Príncipe Às Avessas escrita por G a b i


Capítulo 8
Eu não consigo mais não gostar de você.


Notas iniciais do capítulo

Oi para vocês.
Er... eu não estou tão animada, como podem perceber. Na verdade, estou meio chateada porque algumas leitoras sumiram no capítulo passado. O que aconteceu? Vocês não gostaram? Podem falar quando não gostam! Só, por favor, não me abandonem. É meio frustrante postar um capítulo e ver que alguns de vocês entraram em hiatus comigo. (Por isso, shout out para as lindas que comentaram ♥ Obrigada!)
Enfim, mesmo assim eu voltei com um capítulo novo. Espero que algumas pessoinhas voltem também.
Nos vemos nas notas finais. Boa leitura!



Leo subiu as escadas transtornado.

Não era possível que tudo entre ele e Calipso sempre tivesse que dar errado.

Entrou em seu quarto furioso com ele mesmo, chutando tudo o que via pela frente.

Calipso era muito teimosa.

E ele? Ah, ele era um idiota com "i" maiúsculo. Deveria ter gritado mesmo sem Calipso querer ouvir que Piper era apenas a sua irmã. Mas não... Ele foi imbecil o suficiente para deixar Calipso ir embora com aquela impressão totalmente errada e absurda sobre Piper e ele.

E agora? O que ele faria?

— Leo, se acalma, por favor. — Piper o recebeu com um abraço e ambos sentaram-se um ao lado do outro sobre a cama.

— Mas ela... — O garoto estava de cabeça baixa, as mãos uma de cada lado da cabeça, os cotovelos apoiados nas coxas. — Calipso pensou que nós...

— Eu sei. — Piper disse. — Ela entendeu tudo errado. Mas, calma, eu sei que você pode consertar isso. — A garota sorriu e abraçou Leo de lado. — Você sempre conserta tudo.

— Mas ela não quis nem me deixar explicar. — Leo falou baixinho. Estava visivelmente desapontado.

— Eu vou te ajudar a resolver isso. Afinal, parte da culpa por toda essa confusão foi minha. — Leo levantou a cabeça e encarou a irmã.

— Você não tem culpa de nada. Calipso é que é uma cabeça dura. — Ele riu sem qualquer humor.

— Tanto faz. — Piper deu de ombros. — Amanhã nós vamos até a casa de Calipso. Vou explicar que ela entendeu tudo errado e que nós somos apenas irmãos. — Ela fez um carinho na cabeça de Leo, bagunçando ainda mais os cabelos rebeldes do garoto. — Vou levar o Jason para que não reste nenhuma dúvida de que até um namorado eu tenho.

— E você acha que isso vai adiantar?

— Leo, o mais difícil você já conseguiu!

— O que eu consegui? — Perguntou, confuso.

— Você fez Calipso se apaixonar por você! — Piper sorriu e levantou-se da cama, indo em direção a cômoda que havia no quarto.

— Ela não está apaixonada por mim. Isso é impossível. — Afirmou Leo.

— É claro que ela está! — Piper pegou o envelope pardo que ela havia colocado sobre a cômoda. O envelope que continha o desenho que Calipso fez para Leo, mas acabou não entregando. — Pegue. Abra isso e veja com os seus próprios olhos.

Leo abriu o envelope e quase caiu para trás quando viu o que tinha dentro.

Um desenho perfeito de Festus. A miniatura de um dragão de bronze que ele havia construído e que ficava em cima da sua escrivaninha.

— Como ela fez... Deuses, esse desenho é incrível! — Os olhos do garoto brilhavam diante do desenho feito por Calipso.

— O desenho é lindo mesmo. — Piper concordou. — E você já viu a dedicatória?

— Com carinho, de Calipso para Leo. — Leu em voz alta e sorriu.

— Agora me diz... — Piper cruzou os braços. — A garota beija você, faz esse desenho e ainda chora porque pensou que você estava com outra. — Fez um sinal de aspas com os dedos se referindo a palavra "outra". — Ainda vai continuar fingindo que ela não sente nada por você? — Piper arqueou uma das sobrancelhas.

— Calipso gosta de mim. — Falou ainda sem acreditar muito nas suas próprias palavras. Jogou-se para trás, caindo sobre a cama, abraçado ao desenho e com um sorriso bobo no rosto.

— Leo, às vezes você demora tanto para entender as coisas que até parece o Percy. — Riu.

— Percy... Sinto falta dele e da Annabeth. E do Jason também, claro.

— Eles também sentem a sua falta. Aquela escola nunca mais foi a mesma depois que você foi embora. Mas não vamos falar de coisas tristes. — Piper sorriu. — Já tenho todas as coisas anotadas na minha agenda. No máximo até amanhã à noite a decoração da casa na árvore estará pronta.

— Tudo bem. — Leo assentiu. Ele ainda estava abraçado ao desenho.

— Agora vou pra casa. O táxi que eu tinha chamado já deve estar chegando. Amanhã depois do almoço Jason e eu estaremos aqui para nós irmos até a casa da Calipso. Vamos resolver todo esse mal-entendido.

— Espero que dê tudo certo. — Disse Leo.

— Vai dar. — Piper se aproximou da cama e deu um beijo na bochecha do garoto. — Até amanhã.

— Até amanhã, rainha da beleza. Amo você.

— Também te amo. — Jogou um beijo no ar, fazendo Leo rir e deixou o quarto.

***

Sábado.

E lá estavam os três.

Piper, Jason e Leo. Juntos como nos velhos tempos.

Em frente ao hall de entrada da mansão de Atlas — também conhecido como pai de Calipso —, Leo estava mais nervoso e hiperativo do que o normal.

Como sempre, rodava sem parar o molho de chaves da sua casa em sua mão direita.

Piper lançou um olhar de "pare com isso, você está me irritando" e Leo prontamente guardou as chaves no bolso da calça. Mas ainda continuava a bater sem parar o pé esquerdo no chão.

Os três resolveram que Jason e Piper entrariam primeiro. Explicariam toda a história para Calipso e, só então, dependendo da reação da garota, dariam um sinal para que Leo entrasse e fosse falar com ela.

Leo estava a ponto de ter um colapso nervoso enquanto esperava do lado de fora da casa. Andava de um lado para o outro. Mais um pouco era capaz de fazer um buraco no chão. Queria mais do que tudo que as coisas se resolvessem logo.

Piper e Jason foram recebidos pela governanta da casa. Eles ficaram esperando Calipso na sala, ambos sentados em um sofá muito branco e macio. As mãos entrelaçadas.

Piper estava ansiosa.

Calipso desceu as escadas usando uma camiseta branca enorme, toda respingada de várias cores de tinta. A camiseta era tão grande nela que parecia um vestido. Mas ela parecia não se importar. Estava pintando quando a governanta foi avisar que havia um casal adolescente querendo falar com ela.

Mesmo vestindo aquela roupa, com os cabelos presos em um rabo de cavalo e descalça, Calipso estava linda.

Piper percebeu que Jason a olhava — mesmo sem querer — e deu um beliscão nele, que saiu do "transe".

— O que você quer comigo? — Calipso encarou Piper, não dando sequer nenhuma atenção a Jason. Piper sorriu.

— Primeiro de tudo, meu nome é Piper. E eu não tenho nada com o Leo, então você não precisa me olhar com esse olhar assassino.

Jason prendeu o riso.

— Ah, foi ele que mandou você aqui, não foi? — Calipso sentou-se no outro sofá, de frente para Jason e Piper. Os braços cruzados esperando uma resposta.

— Não. A ideia de vir até aqui foi minha. — Calipso a encarou, surpresa. E Piper continuou. — Leo é meu irmão. Na verdade, não é meu irmão de sangue, mas nossos pais foram casados por um tempo. Nós nos conhecemos desde que éramos crianças. Estudávamos juntos, até que nossos pais se separaram e Leo se mudou.

— Eu não sei nem o que dizer. — Foi o que Calipso respondeu.

— Bom, você entendeu tudo errado ontem. Aquilo que você viu era só uma brincadeira entre Leo e eu. Aliás, esse é Jason. — Calipso analisou o loiro por alguns segundos. Ele deu um sorriso amigável para ela. — Ele é meu namorado, caso ainda reste alguma dúvida da sua parte.

— Não, eu... Na verdade eu me sinto uma tola. — Foi sincera. — Eu fiquei com ciúmes. Fiquei com tanta raiva por Leo estar com você, que nem deixei ele explicar nada. — As bochechas da garota coraram levemente.

— Calipso, se tem uma coisa que eu posso afirmar, é que Leo é completamente apaixonado por você. — Disse Piper. Calipso abriu um pequeno sorriso.

— Isso é verdade. — Jason falou pela primeira vez. — Acho que Leo nunca gostou de ninguém como ele gosta de você.

— Mas acho que você precisa saber que também há outra garota na vida do Leo. — Foi só Piper dizer isso que Calipso voltou a fechar a cara.

— Quem? — Franziu a testa. Jason riu do jeito dela.

— Annabeth. Mas ela também tem namorado. O nome dele é Percy e todos nós somos amigos. — Piper riu.

— Isso não teve graça. — Disse. Mas logo depois se permitiu abrir um pequeno sorriso também.

— Você realmente gosta do Leo. Está praticamente escrito na sua testa. — Jason olhou para a namorada e concordou com a cabeça. Calipso estava totalmente sem graça. — Acho que vocês deveriam conversar. E, sim, ele está lá fora.

— Você tem razão. Eu devo desculpas a ele.

— Vou avisar que ele já pode entrar. — Jason levantou-se do sofá. — Te vejo lá fora. — Disse para Piper. — Tchau, Calipso. — E saiu, deixando apenas as duas lindas garotas na sala.

Calipso se desculpou por ter sido grossa com Piper e elas até deram um abraço. Talvez fosse o início de uma grande amizade.

Enquanto Piper ia saindo, Leo vinha entrando na casa. A garota o avisou, com um sorriso malicioso nos lábios, que Calipso o esperava no quarto. Leo soltou uma risada. Parecia estar um pouco menos nervoso àquela altura.

Subiu as escadas em direção ao quarto de Calipso e quando chegou lá, viu que a garota estava terminando de pintar um quadro. Um jardim muito colorido, cheio de flores.

— Você tem talento para isso. — Leo falou, fazendo Calipso se virar para ele com a mão no peito.

— Você adora me assustar! — Ela abriu um sorriso gigante para Leo. Aquele sorriso que fazia o coração do garoto disparar. — Então... — Ela largou o pincel que estava segurando e se aproximou dele. — Acho que te devo desculpas por...

— Você não precisa se desculpar. — Ele a interrompeu. — Aquele desenho do Festus foi o melhor presente que eu poderia ter ganhado. — Leo sorriu.

— Festus?

— É esse o nome que eu dei para o meu dragão de bronze. — Explicou.

Calipso riu.

— O desenho foi um jeito que eu encontrei de me desculpar por ter sido tão idiota com você. Fico feliz que tenha gostado. Se bem que eu não consegui entregar do modo como eu imaginei.

— Eu gostei muito. Ficou incrível. — Leo tomou coragem para chegar mais perto de Calipso.

Ele tocou o rosto da garota, acariciando-o com o polegar. Calipso suspirou ao sentir o toque de Leo em sua pele.

— Eu preciso te falar uma coisa... — Agora ele havia tomado uma das mãos de Calipso na sua. E ambos se encaravam com um brilho no olhar. — Eu...

Shhh. — Leo levou seu dedo indicador aos lábios da garota. — Depois você fala.

Calipso sorriu quando Leo a puxou pela cintura e colou seus lábios aos dela.

A garota enroscou suas mãos em volta do pescoço de Leo e eles aprofundaram o beijo. Um beijo bem diferente daquele primeiro. Um beijo rápido e desesperado. Suas línguas se moviam em perfeita sincronia. Leo apertava a cintura de Calipso a trazendo cada vez mais para junto de seu corpo. E àquela altura, a garota já tinha uma de suas mãos por entre os emaranhados fios de cabelos de Leo.

Eles necessitavam tanto um do outro, que poderiam ter ficado ali para sempre, não fosse a falta de ar. O beijo foi finalizado aos poucos, com direito a vários selinhos e uma leve mordida no lábio inferior de Leo, por parte de Calipso.

Ainda um pouco ofegantes, e disputando o prêmio de quem tinha o maior sorriso no rosto, Leo e Calipso se abraçaram. A garota deitou a cabeça no ombro de Leo, que envolveu seus braços na cintura dela e se deliciou com aquele perfume gostoso de canela que só ela tinha.

E eles ficaram ali, abraçados no meio do quarto por alguns minutos, sem dizer nada. Ambos aproveitando o momento, sentindo um o calor do corpo do outro. Suas respirações ainda não haviam voltado totalmente ao normal. E era como se um pudesse ouvir as batidas que vinha do coração do outro.

Até que Leo falou baixinho no ouvido de Calipso:

— O que você tinha mesmo para me falar? — A garota levantou a cabeça e buscou os olhos de Leo. Ele a analisava com aquele sorriso travesso nos lábios.

Calipso sorriu e disse:

— Eu não consigo mais não gostar de você. — E colou os lábios dela nos de Leo novamente.



Notas finais do capítulo

Oi, de novo.
Alguém aí gritando aleluia? *risos*
Parece que, finalmente, um certo casal resolveu se acertar, não é?
Gostaram? Deixe sua opinião nos comentários!
E... não se preocupem, a partir de agora Caleo é oficial. Ou não haha Mentira, a fic já está entrando em sua reta final (vai até o capítulo 12). É bem provável que vocês gostem do que está por vir. Por isso, não deixem de acompanhar!
Bem, era isso. Vou aguardar vocês nos comentários. Saiam desse hiatus com a autora!
#Favorite #Recomende #FaçaUmaAutoraFeliz
Xoxo,
G a b i.


(13/11/2015)