O Labirinto escrita por Kaline Bogard


Capítulo 3
Acordo firmado


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura!

PS: não se esqueçam que o tema é "Shino Sombrio"



Naruto ficou em pé, muito alerta, já sacando o par de kunai, pronto para revidar qualquer tipo de ataque. Enfrentar um Alpha não estava em seus planos e só piorava o cenário.

Sasuke, Kiba e Hinata sentiram a tensão no ar. Demorou meio segundo para compreenderem tudo e imitarem a pose do líder, Hinata com mais dificuldade, já que tinha um filhotinho nos braços.

Até as crianças sentiram o impacto pela presença do Alpha, correndo e agrupando-se atrás de Kiba, projetando nele o guardião que os protegeria de serem capturados de novo.

A tensão dominou os fugitivos.

— Estão a dois dias de distância do portal mais próximo — a voz grave soou calma e um tanto indiferente, sem sinal de agressividade.

Apesar do jeito aparentemente pacífico, Naruto não baixou a guarda. Sabia como aquela casta podia se mostrar rápida e forte, até mesmo piscar era arriscado.

— Em que direção? — ousou perguntar.

O Alpha cruzou os braços, deu a impressão de analisar a situação.

— Posso levá-los até lá — era um morador do labirinto, conhecia cada detalhes daquela floresta, sabia a localização de cada portal, além do padrão com que eles apareciam e desapareciam de lugares pré-determinados — Se aceitarem me pagar por isso.

A oferta fez Sasuke, Kiba e Hinata olharem para Naruto. O líder do grupo pensou depressa, lembrou-se que tinha três punhados de ouro na mochila. Não era muito, o suficiente para manter as provisões e garantir alguns cuidados para os pequeninos, caso não tivessem sido tirados da rota e afastados da civilização.

— Qual o seu preço? Não temos muitos punhados de ouro… — não se comprometeu. Caso precisasse pagar os três, faria sem remorso para garantir a saída segura deles. Se o Alpha quisesse mais ouro, teriam que negociar.

— Preciso de apenas um. Para onde vão?

Naruto não acreditou que custaria tão pouco sair dali. Tornou-se desconfiado, mas não tinha muitas opções. Entre vagar a esmo por sabem os deuses quanto tempo ou arriscar-se a confiar naquele desconhecido, preferiu arriscar-se. Tinha os companheiros, caso se tratasse de um engodo lidariam com isso na ocasião adequada.

— Vamos para o País da Ametista — revelou. O esconderijo do grupo era no distante e inócuo país.

O Alpha meneou a cabeça.

— Não existe um portal para esse país. O mais próximo que conseguirão chegar é através do País da Água. Nesse caso há um portal a dois dias e meio de distância daqui, usando um dos atalhos.

Atalhos. O Alpha falava de atalhos e localização de portais com tanta propriedade… e não emanava nenhuma intenção agressiva…

Resolvendo expor-se ao perigo, Naruto baixou as kunai devagar.

— Pode nos mostrar onde tem água?

— Claro — o desconhecido respondeu sem hesitar.

Naruto apertou os maxilares. Não precisava olhar para o estado das crianças e dos próprios companheiros para tomar uma decisão. Morrer de fome e de sede, perdido naquele labirinto ou aceitar o acordo e acreditar que havia uma chance…

— Meu nome é Uzumaki Naruto, temos um acordo. Agora nos mostre o caminho.

— Me chamo Aburame Shino — a resposta veio tranquila — Venham comigo.

Mal disse isso e deu as costas, olhando brevemente por cima do ombro antes de começar a caminhar devagar para que não o perdessem.

— Vamos — Naruto decidiu.

Ninguém questionou. Desde que começaram as ousadas investidas de resgate, Naruto usava o apurado instinto e os tirava de perigosas enrascadas. Nunca se arrependeram de seguir as escolhas que ele fazia. Guardaram as armas e recolheram os poucos pertences.

— Rápido, molecada — Kiba organizou as crianças, que não perderam tempo em formar uma pequena fila, que Sasuke finalizou, como sempre protegendo o grupo de alguma aparição traiçoeira.

Assim tomaram o caminho que o Alpha indicava. Poucos metros a frente sentiram quando algo de magia os envolveu. Não viram nenhum portal, mas a sensação foi exatamente a mesma de atravessar um, apenas bem mais fraco do que antes.

— A magia desprendida de cada portal depende da distância a que ele leva — o Alpha foi explicando — Muita magia leva para lugares distantes. Pouca magia locomove em curtos espaços. Vocês devem ter atravessado pelo menos uns cinquenta pequenos portais sem perceber.

A informação impactou o grupo de jovens adultos. Aquele Alpha acabou de contar que ficavam “saltando” distâncias passando por portais sem sequer saber ou sentir?! A surpresa da descoberta foi apenas menor do que o cenário que os recepcionou.

Aquele portal invisível os levou para uma nova e ampla clareira, um campo gramado a perder de vista, com um grande lago cristalino cercado de um pequeno aglomerado de árvores: todas frutíferas, um belo pomar.

— Se souber qual portal usar, pode chegar em lugares assim — Aburame Shino fez um gesto de mãos, indicando que deviam ficar a vontade — Podem ficar por duas horas aqui que não irá atrapalhar. O portal que precisam atravessar só abre ao pôr do sol.

Naruto ficou sem ação por alguns segundos, tempo em que o Alpha foi sentar-se ao pé de uma árvore, desinteressado de qualquer outra coisa. Não podia acreditar que havia alguma cilada naquelas frutas: reconhecia cada uma delas, maçãs, pêssegos, peras, bananeiras!

— Naruto — Kiba falou baixinho. Quando o Beta lhe deu atenção, indicou mais a esquerda deles, com um gesto de cabeça, onde um pequeno gamo espiava curioso. Havia caça por ali.

— É seguro caçar? — perguntou para o Alpha. Tem algum portal que possa nos separar?

Shino balançou a cabeça.

— Aqui é uma Zona Morta. O único portal é esse que usamos. Voltaremos por ele, porque o próximo portal fica a pelo menos dois quilômetros a noroeste.

Isso foi o suficiente. Naruto sinalizou para Kiba ciente de que ele nã passaria do limite, nunca iria tão longe para caçar. O rapaz desapareceu por entre as árvores, indo atrás do animal que fugiu assustado.

— Venham comigo, crianças — Hinata chamou para que fossem até o lago. Podiam recolher água para beber, reencher os cantis! E depois, quem sabe, até tomar um banho para tirar a poeira do corpo.

Naruto e Sasuke alcançaram o pomar, concentrando-se em colher as frutas graúdas, de aparência apetitosa. Uma farta refeição que poderiam fazer depois de dias.

— O que você acha? — Naruto perguntou antes de deixar algumas maçãs caírem na direção de Sasuke, que recolheu todas agilmente.

— Não sei. Se ele mora aqui, faz sentido que conheça os portais.

— Não vimos mais ninguém, agora sei porquê, caralho! — Naruto resmungou — Ficamos passando por portais de um lado pro outro. Estávamos em péssima posição para enfrentar… se for uma armadilha e ele exigir todo nosso ouro, vou deixar levar.

Sasuke entendeu o ponto. Aquele valor monetário era para garantir uma boa viagem, com mantimentos, água… o mínimo para sobrevivência. Se o Alpha não tivesse aparecido e ajudado, talvez nunca saíssem do labirinto.  A vida deles por um ou até mesmo  três punhados de ouro era uma troca barata.

Pouco tempo depois Kiba regressou com o gamo morto. Foi tratá-lo na margem mais distante do lago, dando espaço para que as crianças brincassem um pouco na água. Depois de dias de tensão e medo, as risadas infantis foram como música para o grupo aventureiro.

Menos de uma hora depois o cheiro de carne assada atraiu todos para sentar-se ao redor da fogueira que Sasuke acendeu. Ver o brilho no olhar dos filhotes e a felicidade com que degustavam a carne quente lembrou aos adultos o motivo de arriscarem a vida para ajudar a salvar prisioneiros. Era tão afável ao coração que fazia qualquer risco valer a pena.

Quando todos estavam de barriga cheia, guardaram o resto da carne, armazenaram frutas e reabasteceram os cantis, prontos para seguir viagem.

Aburame Shino, que se manteve longe até então, aproximou-se do ponto em que sabia estar o portal. Estava na hora de retomar a viagem.



Notas finais do capítulo

O que acharam dessa dos portais? Um Labirinto em que que até as "paredes" são mágicas!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Labirinto" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.