Choices escrita por Kuchiki Hiruno


Capítulo 14
Festa parte 3 - Paixão ?


Notas iniciais do capítulo

Desculpem a demora em atualizar ! Fiz uma cirurgia e estava me recuperando . Aqui vai um capitulo grande para compensar o ultimo cap que foi bem pequeno e a demora em atualizar a fic x.x
Boa leitura :33



"Traga nossas mãos juntas e sinta o calor uma da outra
Sinta a paz que nasce no olhar um do outro
Isto é a eternidade que brilha somente porque nós percebemos"
(Be As One - Fairy Tail)

O amor também pode salvar as pessoas que já estão destruídas por dentro”. Erza ficou o resto da festa pensando na frase que o azulado havia lhe dito. De quem ele estaria falando? Da ruiva ou... dele mesmo? Ou quem sabe de ambos. Talvez ele tenha consumido muita bebida alcoólica durante a festa. Erza não sabia se queria acreditar no que o seu coração gritava ou se devia ponderar muito bem seus próximos atos , como sua mente lhe aconselhava . Precisava falar com Mira, mas quando foi pegar bebidas para ela e seu acompanhante , viu a amiga com Freed no jardim e não quis atrapalha a conversa , pois sabia que Mira estava gostando do garoto e algo estava dizendo que Freed também havia se apaixonado pela a amiga da ruiva.

A festa seguiu normalmente. A chegada da madrugada não foi desculpa para que o desanimo se estabelecesse e a maioria dos formandos ainda estavam muito animados. Erza e jellal não trocaram muitas palavras desde a saída do irmão mais velho do azulado e de Ultear. Parecia até que tanto a ruiva , quanto ele estavam imersos em turbilhoes de pensamentos e sentimentos que ambos estavam querendo compreender .

Mira e Freed não conseguiam parar de conversar e esconder a felicidade que ambos estavam sentindo. Voltaram para o salão, dançaram , descansaram no jardim. Mira queria compartilhar a felicidade que estava sentindo com a amiga , mas sabia que ela precisava ficar sozinha com Jellal . Talvez , só assim , ambos conseguissem organizar seus pensamentos e, principalmente , seus sentimentos.

Ultear não parava de olhar para o irmão mais novo do seu acompanhante e depois de longos minutos apenas fitando de longe , resolveu chama-lo para dançar – mesmo sabendo que seu pé não aguentaria uma dança, pois ainda estava doendo- e ficou surpresa ao ouvir um “pode ser “ do garoto . Mystogan respirou fundo. Sabia que aquilo iria acontecer mais cedo ou mais tarde e não ligava muito . Ultear sempre foi louca por seu irmão e agora Erza estava absolutamente sozinha, ainda observando o jardim da varanda e não havia ninguém que pudesse impedir ou atrapalhar uma aproximação .

–Ficar sozinha na noite da festa de formatura não deve ser agradável – aproximou-se da ruiva .

–Acho que seu irmão pensa do mesmo jeito.

–Nunca pensei que aceitaria vir a festa de formatura com ele – comentou .

–Eu também- suspirou – acho que não estava me sentindo muito bem quando aceitei .

–Acho que posso dizer o mesmo- Mystogan riu.

–Por que chamou ela?- Erza não podia esconder a curiosidade .

–Pelo menos motivo que você aceitou vir com meu irmão .

–Então precisamos fazer alguns exames – Erza o fitou- não estamos no nosso normal.

–Não mesmo- ambos começaram a rir- Quer continuar sozinha nessa varanda ou quer dançar comigo?

Porque não aceitar? Seu acompanhante estava neste exato momento dançando com outra garota e Erza estava fazendo o quê? Pensando nele? Pensando em suas palavras ? Não, ela não podia deixar as coisas como estavam ! Tinha que se divertir também, afinal, nenhuma pessoa se forma duas vezes –não no ensino médio , pelo menos . Mystogan estendeu a mão e a ruiva aceitou. Conversaram , dançaram, trocavam sorrisos. Jellal olhava tudo de longe, enquanto tentava acompanhar os passos de Ultear que , por estar com o pé ainda machucado , não estava conseguindo dançar na mesma velocidade do azulado.

Não gostava de ver o seu irmão mais velho tocando a ruiva daquele jeito, não queria que outro homem a fizesse sorrir daquela maneira , não queria que outro tornasse as coisas divertidas , como o irmão estava conseguindo fazer. Porque toda vez que o clima ficava pesado entre Jellal e Erza , Mystogan aparecia e a deixava feliz? Aquilo o incomodava . Incomodava a tal ponto de parar o que Ultear insistia em chamar de “dança “ e andar devagar até onde a ruiva e seu irmão estavam sentados, conversando.

–Acho que sua acompanhante não aguenta mais dançar – Fitou o irmão após ir ao encontro dele e da ruiva ,.Puxou Ultear que gemeu baixinho de dor . Mystogan se levantou e segurou a garota de cabelos negros que estava com dificuldade de manter o equilíbrio .

–Você precisar ir ao médico – insistiu o irmão mais velho.

–Já estou melhor, não precisa – Ultear tentou andar sozinha ,mas não conseguiu.

–Você é muito teimosa – suspirou - foi muito bom passar esse tempo com você Erza.- delineou um sorriso – espero que tudo se revolva.

–Obrigada Mystogan! Foi ...- Erza olhou para Jellal. O garoto estava com cara de poucos amigos – foi realmente bom ter conversado com você.

–Sim- o garoto passou o braço de Ultear pelo seu pescoço para dar mais apoio quando a garota fosse começar a andar – ligo para você qualquer dia desses para conversarmos mais- virou-se para o irmão que o encarava com uma certa irritação no olhar – vou leva-la a um hospital , Jellal. Está com a chave de casa , não está?!

–Claro que estou- respondeu ríspido .

–Ótimo ! Agora... – olhou para Ultear – vamos logo tratar esse pé – ambos começaram a andar sobre protesto da garota , que não queria deixar a festa ainda . Mystogan tentou ignorar as reclamações e convencer Ultear de que o melhor a se fazer era ver logo o que tinha acontecido de fato com o pé da garota .

Jellal e Erza ficaram olhando para Mystogan e Ultear até desaparecerem entre as pessoas . O azulado cruzou os braços e esperou Erza fita-lo ,mas ela não o fez. Apenas Pegou o copo no qual estava bebendo água e deu um gole .

–“ Ligo para você qualquer dia desses para conversarmos mais”??- repetiu o que acabara de ouvir do irmão , incrédulo .

– O som não está tão alto assim – Erza cruzou os braços – acho que você ouviu muito bem o que ele disse.

–Porque está me provocando?- Jellal sentou na cadeira que antes era ocupada pelo irmão mais velho.

–Não estou te provocando. Quem foi mesmo que aceitou dançar com Ultear? Ah sim, foi você. Quem me deixou sozinha aqui ? Ah sim, foi...

–Já entendi!

–Não, você não entendeu.

–Não sabia que tinha tanto ciúme de mim – ironizou o garoto.

– Você não imagina como foi torturante não ser irritada pelos seus comentários , vê-lo bem longe e ter a chance de conversar sobre coisas interessantes com o seu lado bonzinho.

–Lado bonzinho? Sou o vilão agora?

–Olha, essa discursão idiota não vai nos levar a lugar nenhum.

–Finalmente concordamos em alguma coisa – ironizou. Erza levantou o pegando de surpresa – onde você vai?

–Para casa. A festa ficou chata de repente.

–O quê? Mas você veio comigo! Como pretende voltar?

–Existe uma coisa muito útil nesses momentos chamado táxi .

–Prefere voltar a essa hora da madrugada com um desconhecido a voltar em segurança comigo?

–Quantos copos de vinho você tomou mesmo? – Jellal descruzou os braços, confuso- acho que voltar com um desconhecido a essa hora da madrugada é menos perigoso.

–Erza !- Jellal a segurou pelo o braço e ela o fitou com uma raiva evidente no olhar – eu te levo....- soltou o braço da garota , um pouco confuso . Seu corpo moveu-se sozinho quando Erza começou a andar .

A ruiva estava pronta para recusar em alto e bom tom , mas o contato visual entre os dois manteve-se por bons segundos e , algo que Erza não soube explicar , fez com que ela aceitasse o convite do azulado. Enquanto andavam para o carro, mandou uma mensagem para o celular da amiga avisando que estava indo para casa , pois estava com muita dor de cabeça – o que não deixava de ser verdade , pois a algum tempo uma dor chata persistia em irritar a garota .

– Gostou da festa? – Jellal quebrou o silencio que havia se instalado desde que ambos estraram no carro até aquele momento do caminho.

–Gostei- respondeu surpresa pelo azulado ter puxado assunto- eu não esperava uma festa daquele tamanho, mas até que nossa representante de classe e o comitê de organização trabalhou muito bem , considerando que também estavam no terceiro ano.

–Também fiquei surpreso, estava bem organizada- parou no sinal vermelho – e tinha bebidas boas também .

–Não sabia que bebia vinho .

–Eu particularmente aprecio um bom vinho – sorriu .

–Acho que deu para notar nas 3 vezes que você pediu para o garçom encher a sua taça .

–Foram quatro vezes e eu não estou bêbado , antes que você pergunte .

–Acho que você não seria irresponsável ao ponto colocar nossas vidas em risco dirigindo bêbado .

–Não iria fazer nada irresponsável que pudesse te machucar – parou por alguns segundos perguntando-se por que teria dito aquilo- machucar nós dois – consertou.

Silêncio .

O percurso seguiu no mais absoluto silencio . Erza olhava a rua deserta pela janela e Jellal tentava se concentrar apenas em dirigir . Ele já tinha uma quantidade considerável de álcool no sangue e ficar pensando em mil coisas enquanto dirigia não ajudava nem um pouco .A garganta estava seca e precisava ir ao banheiro o mais rápido possível. Ele repreendia a si mesmo mentalmente por ter bebido tanto vinho e não ter ido sequer uma vez ao banheiro . Pouco tempo depois , estacionou o carro no meio fio e ao lado estava a casa da ruiva.

–Obrigada pela carona – disse Erza , abrindo a porta do carro .

–Erza !- a ruiva manteve a porta aberta e o fitou – será que eu poderia usar o seu banheiro?- ela o olhou desconfiada – por favor, estou muito apertado. Tomei quatro taças de vinho e não fui ao banheiro uma única vez .

–Porque não foi antes de sair ?- ela saiu do carro . Jellal ficou olhando o movimento da garota . Ela abaixou-se para olha-lo pelo vidro do motorista – vai ficar ai parado ou vai entrar? Pensei que queria ir ao banheiro.

Ao ouvir isso , o azulado apenas esperou a ruiva sair de perto do vidro para abrir a porta e travar o carro. Andou o mais rápido que pode e assim que entraram foi direto para a porta que a ruiva havia indicado .Enquanto o azulado estava no banheiro, Erza tirou os sapatos e foi até a cozinha. Jellal voltou para a sala e chamou o nome da garota , pois não havia ninguém na sala. Ele tinha entrado na casa com tanta pressa que não parou para olhar em volta . A casa de Erza não era luxuosa ,mas era relativamente espaçosa e decorada com muito bom gosto .Ela respondeu e perguntou se ele queria água . Minutos depois a ruiva estava na sala e entregou o copo para ele .

–Obrigado – respondeu . Bebeu a água mais rápido do que havia imaginado. Estava realmente com muita sede . Sentou no sofá e colocou o copo na mesinha de centro, sendo seguido pela garota que fez o mesmo – sua casa é bonita .

–Obrigada – Erza olhou em volta – eu gosto bastante daqui .

–A quanto tempo você mora sozinha ?

–Até eu entrar no ensino médio morava com o Lyon – Jellal a olhou . Erza percebeu que ele queria perguntar quem Lyon e riu por dentro com a expressão do rapaz – Lyon é o braço direito do meu tutor . Por ser de confiança , ele foi enviado para cuida de mim . Mas quando fiz 15 anos ele voltou para os Estados Unidos e eu comecei a morar sozinha .

– Eu moro sozinho com o Mystogan desde a oitava série . Antes disso morava com meu pai ,mas nossa casa era muito longe então resolvemos morar mais perto do colégio – parou e olhou a casa mais um pouco – meu pai não queria deixar a casa em que ele vivia com minha mãe desde o casamento deles. A minha briga com ele foi o impulso que eu precisava para deixar aquele inferno .

–Sua relação com o seu pai sempre foi conturbada assim? Nunca tentou uma aproximação?

–Não tem como eu me aproximar daquele cara. Ele é frio e calculista , só pensa naquela droga de empresa. – ele encostou-se no sofá com uma postura desajeitada - eu odeio tudo aquilo .

–Deve ter sido difícil ...- Sempre que Erza ouvia o azulado falando daquele jeito , sentia-se triste. Ele reclamava, falava que odiava aquilo e que não se importava com o fato de não receber atenção e carinho do pai, mas sabia que Jellal sofria por dentro, sabia que ele se importava e que estava triste .

–Já me acostumei .

–Pois não devia .

–O Quê ?

–Uma pessoa não devia se acostumar com falta de carinho! Todos precisam disso e você não é diferente .

– Muito fácil falar.

–Não estou apenas falando- a ruiva interrompeu Jellal – eu fui jogada em um orfanato quando era apenas um bebê . Acha que é bom viver sabendo que sua mãe não te queria? Que você não foi bem vindo e que não é amado .

–Erza ...

–Todos os dias eu me sentia um lixo naquele orfanato , todos os dias eu me perguntava por que eu não tinha morrido , porque eu estava ali .

–Não diga isso ....

–Eu tive sorte , muita sorte – Jellal percebeu que aquelas lembranças não estavam fazendo bem a Erza – se meu tutor não tivesse me adotado eu ...- Erza parou quando sentiu a mão do azulado encostar em sua face. Abaixou a cabeça.

–Não precisa mais ficar pensando nessas coisas .Eu não vejo nada disso que você disse – Jellal usou a mão que estava livre para pegar na da ruiva , mantendo a outra na face da garota – eu vejo uma mulher forte , determinada , irritadinha e que adora me tirar do sério – Erza soltou uma risada discreta – vejo uma boa amiga, carinhosa e que se importa com as pessoas ao seu redor – levou a mão da ruiva ao seu peito – vejo uma mulher que me deixa irritado toda vez que aparece ou fala porque ... – será que deveria falar aquilo ? Precisava. Precisava desesperadamente falar aquilo . Parecia que ia enlouquecer se não dissesse – porque toda vez que escuto sua voz meu coração dispara e isso me irrita.

Erza parou de rir. Ela tinha ouvido mesmo aquilo? Não havia colocado uma gota de álcool na boca durante a festa então não estava bêbada , Jellal realmente havia falado aquilo. Quando ela levantou o rosto, ele pode ver sua expressão de surpresa ,os olhos da ruiva estavam arregalados . O azulado usou a mão que ainda estava na face da garota , começou a acaricia-la e foi diminuindo gradativamente o espeço que havia entre eles até reduzi-lo a zero . Seus lábios haviam encontrado os de Erza em um beijo lento e ingênuo que logo deu lugar a um beijo profundo, quente e cheio de desejo acumulado por semanas.

A língua de Jellal explorava cada canto da boca da ruiva .Ah, ele não sabia dizer quantas vezes havia pensado nesse beijo durante todo esse tempo, perdeu a conta de quantas vezes imaginou-se explorando cada milímetro da boca de Erza com a língua . Separaram- se para recuperar o ar ,mas não demoraram muito para voltar ao beijo recheado de desejos e mordidas . Erza mordiscou os lábios do azulado , deixando o bastante surpreso. Não era apenas ele que queria aquilo, não era apenas ele que desejava aquilo . Erza também não sabia ao certo quantas vezes havia pensado em Jellal durante todo esse tempo e agora ela tinha certeza, estava apaixonada por ele. Por mais que quisesse negar com todas as forças, não conseguia resistir .

Erza continuou mordiscando os lábios de Jellal , arrancando-lhe pequenos gemidos. Ele nunca havia imaginado que Erza faria aquilo e agora que fez não tinha certeza se iria conseguir parar se ela continuasse beijando e mordendo daquela forma. Ele estava em completo êxtase e seu corpo todo demonstrava isso .Jellal passou uma das mãos pela cintura da ruiva que não ofereceu resistência alguma .

–Erza ... – tentou falar – eu ... hum. ..- ela havia mordido seus lábios novamente – é melhor eu ... hum...- não ia conseguir parar . Afastou-se repentinamente – é melhor eu ir pra casa .Erza ficou confusa. Ele não estava gostando? Mas foi Jellal que havia começado com tudo aquilo .

–Eu fiz algo ...

–Não , você não fez nada – Jellal apressou-se em negar a pergunta que ela iria fazer – sou eu que ... não sei se –coçou a cabeça- não sei se ia conseguir parar . Não quero que você fique chateada comigo que nem da outra vez e...- Erza riu – Qual é a graça?

–Você sabe ser um fofo quando quer !

–Olha aqui eu não sou – foi calado com um beijo. Erza distanciou-se para ver a expressão de surpresa do azulado e começou a rir ,mas logo parou ,pois foi envolvida por um abraço .

–Jellal...

–Eu realmente preciso ir ...

–Eu sei – Erza acariciou o cabelo do garoto.

–Posso voltar amanhã?

–Pode.- Jellal desfez o abraço e sorriu . Levantou- se e foi até a porta que foi aberta pela ruiva .

–Até amanhã então .

–Até – Erza riu . Jellal aproximou-se e deu um ultimo beijo na garota antes de entrar no carro .

***

–Não precisava ter me trazido até o hospital , meu pé estava bom.

–Se estava bom porque você não estava conseguindo andar ?

–Está um pouco dolorido, só isso.

–O médico mandou colocar uma tala no seu pé ! Ele não está apenas dolorido!- o enfermeiro adentrou o local antes que a garota pudesse abrir a boca para rebater o que Mystogan acabara de dizer .

– Ultear não né? – Mystogan confirmou , balançando a cabeça positivamente – uma tala preta, confere? – novamente , foi Mystogan quem confirmou com um aceno – Aqui está. Ela é removível então tire quando for tomar banho – o enfermeiro começou a colocar a tala –não a molhe e...

–Quanto tempo terei que ficar com essa coisa? – a garota interrompeu o enfermeiro.

–Pelo que consta na sua fixa , dez dias .

–O quê? Dez dias com essa coisa horrorosa???- gritou

–Não fui eu quem determinou isso , foi o médico .

–Não culpe o enfermeiro pela sua desatenção – retrucou Mystogan- afinal, você caiu sozinha.

–Cala boca.

–Esses casais de hoje ...- murmurou o enfermeiro após terminar de colocar a tala da garota.

–Disse alguma coisa?-indagou Ultear, bastante irritada .

–Disse que está liberada por hoje – o enfermeiro entregou alguns papeis a Mystogan e saiu da sala .

–O que é isso? – indagou Ultear .

–Tudo o que ele disse e mais um pouco .Tem também a receita dos remédios que você terá que tomar e – parou para ler – também tem o dia que você tem que voltar aqui para um novo exame e tirar a tala , se estiver tudo bem , claro .

–Olha como essa coisa fica horrorosa na minha perna !- choramingou .

–Não sabia que você prefere sentir dor e pisar torto a ficar alguns dias com essa tala .

–Porque não para de falar e me ajuda a sair dessa maca?

Mystogan delineou um sorriso discreto e ajudou Ultear a descer da Maca e saíram do hospital. Antes de deixar a garota em casa , passou na farmácia , comprou os remédios que a garota iria precisar e muletas para facilitar a locomoção dela ao longo desses dez dias. Quando finalmente chegou em frente a casa da garota , só a ajudou a dar alguns passos ,pois logo dois empregados da enorme mansão vieram para leva-la para dentro .

***

–Obrigada por me trazer em casa Freed! – Mira sorriu. Após ler a mensagem da amiga ,não demorou muito para ela sair na companhia do amigo que agora era seu namorado também. Freed chamou um táxi e a levou em casa .- posso te chamar assim?

–Claro Mira, afinal somos namorados , não somos?

–Sim- respondeu envergonhada .

–Boa noite , Mira- Freed depositou um selinho demorado nos lábios da garota , que retribuiu .

–Boa noite Freed- a garota sorriu e entrou em casa.

A festa foi melhor do que Mira esperava . O local estava bem decorado e aconchegante; a música era boa, assim como a comida e as bebidas. Havia fotógrafos para registrar vários momentos da festa e Mira também viu dois homens filmando. Foi difícil para ela pagar a mensalidade que a comissão organizadora estabeleceu, visto que era uma bolsista . Não era bolsista quando entrou naquele colégio ,mas as despesas do hospital ficaram cada vez mais caras e como a esperança da irmã despertar do coma nunca fora descartada , sua tia continuava a pagar todo mês uma boa quantia .

Mira perdeu os pais muito cedo em um acidente e a tia ficou responsável pelos três irmãos. A tia de Mira era modelo e estava a mais ou menos um ano viajando pelo mundo tirando fotos para diversas revistas e desfilando para estilistas famosos. Sempre que podia ela ligava para saber como a sobrinha mais velha estava, se Lisanna havia acordado e se Erfman resolveu fazer contato .

Mira estava feliz. Havia se acertado com Freed , formou-se e estava confiante que iria conseguir passar em moda na universidade que havia escolhido . Sua felicidade estaria completa se a irmã caçula acordasse e o irmão do meio voltasse para casa. Precisava compartilhar o que estava sentindo com alguém ,mas quando viu que o relógio marcava quatro da manhã , desistiu de ligar para a amiga e foi tomar um banho para enfim deitar-se .

***

–Aquele filho da puta ! – Natsu esbravejava – nem sequer me avisou que ia embora e agora manda uma mensagem – ele abriu a porta de casa –primeiro ele nem falou comigo direito durante a festa , fez aquela merda de aposta e não desgrudou da ruiva- trancou a porta e tirou os sapatos, atirando-os em qualquer lugar .Livrou-se de toda parte de cima da roupa , puxou o celular do bolso e discou alguns números.

–É assim que você trata os amigos?- disse assim que o amigo atendeu – já te xinguei de filha da puta mais vezes do que posso contar com os dedos das minhas mãos!

–Sabe que horas são?

–Hora de eu esfregar na sua cara que ganhei nossa aposta! Fiquei com mais de 10 meninas na festa- disse , debochando da cara do amigo- e iria pegar mais, mas estava muito puto! Sabe porque eu estava puto?

–Não estou afim de bancar o psicólogo a essa hora da madrugada – a voz de Jellal estava sonolenta.

–Porque meu amigo me deixou lá! Filho da puta !

–Você reclama demais . Não planejei ir embora naquela hora , aconteceu.

–Também não estou planejando de dar um chute no saco, mas essas coisas acontecem.

–Nos beijamos , Natsu.

–Eu não vou esquecer o que voc...- Natsu parou de falar. Será que tinha ouvido bem? – Você o que? Ou melhor, vocês quem?

–Bebeu quantos copos de cerveja ? – disse impaciente – eu e Erza nos beijamos.

–Oi? A ruiva? A que te irrita? A que você irrita?

–Sim, a própria .

–Finalmente admitiu para si mesmo o que sente?!!!

–Não sei direito o que estou sentindo, mas acho estou apaixonado, Natsu.

–Disso eu e o mundo já havíamos percebido, meu amigo – o rosado riu- menos você.

–Ela retribuiu o beijo , Natsu.

–Claro que retribuiu , ela está apaixonada por você também, idiota - respirou fundo – além de cabeça dura é cego.

–É tudo tão...

–Novo? Estranho? Você nunca se apaixonou de verdade , não é?- o rosado riu- é uma merda quando isso acontece e um dos lados não corresponde, mas não é o seu caso então... aproveite !- o rosado tirou o cinto – pediu ela em namoro?

–Não...

–Não???Por que não??!

–Não sei ...- Jellal parecia pensativo - estamos nos conhecendo ainda.

–Puta que pariu , não sabia que você era tão medroso! Porra Jellal, para de ter medo de ter um relacionamento sério!

–Não é medo!

–Para de mentir para si mesmo! – Natsu respirou fundo novamente , tentando manter a pouca paciência que tinha- por quanto tempo você pretende ficar conhecendo ela em?! Vai acabar pendendo a Erza .

–Não vou perde-la.

–Okay, okay – Natsu deu-se por vencido – acho que você sabe o que está fazendo.

–É ... eu sei – a frase soou mais insegura do que Jellal gostaria – vou desligar. São quase cinco da manha. Preciso dormir.

–Boa noite princesa, durma com os anjinhos !

–Vá se foder ,Natsu !

***

Erza abriu os olhos. Quantas horas havia dormido? O quarto estava escuro ,pois havia fechado as cortinas antes de dormir ,mas um pouco de claridade conseguiu entrar por uma pequena fresta . Erza coçou os olhos com as mãos e levantou indo para cozinha beber água. Enquanto matava a sede, as palavras do azulado ecoavam em sua mente . Eles haviam se beijado e Erza estava estranhamente feliz pelo que aconteceu mais cedo .

Olhou para o relógio. Eram dez e quinze da manhã e seus olhos doíam um pouco. Comeu alguma coisa e foi arrumar sua mochila para a viagem de formatura que aconteceria no dia seguinte . Como eram apenas quatro dias não queria levar um mundo de roupa. Já não bastava as roupas que foram sugeridas pela representante de classe por causa das atividades que os alunos iriam participar lá no acampamento. Estava dobrando mais uma blusa quando seu celular tocou .

–Alô?

– Está ocupada?

–Bom dia pra você também , Jellal.

–Bom dia – ficou em silencio por alguns segundos – está ocupada ?

–Mais ou menos....- olhou para o guarda-roupa aberto e as roupas jogadas em cima da cama.

–Ótimo! Natsu me chamou para ir a praia . Passo ai em 10 minutos.

–Oi?

–Praia- repetiu- água salgada, areia , sol, sabe... praia-ironizou.

–Eu sei o que é praia !- respondeu irritada- mas assim ... de repente?!

–Quero passar o dia com você- confessou . Ambos ficaram em silencio por alguns segundos. Erza havia ficado muito surpresa com a resposta do garoto.

–Você vem daqui a quantos minutos mesmo ?- foi a única coisa que conseguiu falar.

–Dez minutos – ele parecia animado- até mais !

***

[Flash Back ]

Tentou abrir os olhos mas ele doíam. O som do celular ecoava pelo quarto. A vontade era de ignorar ,mas esse fosse ela? Fez um esforço para abrir os olhos e tateou o criado mudo ao lado da cama .

–Alô?

–Acorda bela adormecida ! Vamos para a praia !

–Você não tem mais o que fazer , Natsu? Va dormir , porra!

–Levanta da cama bolinha ! Vamos para praia.

–Não me chama de bolinha - gritou

–Levanta a bunda da cama e chama a garota que você está apaixonado para ir com a gente.

–Não estou apaixonado , é só atração física.

–Puta que pariu , Jellal! Já esqueceu tudo que me falou ontem???

–Não tem como, você adora esfregar na minha cara a cada minuto- resmungou.

–Certo...- disse animado- encontro você naquela praia daqui a meia hora ! Até mais!

–Hey, Natsu!- o rosado havia desligado.

Jellal xingou o amigo mais algumas vezes , tomou café e estava terminando de se arrumar quando decidiu ligar para Erza . Não queria admitir , mas até que a ideia do amigo foi legal. Fazia tempo que ele não ia a paria com Natsu e seria uma ótima oportunidade para ver Erza .

–Aonde foi que eu me meti?! – deu-se por vencido. Realmente estava apaixonado , só não conseguia decidir ainda se isso era algo bom ou algo muito ruim.

[Fim do flash Back ]

***

–Pensei que iria esperar mais vinte minutos até você sair – Jellal estava encostado no carro e Erza tinha acabado de trancar a porta de casa indo em direção ao garoto.

–Eu sou pontual !- Jellal nada respondeu. Estava muito ocupado admirando a garota. Ela estava usando um short jeans relativamente curto com uma blusa bem solta caída no ombro deixando uma das alças do biquíni a mostra , óculos escuros e uma bolsa de praia .

–Vamos – ele entrou no carro e ela fez o mesmo.

Chegaram minutos depois na praia e já encontraram Natsu instalado em uma parte afastada da barraca . O local não estava muito cheio pois era segunda feira e a maioria das pessoas estavam trabalhando. O clima permanecia bem ameno e o céu limpo , mas algumas nuvens podiam ser vistas no horizonte .

Erza e Natsu se cumprimentaram e a ruiva instalou-se debaixo do sombreiro e sentou na cadeira , retirando a blusa , deixando a parte superior do biquíni mostra . Retirou o filtro solar da bolsa e começou a passar . Jellal sentou ao lado da garota e tirou a blusa , deixando seus músculos definidos a mostra e chamando a atenção da ruiva que travou uma briga interna sobre olhar ou não para o azulado. Jellal encostou as costas na cabeira e ficou olhando Erza passar o filtro solar enquanto Natsu prendia a risada ,pois estava adorando a cara de bobo que o amigo estava fazendo.

–Caramba está bem abafado, não?- disse o rosado- vou pegar bebidas para a gente ! Alguma preferência?

–Água- respondeu Erza .

–Vai me acompanhar na cerveja ? – indagou Natsu , olhando para o amigo.

–Pode ser.

–Volto já ! – o rosado sorriu e saiu em direção a barraca.

–Não devia beber, vocês são menores de idade !Natsu não vai conseguir comprar cerveja .

–Nós conhecemos o dono da barraca , ele sabe que não vamos beber até ficarmos bêbados.

–Mesmo assim...- parou para pensar- aliás , como você tem licença para dirigir?

– Quem disse que eu tenho ?

–Jellal, eu não acredito que voc...

–Estou brincando – o azulado riu- mesmo não tento uma boa relação com meu pai ele fez algo legal , mexeu os pauzinhos e conseguiu adiantar minha licença , assim como fez com o Mystogan .

–O que ele fez?

–Não sei e sinceramente ?! Não quero saber. O importante é que posso dirigir – ficaram em silencio durante algum tempo e Jellal ficou observando a ruiva tentar passar filtro solar nas costas, sem sucesso.

–Quer que eu passe?- a ruiva ofereceu o frasco do filtro solar ao azulado que começou a espalhar lentamente o conteúdo nas costas da garota e depois de um tempo parou subitamente .

–Terminou? – indagou Erza , deduzindo que o garoto havia parado pois já teria terminado de passar. Como não obteve resposta , virou para fita-lo e foi surpreendida por ele.

Jellal encostou seus lábios dos da ruiva que logo depois se abriram e deram passagem para a língua do azulado adentrar e explorar cada centímetro da boca da garota. Erza gemeu baixinho e Jellal ficou satisfeito por arrancar aquele ruído dela . Erza começou a acariciar os cabelos azulados com uma das mãos , fazendo com que Jellal sentisse um arrepio na espinha. Ah, como queria ficar assim por horas.

***

Natsu pediu uma água e duas cervejas , todas as três bebidas bem geladas. Enquanto aguardava o homem que havia lhe atendido , olhou ao redor e fitou o mar . Era uma visão linda, de fato e fazia um bom tempo que não tinha um momento como este com o amigo. Estava viajando entre pensamentos e lembranças quando uma moça com cabelos loiros passou correndo na sua frente. Ela estava andando bem rápido, mas Natsu pode perceber que ela estava chorando. O rosado odiava ver uma mulher chorar e com certeza aquela estava em prantos por causa de algum homem crédito que havia feito alguma besteira.

Sem pensar duas vezes, Natsu seguiu a mulher que estava agora ajoelhada na areia . Ela havia tropeçado, as lágrimas estavam dificultando sua visão e ela não viu o que a parte de concreto havia acabado . Ela não tinha forças para levantar, só queria ficar ali , chorando até não conseguir mais até que sentiu uma mão quente em seu ombro.

–Você está bem?- indagou o rosado. A garota de cabelos amarelos levantou o rosto para fita-lo. Nunca tinha visto aquele garoto, porque ele havia se importado em perguntar se ela estava bem?

–Estou ...- delineou um sorriso fraco- estou bem , estou muito be...- antes de completar a frase , as lagrimas começaram a cair em sua face novamente .Ela abaixou a cabeça novamente .

–Não parece bem- Natsu levantou a cabeça da garota pelo queixo usando o dedo indicador – sabe, uma moça bonita como você não devia chorar , um sorriso ficaria muito mais bonito no seu rosto- ela sorriu um pouco mais forte do que da ultima vez e Natsu ficou animado – qual é o seu nome?

–Lucy – respondeu entre soluços – Lucy Heartfilia .

–Prazer Lucy, Meu nome é Natsu – abriu um enorme sorriso- Natsu Dragneel! Gostaria de se juntar a mim e meus amigos e abrir um lindo sorriso?



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado! Tentei colocar uma prévia do capitulo 14 no cap 13 mas aprece que o site cortou essa parte D: Dessa vez não tem prévia pq não comecei o capitulo 15 ainda x.x
Mandem suas reviews ! Isso incentiva muito um autor a continuar uma fic !
Até o próximo capitulo !



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Choices" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.