Camp Half Blood X Camp Jupiter - Interativa escrita por Julia Carvalho


Capítulo 2
No Acampamento Júpiter..


Notas iniciais do capítulo

Olá, pessoal, aqui está um capítulo que se passa no acampamento júpiter :) com a Narração da Amy (eu, Ana Clara) Espero que gostem, me desculpe qualquer erro! E as pessoas que não apareceram nesse cap vão aparecer no próximo ou no quarto :) bjs o/



Pov’s Amy

Aquele já era o 250º Gegene (monstros nascidos da terra) que eu matava, sangue escorria pela minha testa, eu estava totalmente esgotada e quase caindo no chão, mas sou filha de Marte Ultor, e sou Romana, tenho que agüentar! Um Gegene nasce da terra e ultrapassa a barreira do Acampamento Júpiter, não pode ser! Maldita Gaia!

– AAAAAAA – dou meu grito de guerra e corro em direção a um lobo que havia passado pela entrada, enfio meu Pilo em seu coração, antes que morresse me deu um arranhão fundo no braço, e então se dissolve. Reyna estava tentando impedir que mais monstros passassem pela entrada, mas não resultava em coisa boa, ela estava esgotada também.

– A-Amy! Te-tem mais uns 15 Gegenes à norte, à sul mais 10 Lobos! – diz Cassidy, tonta com a falta de fôlego. Eu estava quase desmaiando, vi umas 5 Cassidys mas consegui entender.

– Mais 9 Gegenes à leste, e mais 6 lobos à oeste, mas eles pararam de passar pela entrada! – Diz Jenn chegando atrás junto à Hazel e Layne. Respiro fundo.

– Cassy, você vai acabar com os 6 lobos na parte oeste, Jenn você vai até os 10 lobos na parte sul, Layne você vai até os Gegenes na parte Norte, depois vão matar os 9 Gegenes que sobrarão! Eu vou ajudar Reyna na entrada! – Digo e nos espalhamos.

Chego até Reyna que estava tendo dificuldades em cuidar de todos os Gegenes. Só não ia matar o que Reyna estava enfiando sua adaga, senão ela ia me odiar por 3 meses e eu teria que ficar em probatio, acredite, não é legal ficar limpando armas com sangue de monstros! Enfio meu Pilo (Lança Romana) na cabeça de um Gegene e ele vira pó, outro vinha atrás de mim, mas então fiz o mesmo, ele faz um hematoma em minha coxa, e caio de joelhos no chão, Reyna dá sua mão pra mim e eu pego, me levantando. Um lobo chega de mim e imediatamente Reyna lança sua adaga na cabeça dele, e ele se dissolve, o último pensamento dele deve ter sido: maldita ninja mal posso ver seus movimentos! Depois vejo o acampamento todo gritando por vitória, pelo jeito os monstros devem ter morrido, mas eles deixaram uma meleca e tanto, agora seria uma boa hora para desmaiar, não acham? Desmaio.

Acordo na enfermaria, me levanto e a primeira coisa que vejo é Jason deitado numa cama no outro lado do quarto, todo engessado, coitado, o que mais encheu o saco foi a maldita da Piper mandando mensagens de Íris, perguntando como ele tava, caramba já disse que ele ia ficar bem, pelo amor dos deuses! Aquela menina é o exemplo do quanto os gregos são uns bocós! Ele quase morreu numa batalha, mas ele é forte, e já está se recuperando, depois de 5 mensagens da chata da Piper, uma frágil de uma filha de Vênus, ops, nem de Vênus ela é filha, é filha de Afrodite, pior ainda! Depois de 5 mensagens dela, Reyna mandou eu começar a ignorá-la, ainda bem.

Vi que meus ferimentos já estavam melhores, e eu também já estava me sentindo melhor, me levantei fui até a cama de Jason para ver como ele estava, e dei um beijo em sua testa (não pensem besteira FILHA DE MARTE FALANDO AQUI! Eu e ele somos só amigos.) e saio da enfermaria. Vejo que todos estão limpando o caos dos monstros então vou até a Via Pretória, a procura de Reyna.

– Amy! Fico feliz que você já esteja acordada! – diz Reyna quase sorrindo, QUASE. – Eu tenho que conversar umas coisas com você – ela endurece o rosto, séria.

– Pode falar. – Eu respondo.

– Bom. Estamos tendo sérios problemas com essas invasões de monstros, já aconteceu 2 vezes nessa semana e três na semana passada, o acampamento está perdendo a força! Eu REALMENTE odeio dizer isso, mas teremos eu juntar os dois acampamentos... – Nunca tinha visto Reyna fazer uma careta tão medonha!

– eerr, mas isso é... – Começo a dizer com os olhos arregalados.

– Impossível, sim eu sei, mas não temos escolha – Reyna completa. – Eu vou selecionar alguns legionários, para ficarem comigo e lutarem contra os monstros, e eu quero que você fique no comando dos romanos, Aurum e Argentium gostam de você, ou seja, você é confiável, já provou seu valor para a Legião muitas vezes, posso mandar Jason, para a segurança dele, mas ele ainda está se recuperando, não pode liderar... – Ai meu deus, sem mencionar que eu já salvei a vida dela umas 4 vezes né.

– Seria uma honra Reyna! – digo séria e com dignidade, acredite, eu sou das únicas legionárias que Reyna confia, até eu fico surpresa!

– Fico feliz. Está dispensada, tenho que mandar uma mensagem de Íris para o diretor do acampamento dos..graecus... – Reyna suspira. Eu entendi que ela quis ofender eles, e não a culpo, de jeito algum, os gregos só pensam em namorar, são muito sentimentais, aff, e não se importam nem um pouco com dignidade, disciplina, e acima de tudo, honra! Vai ser um inferno ter que conviver com eles, todos os dias!

–Sim Reyna_ Abaixo a cabeça em uma reverência e me retiro.

–Ah, mais uma coisa Amy! Aqui, vamos trocar. – Ela me dá sua adaga de Ouro imperial, nossa! Bronze celestial, e ouro imperial são os metais dos deuses mais raros do mundo! Eu dou meu Pilo pra ela.

– Obrigada Reyna! Adeus! – me retiro. Eu senti vontade de abraçar Reyna naquele momento, ela é a única pessoa qual eu considero como uma irmã! Mas se eu a abraçasse ela não ia ficar muito feliz.

De repente deparo com Nathan, o filho de Baco, e Brian, de Febo. Não, sério cara, eu senti meus punhos pulsarem na hora – O que fazem aqui?! – pergunto com um olhar agressivo que deixa Brian um pouco assustado. – Apenas tomando um pouco de ar, vossa majestade! – Nathan responde. – ah sim, agora ele pediu. Paff dou uma patada na cara dele, não muito forte, apenas para humilhar um pouco. Reviro os olhos e saio caminhando. Nathan me olha como quem pensa: nossa que medo! (irônico), Jenn passa o olhando como quem diz: nossa que idiota, e revira os olhos.

Decido ir até a enfermaria, para ver como Jason estava. Para a minha alegria, ele estava acordado! Não pude evitar um sorriso. – Jason, você está acordado! Como se sente? – eu pergunto feliz, obviamente.

– Ahm, estou bem, eu acho, mas não totalmente curado, meus ossos ainda estão ruins. Quanto tempo fiquei apagado? – Ele pergunta meio confuso.

–Você ficou apagado uns... 28 dias. E a filha de Vê.. de Afrodite perguntou por você. – agora ele parecia mais animado.

– Jura? – ele parecia surpreso.

–Sim até demais... – Eu fiz uma cara de exagero. Ai ta bom, eu tinha uma fraqueza pelo Jason, mas fazer o que, ele é, bom, ele é incrível, e eu devo minha vida à ele, mas isso é outra história. Ele fez uma cara como se dissesse, será que ela está com ciúmes? Ai meu deus, ele percebeu??!! Ta bom, hora da poker face! Ele me olha e lá estou eu com a poker face, mas forço um sorriso.

– Alguma novidade? – Jason pergunta.

– hmm até que sim – Eu digo passando a mão no pescoço me perguntando se havia problema se eu contasse pra ele, mas acho que não tem já que ele é o segundo Pretor.

– Tais como? – Ele pergunta curioso. Eu faço uma careta pensando em como explicar.

– Bem... você já sabe que estamos sofrendo de muitos ataques de monstros ultimamente – eu digo olhando para o corpo engessado dele, e continuo – Reyna disse que teremos de juntar os acampamentos! É um absurdo! Jamais daria certo! Ela também disse... – Jason me interrompe, aff.

– Por quê? Afinal, somos todos semideuses, e devemos ter paz, você já sabe da profecia dos 7, certo? Como deu certo misturando os dois? – ele pergunta, aa fala sério né? Ele e essa idéia de paz! É impossível!

– Jason, eram apenas sete semideuses! Você percebe que a convivência dos dois acampamentos é até possível, mas não duvide que vai sair morte! A rivalidade é muito grande! Eu não vou fazer barracos por nada, mas não duvide que os outros vão! – Eu estava com tremedeira já, sim, eu tenho ataques de raiva. Coloquei a mão na testa, fechei os olhos respirando pelo nariz, e coloquei a outra mão na cintura, e consigo ficar mais calma. A única pessoa que me faz perder o controle assim é ele, eu tenho problemas em me expressar, então sempre quando eu gosto de um garoto, o que na minha vida quase nunca acontece, eu acabo me irritando com eles, e os tratando mal, eu sei, é idiota. Tenho que confessar, que o principal problema não era o Jason e as idéias dele, era a Pip... não vou terminar de pensar nesse nome odioso. Jason me encarava assustado.

– Desculpe, eu... – Suspirei, já estava quase na saída quando me virei e falei – Mais uma coisa – Jason voltou a me encarar. – Reyna me escolheu para liderar os Romanos, já que você está... inválido, mas você terá que vir conosco. – ele não pareceu muito contente com a palavra “inválido”, cheguei a me sentir meio arrependida com isso, ele olha seus membros engessados e suspira.

–Sem problemas. – Ele diz desviando o olhar. Saio da enfermaria.

Já estava anoitecendo, então decidi avisar os semideuses que iriam comigo para arrumarem suas coisas. Don, o fauno foi em minha direção.

– Agora não, Don! Eu estou com pressa! – Disse e saí correndo em direção à Hazel, deixando-o no vácuo.

– Hazel! Precisamos conversar. – Contei tudo a Hazel e pedi à ela que chamasse pessoas selecionadas (que eu escolhi) para a viagem. No jantar vi Blair e Melissa sentadas na mesa, pareciam estar cochichando, mas quando olham pra mim, elas vêem minha cara de “feliz” e param de conversar. Vou até elas.

– Sobre o que estão falando? – eu pergunto já tendo suspeitas do que fosse.

– Bem, as pessoas aqui no acampamento estavam falando que... hm.. mas esqueça deve ser besteira. – Melissa diz.

– As pessoas estão dizendo que teremos que juntar os acampamentos, teremos que ir para o acampamentos dos graecus... isso é verdade Amy?? – Blair Faith continuou.

– Sim Faith, teremos que nos juntar, e vocês virão comigo.



Notas finais do capítulo

Gostaram? reviews por favor u.u hehe Beijos da Ana! :)