Spacial Survival Program - Interativa escrita por Sarah Rockbell


Capítulo 3
Capítulo 2: Rotina - Beatriz e Melany


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem



Beatriz decidiu que gostava de Aru.

Ele tinha a confiança de um esquilo, mas era bom ver alguém que era normal e demonstrava um pouco de medo só pra ser diferente. Ela não sabia se era normal da raça dele (afinal, nem sabia de que raça ele era...), por isso não podia determinar se era um tipo de comportamento habitual, como a gentileza dos Angelunians, a “felinidade” dos Antaris e a criatividade dos Watercolians (não que ela iria admitir que aquele pervertido tivesse uma boa qualidade). Survivor 54987... Não, seu nome era Aru.

Ele não está mais desacordado, Beatriz. Ela se reprimiu mentalmente. Agora ele pode fazer suas próprias escolhas.

Mas, apesar de saber disso, ela era a ajudante da medica chefe e estava responsável junto com ela e Julia-sensei pelo rapaz, ela estava acostumada a tomar decisões por ele (claro, quando Julia-sensei não controlava tudo e quando não havia Olivia-sensei por perto). A Hokes tinha que admitir que quando se passa meses cuidando de uma pessoa desacordada, você começa a se importar com ela e querer proteja-la.

Mesmo que isso foi de uma responsabilidade tão grande quanto fazer escolhas. Porque, na guerra, uma escolha errada resulta a morte.

Não me diga que você sempre fez as melhores escolhas, Beatriz. Sua mente pertubada falou, lembrando-a de muitas coisas. Você tem feito poucas escolhas boas desde que aceitou ter aquilo dentro de você.

Cale a boca! Ela gritou de volta. Tinha que falar com sensei novamente... Estava ficando cada vez mais paranoica.

Você devia ouvir mais a voz da razão, querida Beatriz... Ela tapou os ouvidos, não querendo ouvir mais. Mas foi inútil. Sabe que já estabelecemos que me bloquear não é possível. Eu sou você, querida Beatriz.

Eu sou você, querida Beatriz... Não, isso ela não aguentava.

– Hokes-san? – Uma voz gentil falou, a tirando de sua mente conturbada.

Ela olhou para o lado apenas para encontrar gentis olhos azuis. Aru a olhava atentamente, seus olhos cor do céu cheios de curiosidade. Pela primeira vez, ela se deu trabalho de observá-lo acordado, não em coma (algo que o choque dele acordar – apesar de bem escondido – não a permitiu oportunidade). Ele tinha cabelos que eles deixavam perfeitamente aparados e eram da cor azul do céu, sua pele era pálida e seu corpo era frágil, o que explicava ele estar em uma cadeira de rodas. Ele ainda usava sua roupa hospitalar, o que eles iam mudar assim que chegassem a ala de vestimentas hospitalares, onde Olivia-sensei iria determinar o que lhe era permitido usar. Seu semblante era gentil, mas preocupado.

Eu decidi ajudar ele. Isso foi uma boa escolha. Ela falou para si mesma e a voz em sua cabeça ficou calada, o que não fazia há muito tempo.

– Aru-kun! Eu já falei para me chamar de Beatriz ou Bia-chan! – Ela falou, sorrindo para ele.

Um sorriso sincero, que ela dava apenas para suas pessoas preciosas.

– Sinto muito, Beatriz-san. – Ela suspirou ao “san”, mas sabia que não ia ter jeito. Aru era apenas educado demais. Diferente de qualquer coisa que já havia visto. Uma alma pura.

E eu ajudei a salvar essa alma. Ela pensou com orgulho, um sorriso vitorioso em seu rosto.

– Você parecia triste. – Aru comentou, desconfortável com o olhar perturbado no rosto da hiranian há alguns momentos. Isso fez seu sorriso cair.

– Eu sou estou com um pouco de dor de cabeça, só isso. – A hiranian respondeu, se colocando até o pescoço na água fria para tentar acalmar sua cabeça que realmente latejava.

– Você não precisa me levar então, eu posso voltar para o quarto e– Ele foi parado pela sirena, que se levantou o bastante para tapar a boca dele.

– Nunca. Eu esperei meses para você acordar, estou com medo que se você voltar a dormir, não acorda mais. – A Hokes comentou brincalhona e o sobrevivente sorriu. Eles continuaram seu caminho em um silêncio confortável.

– Shishou, eu estou aqui com o A– Survivor 54987. – Era estranho para ela chamar ele de qualquer coisa sem ser Aru, mas era necessário, afinal, Olivia-sensei não o conhecia por nada além de Survivor 54987.

– Ah, Bia-chan, finalmente. – Veio uma voz calma do escritório e a porta se abriu.

A mulher que saiu de lá tinha lá pelos 24 a 26. Ela tinha longos cabelos encaracolados e escuros, pele escura como chocolate e olhos bem escuros. Ela usava um jaleco branco como o dela, mas nele estava escrito “médica-chefe”, era possível vez uma saia negra com babados brancos saindo de seu jaleco, o que não demonstrava nem metade dos gostos extravagante da médica. Botas pretas estavam em seus pés, cadarços prateados reluzindo na luz. Ela não era uma hiranian.

Ela era uma sobrevivente.

– Desculpe pela demora. – Beatriz falou, se curvando graciosamente na água de um jeito que apenas hiranians sabiam.

– Tudo bem, eu estava organizando uma papelada. Então, Survivor 54987, pode me dizer seu nome. – Olivia disse, se virando para o rapaz.

– Eu não... Me lembro... De nada de antes de acordar... – Aru falou, abaixando sua cabeça.

– Oh... – A sensei parecia surpresa, o que fazia sentido já que não haviam muitos casos assim e todos eles tinham demonstrado trauma craniano. Diferente dele. – Então, creio que devo lhe chamar de Survivor 54987?

– Não, por favor, me chame de... Aru. – O sobrevivente falou, tremendo em frente a mulher. Então, ela lhe ofereceu um sorriso gentil.

– Como quiser, Aru-kun. – A doutora disse sorrindo e indo para traz da cadeira de rodas do rapaz, começando a empurra-lo para outra sala. – Se não se importa, temos que lhe trocar agora. Tenho a roupa certa para você. Bia-chan, se não se importa, te chamo quando terminarmos.

– Espera, Shinshou... – Ela falou hesitante e Olivia parou.

Olivia era a mestra e professora de Beatriz e sabia tudo sobre ela. A garota era esforçada e obediente, sempre atendendo a suas ordens e dando seu melhor. Se ela estava a desobedecendo, ela tinha uma boa razão, mas estava hesitante... Ela tinha um problema.

– Fale. – A médica falou gentilmente, mas não se virou para encarar sua aluna. Beatriz era importante para ela e ver dor em seus olhos era algo que ela não suportava.

– Eu estou com mais problemas com... aquilo. – A hiranian disse hesitante e os olhos de Olivia se arregalaram, mas logo voltaram ao normal.

– Recomendo que fale com Melinda sobre isso... Ela que fez a maior parte, eu só o implantei. – A médica-chefe respondeu, entrando no quarto com o confuso Aru.

A Hokes suspirou, se encostando-se à parede e afundado um pouco mais na água. Ela precisava de um momento de paz antes de encontrar-se com Melinda-dono...

– BEATRIZ!!! – Ok, o momento de paz acabou. Beatriz abriu seus olhos esbranquiçados e encarou a garota a sua frente.

A hiranian possuía longos cabelos azuis como a maioria, mas não eram tão claros quanto os seus e neles haviam lindos laços brancos com babados, o dando um aspecto estravagante. Ela tinha pele branca e olhos azuis que (novamente) não eram tão claros quanto os seus. A garota usava um corpete lavanda com cruzado azul claro e um laço bordado rosa claro. Um grande laço branco estava amarrado a seu corpete. Sua linda cauda era lavanda no começo e lentamente mudava para azul claro. Suas barbatanas eram brancas. Tudo sobre ela gritava leveza e clareza.

– O que foi, Melany? – Ela questionou, encarando a garota desesperada.

– O Shion-san está dormindo pelado por aí! – Ela gritou, lágrimas de anime escorrendo por seu rosto delicado.

– Por mais que eu odeie admitir, isso não é algo novo. – A Hokes comentou, uma veia saltando em sua testa e fazendo Melany se afastar um pouco.

O Antaria nunca conseguiu realmente abandonar sua natureza felina e despreza as desconfortáveis roupas que os membros do lugar o forçavam a usar. Ele e Beatriz... Bem, ele não se dava bem, mas isso era mais pelo lado de Beatriz. Ninguém sabe de onde ela tirou essa ideia, mas, pelo menos para ela, andar pelado por aí era uma grande ofensa à castidade das meninas (o fato de Shion comentar que eles também não usam nada na parte de baixou não ajudou. Nem um pouco).

– Mas... É que a Mallu-chan achou ele! – Melany exclamou e a hiranian ficou pálida.

Mallu Mackinzie era uma garota dócil e gentil. Ela se dava bem com todos e sempre tinha um sorriso doce em seu rosto, mas só tinha um problema. Ela era vingativa. Muito. A garota nunca esqueceu de quando Shion, quando se conheceram pela primeira vez, achou que sua cauda fosse um peixe gigante e meteu seus dentes, o que lhe ganhou o ódio eterno de Mallu.

– Temos que acha-los! Agora! – Ela não era uma fã de Shion (como duas certas senseis adoradoras de gatos), mas ela não o queria morto. Pelo menos não antes de ela ter sua vingança (“Mallu idiota, achando que vou a deixar ficar com toda a diversão...”).

As duas suspiraram quando se reencostaram na parede. Elas haviam circulado a ala médica toda, o que era muito, já que S.S.P. era muito grande e estavam exaustas. Elas afundaram até o pescoço na reconfortante água que vinha direto de Hirai, era bom saber que havia algo de seu lar no lugar com tanta variedade. Isso fazia Beatriz pensar sobre sua infância quando ela, Melany e Mallu nadavam livremente, mas isso consequentemente a fazia se lembrar dela...

– Ei, Melany. – A Hokes chamou, suas mechas caindo sobre seus olhos.

– Sim? – Sua amiga questionou.

– Eu queria saber... Como estão Kimiko-san e Mikoto-san? – Beatriz perguntou, não se atrevendo a olhar para a mais nova da família Young.

– Você não devia chamar tia Kimiko de Kimiko-san. – Melany falou, indignada com sua amiga de infância. – Tia Kimiko ainda é sua mãe, Beatriz. Não importa com quem ela se case.

– Ela se casou com uma mulher, Melany! Ela se esqueceu tão rápido do meu pai... – A hiranian exclamou, cerrando suas mãos em punhos. E essa nem foi a pior parte, ela se casou com uma Alkhanian. – Ela flou o nome como se fosse a pior palavra que já havia saído de sua boca e para ela, era sim.

Melany suspirou e deviou o olhar. Tinha esperança, mas já devia saber o que Beatriz estava pensando.

Ela nunca iria perdoar os Alkhanians por tirarem seu pai dela.



Notas finais do capítulo

Para terem uma ideia de como são, aqui as imagens:
Beatriz: http://25.media.tumblr.com/tumblr_m6qtwc1fzQ1rasd4xo1_1280.jpg
Aru: http://www.animetank.ru/avatars/tumblr_m9xjdxb0bw1rohehco1_r1_500_large.png
Melany: http://images5.fanpop.com/image/photos/29300000/anime-yuki-onnas-profile-29308222-1024-768.jpg

Olivia-sensei: http://www.miscellaneoushi.com/thumbnails/detail/20121019/red%20eyes%20short%20hair%20amagami%20ss%20curly%20hair%20dots%20tanamachi%20kaoru%20scarf%20simple%20background%20anime%20girls%20s_www.miscellaneoushi.com_63.jpg

Mais sobre Beatriz ^^
Melany Young criada por OtomeGirl.
Mencionados: Mallu Mackinzie criada por Melany e Shion criado por Kaline Bogard.

Desculpem-me pelos erros, essa humilde escritora está tentando (Meu momento de falar como Himura Kenshin o/)