I Hate or Love You? escrita por Zombieliar


Capítulo 11
Capítulo 10 - Beijo


Notas iniciais do capítulo

Oi gente! Quero agradecer a Tainá e a Lud Bela pelos comentários no capítulo anterior. É isso, aproveitem o capítulo.



"As pessoas nem sempre são o que parecem" Alice no país da maravilhas

**********************************************************************************************************

Consigo ver meu desenho perfeitamente no vidro a minha frente. Cada traço, expressão e marca. Me pergunto como deveria ser antigamente, quando só era possível se ver, nos reflexos embaçados da água. Desesperador. Imagino.

Traço um caminho, com os olhos, do meu corpo refletido no espelho. Neste momento eles pararam em meus seios, que estão envolvidos por um tecido preto, mas conhecido como biquíni.

– Por que eu? - Susurro em minha mente, com medo de que alguém possa escutar meus pensamentos. - Por que ele não me quis?

Atrás da minha imagem, vejo Katherine e Alice, que já está de bom humor novamente. Elas estão escolhendo qual biquíni vão usar, em meio a risadas e gritos, quando seus olhos se voltam para mim. Sinto meu corpo se enrijecer.

– Ai meu deus! - Alice corre dando pulinhos e coloca parte do meu cabelo para frente, cobrindo meus ombros. - Você está linda.

Ela diz a última palavra com uma língua afiada, mas eu ignoro.

– Eu pegava. - Kat pisca para mim e dou uma risada.

– É novo? - Encolho meus ombros, com a pergunta de Alice.

Ela sabia que não.

Ele estava guardado no fundo da gaveta, no mesmo embrulho de quando meu pai me deu. Eu precisava de um na época, já que nós íamos viajar para a praia nas férias. Isso foi alguns meses antes dele ir embora, minha última memória da minha família normal. Por isso ele continuou lá, na gaveta.

– Sim. - Abro delicadamente a boca.

Quando eu tinha quatorze anos descobri o que me entregava quando eu estava mentindo. Eu apertava com tanta força os lábios um contra o outro que algumas vezes minha boca ficava branca.

– Hum. - Ela murmura. - Adorei! - Ela finaliza sorridente e eu relaxo, mesmo que seu olhar seja vitorioso contra mim. Pelo menos não teria que falar sobre meu pai e o biquíni para Kat, não estava pronta para isso. E Alice também sabia disso.

Tá bom, eu já estou pronta. - Katherine da uma voltinha. - Quem chegar por último terá que beijar o Dé. - Ela grita se referindo ao garoto extremamente pálido e dois anos mais velho, da nossa sala. Ele era tão estranho e problemático, que já havia tentado encoxar uma garota, enquanto cantavamos o hino nacional.

– Não vale. - Alice crava as unhas em meu braço e eu chuto o pensamento que diz ter sido de propósito para fora da minha mente e tento acompanhar seus passos.

Me solto de suas mão e pulo três degraus de uma vez, desequilibrando minhas pernas, mas mesmo assim continuo a correr. Dou um impulso em direção a água azul na piscina.

– Eu não vou beijar ele. - Consigo escutar o grito distante de Alice, que é rapidamente abafado pela água.

POV Alice

Eles estavam jogados no chão bincando, mas o que me irritava não era isso e sim o fato de que ela estava quase em cima dele. Com aquele jeitinho de vitíma ela conquistava a todos, inclusive a mim. Mas não mais.

XX

Sentei no último degrau da escada e ouvi o barulho, de seus corpos acertando a água novamente. Coloquei a cabeça entre as pernas numa tentativa de recuperar o folêgo. Minhas unhas do pé estão descascando e isso me causa certo incomodo. Meus cachos ruivos, que se formam a partir dos meus ombros, estão bagunçados graças a correria. Passo a mão instintivamente por eles, colocando os fios no lugar.

Ouço um estalo na porta e dou um pulo, ficando em pé. Dois ruidos ecoam pela sala. Eu acabei de bater a cabeça na pilastra atrás de mim e Jack bateu a mão na porta. Odeio sustos.

Ele está usando uma polo azul escura, destacando seus olhos verdes. Ele é lindo, sempre foi.

– Oi Ali! Você me deu um susto. - Ele dá uma risada. - Você tá bem?

– Eu só bati a cabeça na pilastra, é claro que estou bem. - Sorrio, revelando minhas covinhas.

– Bem, bonecas de porcelana quebram no menor toque com outras superfícies. Então, é melhor checar. - Ele sorri meio debochado.

– Eu não sou uma boneca de porcelana. - Protesto e ele se aproxima.

Nos conheciamos há quase três anos. Foi em uma festa, no começo do nono ano, e ele logo me apresentou Thalia, uma garota divertida, pelo menos era o que eu achava.

Começamos a conversar mais nos últimos meses e eu estava apaixonada por ele, estou apaixonada por ele. Thalia não sabe de nada, o que é meio óbvio, já que eu não contei. Ela é estranha, não sei o que sente e do jeito que é bipolar, poderia estragar tudo entre nós. Por isso pedi que ele mantivesse tudo em segredo. Mas agora eu já estava pronta. Pronta para mostrar que ele é meu mais do que nunca.

– Mas é linda como uma. - Ele sorriu e eu retrinui.

Eu sempre pensei que ser fofa e boa me faria alguém, mas agora sei que é necessário ser boa, fofa e ao mesmo tempo ser alguém ambiciosa para alcançar o que quer. E eu sei o que quero, Jack.

– Ah, adorei o biquíni. - Seus olhos percorrem meu corpo e deixam uma trilha de fogo por minha pele.

– Obrigada. - Caminho em direção a cozinha, disfarçando a vermelhidão em meu rosto. – Sua mãe ficou chateada? - Pego uma maçã e sento na bancada perto do fogão.

– Pois é, eu já te falei, você sabe como é. - Ele diz encolhendo os braços e eu me arrependo da pergunta.

Seu pai era alcoólatra e havia sido internado em uma cliníca, após ser preso, por quase matar a mulher. Mas ele já tinha escapado duas vezes e nas duas ele foi atrás de Jack. Desde então ela fica paranóica toda vez que o filho sai, e isso a torna completamente idiota. Foi isso o que ele me contou, tirando a parte do idiota é claro.

Mas não posso dizer isso a Jack então apenas assinto com a cabeça e mordo a maçã lentamente.

Seus olhos verdes brilham, estou conseguindo o que quero.

– Alice, eu não sei o que você está fazendo mas é melhor parar. - Abro as pernas lentamente. - Ou eu vou te agarrar neste momento.

– Então eu não vou parar. - Digo envolvendo minhas pernas em sua cintura, que está perto o suficiente para que eu possa prende-lá contra meu corpo. Nós nos beijamos com ferocidade e desejo. Nossas intimidades se tocam e eu não consigo segurar um gemido. Suas mãos descem por minhas costas e eu o puxo para mais perto, mas isso é impossível.

O ar se faz necessário e eu jogo minha cabeça para trás dando mais acesso ao meu pescoço. Seus beijo começam em meu queixo e descem até minha clavicula, onde mais um gemido escapa da minha boca. Estou prestes a trazer seus lábios de volta para mim quando Thalia limpa a garganta e nós nos separamos.

– Mas que merda vocês estão fazendo?



Notas finais do capítulo

Reviews?

Não esqueçam da nossa campanha: Leitores fantasmas, apareçam :D

Nossa Alice: http://2.bp.blogspot.com/-C8QC1vPYJTU/VP9FWac27NI/AAAAAAAAAvE/p9GIIFg8CyQ/s1600/dsc_2444.jpg



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Hate or Love You?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.