Como se livrar de um moleque apaixonado. escrita por LDMRPB


Capítulo 15
A gente deixa ir.


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura!!



Capítulo 15 — A gente deixa ir.

 

O quarto começava a clarear a medida em que o sol nascia no horizonte. A noite passada agora parecia tão distante, mesmo que o Brian ainda dormisse em seus braços, tudo parecia como um bom sonho. Dylan não conseguiu dormir e sinceramente não queria, pois, temia que a manhã fosse chegar mais rápido assim. A medida em que os corpos se tornaram um só o que eles sentiam um pelo outro se tornou mais forte, evidente e Dylan desejou ser ignorante o suficiente para não entender o real motivo do Brian não querer se mudar para outro lado do país, mas não, ele foi amaldiçoado por ser muito inteligente e ter consciência suficiente que a razão para o loiro arriscar o seu futuro era ele. Não havia mais dúvidas de que o amava, amava seu jeito, seu sorriso, seu corpo, seus filmes ruins e sua constante habilidade de lhe surpreender e exatamente por ama-lo que ele não poderia permitir isso. A noite passada foi a confirmação que o loiro também sentia o mesmo, não era uma obsessão, não era uma fase, era amor e Dylan sabia que Brian jamais abriria mão disso facilmente. Ele não havia desistido quando não era recíproco, quando era mal tratado e nem mesmo quando era apenas invisível para o moreno. Dylan sabia o que tinha que fazer, porque o amava ele deveria partir seu coração.

— Já acordou? — A voz sonolenta do Brian o trouxe a realidade. Seus olhos parcialmente abertos eram iluminados pela luz do sol e eles nunca estiveram tão belos quanto naquele momento.

— Bom dia, Dy. — Brian se remexeu e tentou dar um beijo no mais velho, mas foi evitado.

— Vou tomar banho. — Dylan disse antes de levantar e deixar um Brian um pouco confuso na cama. Dylan trancou a porta atrás de si e se olhou no espelho do banheiro, seu corpo marcado pelos momentos de amor e luxuria da noite passada. Respirou fundo. Ele precisava ser forte. Entrou no chuveiro e deixou que a água gelada lhe clareasse a cabeça e lhe desse a força necessária. Dylan saiu após alguns minutos e encontrou com o Brian ainda em sua cama, enrolado nos lençóis lhe olhando amorosamente.

— Você ainda não se vestiu? — Dylan perguntou. Brian não entendia muito bem a reação do moreno, mas imaginou que ele não acordasse muito bem-humorado e a noite anterior havia sido a realização do seu maior sonho e o real início do resto da vida com o mais velho.

— Eu ia tomar banho com você, mas a porta estava trancada. — Justificou levantando da cama e revelando sua nudez.

— Se arrume e me encontre na sala. Precisamos conversar. — Ditou ignorando a figura na sua frente e caminhando em passos pesados para a porta antes de fecha-la violentamente.

Brian estava confuso, mas decidiu fazer o que o Dylan havia pedido. Estava um pouco preocupado com a reação do mais velho e ficou imaginando teorias do que poderia ter acontecido para precisarem conversar de maneira tão formal. Sua aposta era que o moreno estivesse preocupado pela noite anterior já que não haviam usado proteção. Demorou alguns minutos para que estivesse limpo e vestiu uma roupa do mais velho, pois não fazia ideia de onde seu terno havia ido parar.

— Dy, você está bem? — Brian perguntou ao chegar na sala e encontrar o mais velho sentado com as mãos na cabeça, como sempre fazia quando estava pensando demais.

— Sente. — Mandou. Brian o olhou de soslaio e obedeceu.

— Dy, aconteceu alguma coisa? — Brian perguntou preocupado e teve sua mão afastada sem gentileza quando tentou alisar o rosto do mais velho.

— Não da mais. — Brian riu.

— Do que você esta falando? — Brian perguntou sem entender a brincadeira do moreno.

— Não da mais. Eu não posso continuar fingindo que gosto de você. — Repetiu dessa vez levantando seu rosto e olhando seriamente para o menino.

— Eu não estou entendendo, Dy. — Brian falou totalmente confuso. — Leia isso. — Dylan pegou o seu celular e colocou na mesa para que o loiro lesse as mensagens que havia trocado com o Brandon tantos meses atrás. Dylan analisava enquanto os olhos do Brian percorria as mensagens e seu semblante apenas se tornava mais e mais confuso.

— Eu não estou entendendo. — Brian disse após largar o celular sem muito cuidado de volta a mesa.

— Eu nunca quis isso, eu apenas queria que você me deixasse em paz, mas claramente não está dando certo. — Dylan explicou.

— Você realmente espera que eu acredite que tudo isso foi mentira? — Brian perguntou perplexo.

— Você pode acreditar no que quiser, eu só não aguento mais mentir. — Dylan respondeu. Seu tom de voz não se alterava em momento algum ele falava sério, frio e totalmente distante.

— Dy, eu entendo. — Brian lhe sorriu gentil antes de colocar a mão sobre a do moreno. — Você está com medo do que sente. É normal, eu também sinto isso. — Dylan riu maldosamente.

— Você não leu as mensagens? O quão burro você pode ser… —

— Dy, eu acredito que isso começou assim. Eu acredito que você não me amava, mas isso mudou. — Brian sorriu e falou com a maior certeza que possuía em seu coração.

— Brian, quantas vezes eu preciso te dizer. — Dylan aumentou o tom de voz. — EU. NÃO. SINTO. NADA. POR. VOCÊ. — Frisou cada palavra para garantir veracidade do que dizia. Brian apenas riu.

— E o que foi ontem? — Indagou.

— Ontem foi minha última tentativa de me livrar de você. — Respondeu.

— Dy, eu sei que somos diferentes. Eu sei que sou mais novo e que isso te incomoda. Mas nada me faz sentir bem assim, como quando estamos perto um do outro e eu sei que você se sente do mesmo jeito. —

— Brian, eu não posso te dar o que você quer. — Dylan não estava tendo o resultado que esperava, não esperava que o loiro fosse ser tão persistente nem ter tanta certeza dos seus sentimentos. Imaginou que mostraria as mensagens e isso seria o suficiente para que o menino seguisse em frente. Mas, não. Brian lutou para chegar onde estava com o moreno e não deixaria as coisas sumissem assim sem lutar.

— Você é o que eu quero. —

— Por que você está dificultando tanto as coisas? — Dylan perguntou e mordeu os lábios com força. Agora não era o momento de ser fraco. — A verdade é que tem outra pessoa. —

— O que? — Isso pareceu ter um efeito no Brian como nenhuma das palavras anteriores.

— Eu me apaixonei por alguém. — Dylan disse e com essas palavras Brian retirou as mãos da do moreno.

— Eu não acredito. — Brian disse resoluto.

— Eu não queria lhe contar porque prometi ao Brandon que não iria lhe machucar. Não estou dizendo que não foi legal. Foi divertido ter alguém aumentando meu ego, fazendo meus desejos e aliviando minha tensão com um pouco de sacanagem. — Brian piscava os olhos rapidamente, tentando limpar a alucinação em formato do Dylan que lhe falava essas coisas terríveis. — Mas você é só um garoto, ele é um homem. —

— Eu posso ser só um garoto, mas você é um covarde. Você está com medo do que está sentindo e está fugindo! —

— Brian, o que você acha que eu estou sentindo eu não sinto por você. — Dylan respirou fundo percebendo que suas palavras estavam tendo o efeito desejado no menino. — Eu o amo e nós vamos morar juntos. —

— Você me traiu? — Brian sentiu sua voz fraca e com dificuldade de deixar sua garganta. Por um momento tinha Dylan só para si e agora ele escorria dos seus dedos como água.

— Traição? — Riu com deboche. — Por favor, Brian. Isso nem era um relacionamento de verdade. —

— Era para mim! — Brian gritou.

— Sem escândalo, Brian. — Dylan o repreendeu. — Não seja imbecil. — Completou.

— Imbecil é você que está abrindo mão da pessoa que mais se importa com você! — Brian sentia uma enorme dor no peito e uma vontade de ir embora sem olhar para trás. — Por que você alimentou meus sentimentos se não pretendia retribuir? —

— Talvez se você estivesse no meu lugar você fosse capaz de entender. — Dylan disse, pela primeira vez naquela conversa, uma verdade.

— Eu entendo Dylan. Entendo o que é amar alguém e é por isso… — Brian respirou fundo e conseguiu reunir forças para levantar. — É por isso que eu espero que você seja feliz com ele. — Brian desejou sinceramente com um sorriso sem prazer. Não chorou, gritou e nem fez barulho, apenas virou em direção a saída e o deixou, jamais ficaria no caminho da felicidade do homem que amava.

Assim que o barulho da porta chegou aos seus ouvidos as lágrimas deixaram os olhos do Dylan. Ele nunca imaginou que seu coração poderia pesar tanto, mais que isso, jamais imaginou que o Brian reagiria dessa forma. Se preparou para as lágrimas, os gritos e talvez até por alguma agressão, mas não imaginava que ele reagiria do mesmo jeito que si. Jamais imaginou que ele sacrificaria seus sentimentos pela felicidade do outro.



Notas finais do capítulo

Vocês concordam com a atitude do Dylan ou querem matar ele? O que vocês teriam feito no lugar dele?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Como se livrar de um moleque apaixonado." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.