Sobre Humanos e Deuses escrita por S Laufeyson


Capítulo 5
Capítulo 4 - Beijadas Pelo Fogo


Notas iniciais do capítulo

Oie amores da minha life!!
Enfim, concluí o capítulo 4 e venho deixar aqui para vocês. Digamos que é agora que a história começa a tomar o rumo certo. O rumo esperado...
Lokites, por favor, não me matem... não ainda... :P!!

Enfim, as meninas que comentaram no capítulo anterior e aquelas que chegaram agora, sejam muito bem vindas... Agradeço de coração o carinho de vocês e espero que continuem acompanhando a fic... rsrs

No mais, vamos logo ao que interessa, né?



Dois dias depois:

Era pouco mais de cinco horas da manhã quando alguém bateu na porta do quarto de Roxie. A garota se demorou a levantar até porque ficou buscando informações sobre o Loki até meia hora antes, mas não havia encontrado nada que falasse a respeito dele, nem uma linha sequer. Sentiu-se frustrada, mas não desistiria assim tão fácil. Levantou-se ainda sonolenta e seguiu até a porta. Ao abri-la, deu de cara com Steve.

– Bom dia! – Ele estava sério. Na verdade, parecia preocupado.

– Já vamos treinar uma hora dessas? – perguntou a garota. Pegou o elástico que estava em seu braço e fez um rabo de cavalo com os longos cabelos. Usava um shortinho preto e uma camisa de alça rosa, com a foto da smurfette. Ela só percebeu que usava aquilo, porque Steve a olhou de cima a baixo e deixou um mini sorriso lhe escapar. Ela corou.

– Não. – respondeu ele. – Fury tem uma missão.

– Uma missão? Para onde?

– Eu não sei. – O capitão se aproximou de Roxie e a encarou. – Você pensou sobre o que eu falei?

– Sobre o Loki?

– Não diga o nome alto. – reclamou ele, lembrando-se que o quarto do deus ficava logo mais adiante. – mas sim, sobre ele.

– Eu pensei.

– E? – Steve estava curioso para saber sobre o que a garota havia decidido e não descansaria enquanto ela não deixasse Loki longe de sua vida. Ele conhecia como era aquele homem, mas Roxie não e ela jamais contaria que passou a madrugada inteira atrás de alguma informação sobre o deus.

– Eu não vou mais me aproximar dele.

– Promete?

– Prometo. – mentiu ela.

– Ótimo! – a carranca de Steve se desfez e ele sorriu largamente. Roxie adorava aquele sorriso – Troque-se e nos encontre na sala de reuniões. Se bem que eu adorei a camisa. - Ele deu as costas e seguiu pelo corredor. A garota teve certeza que o capitão adorava deixa-la corada porque, mais uma vez, a cor rubra escorreu de seus cabelos e parou em suas bochechas.

...

Quando chegou na sala de reuniões, a maioria dos vingadores já estavam lá. Os únicos que ainda não haviam chegado eram Steve, Wanda e Loki. Deu a volta na enorme mesa e sentou-se entre duas cadeiras vagas. A feiticeira entrou logo em seguida e sentou-se ao lado de Natasha.

Estava ficando parecida com a viúva negra.

Roxie percorreu a sala, rapidamente, com os olhos e se deu conta que os dois últimos lugares vagos, estavam ao seu lado.

Loki chegou alguns minutos depois e sentou-se na cadeira ao lado direito da ruiva. Entre ela e Thor. Steve entrou logo em seguida e pegou o lugar esquerdo. Ela olhou de soslaio para Loki e pedia a Deus para que ele não falasse com ela, ou Steve ia saber que ela mentiu. Roxie não sabia o que fazer e agradeceu a Deus quando Nick começou a falar.

– Temos uma missão hoje, mas não será para todos os vingadores. – ele apertou um botão e a foto de um homem apareceu. – Esse é o Alexander Splenninger. Ele é o chefe de uma das maiores organizações criminosas da américa latina e ele está aqui, nos Estados Unidos. Precisamos que vocês o prendam e o tragam para cá, para a sede.

– Quem serão os enviados? – perguntou Steve. Nick apertou outro botão e as fotos de Wanda, Roxie e Natasha, apareceram no visor.

– As garotas. – falou ele. – Parece que o Alexander tem uma verdadeira fixação por ruivas e temos três ao nosso dispor. Uma de vocês vai conseguir colocar as mãos nele.

– Não acho que mandar a Roxie e a Wanda seja uma boa ideia. – falou Stark.

– Porque, Tony? Porque é impossível colocar um GPS em mim?

– Roxie...

– Ah, eu sei. Era só para saber onde eu estaria, correto? – ela sorriu sarcasticamente e puxou o aparelho de dentro do bolso do casaco. – Esconda melhor da próxima vez. – fez com que o aparelho passasse por toda a mesa e parasse nas mãos do bilionário. Loki sorriu.

– Já chega vocês dois. – interrompeu Fury. – Eu acredito que a Roxie e a Wanda estão em perfeita forma física e psicológica para enfrentarem qualquer desafio.

– Eu concordo com o Stark. Acredito que elas ainda são novas demais para entrar logo de cara em uma missão, sem o apoio do grupo. – falou Rogers.

– Vocês também eram. – respondeu Nick referindo-se a Nova York. Todos entenderam, exceto Loki e Roxie. Wanda estava livre no momento em que a cidade foi atacada, mas Roxie ainda era prisioneira.

– Tivemos ajuda uns dos outros. – respondeu Banner.

– Natasha estará com elas.

– Qual é? Nos dê um voto de confiança? – falou Wanda por fim. Ela sorriu. – Por favor, por favor! - Steve olhou para a garota e então respirou fundo.

– Tudo bem, mas estaremos sempre em contato através dos pontos.

– Okay então, garotas. – falou Nick e as ruivas se levantaram. – Natasha, entregue um uniforme da S.H.I.E.L.D. para cada uma e me encontrem do lado de fora. Os demais, estão liberados para curtirem o domingo.

Roxie empurrou a sua cadeira para trás e rapidamente deixou a mesa, mas antes que pudesse seguir a primeira ruiva do grupo, assim como a feiticeira já estava fazendo, Loki segurou em sua mão e forçou a encará-lo.

– Boa sorte. – falou ele e sorriu. Pela primeira vez não era um sorriso de deboche. Era um sorriso sincero. A garota retribuiu a gentileza e se virou, não antes de encarar um Steve atento.

– Estarei com você através do ponto. – falou ele. – Qualquer coisa, basta pedir ajuda que eu dou um jeito de aparecer por lá. É uma promessa.

– Obrigada, Capitão. – respondeu ela.

– Me chama de Steve. – ele sorriu e passou o ponto auricular para ela.

...

As três mulheres deixaram o banheiro já vestindo as suas roupas. O velho macacão negro e com o símbolo da S.H.I.E.L.D no braço esquerdo, era o mesmo que Natasha usava. Ele dava uma mobilidade incrível e ainda delineava o corpo das três.

Caminharam pelos corredores em direção a saída, onde encontraram Steve e Nick.

– Onde está o seu ponto? – perguntou o capitão.

– Aqui. – Roxie estendeu a mão e mostrou o pequeno aparelho. Steve o pegou e se aproximou da garota. Afastou os cabelos dela e colocou o ponto em seu ouvido.

– Não tire isso para nada, está entendendo? – Rogers estava preocupado. – Eu quero estar em comunicação aberta com você.

– Sim, senhor. – respondeu Roxie encarando Steve que estava muito perto, tanto que ela podia sentir a respiração dele em seu rosto.

– Quando voltar, quer jantar comigo? – perguntou ele colocando os cabelos da garota para frente da orelha, escondendo o ponto.

– Claro. – Ela sorriu timidamente.

– Com licencinha. – Wanda puxou Roxie e a levou até a nave que já as aguardavam. - Vocês namoram quando voltarmos. Temos um criminoso para apanhar.

...

O avião sobrevoava a cidade de Nova York e as três mulheres já estavam à bordo há pouco mais de vinte minutos. Finalmente havia chegado ao lugar indicado pelos documentos da missão.

– Steve, está na escuta? – falou Natasha enquanto Roxie e Wanda colocavam os seus paraquedas.

– Sim Nat, estou na escuta! – respondeu ele e Roxie respirou fundo. Imaginou mesmo que ele estaria ouvindo toda a conversa delas durante o percurso e por isso, se conteve em perguntar o que as meninas sabiam sobre Loki.

– Chegamos ao ponto de salto. – falou ela.

– Vocês estarão a cerca de um quilometro de onde ocorrerá a entrega da mercadoria. – Ele sorriu. – Pegar em flagrante seria a melhor coisa que poderíamos esperar, mas tendo em vista a segurança de vocês, aguardem em posição até o final do acordo. Entendeu?

– Entendido. – respondeu ela e encarou as meninas. – Garotas, vamos trabalhar.

– Eu estava esperando por isso. – falou Wanda e se jogou do avião.

– Essa coisa aperta. – falou Roxie e se aproximou da beirada. – Te vejo lá embaixo. – Ela pulou e deixou Natasha ainda colocando o seu paraquedas.

– Victor, aguarde as ordens para nos apanhar no ponto de encontro, entendido?

– Sim, senhora. – respondeu o piloto da aeronave e a última garota, pulou logo em seguida.

Já em terra, as três aguardaram do lado de fora por quase duas horas, mas não havia movimento ali.

– Steve, tem certeza que esse é o lugar? – perguntou Roxie preocupada.

– Como assim? – respondeu o capitão.

– Digamos que não temos nenhuma entrega aqui e faz mais de duas horas que estamos aguardando.

– Permaneçam onde estão que eu vou descobrir o que houve. – falou o capitão. As garotas se olharam e parecia mesmo que cada uma delas estava implorando para estar dentro daquele lugar.

– Eu sinto muito, capitão. – Roxie sorriu. – Estamos tendo interferência. Não conseguimos entender a sua última ordem, de modo que estamos entrando.

– Negativo. – Steve falou alteradamente. – Fiquem onde estão.

– Estamos passando por um túnel, pode ser que a comunicação seja corta... – Roxie tirou o aparelho do ouvido e o colocou no bolso da calça. – Como é que vocês aguentam ficar ouvindo isso?

– Não é sempre assim! – falou Natasha. – Rogers está mais preocupado que o de costume.

– Acho que tem alguma coisa a ver com uma certa ruivinha. – falou Wanda brincando enquanto auxiliava Romanoff a cortar a energia da cerca.

– Sério mesmo! Pare de dizer que eu tenho alguma coisa com o Steve. – Roxie falava enquanto escalava e pulava para o outro lado.

– Então pare de ficar aceitando convites para jantar. – respondeu Wanda também descendo pelos arames, sendo seguida por Natasha. Finalmente as três estavam nas instalações.

– Nat, tem como ouvirmos apenas nós três no ponto?

– Tem. – a mulher esticou a mão e Roxie lhe entregou o aparelho. Ela ensinou como mudar a frequência e devolveu. – Cortei a comunicação com a central. Fury vai nos matar.

– Deixe que nos mate depois, agora vamos resolver logo isso. – falou Wanda e olhou para algumas escadas externas que levavam ao topo do prédio. – Eu vou por cima.

– Roxie, vai por trás e eu encaro a frente. – falou Romanoff.

– Okay! Hora do show. – respondeu ela e as três correram para seus devidos lugares. Cada uma carregava duas armas glock em seus coldres de perna, mesmo que Roxie e Wanda tivessem poderes espetaculares à disposição delas.

Roxie parou próximo a uma caixa de energia e resolveu abastecer. Era apenas uma precaução, caso tivesse em apuros. Aquele poder todo dentro dela a deixaria mais lenta, mas era um ás nas mangas. Absorveu uma grande quantidade e seguiu até a porta, colocando-a abaixo com uma descarga mínima nas dobradiças.

Ela entrou apressada pelo corredor iluminado apenas por uma luz de emergência. Alguma coisa estava errada.

– Meninas, estão vendo isso? – Wanda apertou o ponto.

– Sim e não consigo acreditar. – Os olhos de Roxie percorriam aquele andar. Haviam vários corpos espalhados por todos os lados e cartuchos de balas enfeitavam o chão. Havia tido uma luta feia ali e havia sido um pouco antes delas chegarem, porque o sangue mal havia coagulado.

– Tem alguma coisa erra... – antes que Wanda pudesse continuar, o comunicador dela ficou com uma falha estática e as outras duas perderam contato.

– Wanda? – Natasha chamou até que as duas ouviram um tiro e um grito fino. Correram imediatamente na direção de onde ele vinha e se depararam com vários homens armados. Elas trocaram olhares significativos e Roxie entendeu onde ela se encaixava naquilo. Esticou a mão na direção deles e disparou.

– Eu as quero vivas. – falou uma voz feminina, pelo alto falante, e essa foi a deixa das duas. Aqueles que o poder não havia derrubado, a viúva e Roxie concluíram o serviço. Fosse com as armas ou usando a força física.

A maioria deles não eram tão treinados como as duas agentes e alguns até ficaram boquiabertos quando elas deram alguns passos na parede e quebraram o pescoço, de pelo menos dois, com as pernas.

Segundos depois, aquele andar estava limpo.

– Vai por ali. – falou Natasha e a outra ruiva assentiu.

Enquanto seguia pelo lugar, Roxie sentiu o bolso de sua roupa vibrar. Esticou a mão até ali e percebeu que alguém ligava para ela.

– Alô!

– Roxie, é o Steve. – falou o homem arfando do outro lado da linha.

– Você está bem? – os dois fizeram a pergunta ao mesmo tempo.

– Não, alguma coisa está errada. – falou a garota.

– É, eu sei. – concluiu o loiro. – coloca a Natasha na linha.

– Não posso, nos separamos.

–Mas que droga, Natasha. – ele bufou de raiva. - Ela tinha a obrigação de cuidar de você... vocês. – Ele respirou fundo quando se corrigiu. Roxie sorriu.

– Estamos buscando a Wanda, ela foi pega. – a garota segurou o celular em uma das mãos e deu um murro no rosto de um homem que apareceu. – O que diabos está acontecendo?

– É uma armadilha.

– É! Eu percebi quando uma voz disse que nos queriam vivas.

– Eles invadiram a S.H.I.E.L.D. e sedaram o Banner. – Steve falou fazendo esforço. Lutava com dois ao mesmo tempo. – O colocaram em uma espécie de avião e o tiraram daqui.

– Onde estão os outros? – Ela perguntou realmente preocupada.

– Não faço ideia. Estava na sala de controle, tentando entender o que havia acontecido, quando o alarme soou.

– Fury?

– Não sei dele. – respondeu cansado. – Por favor, Roxie, prometa que vai voltar a salvo.

– Eu vou me esforçar. – ela sorriu.

– Okay, não é mais segredo que eu gosto de você.

– Capitão, acha mesmo que é o momento certo?

– Não sei se é a adrenalina do momento e por isso vou aproveitar, acho que não conseguirei fazer depois. – ele respirou fundo. – Vamos pular a parte do jantar, Okay? Quer ser minha namorada? – Roxie parou onde estava. Ficou completamente sem reação pois não esperava aquilo, não através de um telefone e no meio de toda aquela tragédia.

– Steve, eu... – Antes que pudesse responder, o telefone voou de suas mãos quando ela foi atingida por uma pistola de choque e seu corpo começou a tremer com violência. Respirou fundo e começou a absorver aquela descarga elétrica. Quando o homem percebeu que ela já não mais sentia dor, parou de apertar o botão da arma e ficou espantado quando a íris de Roxie ficou vermelha. – É uma péssima ideia me eletrocutar. – Ela sorriu de lado e esticou a mão na direção dele que não teve tempo de correr. Recebeu a descarga do poder em seu tórax e caiu morto no chão. – Redbull é para os fracos.

– É, estou realmente impressionado com a sua demonstração. – Um homem, vestindo um jaleco de médico, a segurou e aplicou uma substancia azulada em seu pescoço e imediatamente ela sentiu suas pernas falharem. Apoiou-se na parede e virou-se, bem a tempo de ver Wanda e Natasha sendo carregadas por duas criaturas horrendas. Com eles, estava uma mulher, com longos cabelos loiros, usando um vestido verde e com olhos de cobra. Caiu ajoelhada, mas não perdeu os sentidos.

– O que foi isso? – perguntou horrorizada.

– Digamos que agora, você está sob controle. – falou ele e finalmente, Roxie parou de se mexer. – Eu lhe apliquei um paralisante poderoso.

– Temos que conversar. – falou a mulher e se aproximou de Roxie. – é bem mais bonita do que eu me lembrava.

...

Ela estava deitada em uma maca e tinha os braços e pernas bem presos. Ainda estava bastante sonolenta, mas já conseguia perceber que estava em uma espécie de centro cirúrgico e que Wanda e Natasha não estavam mais lá.

– Quem é você? – perguntou com dificuldade.

– Me chamam de Víbora. – respondeu a mulher, usava um jaleco branco. Roxie olhou para cima e percebeu alguns aparatos direcionados a sua cabeça. Pareciam agulhas de lobotomia.

– O que vão fazer comigo e onde estão as outras garotas?

– A equipe dos vingadores está um local especial. – Víbora sorriu. – E sobre você, vamos nos divertir um pouquinho. Garanto que você vai gostar. – O médico começou a puxar o aparelho para mais perto e a respiração de Roxie ficou mais rápida.

– A equipe? – perguntou curiosa.

– Sim, digamos que conseguimos capturar quase todos os vingadores, exceto o homem de ferro, mas esse é uma questão de tempo.

– Para onde os levaram?

– Se eu fosse você me preocuparia mais com essas agulhas, que entrarão em seu cérebro, do que com os outros. – respondeu a mulher e se abaixou ao lado de Roxie. – Quando isso acabar, você vai ser a minha cadelinha e vai fazer o que eu mandar. – ela lambeu o rosto da garota. A língua era bífida e tal qual sua alcunha dizia, parecia ser de uma cobra. A saliva dela continha algo que irritou a pele clara da vingadora e uma marca vermelha se formou imediatamente.

A ruiva começou a tentar soltar o braço e só conseguiu quando as agulhas estavam a um centímetro de distância dos seus canais lacrimais. Segurou na mão do médico e sugou sua energia, imediatamente. O corpo seco caiu no chão e ela empurrou a agulha para longe.

Dessa forma, conseguiu soltar-se do restante das algemas e ficou apoiada na parede. Ainda não conseguia ver direito e estava bastante debilitada, mas não se entregaria sem lutar.

– Eu a quero viva. – reforçou a víbora e deu passagem para alguns soldados. Roxie enxergava tudo em dobro e sendo assim, os quatorze homens que entraram, tornaram-se vinte e oito, mas isso não a impediu. Ela derrubou todos os quatorze homens e ainda sugou a energia de metade deles.

Correu na direção da Víbora que entrou em um combate corpo a corpo com a ruiva. Roxie conseguia ser rápida, mas a loira era muito mais, tanto que aplicou outra solução no pescoço da jovem, minutos depois que a vingadora errou a mira de seu poder e acertou uma das paredes do local.

– O que?

– Quero ver como se sai sem os seus poderes. – falou ela e sorriu. Roxie tocou no braço dela, mas não conseguia mais sugar a energia. – você é apenas humana, agora.



Notas finais do capítulo

É isso, amores!! Espero que tenham gostado!!!
Beijinhos e me deixem saber o que acharam, okay?

S. Laufeyson!!