Jungle Guards School - INTERATIVA escrita por Giovanna


Capítulo 2
Welcome To The Jungle


Notas iniciais do capítulo

Novos personagens apresentados hoje:
Pietro Nivans e Lucian Viktor Haid II
Espero que gostem!



[Colégio, portões principais, 08:16 AM]

O carro dos pais de Lucian Viktor estacionou a frente do portão principal. A porta de trás se abriu juntamente do porta-malas, o pai desceu para ajudar com a mala do filho enquanto Lucian descia do carro.

Botas negras muito bem lustradas acompanhadas de uma calça jeans de lavagem escura e um sobretudo preto fechado complementavam as roupas do jovem Lucian. Ele levantou seus olhos ao portão enquanto as mãos descansavam no bolso, um sorriso singelo abriu seus lábios.

As meninas que entravam paravam para observar o tão aclamado Lucian, também conhecido como cobra. A atenção estava toda em si, de modo que o seu ego se elevasse ainda mais – se possível.

— Será que elas não percebem que isso só eleva o seu egocentrismo? – uma voz masculina chamou a atenção do menino.

— James, meu amigo. – Lucian cumprimentou o amigo que ficava na porta da escola para receber os alunos, com um sorriso.

James e Lucian haviam entrado juntos na escola e por mais que fosse difícil acreditar que eles fossem se tornar amigos, ali estavam uma cobra e um elefante, juntos. A pior e melhor combinação que poderia existir.

— Será que elas não sabem que ele ama muito a si mesmo para ficar com elas? – Uma outra voz roubou a atenção dos dois jovens.

Pietro Nivans se aproximava dos amigos com somente uma mochila apoiada em seu ombro, ele não era do tipo que carregava muita coisa. Seu cabelos ruivos e médios se destacavam perto do castanho escuro próximo as orelhas de Lucian.

— Hey Lucian, onde está sua camiseta? – Pietro perguntou apontado para a própria roupa que vestia.

James e Pietro combinavam, camisetas escritas “Welcome To The Jungle” para estrear a volta das aulas em setembro. O vento reconfortante do outono os atingiu fazendo os cabelos do jovem Lucian voar na mesma direção, Lucian contra gosto abriu o sobretudo que o protegia do frio. Ali estava, a camiseta que os amigos também usavam.

— Como vocês conseguiram isso do meu filho? – Lucian pai perguntou assim que se prostrou ao lado dos meninos.

— Digamos que o James pode ser muito convincente quando deseja, tio Haid. – Pietro zombava do amigo moreno que nunca entrava nas brincadeiras dos meninos.

— Estamos parecendo um casal triplo desse jeito. – Lucian suspirou pesaroso.

— É o século XXI, não seria difícil isso ser realidade. – James brincou fazendo os outros rirem.

Todos sabiam da orientação sexual de James e mesmo assim não afetava a amizade dos meninos, alguns ainda tinham o preconceito com a decisão do menino e sempre implicavam com ele, porém Pietro sempre protegia o menino.

Pietro era como um armário gigante, seu porte físico era espetacular e ele era o mais alto dos amigos. James era o mais baixo, deixando Lucian entre os dois. Apesar da força bruta que tinha, Pietro não era o mais inteligente, deixando a parte intelectual para Lucian.

— Bom meninos, eu e Layla precisamos ir trabalhar. – Lucian pai começou a se retirar da roda. – Vamos busca-lo no fim de semana, filho.

— Ok, pai. – Lucian concordou e se despediu do pai e da mãe que tentava resolver um problema pelo telefone.

Os Haid eram gerentes de uma rede de condomínios, o que sempre gerava problemas aqui ou ali. Ainda mais quando mais quatro áreas residenciais estavam sendo construídas ao mesmo tempo. E fora de lá que Lucian e James se conheceram.

Lucian morava com os pais em um dos casarões do condomínio principal e fez rápida amizade com o menino novo que havia se mudado para a vizinhança do bairro. Logo os dois se tornaram melhores amigos e receberam a carta para o colégio juntos. James ficou aliviado ao saber que Lucian era um protetor também, assim eles poderiam cursar o ensino médio juntos.

Pietro é um ano mais velho que os dois meninos, mas ainda assim havia se tornado amigo deles. Sendo criado muito mais pela mãe do que pelo pai, Pietro se tornou uma pessoa muito sensitiva desde pequeno, o que facilitou com que seu gênio de “brutamontes” se juntasse a James e Lucian.

Os três formavam o trio indestrutível, como muitos chamavam. Era difícil você conseguir vencê-los quando eles estavam juntos.

— Ok, idiotas. – Pietro sorriu e piscou para os amigos. – Vamos entrar de uma vez.

Lucian pegou a mala que o pai havia tirado do carro e passou uma das mãos pelo cabelo. Ele observou a frente da escola, eles haviam pintado o portão mais uma vez, o gramado estava alaranjado e coberto de folhas com a chegada do outono, ele já imaginaria os diversos amassos que tiraria ali entre as folhas secas. Com um sorriso presunçoso nos lábios ele prosseguiu os passos de Pietro adentrando o local.

— Bem vindos meus amigos... – James dizia ao olhar o enorme letreiro de mármore Royal que ficava a frente das portas. – A escola dos protetores da selva.

James precisou se separar dos amigos para ir até a sala do diretor resolver mais alguns problemas. Apesar de ter somente o papel de aluno dentro da escola, James gostava de ajudar o pai no que pudesse. Esse era o lema que eles seguiam desde sempre e James não via porque não ajuda-lo.

Os alunos dos segundos e terceiros anos tinham o primeiro dia livre para arrumar suas coisas e ficar com os amigos. Esse era o tempo necessário que a direção precisava para apresentar a escola aos novos alunos e lhes dar as boas vindas. Os pirralhos, segundos Pietro, precisavam de um dia para reconhecer território para não acabar caindo na boca dos leões.

A escola podia não ter um aspecto parecido com a selva como os novatos imaginavam, mas as pessoas ali a transformavam em uma. Depois que se aprendia sobre a simbologia das ações dos animais, você nunca mais via as coisas como antes. Você sempre passava a perceber o quão animal é o mundo por si só.

Lucian e Pietro se dirigiram a Ala B - onde ficavam os dormitórios masculinos – para arrumarem seu quarto, eles seriam colegas de quarto esse ano. O problema de se participar de um trio, é que um deles sempre teria que procurar outra pessoa. Dormitórios, duplas nas aulas, pares para as aulas práticas, tudo sempre os separava, mas ainda assim havia os dias em que eles tinham sorte e podiam ficar os três juntos.

Não que eles sentissem a real necessidade de ficarem juntos o tempo todo, eles provavelmente se odiariam se passassem 24 horas juntos. Mas ainda assim, Pietro e James consideravam a amizade algo extremamente importante para eles. Lucian não ligava muito para isso, por mais que lá no fundo soubesse que nunca trocaria esses rapazes por outras amizades.

Lucian Viktor podia ser intitulado de frio e narcisista por muitas das vezes, mas ainda assim ele sabia reconhecer o amor fraternal que sentia pelos amigos. Ele só não era de demonstrar muito, ou quase nunca.

Mas isso era diferente quando se tratava de jovens damas. Ele se sentia prazeroso ao confundi-las com um simples flerte, por mais que isso fosse perigoso. Ele se lembrava de ter ganhado diversos tapas de sua – agora – amiga Heather.

A esquisita amizade havia começado quando o jovem calouro Lucian tentou flertar com a menina e recebeu um tapa na cara como resposta. Aquela leoa sabia como ser feroz. Depois daquele dia, os dois aproveitavam da relação que haviam criado para fins próprios, Lucian gostava de ter uma ajuda feminina quando precisava e Heather gostava de ter uma mente tão brilhante quanto à de Lucian por perto.

A menção dela em seus pensamentos fez Lucian se perguntar onde a menina estaria. Ela tinha todas as propriedades de um leão em si, não deveria estar atrasada. Ela era a rainha daquela escola. Lucian pressentiu que não devia se preocupar, logo ele devia aparecer por ali.

— Hey, Lucian. – Pietro o chamou. – O que será que teremos de café?

— Eu espero que café. – Lucian respondeu esperançoso, como ele amava café. – Talvez bananas.

— Cara, você sabe que eu odeio bananas. – Pietro se virou para ele com uma cara séria enquanto arrumava suas roupas no guarda roupa.

— Eu sei, amigo. – Lucian que estava deitado em sua cama arrumada respondeu enquanto observava o teto. – Mas a piada não podia passar em branco.

— Muito engraçado. – Pietro revirou os olhos ajeitando os óculos.

  Era engraçado como alguns estereótipos funcionavam ou não funcionavam ao mesmo tempo naquela escola. Pietro era um gorila de pessoa, alto, forte, gostava de praticar esportes, mas ainda assim seus cabelos ruivos médios e seus óculos de grau quebravam a imagem de jogador de futebol americano do ensino médio.

— Pietro, você trouxe entorpecentes para o colégio? – Lucian perguntou surpreso ao ver um pacote enorme de pílulas na cama do amigo.

— Não, esse é meu pacote de proteínas. – Pietro bateu no próprio braço demonstrando para o que elas serviam.

— Você realmente só liga para o seu corpo?

— É sempre bom estar se cuidando.

— Típica frase de símios. – Lucian sorriu. – Vamos, está na hora do café.

— Espero que não tenham bananas.



Notas finais do capítulo

O nosso rapaz da foto é o Lucian, um gato devo dizer kkkkk A foto do Pietro fica para o próximo capítulo.
Espero que eu tenha conseguido colocar o essencial das fichas nesses personagens, se não, me deem um toque nos comentários para que eu possa melhorar.
Beijinhos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Jungle Guards School - INTERATIVA" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.