Choices escrita por Kuchiki Hiruno


Capítulo 18
See you soon.


Notas iniciais do capítulo

Capitulo grande para compensar o ultimo mês que eu não atualizei !! Sinto muito por ter demorado tanto para atualizar , mas estava me recuperando do problema que eu tenho no pulso D: ( parece que vou ter que fazer cirurgia ).
Mas estou um pouco melhor e aqui está o capitulo que marca o fim da "primeira fase "( vamos chamar assim ) e inicio da "segunda fase " de Choices ! Espero que gostem !
Boa leitura ♥



"Mesmo para casos quando nós cruzamos
Caminhos sem encontro
Nunca chore, estou certo que nós vamos abrir nossos corações"
(Be As One - Fairy Tail) 

 

 

—Vai ligar para ele ou não?- indagou irritado, desligando o celular pela quinta vez.

—Acho que não estou preparado ainda e... da para largar esse celular e ouvir seu amigo ?

—Eu já liguei para Erza mais de cinco vezes e ela não atende e nem retorna- Jellal ficou conversando com Natsu a noite inteira e estava sentindo-se acabado. Eram sete da manhã e parecia que alguém tinha jogado uma pedra na sua cabeça .

—Não sabia que gostava dela tanto assim .

—Nunca senti isso antes é bem...- suspirou – forte. Sinto uma coisa tão forte por ela. Não sei o que é exatamente.

—Sabe sim, só não quer admitir – Natsu começou a rir e sentou-se ao lado do amigo no sofá – isso só tem um nome meu amigo.

—Cala a boca e volta para o seu drama pessoal – o celular do azulado tocou, mas o numero não estava registrado nele – Alô?

—Está feliz? Conseguiu o que você queria , parabéns !

—Bom dia Mirajane.

—Não seja sínico ! Bom dia só se for pra você ! Eu sabia que iria fazer isso ,você não presta !

—Posso saber porque está me insultando a essa hora da manha? E como conseguiu meu número?

—Minha vontade é de te dar uma surra ! Mas a vida vai ser mais cruel com você . Uma pessoa que não sabe amar está fadada a infelicidade ! – começou a gritar – mas não precisava deixar a minha amiga naquele estado, você não podia ter feito isso com ela Jellal, não podia !

—Quê?

—E agora ela está indo embora por sua culpa, seu canalha ! – Mira ficou muda por alguns segundos e percebeu que tinha falado demais – esqueça, você não vai entender algo como sentimentos .

—Erza está indo embora? O que está dizendo?- Jellal levantou-se do sofá em um só pulo e procurou as chaves do carro como se procurasse algo que fosse salvar sua vida . Natsu percebeu o desespero do amigo e apontou para a mesinha que havia no canto da sala , onde estavam as chaves.

—É , está ! Estados Unidos . E eu não deveria ter falado isso . Maldita raiva.

—Ela o quê?

—Não deveria estar surpreso depois do que você fez !

—Mas eu não fiz nada !

—Poupe-me do seu cinismo . Até nunca mais , Cretino !- desligou.

—O que foi cara?

—Não sei o que está acontecendo Natsu , mas pelo que eu entendi Erza está indo embora. Vou para o aeroporto agora . Acho que aconteceu algum mal entendido – Jellal foi em direção a porta .

—Espere, vou com você !

***

—Er-chan , você tem certeza?- Mira não conseguia mais segurar as lagrimas.

—Não fique assim Mira, vamos manter contato .

—Mas, mas...

—Estou bem- mentiu para confortar a amiga- vou ficar bem . Mudar vai ser bom ! Espero que venha me visitar !

—Eu vou – choramingou . A chamada para o voo da ruiva foi anunciada .

—Tenho que ir – abraçou forte a amiga- mesmo com todas as nossas brigas você é como uma irmã para mim . Obrigada por tudo .

—Se você sumir eu te caço lá nos Estados Unidos e te trago amarrada – Ambas deram risada e o ultimo abraço.

Erza andou pelo longo corredor , carregando sua bagagem de mão , até dar sua passagem e passaporte para um dos funcionários do aeroporto que conferiu todas as informações e deu passagem para a garota , devolvendo seus documentos . Erza deu uma ultima olhada para a amiga que se dividia entre limpar as próprias lagrimas e acenar para a ruiva que retribuiu o gesto , sumido .

***

—Poderia me informar se o voo para os Estados Unidos de algum horário por agora já saiu?

—O voo das 7:45h já levantou voo senhor – a atendente olhou mais uma vez para o computador – a mais ou menos dez minutos.

Jellal levou as mãos a cabeça. Erza tinha ido e ele não fazia a menor ideia do motivo. Tiveram um jantar maravilhoso e uma noite melhor ainda! Porque ela iria assim , sem avisar, sem conversar , sem pelo menos dizer o motivo e se despedir ... o que estava acontecendo? Jellal sentiu tudo rodar e sentou na cadeira mais próxima .

—Você está bem ?

—Eu a perdi Natsu , a perdi para sempre – o azulado fitava o nada, parecia aéreo – e nem sei o que eu fiz para ela ir assim . Eu não estou acreditando no que está acontecendo. Só pode ser um pesadelo .

—Deixa eu ver se entendi: Vocês estavam super bem e ela viajou sem avisar para os Estados Unidos?

—Ela simplesmente se foi- Jellal estava totalmente atordoado , ainda com o olhar fixo no chão .

—Temos que ver isso direito Jellal, ela não pode ter ido assim !Ela...

—Ela se foi e nunca mais vou vê-la- Jellal olhou para o amigo – eu a perdi Natsu- Jellal sentiu algo molhar sua face. Passou a mão pelos olhos e limpou as lagrimas que teimavam em cair – e agora estou chorando mesmo sem querer e...

—Não é sem querer amigo , você está machucado.

—Devia estar com raiva, mas só consigo sentir um vazio por dentro e...

—Vontade de chorar?- Jellal permaneceu em silencio , mas Natsu sabia que aquele silencio era um sim. O amigo nunca iria admitir – você a ama meu amigo – sentou ao lado de Jellal e tocou em seu ombro- e está com o coração em pedaços . Não sou médico , mas arrisco dizer que seu diagnostico chama-se coração partido e aviso desde já que o único remédio que há neste mundo é o tempo.

—Não entendo Natsu , o que está acontecendo ??-bagunçou os cabelos , voltando a abaixar a cabeça e esconder as lagrimas que ainda caiam .

—Vamos voltar para minha casa, você precisa se acalmar ! Depois conversamos -levantou e ajudou o amigo a fazer o mesmo- eu dirijo .

***

—Ela estava tão triste – Mira não conseguia se conformar com o estado em que a amiga havia partido.

—Ela ficará bem Mira , não se preocupe – Freed tentava confortar a namorada. Assim que Mira ligou relatando o ocorrido , correu ao encontro da garota.

—Aquele cretino não podia ter feito isso !

—O que ele fez de tão grave?

—Não posso dizer, prometi a Erza que não iria falar sobre isso com ninguém. Desculpe ...

—Não precisa se desculpar – beijou a garota- quer ir ao cinema? Você precisa se distrair !

—Acho uma boa ideia ! Vou só pegar minha bolsa e...- Mirajane foi interrompida pelo toque de seu celular – Alô?

—Senhorita Mirajane Strauss?

—É ela. Quem fala?

—Aqui é do Hospital Mushida ! Venho informar que sua irmão acordou do coma .

—Minha.. meu deus...- Mira não conseguia formar uma frase inteira. Estava sentindo uma mistura de sentimentos. Sua irmã mais nova estava em coma a muito tempo ,os médicos não tinham mais esperança e agora...- Eu.. eu estou indo . Chego em poucos minutos! Obrigada ! – desligou.

—O que aconteceu Mira?- ele estava bem nervoso. Lagrimas escorriam sem parar pela face da garota.

—A lisanna acordou Freed! Ela acordou !!! – Mira pulou nos braços do namorado que a abraçou forte .

—Então vamos correndo para lá !

***

Já havia escurecido. A lua brilhava forte no céu , espalhando sua luz por todos os lugares escuros da casa. Natsu estava a um bom tempo olhando fixamente a televisão , trocando de canal , afim de achar algo interessante -o que não ocorreu. Jellal pediu para ficar um pouco sozinho , então deixou o amigo ficar em seu quarto. Provavelmente estaria dormindo, o dia foi muito estressante . O rosado decidiu ir ao mercado e comprar algumas coisas para fazer um jantar que animasse o amigo. Tomou um banho, entrou silenciosamente em seu quarto – Jellal estava realmente dormindo, como havia suspeitado- pegou uma calça jeans , uma blusa branca de manga curta e seu coturno marrom , colocou as chaves de casa o cartão de credito e o celular no bolso e saiu . Deixou um bilhete na mesa da sala caso Jellal acordasse enquanto estivesse fora- o que achava pouco provável.

Não precisou andar muito até chegar a um mercado . Na verdade era uma loja que tinha de tudo um pouco : comida, roupa e até mesmo utensílios para a casa . Pensou em fazer um macarrão com o molho especial, aquele que só ele sabia fazer e que todos gostavam, incluído Jellal. Pegou o saco de macarrão e se deslocou até a parte em que ficava os enlatados quando acabou se esbarrando com alguém. Abaixou-se rapidamente para pegar o que a pessoa a sua frente havia deixado cair.

—Desculpe, estava bem distraído- o Rasado abriu um lindo sorriso , que se intensificou ainda mais quando levantou a cabeça e viu quem estava a sua frente – Lucy !

—Natsu! – a loira exclamou surpresa.

—Caramba , de tantos lugares nessa cidade fomos nos encontrar logo em um mercado – o rosado deu uma breve risada- desculpe pelo esbarro .

—Não precisa se preocupar , não foi nada !

—Está melhor? – indagou , agora sério .

—Melhor?

—A ultima vez – Natsu fez uma pausa e consertou- a primeira vez que nos vimos na verdade – riu - foi em uma praia e você não estava nada bem – lembrou.

—Ah , a praia – Lucy deu um sorriso fraco- vou ficar bem , não se preocupe .

—Não era bem isso que eu esperava ouvir- brincou o rosado – está livre amanhã?

—Amanhã?

—Sim, amanhã- repetiu , sorridente .

— Saio da faculdade as dezessete horas – disse pensativa , tentando lembrar se faria algo depois- a partir desde horário estarei livre- concluiu .

—Passo na sua faculdade para te pegar , pode ser?

—Hum?

—Digita o endereço aqui que as dezessete estarei lá !- Natsu ofereceu seu celular . Lucy pegou e digitou todo o endereço- qualquer coisa você tem meu número , certo?- Pegou o aparelho de volta e sorrindo , pegou o que precisava , vendo Lucy retribuir o sorriso e afirmar com a cabeça- Até amanhã Lucy. Fiquei bem !

—Até amanhã Natsu...- Lucy observou Natsu caminhar até o caixa , pagar e ir em bora. Estava se sentindo feliz, pois iria vê-lo novamente no dia seguinte .

***

Erza olhava as nuvens da janela do avião. Sua cabeça estava explodindo em um turbilhão de sentimentos. Não queria pensar muito no que havia acontecido , mas nem sempre conseguia afastar os pensamentos . Pegou na mochila o que Mira havia lhe dado antes de ir : um diário de capa de couro. Mirajane disse que como estariam distantes uma da outra , aquele diário seria ela, seria aquele que guardaria seus mais profundos pensamentos e os mais diversos sentimentos que Erza poderia sentir. Claro que depois dessas palavras , a ruiva chorou ainda mais. Abriu o presente , pegou uma caneta e começou a rabiscar .

“Deveria começar escrevendo aqui ‘meu querido diário’ ? Pensei nisso ,mas acho que não é muito meu estilo , então nas minhas primeiras linhas vou agradecer a Mira por ter me dado este diário. Sinto vontade de despejar tudo que me atormenta para fora e ao mesmo tempo só quero ficar sozinha e calada. Com ele , posso fazer as duas coisas .

Partidas são bem triste não é? Não importa quem você seja ou como você seja , sempre deixará algo para trás . Há muitas coisas em uma partida e uma delas – além das lagrimas é claro- é a indescritível sensação de estar deixando algo ali . Eu realmente não queria estar sentindo isso , mas eu precisava sair daquele lugar . Sentia-me despedaçada, usada , enganada , tão envergonhada por ter embarcado em algo que a outra pessoa não estava disposta a embarcar também.

Não sei se fui ingênua demais ou sonhadora demais , o fato é que eu deixei algo para trás na minha partida. Deixei minha amiga , uma pessoa que esteve comigo em todos os momentos desde que cheguei naquela cidade ; deixei o cara que faz meu coração acelerar só de pensar nele , mas parece que não foi muito reciproco ; deixei, por fim , pedaços do meu coração que não tive tempo de colar ou trazer comigo . Será que algum dia eu voltarei para pega-los? Jellal, será que algum dia você irá devolve-los para mim ? “

Erza parou de escrever e fitou o papel por longos segundos e percebeu que o mesmo estava sendo molhado. Levou a mão a face e secou as lagrimas que haviam caído . Sentia raiva de si mesma por ainda estar chorando por alguém que nunca a quis .

— Senhora, precisa de algo? – a aeromoça aproximou-se da ruiva .

—Não, obrigada – a mulher sorriu e continuou andando pela corredor – ninguém pode me dar o que eu preciso agora.

***

— Aonde você estava até essa hora ?

—Na casa do Natsu , depois fui que nem um louco para o aeroporto , voltei para a casa do Natsu, jantei e agora estou aqui .

—Aeroporto? O que foi fazer no...

—Erza foi para os Estados Unidos sem me dizer nada – o azulado começou a subir as escadas - eu não sei o que eu fiz de tão grave e eu não quero falar sobre isso- terminou de subir os degraus e bateu a porta do quarto.

—A Erza foi embora?- Mystogan sentou na cadeira tentando entender o que estava acontecendo- Foi culpa minha ..... – pegou o celular e discou um numero .

—Alô?

—Ela foi embora !

—Ela quem?

—Quem você acha, Ultear?

—Erza? Como assim ela foi embora?

—Ela foi para os Estados Unidos!

—Mentira ! Serio? Isso saiu melhor do que eu esperava ! Jellal está mais que livre agora !

—E eu a perdi ! —Olha, não estava mesmo contando com essa dela ir embora. Não estava nos meus planos , Mystogan.

—Mas aconteceu !

—Olha , não tem nada que eu possa fazer – o garoto respirou fundo – realmente não estava nos meus planos . Era até bom que ela ficasse com você sabe? Eu teria certeza que ela não me atrapalharia mais e....

Mystogan encerrou a ligação antes de Ultear completar a frase. Sabia que ela não iria fazer nada , sabia que ele não conseguiria fazer nada . Teria que carregar isso com ele pelo resto da vida.

—Porque eu aceitei fazer aquela loucura??- O garoto sentia quel aquela pergunta iria atormenta-lo por um bom tempo .

***

—Um brinde ao meu incrível plano de ultima hora ! – Ultear ergueu a taça que estava cheia de vinho .

—Ul , você não acha que exagerou dessa vez?

—O quê? Eu simplesmente fui brilhante ! Como eu não havia pensado nisso antes em? Aquela ninguém nunca soube diferenciar os gêmeos !

—Você também não Ul....

—Calada Meredy, não estrague minha alegria ! -repreendeu a amiga - Erza ainda fez o favor de ir para o outro lado do mundo! Não poderia esperar resultado melhor !

—Ul...- Meredy não conseguia acreditar como a amiga podia ser cruel. Desde quando Ultear ficou tão egoísta e cruel?

—Acho que vou dormir cedo! Tenho que acordar bem amanhã não é? Nãos posso ver o Jellal com cara de zumbi !

***

Erza estava muito cansada. A viagem foi extremamente cansativa e no momento a ruiva apenas queria dormir e só acordar no outro dia. Ainda teria que se acostumar com a diferença de horário. Pegou suas malas e andou até a porta que separava as pessoas que esperavam algum parente ou amigo , das pessoas que haviam desembarcado do avião e assim que cruzou a porta , avistou um homem de cabelos cinzas bastante conhecido pela ruiva.

—Lyon ! Pensei que ninguém viria me buscar – riu.

—Não poderia deixar de te dar as boas vindas em primeira mão , não é?

—Sempre gentil. Obrigada !

—Não descansou direito?- indagou preocupado , enquanto pegava as duas malas da ruiva.

—Na verdade não durmo direito a um tempo. Preciso de um banho e uma cama quentinha .

—Então vamos apressar o passo e ir para casa !

—Ir para casa .... – Erza sentia-se bem nostálgica. A final , havia crescido em solo americano - para casa , finalmente .

***

Estava muito cansado. Os professores havia retirado até a última gota do seu sangue naquela semana, parece que todos combinaram de marcar apresentação de trabalho e provas na mesma semana . Estacionou o carro na grama , perto do jardim da enorme mansão . Havia outros carros ali, todos de grande porte . Percebeu que a casa estava mais iluminada e barulhenta do que de costume e isso o incomodou na hora. Podia levantar várias hipóteses , mas ao se aproximar da porta , a pior de todas se confirmou. Uma risada feminina pôde ser ouvida pela sala . Ela havia voltado , com certeza , e após andar um pouco , chegou até a sala de jantar .

—Que barulho é esse? – reclamou.

—Finalmente você chegou Laxus ! Veja , Erza voltou ! – Makarov estava radiante com a volta da ruiva .

—Esse barulho todo por causa disso? Sinceramente , velho, você já passou dessa idade , não?

—Sou mais jovem que você que fica reclamando de tudo com essa cara enorme de mau humor !

—Senti saudade também , Laxus !- Erza riu . Laxus revirou os olhos e caminhou até a escada .

—Não vai jantar com a gente ? – indagou Lyon.

—Vou tomar um banho primeiro – avisou antes de terminar de subir as escadas.

—Laxus está no terceiro semestre de direito ! Ele faz a mesma faculdade que você entrou minha filha !

—Ele mudou desde a ultima vez que eu o vi . Todos nós mudamos um pouco na verdade – riu.

—Sim, verdade . – Makarov concordou- mas espero que você tenha mudado a forma horrível que você costumava me chamar e que você não me veja como seu tutor e sim como um pai, um amigo.

—Obrigada ...

Erza sentia-se feliz e acolhida . Makarov havia salvado a ruiva de um futuro triste e a deu tudo que pode , nunca lhe faltou nada . Lyon sempre ajudou também e mesmo de mau humor , Laxus a acolheu do jeito dele quando Erza chegou na casa . Ele era um pessoa estranha , não demostrava nem admitia o que sentia -pelo menos era assim na infância - mas se importava com as pessoas do jeito dele . Nunca se deram muito bem, mas também nunca se deram mal . Um sempre ajudou o outro , era uma amizade engraçada . Talvez Erza conseguisse recomeçar ali , talvez ela conseguisse deixar tudo para trás e seguir em frente da melhor maneira possível. Era o que ela queria , era o que ela iria fazer.

Após o jantar , Erza resolveu descansar , pois no dia seguinte iria até a faculdade junto com Makarov para confirmar e fazer a matricula . Ao girar a maçaneta da porta do seu quarto , sentiu uma mão tocar seu braço , parando-a .

—O que houve?

—Laxus ! Não me dê um susto desse por favor !- tentou regular a respiração .

— Andou chorando não é? O que foi aquela distribuição de sorrisos falsos no jantar? Quase levanto da mesa ,sinceramente .

—O quê você....

—Não minta!- Seus olhares se encontraram .

—Aconteceram tantas coisas ...- os olhos da ruiva ficaram marejados – digamos que eu fui uma completa idiota .

—Quero saber de novidades , não de coisas que já sei- disse irônico .

—Se quer me deixar pior do que já estou, acho melhor você me largar !

—Quer conversar? – Laxus voltou a ficar sério . Ele tinha mudado bastante , pensou Erza .

—Não sei se quero falar sobre isso ainda , mas poderia ficar um pouco comigo?

—Não vou forçar você a falar nada , mas não prenda as coisas para si. Você já fez isso outras vezes e já sabemos como vai terminar não é?

—Tem razão – lagrimas começaram a cair pela sua face – obrigada – em um movimento repentino, Erza abraçou Laxus , deixando-o bastante surpreso , mas o garoto logo retribuiu o abraço.

—Seja bem vinda de volta Erza.

—É muito bom estar em casa ....

***

Nem estava acreditando que havia conseguido convencer o amigo a lhe emprestar o carro ! Estava bem empolgado ,pois iria pegar Lucy na faculdade naquele dia ! Para onde iria leva-la? O que Lucy gostava? Assunto com certeza não iria faltar entre os dois ! Estava a caminho, seguindo o endereço que a garota havia digitado no seu celular quando recebeu uma ligação .

— Natsu?

—Hey Lucy ! Estou a caminho já ! Tem algum lugar que gostaria de ir?- indagou empolgado .

—Desculpe Natsu, tive um imprevisto enorme. Não vai dar para sair hoje.

—O que houve? Está tudo bem?- notou que a voz de Lucy estava soando meio triste .

—Na verdade não. Minha mãe passou muito mal e está internada ...

—Caramba ! -encostou o carro no primeiro canto que encontrou – quer que eu te leve até o hospital?

Já estou no hospital , mas obrigada Natsu ! Tem como a gente sair outro dia? As coisas estão bem agitadas por aqui .

—Claro que sim , você tem meu número certo? Então é só ligar !

—Obrigada....

—Estou as ordens – disse sorridente , porém preocupado . Alguns pingos de chuva começaram a cair e foi então que o rosado percebeu que o tempo havia fechado bastante .

—Desculpa mesmo ... por hoje .

—Não , não , sua mãe não está bem , deve ficar com ela – colocou o celular no colo e pôs no viva voz. Voltaria para a casa do amigo para entregar o carro e ficaria lá até a chuva, que estava ficando cada vez mais grossa , melhorar – eu sou a última pessoa que você deve se preocupar agora – tentou acalmar a garota- agora vá ficar com sua mãe okay? Não se preocupe com mais nada !

—Obrigada Natsu ! Nós falamos depois !

—Até mais !

Natsu ficou bem preocupado. Será que era grave? Desejou que Lucy ficasse bem , não queria ver a garota sofrer mais . Dirigiu por alguns minutos e estacionou em frente a casa da amigo. Precisava sair do carro e correr até a entrada para não se molhar muito. Guardou a chave no bolso ,abriu a porta do carro e saiu correndo , mas sentiu que algo havia caído .

—Não , não , não!!! Meu celular ! – o rosado correu e tirou o aparelho da enorme poça em que ele havia caído . Ainda na chuva ( e completamente ensopado ) , Natsu tentou ligar o aparelho , mas nada acontecia – puta que pariu ! Tem muita coisa aqui que eu não passei para o computador ! Merda ! – muita coisa mesmo, incluindo ...- o numero da Lucy ! Não ! Eu não tenho anotado em nenhum lugar ! Liga logo merda! -Clicou desesperado o botão que tinha como função ligar e desligar o aparelho , mas nada aconteceu.

Natsu travou o carro e correu para a entrada da casa de Jellal , batendo varias e varias vezes até ser atendido pelo amigo que estava com cara de quem ia bater em alguém a qualquer momento e, no caso , esse alguém seria ele – provavelmente por causa das enumeras batidas .

—Porra Natsu , o que você quer?

—Cara me ajuda pelo amor de Deus ! Lucy me ligou disse que a mãe dela foi internada e que não poderia mais sair comigo hoje. Tentei acalma-la e disse que estava tudo bem , que ela deveria cuidar da mãe , então resolvi volta para cá . Só que eu tinha deixado o celular no colo e quando sai do carro ele caiu na merda de uma poça e não ‘ta ligando mais . O NÚMEOR DELA ESTAVA AQUI PUTA QUE PARIU , ME AJUDA ! – Natsu havia falando tanta coisa em tão pouco tempo que Jellal ficou meio zonzo e precisou de alguns minutos para entender o que estava acontecendo .

—E você não salvou o número dela em nenhum outro lugar?- Disse subindo as escadas , seguido pelo rosado.

—Não !!- gritou desesperado.

—E o endereço da faculdade dela? – entrou no seu quarto e procurou alguma roupa que desse no amigo . Se Natsu continuasse com aquelas roupas ensopadas, iria ficar doente ,

—Já disse que não , caralho ! O que eu faço??

—Bom, dado as circunstâncias e fatos ...- Natsu aguardava ansiosa a solução que o amigo iria propor – você se fud...

—Jellal! Dá para levar isso a sério antes que eu enfie aquela abajur no ...

—Acalme-se , não precisa usar a violência ! Como fica nossa amizade? - se fez de vitima .

—Nossa amizade vai para a puta que pariu e o abajur vai...

—Já entendi Natsu!- Disse tentando acalmar o amigo- vamos dar um jeito mas antes troca essa roupa que você está ensopado ! Vai ficar doente – Jogou roupas secas para o amigo que , por reflexo , pegou no ar .

—Okay ,mas depois você vai me ajudar ,certo?

—Alguma vez eu já te deixei na mão?

—Nunca – Natsu delineou um sorriso.

—Então para de choramingar e vai logo trocar essa roupa !- Natsu suspirou e fez o que o amigo havia mandado. Como faria agora para se comunicar com a loira?

***

Como você está cara?

—Sinceramente? Acabado – Jellal colocou o celular no viva voz enquanto dirigia para atender seu amigo. Estava indo para seu primeiro dia de aula na faculdade .

—Odeio te ver assim ....- o rasado estava visivelmente preocupado com o amigo . Desde eu Erza foi embora sem explicação , o azulado estava muito diferente .

—Não se preocupe , ficarei bem – soltou um suspiro – acho que mereci.

—Como assim?

—Eu que fazia isso não é? Envolvia -me com outras mulheres , curtia e depois sumia sem explicação , ou encerrava tudo abruptamente . É meio irônico não? – soltou um breve riso com o tapa na cara que a vida estava lhe dando .

—É , você não está bem mesmo.

—Não , mas vou ficar . Não posso parar minha vida , certo? – estacionou o carro e olhou os outros estudantes entrarem na faculdade conversando e rindo- tenho que desligar Natsu, acabei de chegar na faculdade .

—E eu tenho que ir para o cursinho ! Espero que essa tortura só dure um semestre ! Boa aula cara , nos vemos mais tarde ?

—Que tal naquele bar perto da sua casa?

—Encher a cara de bebida pra esquecer os problemas?

—Porque não ?! – Jellal precisava de alguma forma colocar o que sentia para fora e sair para beber com o amigo seria uma ótima ideia – boa aula Natsu, até mais !

Pegou a mochila, saiu do carro e o trancou . Fitou mais uma vez o enorme local antes de criar coragem para começar a andar. Há quase dois meses Erza havia ido para os Estados Unidos e há dois meses Jellal não dormia direito pensando o que teria acontecido, sentindo saudade e percebendo que gostava da ruiva muito mais do que ele havia imaginado. Então era assim que as pessoas que ele já rejeitou na vida se sentiam? Era uma sensação péssima . Fez uma nota mental de evitar a todo custo fazer isso novamente , pois naquele momento, ele sabia o quanto isso machucava . Procurou as informações que faltava como quais aulas teriam e aonde seria sua sala e ao saber que ela ficava no segunda andar , começou a subir as escadas – já que não gostava muito de usar elevador .

—Chega Jellal , hora de seguir em frente – sussurrou para si mesmo , enquanto subia o ultimo lance de degraus – você vai chegar naquela sala , vai conhecer pessoas novas, vai focar na medicina e nada importa mais. Nada importa ...- era o que ele repetia . Mas a imagem de Erza não saia de sua cabeça e , pelo visto , não sairia tão cedo .

Não havia muito o que fazer. Erza havia feito sua escolha e ele a dele . O que restava a ambos agora , era seguir a diante e , de preferência, sem olhar para trás .

[10 anos depois.... ]

Não sei se pulo de alegria ou se fico preocupada – pegou duas malas que tinha embaixo da cama e começou a colocar roupas , sapatos e coisas essenciais como escova de dentes, desodorante , perfumes . Precisava ser rápida.

—Parabéns por vencer o caso – respondeu o homem do outro lado da linha -mas acho que deveria fazer o que te aconselhei !

—Eu sei , eu já estou fazendo , não se preocupe !

—Não tem como eu não me preocupar Erza, aquele cara te ameaçou e eu vi nos olhos dele que não estava brincando .

—Pelo menos eu fiz ele sair do tribunal com o rabo entre as perdas, aquele desgraçado !- riu vitoriosa- achou que a empresa dele ia sair impune depois de tudo que fez .

—Eu disse que era perigoso pegar esse caso ....

—Laxus , eu precisava defender aquela senhora ! O marido dela foi assassinado em circunstancias suspeitas no trabalho e sabe o que mais?

—O quê? – o loiro já havia desistido de convencer a ruiva de que a situação era mais séria do que ela estava imaginando.

—Ela foi ameaçada também! Tenho certeza que foi ele . Já comecei a investigar e...

—Erza !- repreendeu a ruiva.

—O quê??

—Você é advogada e não detetive ! Vai acabar se matando uma hora dessa !

—Não consigo ver uma injustiça dessas e ficar calada , Laxus ! Se eu não fizer algo quem fará?

—Está arriscando sua vida por uma desconhecida !

—Não! Estou arriscando minha vida pelos meus ideias e pelo que eu acredito que é certo!

—Certo, mas vamos dar um tempo para seus ideias respirarem e vá logo para esse maldito aeroporto !

—Eu sei que é perigoso ficar aqui por enquanto. Não vou fugir da viagem!

—É só até a poeira abaixar e aquele psicopata te esquecer um pouco – disse preocupado.

—Não se preocupe , já arrumei um bom emprego lá. A empresa é enorme, uma das maiores do pais !

—Claro que conseguiu um emprego bom! Quem iria recusar uma advogada com o seu currículo ?

—Exatamente – disse confiante e riu – então não se preocupe . Vou seguir seu conselho . Ficarei bem !- fechou a segunda mala e colocou cadeado em ambas .

—O Lyon está com sua passagem , ele a levará até o aeroporto .

—Sei dirigir sabia?

—Sabia que tem um psicopata atrás de você? Sabia?

—Já entendi !! – Gritou no telefone – vou desligar, tenho que descer com as malas .

—Boa viagem e tome cuidado , okay? Não vou conseguir chegar ai antes do seu voo para me despedir , mas prometo dar um pulinho lá para ver como você está assim que tiver tempo.

—Vai me visitar lá?

—Claro que vou! Acha que iria deixar você sozinha depois de tudo que aconteceu?

—Tão gentil ! Quem vê pensa que você é assim , mau sabem que você provavelmente bateu a cabeça e que a queda alterou seu comportamento .

—A visão que você tem de mim me ofende- Laxus se fez de vitima e riu ;

—I’m sorry Darling ( desculpe -me querido )- falou na língua do pais que passara os últimos dez anos , além de sua infância . Ambos deram risada .

—See you soon! ( Vejo você em breve !)- Laxus respondeu no mesmo idioma e assim , desligaram a ligação. Erza desceu as malas para a sala com a ajuda de Lyon e lá encontrou Makarov a sua espera com uma expressão um pouco triste .

—Não fique com essa cara , não vou ficar eternamente lá !

—Tem certeza que não quer que eu vá?

—Makarov ! – repreendeu - Tenho quase 28 anos ! Acho que sei me cuidar sozinha , não é?

—Tome cuidado ! Estar lá não significa que estará totalmente segura ! Já coloquei um detetive atrás desse maluco . Se depender de mim ele não toca em um fio do seu cabelo.

—Obrigada ... – Os olhos da ruiva ficaram marejados .

—Mas , tem certeza que quer voltar para lá?

—Passei parte da minha adolescência lá e depois fugi que nem uma covarde. Acho que está na hora de voltar não é?

—Tome cuidado minha querida – abraçou a ruiva pela ultima vez

—Não se preocupe , ficarei bem - disse após derramar algumas lagrimas discretas , abraçando Makarov e dando uma ultima olhada na casa. Sim, ela estava voltando para Fiore .



Notas finais do capítulo

Eu gostaria MUITO da opinião de vocês ♥ Agora mais do que nunca ! Se gostou ou quer fazer alguma observação, puxar minha orelha , fazer alguma critica construtiva , por favor comente ! Ficarei imensamente feliz !
Tentarei postar de duas em duas semanas ( se meu pulso deixar ;----; ) ! Espero que consiga !
Até o próximo capitulo !!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Choices" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.