangue para a operação.
Maldita seja aquela pessoa!
“É impossível confiar em você! E em qualquer outra palavra sua!”
Acha que não sei?!
Pode ser sido uma armação para cima de mim!
Ainda sou uma idiota que quer vê-la feliz.
Na época eu tinha uns 20 ou mais.
Era nova em tudo.
E sabe bem como estagiários são tratados de maneira ruim.
Nem todos, mas a maioria.
No meu caso não foi diferente.
A única coisa que tentaram me ajudar foi em como usar alguns objetos.
Tanto que não trabalho mais lá.
Costumo visitar só para lembra-los que já trabalhei ali.
Querendo ou não.
Minha renda chegou a aumentar.
Tanto que eu mandei junto com as cartas, os medicamentos.
Isso não é o suficiente para me aceitar.
Mas não terei ressentimentos.
Ou é o que eu imagino.
“Agradeço a sua ajuda, porém isso não é o suficiente”
Eu já sabia que não ajudaria em nossa relação de amizade.
Só queria ver você bem.
Independente de eu estar perto ou não.
Afinal, eu me odiaria para sempre se tivesse feito uma coisa dessas e nem sequer te ajudasse de um jeito ou de outro.
E não estou falando isso só para te conquistar.
Se tentar acreditar.
Caso não seja possível, apenas me diga se ajudou por meio de outra carta.
Contudo; só faça o que quiser.
Irei sempre te apoiar.
Aconteça o que acontecer estarei ao seu lado!
Paula, ainda é a mesma de antes? Com o coração puro, amando tudo e todos.
Eu amava isso em sua personalidade.
Seu melhor traço!
Uma das coisas que eu ainda lembro sobre você.
Pareço até uma pessoa que só quer aquilo.
Imagine o que quiser com “aquilo”.
“Como posso acreditar que só queria minha amizade?”
Na época eu estava apaixonada e atraída sexualmente por um homem, ele é meu atual namorado.
Então posso dizer que nem tudo foi ruim no emprego.
Há seis anos que namoramos.
Penso em casamento, mas depois de uns dez anos de namoro.
Ele nem sequer pensa nisso.
Por isso que eu preparo as coisas sozinha.
Para o nosso próximo momento.
Só de me imaginar de vestido de noiva já fico parecendo uma menina que quer o casamento perfeito.
Tinha esse tipo de pensamento aos 12 anos.
Hoje em dia fico querendo mesmo que seja só no cartório.
“Não mudou nada mesmo.”
Fazer o que não é?
Ninguém muda fácil, eu não fui diferente e não serei.
O pior mesmo é ser baixinha.
Sempre serei zoada pela galera.
Até meu futuro marido me zoa.
E piadas de baixinhas e de pessoas acima do peso sempre têm graça.
“Pior que isso é verdade”
Seus longos cabelos ruivos, sua estatura alta.
Meu sonho.
Mas ruivo não ficaria bom em mim.
“Você é linda do jeito que é”
Para com isso, sabe que não funciona assim.
Eu queria que acontecesse desse jeito.
Um dia vou ver como fica.
O pior naquele emprego era o racismo.
Todo mundo me olhava feio, pois no mundo deles os negros só podem ficar na comunidade, sem estudo bom, sem emprego bom, apenas o mundo do jeito deles.
Sei que ainda muitos vivem só de gari, doméstica ou bandido.
Espero que isso melhore mais tarde.
Vamos ver o que me espera no futuro.
“Eu percebi isso, mas o que eu podia fazer?”
Isso é verdade.
Não importa o quanto eu tente.
Apenas uma pessoa é muito pouco.
O movimento negro precisa de mais gente.
Ou as coisas vão continuar sendo as mesmas durante anos.
Existem até negros racistas!
Qual o sentido?!
Se nós temos pessoas de mesma etnia falando coisas horríveis de nós, como vamos vencer isso?
Eu quero ver mudanças, não só eu como várias pessoas.
Esse é o problema mais horrível do país com a segunda maior quantidade de negros.
Qual o sentido?
“Se acalme”
Desculpe-me, fiquei muito louca.
Minha raiva é de difícil controle, infelizmente.
Por isso não admito que tenham me deixado continuar a operação com aquele sangue contaminado!
Deve ter sido racismo!
Ou só loucura minha.
Nem sei mais.
Talvez não fosse previsto para eu continuar naquele emprego por mais tempo, afinal trabalhar lá era uma tortura.
Pessoas que te xingam porque querem ser atendidas logo, mas não podem.
Paciência era algo inexistente.
Minha cabeça parecia que ia explodir em poucos segundos.
Foi o meu pior emprego.
Mas na falta de dinheiro se faz qualquer coisa.
Esse foi o meu caso na época.
Hoje em dia tenho uma filha de um ano, ela adora ver televisão e brincar.
Parece até eu.
Só que meus pais só foram ter uma televisão quando eu tinha 16 anos.
Demorou bastante por causa da nossa condição.
Mesmo assim eles nunca me deixaram ficar com fome.
Alguns dias eles deixavam de comer por nossa causa.
“Nossa?”
Eu tenho irmãos.
Uma irmã e dois meninos.
Todos mais velhos.
Ser a caçula me dificultou ainda mais, tive de trabalhar desde muito nova para ter o mínimo em nossa casa.
Uma família com quatro crianças naquela pobreza.
Eu tenho um amor especial pelos meus pais.
E também por todos os outros pais que fazem isso até hoje.
Estamos quase no ano 2000 e ainda temos esse problema.
Que horrível.
Sei que outros países não tem um pingo de comida.
Só que o Brasil é um país que está tentando desenvolver e isso é inadmissível.
De que adianta termos a nossa independência, se a elite sempre foi a vencedora.
Fiquei louca de novo.
“Tudo bem”





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Palavras que poderiam ter sido evitadas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.