O Labirinto escrita por Kaline Bogard


Capítulo 10
A resposta para os problemas


Notas iniciais do capítulo

Semana passada não postei porque foi a festa do trabalhador. Huhasuahsua acabei passando o dia off, quando voltei pra casa fui direto pra cama xD

Boa leitura!



Atravessar o portal de novo foi uma tarefa complicada. Porque Naruto teve que acordar o amigo sem despertar as crianças! E o susto não pareceu abalar o sono pesado de Kiba. Além claro, do cansaço do dia. Estava seriamente considerando atravessar sem ele e resolver tudo sozinho quando o Omega despertou (seria algum instinto?!) Reclamou um pouco, mas escapou com jeitinho do abraço infantil coletivo em que estava preso.

E então, com a mochila cheia de Artemísia, os dois amigos voltaram ao labirinto.

—--

Encontrar a figura solitária parada próxima as árvores não foi uma surpresa de todo. Kiba já previa algo assim, graças à parte Ômega que se tornava sensível à presença do Alpha.

Por um segundo o clima ficou estranho. Para Naruto era muito recente o terror de ver o companheiro sendo levado para longe, o desespero das horas seguintes, a dúvida sobre o que fazer e a dolorosa escolha de sair do labirinto, ao menos para garantir a segurança dos filhotes.

Tudo por culpa daquele Alpha parado a encará-los.

Por mais que Kiba revelasse sobre o mal entendido na comunicação e como a situação se esclareceu depois, ainda sentia certo rancor. Afinal, criou o grupo de rebeldes justamente para lutar contra o rapto de Ômegas, que eram levados embora contra a própria vontade. Então como medir o que sentiu ao ver algo similar acontecer com o grande amigo?

Mas antes que o clima pudesse piorar, Kiba deu seu jeito de arrumar as coisas.

Foi tirando a mochila das costas e abrindo o fecho, para mostrar os galhos de Artemísia guardados dentro dela.

— Aqui, isso daqui é Losna — explicou — Vou te mostrar como faz o chá. Então você faz o seu pai beber duas vezes por dia, o gosto é horrível. Ele vai odiar. Mas em menos de uma semana estará novinho em folha. Aqui, oh. Trouxe umas mudinhas pra você plantar na margem do lago. Vai crescer que nem erva-daninha, dai nunca mais vocês sofrem com Febre do Sabugo de novo. Ah, esse é o Naruto. Uzumaki Naruto. Ele é o líder no nosso grupo, mas só porque ele que teve a ideia de formar. Eu sou mais esperto e deveria ser o líder...

A enxurrada de palavras só cessou porque Kiba ficou sem fôlego.

Aburame Shino virou-se para Naruto e reverenciou de leve, apesar de ambos já se conhecerem.

Naruto sentiu o olhar ansioso de Kiba. Era nítido que queria que se desse bem com o Alpha. Foi envolvido por uma onda morninha recheada de alguma coisa que remetia a confiança e boa vontade, então suas defesas caíram. Fosse pela personalidade de Kiba, tão propensa a novas amizades apesar de tudo; ou fosse pela essência Ômega crucial em momentos de tensão e conflito, mesmo eminentes… todas as defesas de Naruto caíram por terra e ele sorriu.

— Vamos curar o seu pai! — trouxe o fato para a frente de todos os demais acontecimentos. Havia um homem doente e precisando de ajuda. Se lembrasse disso, conseguiria perdoar e justificar tudo o que tinha acontecido.

—--

Shino os guiou através dos portais invisíveis até o casebre em que moravam. A transição de espaço era tão sutil… por mais que Naruto tentasse prestar atenção, não conseguia! Sem a ajuda de um guia que conhecesse bem o caminho qualquer um poderia vagar pela eternidade sem perceber a armadilha.

Na rústica cozinha, Kiba preparou o chá, dando instruções detalhadíssimas sobre como colocar os raminhos para ferver, a quantidade de água e o tempo necessário.

— Então existem outros doentes? — Naruto perguntou quando o chá esfriou o bastante para que fizessem o pai de Shino beber. Ficou um tanto impressionado com a confiança do Alpha, que aceitou unicamente na palavra de Kiba sobre aquilo ser um remédio.

E se fosse um veneno?!

Em seguida lembrou-se do tal vínculo que começava a se formar entre Alpha e Ômega. Se fosse mentira ou maldade, Shino saberia. Assim como sabia que Kiba acreditava estar salvando-lhe o pai graças àquele chá.

— Pelo menos uns dez Alphas — Shino explicou ajeitando a toalhinha úmida sobre a testa do pai. Shibi dormia bem desde que Kiba o acalmou com a “coisa” de um Ômega. Seria grato mesmo se o chá não funcionasse.

— Quantas pessoas moram aqui? — Kiba soou curioso, sentado na beirada da cama com a caneca agora vazia.

— Temos uma pequena cidade… são centenas de famílias. Mas quatro Clãs moram nos limites dos portais, para fazer a segurança e cuidar dos intrusos — explicou. Os Aburame e os Sarutobi eram dois desses Clãs.

— Caralho! — o Ômega se surpreendeu. Como assim tinha uma cidade ali dentro?!

Naruto, parado perto da porta, cruzou e descruzou os braços duas vezes, incomodado.

— Existe alguma chance de conhecermos essa cidade?

Kiba o encarou, sem compreender o ponto, embora um tanto grato. Já não restara mais motivos para ficar ali. Era quase hora de deixar o labirinto.

De deixar aquele Alpha.

Pensar nisso doía.

Fazer escolhas doía.

Kiba queria mudar o mundo, salvando todos os filhotes Ômega que estivesse ao seu alcance. E também queria conhecer um pouco mais daquele Alpha misterioso, aprofundando o vínculo que começou a uni-los e revelava que por baixo da postura sombria, existia um coração caloroso e bom. Um coração que conquistou-lhe a parte Ômega mais rápido do que a parte racional julgava possível.

— Posso falar com o Mazekage — Shino afirmou — Se conseguirem curar essa Febre serão mais do que bem vindos.

Naruto sorriu largo sem poder evitar.

Uma ideia impressionante lhe passou pela cabeça. Se fosse possível levá-la a diante todos os seus problemas imediatos estariam lindamente resolvidos!

—--

Por isso eles esperaram. Do lado de fora do labirinto, claro. Com Kiba atravessando em busca de mantimentos para o grupo e os filhotes, enquanto aguardavam que o chá desse algum resultado.

Apenas Shibi bebeu o remédio. Shino confiava em Kiba, mas não podia arriscar levar esperança aos demais enfermos e tudo resultar numa grande decepção. Nada garantia que era mesmo Febre do Sabugo a não ser a semelhança com a doença que a irmã de Kiba sofreu.

Sasuke e Hinata se revezavam em vigiar os arredores, mas naquele país era seguro. Estavam longe o bastante de Konoha e as lendas a respeito do labirinto espantavam qualquer curioso. Não fosse a emboscada e a falta de opção melhor, nem mesmo o pequeno grupo se arriscaria a passar para o outro lado, cheio de perigos desconhecidos.

Apesar do prognóstico que calculava em uma semana a possível cura, Aburame Shibi deu sinais claros de melhoras em três dias. Era um Alpha muito forte, acima da média para a casta.

No começo Shino temeu que a recuperação fosse mais um ciclo de consciência que caracterizava a doença, mas tal fato veio acompanhado de melhoras físicas, a força do corpo de seu pai começou a voltar. A febre se foi de vez, coisa que nunca aconteceu desde que ele caiu de cama. Mesmo consciente a alta temperatura o fazia suar e desidratar terrivelmente. O apetite também se reestabeleceu. Foi uma melhoria tão acentuada que animou Shino a compartilhar o remédio com os outros conhecidos.

A essa altura já plantara a Artemísia na beira de um dos lagos e a plantinha mostrou sinais de se adaptar bem.

O resultado não podia ser melhor!

Ou podia, se o plano de Naruto desse certo.

Uma das grandes dificuldades em resgatar os Ômegas era encontrar famílias que os acolhessem depois. Ter um Ômega era sempre um risco a ser considerado. Ômegas valiam muito… seria tentador acolher um filhote e ter a chance de vendê-lo em seguida.

Por isso Naruto e seus amigos investigavam muito, era cada vez mais complicado arranjar abrigo seguro para as crianças.

Shino disse que o labirinto tinha uma pequena cidade, centenas de famílias com Alphas e Betas… nenhum Ômega para trazer o equilíbrio… se confirmasse que os moradores do labirinto eram pessoas dignas e de confiança, seria a solução perfeita: entregariam os filhotes para que os protegessem. Ninguém de fora iria lá raptá-los. E, na pior das hipóteses, o truque os portais podia ser uma garantia a mais!

Claro, não pretendia largar os filhotes a própria sorte com shifters que viviam uma situação tão adversa. E aí entraria Inuzuka Kiba, uma espécie de embaixador que manteria um olho na adaptação das crianças, caso os moradores do labirinto aceitassem o trato.

Kiba acompanhar e intermediar as adoções o tiraria da ação direta, seria muito mais seguro para o rapaz do que sair atacando caravanas de Alphas.

Realmente, a solução para todas as preocupações imediatas de Naruto.



Notas finais do capítulo

O próximo é o último!

Sobre o “Mazekage”. Maze é labirinto em inglês. Preferi usar essa versão do que a pronúncia do kanji 迷路 porque o efeito inglês ficou melhor heuheueuheuheuhe



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Labirinto" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.