Como se livrar de um moleque apaixonado. escrita por LDMRPB


Capítulo 11
Conversa de bêbado.


Notas iniciais do capítulo

Pelo titulo já da para imaginar, né? HAHA
Agradecimentos a Melancia, Uma garota em crise, Lola Mene e Asheley Dream que me fizeram muito feliz comentando.
Boa leitura!



Capitulo 11 - Conversa de bêbado.

Dylan estava deitado a um bom tempo em sua cama, mas ainda não conseguia dormir. A imagem o loiro com aquele short rebolando sensualmente e a ideia do que ele poderia estar fazendo naquele momento o infernizavam. Dylan estava com um misto de orgulho por ter ido embora e raiva por não ter tido coragem de continuar lá. As possibilidades do que poderia ter acontecido se continuasse naquela festa rondavam a sua cabeça. Será que beijaria o mais novo? Não tinha certeza, mas sabia que tinha vontade. Não havia dúvida que o mais novo o convenceria a dançar, mesmo que ele odiasse, o loiro tinha essa habilidade de lhe convencer a fazer coisas que jamais faria em outras situações. E tinha certeza que seria bom, colar o corpo com o do mais novo e deixa-los ser guiados pelas batidas hipnotizantes. Sentir o cheiro do mais novo e ouvir sua voz em seu ouvido...

Assustou-se ao ouvir a campainha, não fazendo ideia de quem poderia ser. Analisou o relógio que ficava ao lado de sua cama, já havia se passado das duas da manhã. Caminhou desanimado para a porta e sua mão travou na maçaneta quando visualizou a figura pelo olho mágico. Respirou fundo antes de abrir a porta.

— Eu estava dormindo, Brian. — Reclamou fingindo um bocejo. Mas foi pego de surpresa pelas tapas leves que o atacaram.

— Você disse que ia! — O loiro gritava enquanto batia repetidas vezes no mais velho o deixando estático. — Eu fiquei te esperando. — Assumiu com uma voz misturada pelo álcool e a vontade de chorar. Dylan segurou suas mãos sem dificuldade já que ele não usava força e fechou a porta atras deles. O loiro desistir de resistir a vontade e começou a chorar. Dylan, sem dizer nenhuma palavra o abraçou apertado e deixou que as lágrimas do mais novo molhassem a sua camisa.

— Desculpe. — Disse por fim levando uma das mãos ao cabelo do menino lhe acariciando.

— Eu fiquei te esperando. — Repetiu em voz baixa, tentando sem muito sucesso controlar o choro.

— Vem. — O moreno cortou aquele abraço apertado e puxou o mais novo em direção ao banheiro. — Você precisa tomar um banho. —

— Não, eu não vou. — Brian falou birrento fincando os pés no chão.

— Brian, por favor, você vai se sentir melhor depois que tomar um banho. — Tentou ponderar com o loiro.

— Não vou me sentir melhor nunca. Você disse que ia! — Gritou novamente, perdendo um pouco o equilíbrio e tombando para trás, não caindo devido a parede que o apoiou.

— Meu pequeno, por favor, eu sei que fiz errado. A gente conversa quando você sair do banho. — Dylan não sabia porque estava tão paciente com o jovem, mas lhe ver daquele jeito estava lhe causando dor e tudo que queria era lhe fazer sentir melhor. E se sentia pior ainda ao saber que o motivo dele estar daquela forma era ele.

— Se eu entrar você vai embora. —

— Brian, eu moro aqui. —

— Não importa, eu não vou entrar. — Respondeu cruzando os braços.

— Vem, Brian. Eu entro com você, ok? — O moreno caminhou para dentro do banheiro e ofereceu a mão para que o loiro o acompanhasse. Brian começou a rir.

— Você vai me ver pelado. — Assumiu entre risos fazendo o mais velho revirar o olhos. Dylan, ignorando esse comentário infeliz, ajudou o loiro a retirar suas peças de roupas que ele batalhava para se livrar, principalmente o sapato que usava. Em seguida, ligou o chuveiro para que o mais novo entrasse. Sentou na privada fechada e virou os olhos para a direção oposta do box, para que Brian pudesse se banhar. Tentava se concentrar no barulho da água caindo e estava conseguindo com sucesso não olhar para o garoto na sua frente.

— Dyy... — Ouviu o loiro gemer seu nome em um tom de voz manhoso.

— Estou aqui. — Respondeu sem olhar em sua direção.

— Minhas pernas estão tontas. — Falou atropelando as palavras. Dylan fechou os olhos com força e respirou fundo antes de levantar. Ele sabia o que tinha que fazer, apenas desejava ter a força necessária para fazer apenas isso.

— Eu vou te ajudar. — Falou derrotado e entrou junto ao loiro no box ajudando-o a sustentar o próprio corpo. O rosto corado, o sorriso fácil e as gotas de água  contornavam o corpo do mais novo e Dylan tentava com muita força não olhar aquela imagem com desejo.

— O que você esta fazendo? — Perguntou ao perceber as mãos tremulas do mais novo na barra da sua camisa, tentando tira-la.

— Não é justo. — O loiro reclamou. — Eu quero te ver também. — Dylan respirou fundo e o ajudou a retirar a camisa que já molhada caiu pesada no chão. — Também. —  Brian levou a mão a barra da calça do moreno o fazendo sentir um arrepio percorrer a sua coluna.

— Tudo bem, eu tiro. — Dylan concordou, afastando as mãos do mais novo de uma região tão perigosa. Agora, completamente nu sentia o olhar do loiro sobre si.

— Tão lindo. — O loiro admirou o mais velho passando as mãos por toda extensão do seu peito. Dylan se focava em sua própria respiração e tentava ignorar a pulsante dor no seu baixo ventre recusava-se a olhar, pois sabia a situação em que se encontrava. Pegou o sabonete e começou a passar pelo peito do Brian. Precisava acabar com aquele banho antes que seu controle acabasse primeiro. O mais novo virou de costas dando espaço para que o moreno ensaboasse o local. Levou uma mão aos azulejos gelados e a outra ao próprio pênis.

— O-o que você está fazendo? — Dylan gaguejou percebendo os movimentos que o loiro fazia.

— Tão bom. — O loiro respondeu em um gemido não contido. — Me abraça, Dy. — Dylan, sem pensar, obedeceu ao pedido. Com os braços em cada lado do loiro e o seu membro duro nas costas quentes dele, ele tinha uma visão privilegiada do menino se masturbando. Sua respiração acompanhava a do Brian, descompassada. Brian retirou a mão do seu membro e levou a do mais velho a ele. — Me ajuda, Dy. — Pediu. Dylan não conseguiu recusar, fechando a mão sobre o membro do Brian e o masturbando com vontade. Ouvindo os gemidos do mais novo cada vez mais altos e seu próprio membro latejar enquanto o loiro rebolava em sua direção. — Dy... — Brian gemeu, colocando sua cabeça para trás e mordendo os lábios com força, deixando o pescoço exposto. Dylan o arranhou com os dentes e chupou aquela área a mostra com força, fazendo o loiro gemer ainda mais alto. — Dy, eu vou... — O loiro não foi capaz de continuar a frase antes de se derramar nas mãos do do moreno. Dylan virou o loiro em sua direção e o ajudou a limpar o gozo que sujara sua barriga. O mais novo, aproveitando a posição, colocou os braços no pescoço do moreno e admirou seu rosto. — Dy, eu posso te beijar? — Pediu. Hipnotizado pelos lábios entreabertos do Brian, Dylan não respondeu, apenas o beijou.



Notas finais do capítulo

Atualização em 15 dias ou assim que tiver 6 comentários :)
Ps:: FINALMENTE!