Como se livrar de um moleque apaixonado. escrita por LDMRPB


Capítulo 12
O dia seguinte.


Notas iniciais do capítulo

Bbs, não cheguei aos 6 comentários, mas os 5 me deixou muito feliz, estão ta aqui 5 dias antes do prazo.
Espero que gostem, boa leitura!
Agradecimentos para Dayane, Bi, Asheley Dream,
LuOrtensi e um especial para Halsey essa leitora nova maravilhosa!



 

— Bom dia. — A voz doce lentamente trazia Brian para longe do mundo dos sonhos. Seus olhos abriram devagar e focalizaram na criatura em pé ao seu lado que lhe sorria meigamente. — Tome isso, vai ajudar com a ressaca. — Dylan o entregou um comprimido e um copo de água após ajuda-lo a sentar na cama. Brian não estava se sentindo assim tão ressacado, mas aceitou sem reclamar. Ainda estava incerto de como tinha ido parar na cama do moreno. — Deixei uma escova de dentes nova e um conjunto de roupas para você. Estou preparando o café da manhã, quando estiver pronto só ir até a cozinha. — O moreno lhe explicou e antes de deixar o quarto ainda depositou um breve beijo na testa do mais novo.

Brian estava confuso, definitivamente ainda não estava acordado. Nem em seus sonhos mais loucos Dylan tinha sido tão amoroso consigo. Levantou a contra-gosto e caminhou em direção ao banheiro, ao olhar o ambiente as lembranças da noite passada o atingiram como um raio e pode sentir seu rosto esquentar. Aquilo realmente havia acontecido ou sua mente criativa estava lhe pregando peças novamente? Fechou os olhos involuntariamente e sorriu ao lembrar do toque quente do Dylan sobre si. Decidiu se apressar nas higienes matinais, estava ansioso para o que aquela manhã com o moreno o aguardava.

Dylan terminava de preparar a refeição na cozinha. Apesar de se passar de meio dia, resolveu fazer algo como um café da manhã, por ser mais leve e não saber se o loiro estaria ou não enjoado. Não fazia ideia do quanto o menino havia bebido na noite anterior, mas imaginava que havia sido muito.

— Bom dia. — A voz do Brian se tornou presente no ambiente informando que ele já estava ali.

— Boa tarde na verdade. — Corrigiu o mais velho.

— Ontem realmente aconteceu? — O loiro perguntou sem rodeios fazendo com que Dylan corasse. Brian adorou ver aquela nova reação no rosto do mais velho e fez uma pequena nota mental para provoca-la mais vezes. Em resposta, Dylan apenas pigarreou desconfortável e colocou os pratos na mesa afastando uma cadeira e sentando na do lado. — Você dormiu no sofá? Lembro que depois do banho você me colocou na cama, mas não lembro de você dormindo lá comigo. —

—Dormi. Achei melhor te dar um pouco mais de espaço, não sabia como você acordaria. — Dylan justificou ainda totalmente cauteloso com a maneira que falava, mesmo que o mais jovem não demonstrasse nenhuma chateação, sua consciência estava pesadíssima pela noite passada. Havia seguido seus instintos como um animal selvagem e não se comportado como deveria com o garoto que claramente não estava em seu estado natural. — Dormiu bem? —

— Eu teria dormido melhor se você tivesse ficado comigo na cama. — Brian revelou normalmente, dando a primeira mordida na sua comida. — Nossa, Dy. Isso aqui esta uma delicia. — Elogiou.

— São só panquecas. — Respondeu modesto. — Mas obrigado. — Brian o sorriu gentilmente.

— Só tem uma coisa que eu ainda não consigo acreditar. — Brian falou novamente após alguns minutos de distração com a comida. O coração do Dylan deu uma pequena travada naquele momento já preparando as desculpas em sua cabeça. — Você me chamou de pequeno. Eu? Pequeno? Eu sou da sua altura Dy. — A indignação com esse fato tão trivial do mais novo junto ao nervosismo fez com que Dylan gargalhasse.

— Você sempre vai ser pequeno para mim, Brian. — Revelou. — Isso me lembra... — O mais velho se levantou da mesa e caminhou até a bancada, onde pegou o pequeno pacote que embrulhara pela manhã, havia atirado a camisa que comprou pela janela do carro com a fúria do dia anterior e acabou sem nenhum presente para o loiro. — Feliz aniversario. — Desejou, entregando ao mais novo que parecia genuinamente surpreso com o presente.

— Dylan, não precisava. — Respondeu o que parecia correto, mas na verdade estava explodindo de felicidade pelo moreno ter lembrado de si. — Para ser sincero, mais que qualquer presente eu só queria que você tivesse ido ontem. —  Deu de ombros. Apesar do término da noite ter sido maravilhoso, não conseguia esquecer as horas de agonia e frustração ao perceber que o mais velho tinha lhe dado um bolo.

— Desculpa. — Pediu novamente sem saber o que dizer. Não sabia como explicar os motivos que o levaram a ir embora daquele clube e achava melhor omitir por completo a sua presença lá.

— Já está tudo bem, Dy. Você compensa no próximo. — Brian lhe sorriu divertido e deu uma piscadela. Finalmente dando atenção ao pacote em sua frente, rasgando em questão de segundos o embrulho que Dylan havia meticulosamente dobrado. — Eu não acredito nisso! Isso já faz o que, uns 10 anos?  — Indagou boquiaberto, perplexo pela imagem do seu mais novo porta-retratos.

— Você lembra? — Dylan questionou. Analisando as reações do mais novo que parecia genuinamente feliz com um presente que poderia ser considerado tão simples. À noite enquanto não conseguia dormir, as suas memorias não paravam de voltar aos momentos com o mais novo. Lembrou-se da foto, e sabia que se colocasse um pouco de esforço, acabaria achando um dos poucos momentos que tinha registrado com o loiro. Não dormiu a noite toda procurando pela imagem, mas julgando pelo sorriso no rosto a sua frente havia valido a pena.

— Como eu esqueceria? Foi um dos piores dias da minha vida. — Comentou nostálgico. Na imagem, o Brian ainda criança tinha metade de um sorvete derretido em sua mão e a outra metade sujando sua face, do seu lado um perfeitamente limpo Dylan adolescente bagunçava os seus cabelos e com um sorriso raro e sincero dos dois aquele momento havia sido eternizado.

— Era seu aniversario de 7 anos e você queria fugir de casa porque brigou com o Brandon e sua mãe cancelou a sua festa de aniversario. Eu te encontrei no corredor com uma sacola de roupas na mão decidido a fugir de casa, te convenci a ir tomar um soverte comigo até se acalmar e nós voltamos juntos. — Dylan lembrou nostálgico.

— Nossa Dylan, como você lembra disso tudo? — Brian perguntou surpreso. Para ele aquele dia havia sido memorável, pois tivera que ligar pessoalmente para cada amigo avisando que não teria mais festa, mas não fazia noção de como aquela memoria poderia ser algo especial para o mais velho.

— Eu lembro porque foi a primeira vez que eu consegui sorrir depois que minha mãe morreu. — Dylan revelou baixo, era a primeira vez que falava isso a alguém. Brian caminhou decidido ao encontro do moreno e o abraçou com força.

— Eu adorei, Dy. — Revelou entre aquele abraço apertado que trazia conforto ao mais velho de uma maneira que nenhuma palavra jamais poderia.

— Brian... — Dylan cortou o abraço apenas o suficiente para que fosse possível ver o rosto do mais novo. — Você continua o mesmo moleque que me faz sorrir involuntariamente daquele dia. Você deixa a minha vida leve. É como se você conhecesse a minha alma, e captasse os desejos que até eu mesmo desconheço.  — Assumiu, sentindo que seus olhos estavam marejados e apesar de jamais ter se sentido tão feliz quanto naquele abraço, Dylan sentia uma enorme vontade de chorar.

— Dy, te ver feliz é a minha felicidade, o teu sorriso é a coisa mais linda desse mundo. —

— Não, Brian. — Dylan discordou, retirando uma mecha loira que caia sobre os olhos azuis a sua frente. — Você é a coisa mais linda do mundo. — O moreno aproximou o rosto do mais jovem e o beijou suavemente. O beijo era calmo e transmitia todos os milhares de sentimentos que as palavras jamais seriam capaz de explicar. Brian sentiu os lábios macios sobre os seus e desejou que aquele momento fosse eterno.

— Caramba, finalmente. — Brian sussurrou acidentalmente quando os dois se separaram. A reação inesperada fez o mais velho rir.

— Desculpa por ter demorado tanto a perceber. — Pediu entre os risos.

— Você valeu a espera. — Brian o beijou novamente. Ao termino daquela caricia, tremendo e incerto Brian decidiu perguntar algo que a alguns minutos atras jamais teria coragem, mas naquele momento, aos braços do Dylan nada parecia impossível.  — Dy, se você não quiser tudo bem, mas eu queria saber se você iria ao baile de formatura comigo. — Brian pediu receoso evitando contato visual direto e esperando a possível rejeição do mais velho. Dylan cortou aquele abraço e pelo breve segundo que se viu distante do moreno, Brian pensou que teria posto tudo a perder com aquele pedido infantil. Porem, a medida que o corpo do Dylan abaixava em sua frente Brian não acreditava na imagem a sua frente quando Dylan ajoelhado lhe perguntou:

— Brian, você me daria a honra de ser seu acompanhante no baile de formatura? —



Notas finais do capítulo

Ta tudo correndo bem, né? Talvez até bem demais... Hm...

Hehehe

Vejo vocês em 15 dias ou assim que tiver 6 comentarios!

BEEEIJOOOS