A Nossa História de Amor escrita por Manu Pontes


Capítulo 7
O Certo A Ser Feito..


Notas iniciais do capítulo

Desculpem-me a demora.. Tive alguns probleminhas pessoais que acabaram me deixando sem criatividade.. =/



 

Capitulo 7 – O Certo A Ser Feito..


 


 


Passara toda a manhã ensaiando, a tarde passou-se rápida revisando documentos e ligando para clientes e algumas famílias de modelos. Logo a noite se fazia presente. O cansaço do dia somado a lembranças indesejáveis era um ótimo aperitivo para um má noite de sono, previa.


 


Saíra da agência por volta das 19:30, despediu-se de Tentem, de quem recusara um convite para um ida ao cinema. Tenten, conseguia ter um estoque de energia ilimitado.


 


- “Coitado do Neji.” - pensou, sorrindo, no primo que namora a amiga, mesmo a distância, pois, morava em outro estado. Mas sempre que ele podia estava em New York.


 


Já esta em seu apartamento, estava descalça, assim que chegara livrara-se dos sapatos bico fino. Estava no quarto, jogada na cama pelo cansaço. Mas seu descanso temporário foi desfeio, assim que ouviu o toque do celular que estava ao seu lado, vivia grudada com seu celular. Olhou no visor tentando descobrir a quem provinha a chamada. Papai. Deu um pulo da cama depois que leu, e logo atendeu.


 


- Hinata? - disse uma voz masculina.


 


- Papai, tudo bem? - como estava com saudades de seu bondoso e orgulhoso pai.


 


- Sim, claro. Como estão? - também sentia saudades das filhas, que agora moravam longe de seus braços.


 


- Estou bem. Hana está ótima, e também é a melhor aluna de sua classe. - disse animada.


 


- Hunf. - Hiashi resmungou.


 


- Eu sei que apesar de tudo está contente. - disse a morena.


 


- Vocês sempre me orgulharam, nunca duvidem disso. - disse o pai om um sorriso terno, ao qual Hinata reconhecera mesmo sem vê-lo.


 


- Pa-papai, obrigada.- ter o orgulho de seu pai era muito importante à ela. - Papai sua voz está um pouco estranha, está mesmo bem? - indagou preocupada.


 


- Claro que estou. - exclamou. - Só estou um pouco cansado. Mas quando iram nos visitar? - indagou. - Yu está com saudades das irmãs.


 


- Também sinto saudades. - fechou os olhos com força, sentindo um nó na garganta. - Como ela está?


 


- Está bem. Nesse momento está no quarto descansando de um passeio escolar. Quando irão nos visitar? - indagou novamente.


 


- Hum.. eu não sei.


 


- Assim que puderem venham nos ver. - disse Hiashi.


 


- Claro.. Mande um beijo ao Neji e a.. Yu.. - tinha os olhos marejados como sentia falta dos tempos em que todos ficavam juntos conversando e brincando, sorrindo como uma família feliz. Praguejou, como tudo poderia mudar? Mas o amor entres eles nunca mudara, sorriu, enquanto duas lágrimas rolavam rumo ao tapete branco do quarto.


 


- Certo. Então cuide-se. - despediu-se da primogênita.


 


- Digo o mesmo, papai.


 


Assim que desligou o celular foi em direção ao banheiro. Precisava de um bom banho de banheira com alguns sais, precisava relaxar um pouco.


 


- Dia longo. Semana longa.- sussurrou pra si mesma.


 


Lembrou-se da conversa com Naruto. Aquilo havia sido o certo a ser feito. Escolhas. Não tivera escolhas. Seu caminho já fora traçado há tempos. Um caminho solitário, esse era seu caminho. Escolhas. Ela já pensara ter tal direito, mas se machucou com esta ilusão.


 


- Contos de Fadas não existem. Príncipes não salvam monstros. - sussurrou enquanto se despia e entrava aos poucos na água gélida, assim preferia a temperatura.


 


Após cerca de 50 minutos de banho sentiu-se menos cansada, um pouco mais leve de suas preocupações. Voltou ao quarto com o corpo envolto por uma toalha vermelha de algodão. Seus cabelos também tinham uma toalha de tamanho menor que envolviam seus fios negros molhados.


 


Colocou uma roupa fresca, uma blusa de mangas curtas lilás, e uma calça jeans azul, uma roupa mais informal. Penteou os cabelos. Colocou umas sandálias. Ela não era uma mulher fresca, ão vivia em shoppings comprando roupas. Era mais caseira, gostava de um cineminha, barzinho com as amigas, claro, quando tinha tempo pra isso. A agência ocupava muito de seu tempo, mas não reclamava, era ali que afogava mágoas, angustias, medos..


 


Pegou um agasalho e uma bolça roxa e, saiu de seu quarto e caminhou pelo corredor entre várias portas. Parou em frente a uma porta de madeira envernizada. Bateu de leve, mais seu toque era audível.


 


- Hanabi! Hana. - chamou a irmã.


 


- Hina?! - disse a Hyuuga mais nova assim que abriu a porta, onde avistara a irmã parada a sua frente. - O que houve?


 


- Hana, eu vou sair e gostaria de saber se quer vim junto. - convidou.


 


- Para onde? - indagou curiosa.


 


- Boston. - respondeu Hinata sorrindo.


 


- Vou me arrumar e pegar minha bolça. Amanhã não tenho aula mesmo.


 


Hinata sorri para a irmã e vai em direção a cozinha. Pega uma pera que estava dentro de uma cestinha de frutas no centro da mesa. Enquanto comia esperava por Hana.


 


- Vamos? - disse Hana assim que aproximou-se da irmã já pronta para saírem.


 


- Sim.


 


E assim elas fecham a porta do apartamento e dirigem-se ao estacionamento, onde adentram o carro de cor prata de Hinata. Hinata no banco do motorista e Hana ao seu lado. Hana colocou um CD com músicas de vários cantores, mas com um só gênero pop rock, pois era apaixonada por gêneros deste tipo, rock, pop rock e pop punk. Hinata não se opunha ao gosto musical da irmã, até porque seus gostos eram parecidos. Conversariam e ouviriam músicas durante odo o trajeto até Boston.


 



 


O loiro adentrava mais uma vez aquele lugar. Agência H&U Models. Naruto tinha a aparência cansada, com certeza decorrida de alguma preocupação, já que o loiro é sempre cheio de energia. De fato, havia passado a noite em claro. Motivo: Hyuuga Hinata. Parecia ter esse nome marcado, gravado em seu destino.


 


Pensara, pensara, e pensara mais um pouco. Por quê? Como deixar dois anos de sua vida em branco? Por que não trilhar seu caminho de uma vez por todas? Por que deixar-se ser guiado por uma ilusão? Todas entre outras mais foram as perguntas feitas durante toda a noite a si mesmo. Respostas. As únicas respostas que tivera foram suas próprias perguntas.


 


- Bom Dia, Naruto.


 


- Bom Dia, Tenten.


 


- Naruto, a Hinata pediu-me para lhe transmitir um recado. - informou.


 


- Recado? Que recado? - arqueou uma sobrancelha.


 


- Ela está em Boston. Só voltará na segunda-feira. - disse a mulher de coques.


 


- Hum.. Aconteceu alguma coisa com os Hyuuga? - perguntou com um misto de curiosidade e preocupação.


 


- Não.. Não, nada! Ela e Hanabi não iam lá a quase duas semanas, todos estavam com saudades.


 


- Hum.. Tudo bem.. - ele sabia que Hinata aproveitaria seu menor descanso para ir a casa da família Hyuuga. Ele compreendia..


 


- Naruto, você está bem? Está tão cansado, parece triste. - disse olhando com mais atenção o amigo.


 


- Triste?! Não, eu estou bem. - mentiu. - Só dormi pouco esta noite. - afirmou.


 


- Ou nada, pelo visto. - o olhou compreensiva, demonstrando sua amizade. - Hinata não disse tudo aquilo por mal.


 


- Não se preocupe. Ela deve está certa. - o loiro já imaginava que Tenten, como melhor amiga de Hinata, já soubesse do ocorrido após o ensaio de ontem. - Essa semana tem sido muito agitada. - comentou fugindo do assunto “Hinata e Naruto”.


 


- Naruto, por favor. Não deixe que ela se perca na escuridão. - pediu, se Hinata ouvisse-a, a mataria.


 


- Ela não confia em mim. - disse amargo.


 


- Não a julgue. Ela já sofreu muito. - defendeu a amiga.


 


- Eu também já sofri, Tenten, por ela. - não era um homem muito sensível, não era um grosso e ignorante, estava completamente longe de ser isso. Mas não gostava de ficar remoendo o passado, seu passado. Mas seus amigos sempre conseguiam tirar algo dele, deixando-o mais leve com seus problemas, mágoas, medos, angustias.


 


- Eu sei.. E não sabe como eu gostaria de mudar essa situação. - confessou sincera.


 


- Somente ela poderia mudar algo, mas para isso já é tarde. - disse o loiro com pesar, não era até ali que queria que tudo chegasse.


 


- Não deixe-a perder-se na escuridão. - pediu novamente.


 


- Como sócio farei o que me for possível. É o máximo que posso fazer. - desviou dos olhos cor chocolate e começou a caminhar. - Agora, vou pra minha sala. Tenho uma reunião hoje com o juizado de menores, para mostrar os relatórios do mês.


 


- Claro. - não poderia pedir ou continuar aquela conversa, Naruto não se sentia bem, ele era mais um coração sofrido e magoado naquela confusão proporcionada pelo passado. - Eu já deixei todos os documentos em sua mesa.


 


- Obrigado. - disse já entrando em sua sala.


 



 


Já era tarde, a manhã passara rápida como sempre. Agora, cerca dezoito horas e quarenta e sete minutos, mais uma hora e aquela semana de trabalho teria um fim.


 


Ainda estava na sala de reuniões, onde a pouco mais de quinze minutos encerrara sua reunião com o Juizado de Menores. A reunião foi exaustiva, cerca de duas horas e meia, mas também muito produtiva. Com muitos elogios pelo trabalho ético com que a H&U Models atua no mercado infantil e juvenil.


 


- Acho que estou ficando velho. - disse enquanto movimentava o pescoço, alongando-o.


Se acomodou mais confortavelmente na cadeira, fechando os olhos em seguida. Silêncio.. Calmaria.. Era um moleque travesso, mas também um homem que precisava de um descanso. Mas foi impedido de continuar aproveitando daquele momento de paz ao ouvir o toque do celular em seu bolso.


 


- Alô?


 


- Boa Tarde, Doutor. - disse uma voz masculina em tom de deboche.


 


- O que você quer? - pergunta Naruto ao reconhecer a voz que mais odiava em sua vida.


 


- Ui! Quanta grosseria, Doutor. O que foi, não está dando con.. - é interrompido.


 


- Cale a boca! Você tem sorte do meu cliente não ter acabado com a sua vida, desgraçado. Agora, diga logo o que quer. - vociferou, sua paciência tinha limite.


 


- Se você continuar me insultando, ou me ameaçando, terei que lhe processar. - o homem riu, uma risada que fez com que a raiva de Naruto aumentasse ainda mais. - Cadê o meu dinheiro, Naruto? - a voz do homem agora estava séria.


 


- Será depositado ainda essa tarde. - disse de maneira fria, tentando reter sua raiva.


 


-Ótimo, ótimo.. É bom fazer negócios com pessoas como vocês, ricos, boa pinta, sem ada que os comprometa.. - riu novamente, no mesmo tom de antes. - Até mais, Naruto. E mande um.. - o homem não teve tempo para terminar a frase, pois, Naruto desligou o telefone, impossibilitando esta ou novas ligações.


 


- Desgraçado.- praguejou com raiva, seus punhos estavam completamente fechados, ao ponto de quase estraçalhar o celular que ainda estava em uma das mãos.


 


Fechou os olhos tentando conter mais uma vez a raiva, adormecer o monstro dentro de si.. Não podia perder a paciência, o autocontrole.


 


Respirou fundo, e uma imagem surgiu em sua mente.. ela.. A dona da suas noites de insônia, dos seus dias exaustivos, porém linda.. Linda como a primeira vez em que provou de seus lábios, sorriu lembrando-se.


 


 


Flash Back on:


 


 


Era um dia ensolarado. Estavam num parque muito bonito, cheio de grandes árvores, muitas tinham suas flores a desabrocharem, o que deixava aquele lugar ainda mais lindo. Nesse lindo parque dois jovens estavam sentados em um dos bancos coloridos que tinham ali. Ambos jovens adultos, eram muito amigos.. Haviam se conhecido, há um ano, em uma agência de modelos, onde trabalhavam. Após uma reunião na agência, os dois modelos foram apresentados. Após isso foram trabalhando em diversos desfiles juntos, onde perceberam terem gostos parecido e uma amizade fora crescendo entre eles. Alguns não acreditavam na amizade entre eles, juravam que aquilo era um sentimento mais forte, amor.


 


- Hei! Hinata?! - chamou o loiro enquanto estavam sentados descansando um pouco por causa do passeio. Aquele parque era imenso, mas mesmo assim sempre podiam passeavam juntos por ali.


 


- O que foi, Naruto? - disse a garota, por volta de seus 19 anos. A garota olhava-o com curiosidade, carinho.


 


- Eu preciso lhe contar uma coisa, na verdade preciso de um concelho. - disse Naruto.


 


- O que foi? Parece preocupado.


 


Hinata era uma jovem muito bonita, inteligente. Cursava a faculdade de administração. Era uma jovem mulher meiga, apesar de um passado amargo. Mas era uma mulher forte, mas uma das situações que a deixava triste era saber que alguém importante para ela estava triste, preocupado. E por mais que tentasse repelir, negar a si mesma, sabia que o sentimento que nutria pelo amigo loiro era mais que uma forte amizade.


 


- Eu estou apaixonado. - confessou recostando-se no banco, olhando o topo de algumas árvores muito altas que haviam naquele parque.


 


- Oh.. Err.. Isso é um sentimento muito bonito, Naruto. - disse a primeira coisa que parecia conter algum nexo, após o susto de ouvir aquelas palavras pronunciadas pelo loiro ao seu lado.


 


- Eu sei.. O que não sei é se ela gosta assim de mim. - disse o homem loiro de cabelos desgranhado, que estava um pouco desanimado quanto a sua situação.


 


- Bem, isso você só saberá se perguntá-la. - forçou sorriso, tentando confortá-o.


 


- É verdade.. Obrigado, Hina. - um sorriso alargou-se nos lábios de Naruto, que logo depois deu-lhe um beijo estalado na bochecha.


 


Hinata tentou outro sorriso para que Naruto não percebesse a tristeza que aquela conversa e confissão havia lhe trago.


 


O restante daquela tarde se passou alegre com as conversas de Naruto. Hinata apesar de triste com Naruto estar apaixonado por outra, não pôde deixar de sorrir com as palhaçadas do loiro. Já à noite, Naruto como sempre a levara em casa. Hinata já tinha sua maioridade. Sua família morava em outra cidade, Boston.


 


Já iriam se despedir quando Naruto mudou a feição alegre para uma séria em seu rosto. O loiro a fitava nas orbes peroladas, ele respirou fundo.


 


- Hina, você se lembra que mais cedo você me disse que eu deveria perguntar a pessoa que amo se ela sente o mesmo por mim? - perguntou-a.


 


- S-sim.. - a resposta saiu em um sussurro, seu coração já voltava a apertar. Culpava Naruto pelo amor que não deveria sentir por ele e ao mesmo tempo o desculpava, pois, o mesmo não sabia a dor que lhe causava.


 


- Então. - pausa e respira profundamente mais uma vez. - O que sentes por mim, Hinata Hyuuga? - seu olhar erá firme, porém carinhoso, e até um pouco hesitante.


 


- Na-Naruto?! - balbuciou surpresa, nunca esperou por aquela pergunta, apesar do sentimento que sentia por ele. Aquilo realmente a surpreendeu e a deixou sem palavras.


 


- Me responda. - estava nervoso, tinha certas dúvidas quanto as sentimentos da Hyuuga, porém ansiava por alguma reposta.


 


- Eu.. Eu.. - Hinata não conseguia proferir as palavras que a tanto seu coração vinha gritando dentro de si. Mas foi com um abraço apertado, terno e carinhoso, que Naruto obteve sua sonhada e perfeita resposta.


 


- Te amo, minha pérola. - disse ele com um enorme sorriso, o sorriso que a conquistou desde a primeira vez que se viram. Agora eles se olhavam sorrindo, estavam tão próximos, as respirações já se mesclavam. Se aproximaram mais, já sentindo seus lábios unidos. Os olhos fechados, aproveitando assim toda aquela magia.


 


Ela ao sentir os lábios do homem loiro colados os seus num beijo que transmitia todo o amor que sentiam e estava guardado pelo medo, teve a certeza que seu coração já não a pertencia mais, agora este pertencia à Naruto. Naquele momento ela esquecera tudo. Tudo. Era tão bom senti-se amada. Mas até quando aquilo duraria? Preferiu não pensar nisso, ao menos uma vez queria se sentir livre do monstro que era.


 


Naruto sentia-se preenchido de uma infinita alegria. O homem mais feliz do mundo, ele tinha certeza que era. Há tempos queria dizer que amava a doce morena que havia roubado o coração do jovem estudante de direito, mas ela era sua amiga, não queria perder sua amizade, e nem ficar longe dela, mas não aguentava mais estar perto dela sem tocá-la, sem dizer o quanto a ama. Mas agora tudo estava perfeito. Sempre estaria com aquela doce mulher. Não deixaria nenhum mal acontecer a ela. A protegeria sempre.


 


 


Flash Back of.


 


 


- Eu prometi lhe proteger sempre. - disse a si mesmo, enquanto ainda mantia os punhos fechados. - E vou cumprir.. De longe.. É o certo a ser feito.



Notas finais do capítulo

Quero agradecer a todos os reviews.. Amo lê-los, saber a opinião de vocês é muito importante.. ^^

Então a todos que estão lendo, eu peço que mandem reviews, e fale sinceramente o que estão achando da FanFiction..

Eu confesso que não gostei desse capitulo, acho que não consegui me expressar tão bem quanto eu queria.. =/

Próximo Capitulo: O Desfile!