Os Domadores Sayajins escrita por BILSS O DESTRUIDOR, Matt Wagner 27, Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 8
O Mistério de Mercuremon!! Os Sayajins Revelam seus Poderes, Parte 1


Notas iniciais do capítulo

Autor: BILLS O DESTRUIDOR

Revisão: Sensei Oji & Matt Wagner 27



No capítulo anterior, Ruki, ao voltar para casa, teve de enfrentar Allomon, mas graças à interferência dos tamers e de Trunks, Renamon acabou vencendo Allomon e absorvendo parte de seus dados, já que o resto fora restaurado por Trunks, que deu-lhe uma advertência sobre continuar absorvendo dados.

Ao voltar para casa, ela teve um sonho sobre o dia em que conheceu Renamon e por isso enfrentou Dokugumon. Finalmente conseguiu que Renamon digi-evoluísse.

...

...

Takato acabara de sair de casa e fora no local onde Guilmon ficava quando não estava no digivice.

─ Guilmon, bom dia ─ disse Takato.

─ Bom dia Takato. Aconteceu algo estranho com Guilmon... Guilmon estava em outro lugar enquanto estava dormindo ─ falou o digimon.

─ Em outro lugar? Estranho. Já sei o nome disso, é sonho ─ falou Takato.

─ Sonho? O que é sonho? ─ perguntou Guilmon enquanto estavam passando perto de uma padaria.

─ Bom, é meio difícil de explicar ─ falou Takato sendo interrompido por Goten que acabara de sair da padaria junto de Veemon.

─ Sonho é como se fosse uma história criada por sua mente em forma de uma ilusão. Às vezes são bons, outras vezes são ruins ─ explicou Goten enquanto continuavam a andar.

─ Guilmon! ─ exclamou Takato percebendo que metade de seu parceiro estava, por algum motivo, com seus códigos se desestabilizando e fazendo com que seus dados ficassem intangíveis.

─ O que há de errado, Takato?? ─ perguntou Guilmon.

─ Você estava a ponto de desaparecer! ─ responderam Takato e Goten.

─ Goten, você acha que digimons podem voltar à sua forma de dados? ─ perguntou Takato.

─ Acho que sim, afinal, de certa forma, são basicamente dados e não deveriam nem existir nos mundos físicos. Mas talvez o Trunks ou seus amigos saibam mais disso... ─ respondeu Goten enquanto eles se dirigiam para a casa de um dos amigos de Takato.

─ Você quis dizer “mundo” certo? ─ perguntou Takato.

─ Não, eu disse “mundos” mesmo. Talvez vocês ainda não tenham percebido, mas o Trunks e eu viemos de outro mundo ─ respondeu Goten.

─ Um outro mundo? Então como é o mundo de onde vieram? ─ perguntou Takato surpreso e meio desconfiado.

─ Bom, o mundo de onde viemos é, ao mesmo tempo, semelhante e diferente deste. Por exemplo, em meu mundo temos carros voadores e isto ─ disse Goten pegando uma cápsula e jogando-a no chão, para provar assim que estava dizendo a verdade.

─ Sério? Carros voadores, eu dificilmente sonharia com algo semelhante. Mas o que é essa coisa? ─ perguntou Takato sobre a cápsula que Goten jogou no chão.

─ Isto que joguei é uma cápsula hoipoi. Dá para guardar quase tudo dentro dessas coisas ─ explicou Goten.

─ Mas como cabem coisas enormes nesta pequena cápsula? ─ perguntou Takato vendo que de lá saiu uma mini geladeira.

─ Eu também não sei. Quem fabrica é a empresa do avô do Trunks ─ explicou o menino sayajin.

Então Takato, sendo acompanhado por Goten, continuou indo em direção ao prédio onde ficava o apartamento em que Lee morava. Ao chegarem lá, chamaram o porteiro que logo entrou em contato com Henry.

─ Lee, aconteceu algo estranho com o Guilmon. Quando estávamos dando uma volta na rua, uma parte dele ficou transparente como se fosse desaparecer ou algo assim. Estou com tanto medo e odeio a ideia de Guilmon ir embora... ─ falou Takato.

─ Em primeiro lugar, Takato, os digimons nem deveriam existir no nosso mundo. O mundo real onde vivemos... ─ respondeu Lee.

─ Sim. Goten também me disse isso, mas acontece que Guilmon já é meu melhor amigo e, além de ser domador dele, eu também o criei. Entende? ─ falou Takato.

─ Mou-man-tai ─ falou Terriermon. ─ Acho que não devíamos fazer distinção...

—... entre as coisas de ambos os mundos ─ completou Goten.

─ Vejam vocês mesmos. Vocês não querem ficar com seus parceiros para sempre? ─ perguntou Takato.

─ Takato, nada é para sempre - afirmou Lee.

— Não importa o que diga ou o que seja ─ falou Goten. ─ Bom, a não ser que neste mundo também exista algo semelhante às Esferas do Dragão ─ complementou o amigo  de Trunks.

─ Como assim “neste mundo”, e o que são as Esferas do Dragão? ─ perguntou Lee.

─ Bom, como já disse, Trunks e eu viemos de outro mundo. Mais especificamente de outro universo. E Esferas do Dragão são um conjunto de esferas que, quando reunidas, podem invocar um dragão que poderá realizar qualquer desejo, com poucas restrições. A não ser que se junte as esferas planetárias. Se juntá-las, aí sim poderá realizar qualquer desejo sem restrições, mas estas pelo que fiquei sabendo estão espalhadas entre os dois universos ─ explicou Goten.

─ Sério? Se isso for verdade, que vieram de outro universo, então é a prova da teoria do multiverso ─ falou Lee.

─ Sim, e ela está correta. Mas acredito que tenhamos mais que um multiverso ─ falou Goten lembrando-se de algo que ouviu uma vez.

Após isso, Takato e Goten foram deixar Guilmon no pequeno canteiro de obras abandonado em que o digimon gostava de ficar.

Então Goten começou a voar na direção de sua casa. Já Takato seguiu em direção à escola.

...

...

Um momento depois, em uma rua de Shinjuku, Yamaki acabara de receber uma ligação.

─ Yamaki falando ─ disse ele atendendo ao seu celular.

─ Senhor Yamaki, gostaríamos que o senhor retornasse o mais breve possível ─ falou o agente 13.

─ Qual é o problema?

─ O inspetor disse que está precisando de sua explicação.

─ E você acha que ele é capaz de entender a minha explicação?

─ Mas chefe... ─ disse agente 13 preocupado.

─ Estarei com ele em pouco tempo.

Após isso, passou um carro ao seu lado, mas este rapidamente desapareceu passando em um campo dimensional.

...

...

Nesse mesmo momento, na escola, Takato pensava em voz alta.

─ Se o Guilmon sumisse... Prefiro nem pensar. E se ele digivolver mais... ─ disse enquanto pensava, sem prestar atenção em nada à sua volta.

─ Digivolver? ─ perguntou Kato ao ouvir o que seu amigo dissera.

Enquanto isso, sua professora explicava algo no quadro.

─ Ah, um túnel... ─ falou Takato interessado pelo que sua professora explicava. Então, após alguns minutos, os alunos foram liberados para ir embora. Takato começou a ir ao local onde Guilmon ficava. No meio do caminho, Takato encontrou Trunks, que estava praticando kendo junto com Kotemon em uma academia de kenjutsu (arte de lutar com espadas)

─ Trunks, o que você e o Kotemon estão fazendo? ─ perguntou ao ver o Sayajin e seu digimon lutando com espadas de madeira.

─ Ah, nós apenas estamos praticando kendo, e eu também estava ensinando algumas técnicas de combate corporal caso ele não possa usar a sua espada por algum motivo ─ respondeu Trunks.

─ Então você está ensinando artes marciais ao seu digimon? ─ perguntou Takato.

─ Sim. Mas por enquanto só estou treinando-o em sua forma rookie/ criança, já que estamos em uma academia de kendo e outra de kenpo. Só irei treinar na sua fase adulta quando estiver em casa. E você, o que está fazendo? ─ falou Trunks.

─ Eu estou indo para o local onde deixo o Guilmon ficar quando não estou com ele ─ respondeu.

Depois disso eles continuaram a ir para onde Guilmon ficava. Quando chegaram lá viram que o digimon brincava com Culumon.

─ Olá Takato ─ disse Guilmon.

─ Então você está brincando com o Culumon? ─ perguntou Takato ao pequeno dinossauro vermelho. ─ Culumon, me diz, onde você mora? Mora com alguém? ─ perguntou Takato.

─ Culumon pode ir pra qualquer lugar, então Culumon não precisa de casa ─ falou o baixinho.

─ E você não sente solidão? ─ perguntou Trunks.

─ Não entendo essas coisas... ─ falou Culumon antes de ir embora saltitando.

Um pouco depois, na sede da Hypnos, Yamaki estava explicando algumas coisas para o seu chefe que lhe questionou sobre os digimons. Após isso deu-lhe um aviso.

...

...

Depois de sair do local, Trunks voltou para casa.

─ Ei Goten, pronto para um pouco de treino? - disse ele ao ver o amigo.

─ Sim. Podemos treinar luta de espadas ─ falou Goten jogando uma cápsula no chão e revelando duas bokutos (espada samurai de madeira semelhante à katana).

─ Certo. DIGIPORTAL ABRA! ─ disseram os sayajins erguendo um de seus braços fazendo com que um portal de dados fosse aberto para que pudessem ir treinar na dimensão zero.

─ VOCÊS GOSTAM MESMO DE LUTAR. JÁ É A SEGUNDA VEZ QUE VIERAM AQUI HOJE! ─ falou Magnamon impressionado com o gosto que os sayajins tinham pelas artes marciais.

─ Bom, é que a luta está em nosso sangue ─ respondeu Trunks.

─ DE QUALQUER JEITO PODEM IR. NÃO HÁ NENHUM DE NÓS TREINANDO NO MOMENTO ─ falou Magnamon antes de erguer seu braço e abrir o portal da dimensão zero.

─ Obrigado Magnamon-sama ─ falaram Kotemon e Veemon que haviam saído dos dx-loaders.

Após entrarem na dimensão zero, Goten e Trunks desembainharam suas bokutos chamando a atenção de Kotemon.

─ Essas espadas aí são bokutos, não são? ─ perguntou Kotemon.

─ Sim, são bokutos. Elas fazem você sentir saudades de seu mestre, certo Kotemon? ─ perguntou Trunks ao seu parceiro.

─ Nós podemos ensinar algumas técnicas para se fazer com a espada ─ disse Goten.

─ Esta daqui, por exemplo, JUUHAZAN! ─ enunciou Trunks carregando energia na espada e impactando-a contra o chão. Assim criou uma enorme fenda no local.

─ Ou este, HADANGENKI! ─ pronunciou Goten juntando ki na espada e em seguida fazendo um movimento de corte que gerou uma onda de energia cortante.

─ E a versão mais forte dessa técnica, HIENKYAKU! ─ pronunciou Trunks fazendo a mesma coisa que Goten, mas adicionando energia extra.

─ Vocês irão nos ensinar estas técnicas? ─ perguntou Kotemon.

─ Sim, iremos ensinar a vocês. Mas primeiro vocês têm que aprender a manipular o ki de vocês. Assim suas técnicas ficarão mais poderosas ─ falou Trunks.

─ Certo, mas como fazemos para manipular a nossa energia? Muitos digimons a utilizam naturalmente, como os da espécie Leomons, mas digimons de outros tipos raramente aprendem a utilizar o ki ─ falou Kotemon.

─ Certo. Primeiro fechem os olhos e tentem visualizar uma pequena chama no interior de vocês ─ explicou Trunks.

─ Em seguida imagine esta pequena chama se expandindo lentamente dentro de você ─ falou Goten.

─ E por último, concentre essa energia em sua arma e ataque assim ─ falou Trunks criando uma esfera de ki.

─ O básico do ki é aumentar seus atributos e os de suas armas. Por exemplo, essas espadas de madeira são frágeis, mas se concentrar teu ki nelas então ficarão tão resistentes quanto o aço, e com um grande poder de corte e perfuração ─ falou Goten juntando ki em sua bokuto e facilmente cortando uma montanha ao meio.

─ Vamos ver se eu entendi. É desse jeito? ─ falou Kotemon concentrando sua energia na espada e impactando-a contra uma elevação rochosa que facilmente se partiu em dois.

─ Se ele consegue, eu também consigo. Haaaaaa ─ pronunciou Veemon dando um potente soco em uma outra rocha fazendo com que ela explodisse.

─ É. Desse jeito. Parece que vocês têm talento para a utilização do ki ─ falou Trunks.

─ Verdade. Se treinarem em um bom ritmo terão força equiparada a de suas formas adultas ─ concluiu Goten.

─ Sério? Então começaremos a treinar agora mesmo ─ falou Veemon.

─ Certo, mas para o treino funcionar direito... - começou Trunks

— DIGIMUDANÇA! ARMADURA DE PEDRA! ─ disse Goten passando uma carta em seu dx-loaders. Trunks o imitou.

─ Como uma armadura de pedra vai nos ajudar no treino? ─ perguntou Veemon.

─ Acho que sei, Veemon. É pra treinar e forçar os nossos músculos ─ respondeu Kotemon.

─ Isso mesmo. Ficando com essas armaduras de pedra, aumentarão principalmente sua resistência e velocidade ─ disse Trunks.

─ VEEMON/ KOTEMON, DESMATERIALIZAR ─ disseram os sayajins absorvendo seus digimons para dentro dos dx-loaders. ─ DIGIPORTAL, ABRIR! ─ falaram. Abriu-se o portal para que eles pudessem retornar ao mundo real.

Após um pequeno lanche, os sayajins foram para a rua e, após alguns minutos, encontraram Takato correndo desesperadamente atrás de Guilmon.

─ Hei, Takato! Por que você está correndo? ─ perguntaram os sayajins indo na mesma direção que Takato.

─ Não sei o que houve com Guilmon. Ele começou a correr em uma direção aleatória sem motivos ─ respondeu Takato enquanto ainda seguia Guilmon. Até que o digimon entrou num beco onde avistaram Renamon.

─ Renamon!!! ─ exclamaram Takato e os sayajins.

─ Guilmon descobriu rapidinho que Renamon estava aqui ─ falou Guilmon.

─ Digimons se atraem rapidinho, pois nascemos para lutar entre nós ─ respondeu Renamon.

─ Guilmon não quer lutar, Takato ─ falou Guilmon.

─ Isso aí. Por que você quer tanto uma batalha? ─ perguntou Takato.

─ O que um domador covarde e sem coragem de lutar faz aqui? Não mandei passear com seu digimon pela cidade. É muito vergonhoso ─ falou Ruki, aparecendo.

─ Nós não achamos nada disso ─ disse Takato, com os sayajins concordando.

─ Certo, Veemon/Kotemon? ─ disseram Trunks e Goten para seus próprios parceiros.

─ Verdade ─ disseram os dois digimons ao se materializarem.

─ O que aconteceu com seus digimons? ─ perguntou Ruki.

─ Nós só estamos treinando para que possamos utilizar nosso ki perfeitamente ─ responderam os digimons sobre o porquê de ainda estarem com armaduras de rochas.

─ O seu nome é Ruki. Ruki Makino, certo? O meu é Takato Matsuki ─ disse.

─ E o que está querendo? Apaixonou-se por mim e veio se declarar? ─ perguntou Ruki.

─ Não! Não é isso. Eu vi você num sonho. É nisto que estou pensando. Não me entenda mal, não estou dizendo que gosto de você ao nível de sonhar, mas aconteceu e só queria te contar ─ falou Takato.

─ Humpf. Que coisa... Você não entende uma piada! ─ falou Ruki.

─ Você é da mesma série que eu, sabia? ─ disse Matsuki.

─ Humpf... Pare de besteira. Não percebe que dizer que sonhou comigo é a maior idiotice que já ouvi? ─ falou seca.

─ Não, é sobre isso que queria falar. Na verdade tem algo que estou querendo te perguntar pois quero confirmar algo ─ falou Takato. De repente, eles ouviram alguém chamar Ruki. Nesse momento, Renamon, que estava atrás dos arbustos, capturou Guilmon e o segurou para que este não fosse visto. Veemon e Kotemon retornaram para os seus digivices.

─ Ruki, você está aí. É muito raro vir algum amigo da Rukinha em casa, e ainda mais raro vir mais de um ─ falou a avó dela.

─ Desculpe-nos. Espero que não estejamos incomodando ─ disse Takato.

─ Não está. Ah, por que não entram para beberem um chá e comerem uns bolinhos de arroz? ─ falou a avó. Antes dela terminar a frase, os sayajins já haviam entrado na casa de Ruki.

─ Não há necessidade, vovó. Eles já estão indo ─ falou Ruki sem perceber que os sayajins já haviam entrado.

─ Ruki, Rukinha. Você sabe por que Renamon veio do digimundo para o nosso? ─ perguntou Takato.

─ Por quê? Tem algum motivo para isso? ─ indagou ela.

─ Acha que eles podem assumir a forma de dados novamente?

─ Não sei. Acho difícil, mas todo digimon já foi assim. Então pode acontecer ─ respondeu ela.

─ Hum, então eles estavam certos, puxa. É tão triste ─ falou Takato.

─ Onde estão aqueles dois? ─ perguntou Ruki notando o sumiço dos sayajins.

─ Eles entraram em sua casa quando a sua avó falou sobre o chá e os bolos ─ respondeu o garoto.

Quando eles entraram, viram que os sayajins já haviam devorado quase todos os bolos, mas para que a sua avó não passasse vergonha, Ruki resolveu deixá-los jantar em sua casa. Acabaram ficando lá até o anoitecer.

─ Obrigado, Rukinha. Eu queria conversar com você sobre aquele sonho novamente ─ falou Takato.

─ Renamon, até outro dia ─ falaram os três digimons.

─ Espera aí, se da próxima vez me chamar de Rukinha, irei chutar teu traseiro ─ disse ela dando um chute no ar.

─ Você é boa. Já pensou em praticar artes marciais? ─ falou Trunks com o rosto avermelhado.

─ Quem ela pensa que é? ─ murmurou Takato.

─ Só sei que é muito parecida com a minha mãe ─ concluiu Goten.

...

...

SEDE DA HYPNOS

─ Senhor Yamaki, observe ─ falou Agente 13.

─ Este não é selvagem ─ respondeu Yamaki.

─ Isso é estranho. Nunca obtivemos dados de um padrão semelhante ─ respondeu Agente 13.

─ Ativem o giga rastreador ─ falou Yamaki.

─ Ativação concluída. O monitor virtual está surgindo ─ respondeu o agente.

─ Mas o que será isso? ─ falou Yamaki enquanto observava um tipo desconhecido de distorção.

...

...

─ Mas o que será que trouxe Guilmon especialmente para mim? ─ perguntou Takato.

─ O que foi? ─ perguntaram os digimons e sayajins.

─ Bom, eu gosto bastante de digimons e sempre pensei em brincar com eles. Mas na internet ou em jogos de vídeo e cartas. Então é como um sonho se tornando real. Nunca tive um amigo como Guilmon, por isso que ele me torna muito feliz e o que eu queria que acontecesse aconteceu. Como se fosse mágica.

─ Mágica? Guilmon não compreende nada sobre isso, mas se Takato está feliz, Guilmon também está, falou? ─ disse o digimon.

─ Obrigado, meu amigo. Mas acho que talvez de alguma forma, a verdade não seja tão simples ─ disse ele.

─ Você tem razão, Takato. Principalmente pelo fato dele ter sido criado a partir de um de seus desenhos ─ falou Trunks lembrando do que Kotemon tinha falado a ele no dia em que vieram a esse mundo/ universo.

Guilmon, Takato e os sayajins continuaram conversando até que, ao passarem perto de um canteiro de obras, os dados de Guilmon começaram a embaralhar fazendo com que partes do seu corpo ficassem intangíveis.

─ Guilmon! Não, outra vez. Por quê?!!! ─ gritou Takato desesperado.

─ Takato, rápido. Use a função de armazenamento ─ falaram os sayajins.

─ Há algo errado com Guilmon. Há algo errado, Takato ─ disse Guilmon com medo.

─ DISPOSITIVO DE ARMAZENAMENTO. ATIVAR!

Falou Takato apertando um dos botões em seu digivice para que Guilmon não fosse desmaterializado.

─ Nossa, quase eu te perco, Guilmon ─ disse ele ao seu parceiro.

─ O que aconteceu, Takato? ─ perguntou Guilmon.

─ Não sei, meu amigo ─ respondeu ainda confuso.

─ Acho que sei o que houve. Algo dentro dessa construção deve estar provocando um caos nos dados dos digimons que passam por este local fazendo com que voltem ao estado de dados. Melhor investigarmos. Vai que um outro digimon surge e use este local para encurralar nossos digimons ─ falou Trunks.

─ Boa ideia. Mas não acha melhor chamarmos os outros? - indagou Takato.

─ Certo, mas não se esqueça de avisá-los para deixar seus digimons nos digivices, pois há o risco de eles serem deletados caso expostos à tal anomalia ─ falou Trunks preocupado com os digimons tamers.

Após Takato ligar para os outros tamers, estes rapidamente chegaram ao local com seus digimons. Renamon parou de repente pois havia percebido que suas patas ficaram intangíveis. Decidiu avisar a Ruki.

─ Venham, é por aqui. Os dados de Guilmon ficaram instáveis neste ponto e achamos que devíamos descobrir a causa disto, pois pode surgir algum digimon imune a esse efeito. Pode ser que se aproveite disso para absorver nossos digimons ─ falou Takato. Repentinamente seu digivice ativou uma bússola que apontou em direção às obras do túnel.

─ Não sei o que provocou isso, mas as bússolas dos digivices se ativaram e estão indicando naquela direção ─ falou Henry ao notar que os aparelhos tinham ativado suas bússolas.

Eles seguiram na direção do túnel quando de repente as patas de Renamon ficaram intangíveis.

─ Ruki, se quiser prosseguir daqui pra frente terá que atualizar seu digivice com a função de armazenamento. Caso contrário terá de esperar aqui ─ falou Goten.

─ Sorte que trouxe esta carta então. ATUALIZAR! ARMAZENAMENTO, ATIVAR! ─ disse ela ao passar uma carta pelo digivice que foi envolto por um brilho amarelo indicando que o mesmo havia sido atualizado. Então ela apertou um botão do mesmo e pronunciou: - ARMAZENAR RENAMON! - Com isso Renamon foi absorvida para dentro do digivice.

─ Gente, vamos ver o que está provocando isso ─ falou Henry.

─ Não sei. Só acho que deveríamos deixar isso pra lá, pois não é da nossa conta ─ disse Ruki enquanto andavam em direção ao túnel que estava sendo construído. Mas a entrada estava bloqueada por uma enorme grade de espinhos.

─ Acho que não vai dar pra seguirmos adiante. A construção está bloqueada por este arame de espinhos ─ falou Henry.

─ Não se preocupem ─ disse Goten.

─ Nós carregaremos vocês ─ disse Trunks.

─ Co-como assim nos carregar? ─ perguntaram Lee e Takato, parecendo apavorados. Goten e Trunks logo flutuaram sem explicação aparente.

─ Desse jeito ─ falaram e depois ergueram os tamers com exímia facilidade. Carregaram eles para o outro lado do alambrado de espinhos.

...

...

─ O que está havendo, senhor Yamaki? ─ perguntou o Agente 13.

─ Seja lá o que for, seus atributos são os mesmos que os selvagens que andam espalhando o caos pela rede, ou seja, não deveriam existir ─ falou Yamaki enquanto fazia o upload de um programa em seu celular para o computador.

─ Desculpe ter que dizer isso, senhor, mas não temos autorização para usar este programa, e também o fato de que ele foi banido... ─ disse o agente ao alertar o chefe.

─ Banido... Esta lei foi criada por mentes ingênuas que não poderiam imaginar algo como interação entre o mundo real e o virtual, muito menos a existência de digimons. Então como poderiam manter a ordem desse jeito? ─ falou Yamaki.

─ Acho muito arriscado, senhor. Este tipo de procedimento pode danificar a própria rede ─ alertou o agente.

─ Eu liguei o terminal inerte e posso religá-lo. Agora se importa de rodar o Yuggot, por favor? ─ falou Yamaki seriamente.

...

...

─ Incrível. Não sabia que havia um enorme túnel desses debaixo da nossa cidade ─ falou Takato puxando conversa.

─ Onde será que este túnel leva? ─ indagou Ruki.

─ Eu ouvi dizer que este túnel terá seu término na próxima cidade ─ respondeu Takato.

─ Falando sério, por que alguém andaria em um lugar desses até tão longe? ─ perguntou a garota.

─ Bom, talvez não seja para andar a pé. Talvez seja para carros ─ respondeu Trunks.

─ Na verdade este túnel é para a passagem de água ─ falou Henry. ─ Gente, olhem, olhem só aquilo ─ disse após notar uma densa névoa de dados no fim do túnel.

─ Seja lá o que tenha provocado a desordem nos dados de Guilmon, provavelmente está dentro desta distorção. Sigam-me. DIGI PORTAL ABRA! ─ falou Trunks apertando um botão em seu dx-loader e com isso abrindo uma entrada segura para a névoa de distorção e, após isso adentrando na mesma.

─ Q-Que lugar é este? E que digimon é aquele? ─ perguntaram-se os tamers impressionados com o local que parecia infinito e com o fato de estarem tecnicamente voando.

─ Este lugar provavelmente é uma dimensão de bolso. Quanto àquele digimon... ─ disseram os sayajins ligando a função analisadora de seus dx-loaders.

...

...

MERCUREMON

Família: Império do metal;

Nível: Adulto;

Atributo: Variável.

Este digimon possui os poderes do antigo guerreiro do aço e fará de tudo para alcançar seus objetivos, sejam eles quais forem. Seu movimento de assinatura são os refletores sombrios, no qual ele utiliza seus espelhos para absorver as técnicas de seu oponente e disparar uma versão obscura e mais poderosa da mesma contra seu usuário original. Mas também pode armazenar estas para dispará-las futuramente contra novos adversários.

...

...

─ Droga, não consegui coletar os dados deste novo espécime. Para completar minha pesquisa precisarei tomar medidas drásticas, mas antes tenho de me livrar de alguns intrusos... ─ falou Mercuremon em pensamentos. ─ Quem está aí? Revelem-se. Eu sei que tem alguém escondido em algum lugar! Apareçam! ─ falou Mercuremon, chamando a atenção dos sayajins e dos outros domadores, que logo surgiram na frente do mesmo.

─ Então você é o responsável por esta dimensão de bolso, e se isso for verdade, por que ela está aqui? ─ perguntou Trunks.

─ Bom, eu sou um pesquisador e digenético. Meu objetivo é criar versões aperfeiçoadas de digimons, e para isso necessito de dados do novo espécime conhecido como Guilmon. Seus dados instáveis pode elevá-lo acima do nível Rookie comum, por isso criei este extrator de dados ─ falou Mercuremon.

─ Grrrrrrrr!!! Então foi por sua causa que quase perdi o meu parceiro! ─ falou Takato com raiva do digimon à sua frente.

─ Você disse “parceiro”? Então você faz parte de algum grupo de humanos que combatem digimons malignos e aparentemente você é o criador do digimon conhecido por Guilmon. Você poderia me conceder os dados do seu parceiro? ─ perguntou Mercuremon.

─ Não faça isso, Takato. Sinto que esse digimon não tem boas intenções, e se essa máquina ainda estiver ligada, Guilmon poderá ser apagado ─ alertou Trunks.

─ Isso mesmo. E como seus digimons são apenas adultos comuns e rookie, não terão nenhuma chance de me enfrentar ─ falou Mercuremon.



Notas finais do capítulo

Fala galera, aqui quem escreve é o Sensei Oji, novo coautor. Estarei revisando os capítulos que o autor postar. Não vai ser grande coisa, não sou beta :P Mas meu trabalho será unicamente para isso. Vlw flw

(Nota do co-autor Matt Wagner 27) Fala galera, estou de volta às revisões, apenas confirmando e ampliando as revisões que Sensei Oji e Bills fizeram. Aguardo vocês nos próximos capítulos. (revisado em 28.03.2016)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Domadores Sayajins" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.