O Impossível Se Torna Possível escrita por Day Marques


Capítulo 3
Capítulo 3


Notas iniciais do capítulo

Oi meu amores, estou feliz com os reviews que estou recebendo, mas que tal ajudar a titia aqui? kkkk. Adoro cada review que vocês, meninas, deixam. Espero que eu tenha fantasminhas aqui e que eles possam aparecer. Enjoy!!!




Mas uma segunda-feira, ai que saco ter que trabalhar, mas é a vida. Eu sei que uma pessoa na minha idade não devia estar mais morando com pais, mas eu não ligo, eu gosto. Também porque é bom, bonito e super barato. No trabalho não posso me vestir como eu bem quero, já pensou eu chegar lá ao estilo rock? Seria hilário. Coloquei uma saia preta um pouco acima do joelho, uma blusa preta – Já deu pra ver que eu não sou muito de sair do preto neh? É que eu não sei combinar muito as cores – Peguei meu sapato de alto salto fechado. A maquiagem, coloquei um batom vermelho e estava pronta. Todo mundo já tinha saído para seus devidos trabalhos e só restava minha pessoa. Peguei um sanduíche e um suco gelado, coloquei no copo térmico e sai. O trabalho era a duas quadras da minha casa, então eu ia andando mesmo. Sou formada em jornalismo, e sou editora chefe da revista Vanity fair. É, eu vivo bem, graças a Deus. Na verdade toda minha família vive, mas não esbanjamos isso para ninguém.

- Bom dia, chefinha – Falou a Nicole.

- Bom dia, folgada. Temos muita coisa hoje?

- Ai, quanto mal-humor – Eu sou super mal-humorada de manha - Na verdade, de muita coisa só tem uma reunião. E depois umas coisinhas para você decidir.

- Tudo bem. Que horas é a reunião?

- Daqui a meia-hora. Quer beber alguma coisa?

- Um café, por favor – Ela saiu com seus saltos irritantes batendo no chão e bateu a porta. Eu ainda mato ela por isso. Olhei os documentos que estavam em cima da minha mesa, e não eram poucos, e fui olhando e resolvendo uns enquanto a hora da reunião não chegava. Odeio reuniões, mas é a vida.

- Aqui está, chefinha. Com leite e pouco açúcar, como você gosta – Depositou o copo na minha mesa e saiu.

[...]

- Esse contrato com a The New York Times é o mais importante para a nossa revista, então temos que dar o nosso impossível, o nosso sangue para tudo ocorrer bem. Lembrem-se: dignidade sempre. É isso senhoras e senhores, por hoje é só. Obrigada pela atenção – Reunião encerrada, graças a Deus. Eu posso dizer que amo trabalhar aqui, mas odeio essa parte do trabalho. Eu sou uma pessoa bastante respeitada no trabalho, e isso é bom, muito bom. Odeio inveja e falsidade. Procuro me dar bem com todo mundo, até com os outros chefes chatos e arrogantes das outras empresas.

- Chefinha, a senhora tem que decidir quais dessas modelos vai pousar para o próximo mês e o tema.

- Ai, já tenho tudo em mente. Junho está chegando e férias também. Vamos fazer uma seção de praia e piscina. E... a modelo é esta – Apontei para uma morena bem bonita da segunda foto – Contate ela e dê todas as instruções necessárias.

- Ótima escolha. Saindo – Saiu saltitando. Ela e a Lice iam se dar bem numa boa viu. De onde esse povo tira tanta alegria e energia?

[...]

- Oi família – Finalmente em casa, posso até ouvir os anjos dizendo amém.

- Filha, fiz seu prato favorito.

- Macarrão e carne assada – Gritou eu e Emmett

- Vou tomar um banho rapidinho e venho comer com vocês – Subi correndo. Tomei um banho rápido e coloquei um short moletom, uma blusinha folgada e desci descalça. Comemos na santa paz, fui pro meu quarto, escovei os dentes e cai na cama. Acordei o sol já estava raiando, como só tenho que ir pro trabalho as 09:00 e ainda eram 06:00, coloquei uma roupa e desci para fazer esteira. Depois tomei um café reforçado e corri pro trabalho.

- Bom dia chefinha, mas uma reunião hoje. E posso te dizer que você vai se surpreender. Hoje o próprio chefe da NYT vai vir para a reunião.

- Nossa, sério? – Passada. Em todas as reuniões que fizemos, ele nunca deu o ar da graça. Pois é, eu não sei nem como é o sujeito.

- Eu sei né, nem eu acreditei quando fiquei sabendo.

- É, hoje o dia promete.

- E eu acho bom a senhora correr, a reunião começa em 1 minuto – Me alertou.

- Vamos lá, só espero que ele não seja nenhum velho ranzinza, mal-amado – Rimos. Segurei na maçaneta e respirei fundo antes de abrir. Estaquei na hora. Não, não é possível.

- Chefe, o que foi? – A voz da Nicole atraiu a sua atenção e ele sorriu.



Notas finais do capítulo

Ui, e quem disse que tudo é impossível? kkkk. Espero que tenham gostado, beijos e vejo vocês em breve!!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Impossível Se Torna Possível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.