Jungle Guards School - INTERATIVA escrita por Giovanna


Capítulo 3
Smell Like a Teen Spirit


Notas iniciais do capítulo

Está fluindo tão rápido os capítulos que acho que teremos vários enquanto eu ainda estiver de férias kkkkkk
Novos personagens de hoje:
Ikky Ezra & Aurora Weeber, além da Heather que já foi comentada antes.
Boa leitura!



 [Colégio, Ala B, quarto 2, 6:23 AM]

— Ouch! – James não contém o barulho que atravessa sua garganta ao bater o mindinho do pé na madeira da cama.

Um jovem de 18 anos e cabelos castanhos escuros acorda de sobressalto. Seu coração está rápido pelo susto com James fazendo barulho logo de manhã, ele boceja assim que olha para o menino de cabelos castanhos claros a sua frente.

— Horas? – sua voz está mais rouca que o normal.  

— Seis e meia. – James responde constrangido. – Sinto muito ter te acordado.

— Ah cara. – Ikky, o garoto de olhos verdes se deita de novo. – Porque tão cedo?

— Eu... – James pensou em responder quando percebeu que a pergunta era retórica. – vou deixar você dormir.

Ikky Ezra soltou um resmungo baixo enquanto colocava o travesseiro no rosto. Odiava ser acordado tão cedo, não via a necessidade que algumas pessoas tinham de simplesmente acordar antes mesmo do galo cantar e olha que nem mesmo Tony, o garoto que realmente tinha o espírito de galo, havia acordado ainda.

James saiu dali e entrou no banheiro, estava preparado para tomar seu banho primeiro do que seu companheiro do quarto. Ele não conhecia Ikky, somente trocaram algumas palavras quando James finalmente chegou lá pelo entardecer no dia anterior. Não que Ikky fosse anti-social ou coisa do tipo, mas James estava morto de cansaço.

A água quente da manhã escorreu pelo corpo de James, ele mantinha suas mãos atrás da cabeça e os cotovelos apoiados na parede, pensando. Ele tentava reprimir o riso nervoso que tentava sair de sua garganta para não incomodar ainda mais o colega de quarto, mas a cena continuava repetindo em sua cabeça.

Ele não havia acertado o pé de propósito na madeira da cama, ele havia se distraído. Com o que? Digamos que a pipa de Ikky estava subindo. James não o culpava, por várias vezes de manhã acordava da mesma forma, mas logo aquilo passaria. Ele só esperava que Ikky não tivesse percebido que ele tivesse visto.

“Mas quem dorme só de samba-canção no primeiro dia?” James se perguntou mentalmente e balançou a cabeça. Não tinha tempo para aquilo, não podia sentir uma atração física por quem nem mesmo conhecia direito. Ou pior ainda, por quem nem mesmo jogava no mesmo time.

[Colégio, Ala G, quarto 33, 7:21 AM]

Heather Lancaster desligou o chuveiro, jogou os cabelos vermelho fogo enrolados em uma toalha para cima da cabeça e saiu já com o uniforme da escola. Uma saia preta acompanhada de uma blusa social com uma gravata verde esmeralda, nos pés um salto de sete centímetros da mesma cor da gravata. Os olhos desenhados a delineador e lápis e uma boca que transpirava emoção e desejo em um vermelho vivo.

Aurora massageou as temporãs ao ver a colega de quarto, Heather devia ter diminuído a saia em dois palmos, a jovem asiática pensou. “Sinceramente, como eu fui cair nessa furada?” Se perguntou, sabia das normas de idade diferenciadas para os companheiros de quarto evitando que houvesse cola em provas ou cópia de matérias, mas como logo em seu segundo ano cairia com a rainha da escola?

— Bom dia, Rora. – A ruiva cumprimentou enquanto ia secar os cabelos.

— Bom dia, Heather. – Aurora sempre demonstrando o lado educado que havia ganhado em casa. – Por obsequio, não me chame de Rora.

— Porque não? – Heather perguntou antes de ligar o secador. – É um apelido, oras.

— Aurora não é um nome que precise de apelidos. – respondeu a jovem asiática. – É simples e direto.

Porém o barulho do secador abafava sua voz fazendo que Heather não a ouvisse de modo algum. A menina respirou fundo e pegou seus livros, o segundo dia estava começando e agora sim poderiam estudar. A morena não via a hora de poder começar a ter aulas, seus professores eram incríveis e ela sempre era a melhor aluna da sala.

— O que você acha... – Heather se virou para a morena. – Cabelos presos ou soltos?

Heather balançava o corpo de um lado para o outro tentando mostrar os diferentes ângulos dos penteados para si mesma no espelho. Aurora observou aquilo de modo sublime, ela não tinha nada contra se arrumar, porém Heather exagerava.

As duas acordaram juntas, Aurora começou o dia com seu yoga matinal para manter o equilíbrio do seu corpo e da sua mente como fazia todos os dias, havia arrumado seu material, se arrumado e Heather somente havia ficado na parte estética esse tempo todo. Ela se questionava se aquilo era realmente possível, porém cedeu.

Ela se aproximou de Heather e a ajudou com o cabelo, por ser um tanto perfeccionista os cabelos de Heather provavelmente nunca ficaram tão deslumbrantes e precisamente alinhados quanto aquele dia.  

­— Obrigada, Rora. – Heather cochichou baixinho o apelido da colega e recebeu um rolar de olhos em troca.

Talvez de um jeito estranho, aquilo funcionasse.

[Colégio, Ala A, sala 1, 8:00 AM]

Ikky segurava os olhos tentando se manter acordado.

O moletom da escola nunca pareceu confortável para dormir por alguns instantes, a parede acompanhada da sombra que as cortinas faziam, nada algum dia foi tão mais convidativo a uma soneca quanto aquilo. Talvez somente sua cama.

O professor de história da Arte falava sobre alguns pintores e quadros, mas Ikky não conseguia prestar atenção. Como conseguiria se sentir interessado sobre isso? Ele desejava estar lá fora, na quadra de exercícios correndo, sentindo a adrenalina correr pelo seu corpo e se sentir livre enquanto o ar enchia seus pulmões, mas agora ele só sentia o tédio entrando em sua cabeça.

Ele jurava que se esforçava para prestar atenção, mas estava acordado desde as 6 da manhã e isso era praticamente tortura para ele. O menino era uma águia, seus movimentos não queriam estar centrados em ouvir um professor falar de história da arte. Por mais que precisasse do seu diploma de conclusão do ensino médio, ele não mudaria o mundo falando sobre arte.

Ele salvaria o mundo lutando para preservar a única coisa que realmente os manteriam vivos, a natureza. Ele olhou janela a fora, se imaginou salvando os animais que estavam perdidos, salvando as arvores que estavam sendo derrubadas por nada. Algo que seus pais faziam, eles possuíam sua própria empresa de papel reciclável. Eles conseguiam salvar mais arvores do que muitos podiam imaginar.

Por isso seu pai sempre dizia: “Ikky, estude e venha para a empresa, você pode mudar o mundo aqui”, mas ele sabia que não era isso que acalmaria seu coração de verdade, ele não precisava de um diploma do ensino médio. Ele precisava se tornar um protetor da selva e concluir seu sonho até seu ultimo suspiro, salvar o mundo.

— Senhor Ezra? – o professor o chamava, ele virou o rosto vendo toda a sala olhando para si. – O mundo está mais interessante lá fora do que aqui?

— Não, professor.   – respondeu com todo o respeito que tinha aos professores, por mais que soubesse que a resposta não fosse verdadeira.

— Então trate de olhar para o seu livro. – o professor pediu com um tom seguro.

Ikky suspirou observando o livro, mas desejando estar lá fora.

[Colégio, Ala D, 16:44 PM]

Era a ultima aula do dia, o período integral da escola era exaustivo, mas ainda assim os protetores tinham que ter pique para as aulas práticas.

— Empate! – a professora de combate declarava. – Bom trabalho pessoal, passaremos os erros na próxima aula, pro chuveiro!

Aurora estava sentada no chão com as mãos para trás apoiando o corpo arqueado, respirando ofegante. Podia reclamar o quanto quisesse, mas James era um oponente formidável. É claro que eles sempre ficavam em times opostos e é claro que os times sempre os deixavam cuidando da parte estratégica.

— Precisa de ajuda, Bee? – James estendeu a mão para a amiga.

Aurora sorriu aceitando de bom grado a mão do amigo e se levantando. O cabelo marrom e liso escorrido preso em um rabo de cavalo, porém alguns fios grudavam em sua testa e em sua nuca, o suor tomando conta do seu corpo.

— Estamos com 16 empates agora? – ela perguntou.

— Por ai. – James confirmou. – porém o seu número de perdas é grande, 78 perdas.

— Idem a você, meu jovenzinho. – Aurora confirmou fazendo uma careta para o amigo. – 84 derrotas para mim.

— Ok, você não precisa ficar jogando isso na minha cara. – James reclamou.

— Você que começou. – Aurora riu e molhou o dedo com a língua para limpar a bochecha do amigo. – Meu pólen te pegou de jeito.

— Eu sempre fico preso naquela nuvem amarela idiota. – James bufou e começou a andar. – Você parece minha mãe quando faz isso.

— Minha mãe sempre fazia isso para limpar alguma sujeira dos meus irmãos. – A morena lembra de casa. – Quando eu vou conhecer a sua mãe?

— Nunca. – James dizia já virado, mas o tom verídico era sucinto em sua voz.

— Você pode conhecer a minha algum dia. – A morena convidou. – Aposto que ela vai gostar de você.

— O problema é: quem não gosta de mim?

Os dois riram e saíram.



Notas finais do capítulo

Nosso rapaz da foto (https://nerdist.com/wp-content/uploads/2017/01/riverdale-archie.jpg) de hoje é o Pietro Nivans (Não consegui colocar a foto no texto) do capítulo passado, ele não apareceu nesse, mas provavelmente aparecerá no próximo, assim como o Lucian.
Espero que eu tenha conseguido captar a essência inicial dos novos personagens, temos muito a conhecer ainda desses anjinhos XD
A minha ideia é fazer arco de 3 capítulos para cada situação e essa situação inicial da apresentação da rotina deles só vai ter capítulos com 1.500 palavras e então conforme o arco muda, a quantidade de palavras também, tudo bem pra vocês?
Beijinhos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Jungle Guards School - INTERATIVA" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.