A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 9
Fui Rastreada!


Notas iniciais do capítulo

Sabe aquele dia que parece que vai dar tudo certo e as coisas começam a ficar pretas e terminam pior ainda? Pois é um dia assim que Kenna terá neste capítulo.Tenham dó da Kenna porque não facilitei pra ela hoje!!! kkkkk




POV Kenna

Três dias depois...

Estamos encrencados, muito encrencados. A viagem até aqui foi tranquila, mas quando adentramos as Terras Negras tudo desandou de repente, entramos pelo pequeno rio porque esse seria o lugar mais seguro para passar, mas quando atravessamos, Náiades surgiram das águas e nos atacaram, eram muitas e estavam por todos os lados. Todos acabamos caindo dos cavalos, as Náiades tentavam nos afogar colocando seus braços sobre nosso rosto, era difícil de desviar ou acertar uma delas já que as ninfas tinham seu corpo feito de água, mas em meio a confusão toda pude perceber que elas fediam a água podre, estavam corrompidas, logo, se não nos afogássemos, com certeza morreríamos por conta da água envenenada. Não sabia o que fazer, minhas flechas de luz não faziam efeito contra elas, sempre que eu lançava uma, passava direto por seus corpos. Elas estavam ilesas e eu muito cansada, além do esforço físico, minha energia ficou por lançar as flechas.

Tudo está perdido agora, nunca saberei quem sou e ainda serei responsável pelas mortes de Terry e Luc. Mas, de repente as Náiades pararam de nos atacar e foram para o lado do rio pelo qual entramos, me virei e pude ver que elas foram facilmente derrotadas, logo não havia nem sinal delas, e no lugar onde estavam a poucos segundos tinham... Elfos? Não posso acreditar nisso, fui rastreada!

Eu caí de joelhos no meio da água, não tinha mais forças para nada , logo ficaria inconsciente, senti braços em minha cintura, Terry me ergueu e me apoiou nele.

São seus amigos?- Me perguntou mas não consegui reponder, olhei para frente, Feo vinha em nossa direção, seu olhar era preocupado e percebi que logo levaria uma bronca. A última coisa que vi foi que me tomou no seu colo e me levou para a margem do rio.

Acordei numa pequena tenda, olhei em volta vi era uma tenda típica dos elfos, sinal de que não foi um sonho e que teria que encarar Feo , não seria nada bom. Ouvi vozes alteradas do lado de fora e ao sair descobri de quem eram. Feo e Terry estavam se encarando, falavam sobre mim.

Eu quero vê-la agora!- Gritou Terry

Não- Feo respondeu simplesmente , mas estava furioso.

Eu. Quero. Vê-la. Agora– Terry se aproximou de Feo, pareciam galos disputando território. Dias atrás cheguei a pensar que seriam grandes amigos por serem tão parecidos, mas olhando bem agora, posso ver o quanto estive enganada, talvez os dois sejam parecidos demais.

Tá legal meninos vamos parar com isso- Entrei no meio deles e afastei cada um com uma mão- Eu estou bem, Terry, não precisa se preocupar- Falei e eles me olharam surpresos, não tinham me percebido ainda.

– Eu só queria te ver enquanto estava desacordada, mas este aí não deixou- Apontou com desprezo para Feo. Poxa vida as coisas estão piorando, se continuarem assim logo estarão aos socos.

Feo é meu irmão Terry, só queria me proteger– Tentei acalmar os ânimos- E Terry é meu amigo, eu confio nele– Dessa vez falei para Feo.

Tudo bem- Feo me olhou. Ótimo está mais bravo do que pensei- Mas tenho que falar com você em particular. Agora!– Entrou na tenda a passos largos. Eu estou ferrada.

Seu irmão é meio esquentado não acha?- Terry debochou.

Ele só está preocupado comigo- Felei e entrei na tenda atrás do meu irmão, tenho que enfrentar essa situação.

Feo estava em pé no meio da tenda, sua cabeça encostava no teto de tecido, ele era muito alto e a tenda muito baixa.

Por acaso você enlouqueceu?- Falou assim que me viu.

Não. Estou plenamente lúcida- Será?

Lúcida?- Me fitou indignado- Você acha que fugir de casa, se aliar a desconhecidos e caminhar pelas Terras Negras é estar lúcida?- Dizendo assim parece loucura mesmo.

– Você não entenderia- Falei emburrada. Me sentia uma criaça perto dele.

Tente- Era uma exigência. Então, eu contei tudo. Sobre eu ser humana, e consequentemente não sermos irmãos de verdade. Falei também sobre minha conversa com Valera e como tive que partir para descobrir minha verdadeira história.

Eu já sabia de tudo isso- Ele já sabia?

Já sabia? Como?- Só pode ser brincadeira!

– Eu sempre soube que você não era filha do meu pai. E minha mãe confessou para ele que te convenceu a partir quando o viu desesperado com seu sumiço. Logo depois ele me mandou atrás de você, tem idéia de como foi difícil te rastrear por esse Reino imundo?- Ele perguntou, mas não respondi, só consegui pensar no fato de Feo saber que não era sua irmã e nunca ter me dito nada. Como ele pôde me enganar assim? O único que achei que nunca me decepcionaria era ele, mas mentiu pra mim a vida toda, me chamava de irmãzinha mas era tudo mentira. Meus olhos se encheram de lágrimas.

Como pôde fazer isso comigo?- Lágrimas quentes molhavam meu rosto.

Fazer o quê? Porque está chorando Kenna?- Fazer o quê? Ele ainda pergunta?

Mentir pra mim Feo!– Gritei- Você sabia a verdade o tempo todo e nunca me disse nada!

Kenna, eu não podia...- Tentou dizer mas eu saí correndo da tenda e fui em direção a floresta. Precisava ficar sozinha.

Fiquei na floresta por algum tempo, já escurecia e eu permaneci sentada encostada numa árvore. Chorei muito. Chorei por tudo que aconteceu, pelas mentiras contadas a mim, pela decepcão que as pessoas que mais amava me causou.

Senti alguém sentar ao meu lado, mas não olhei, já sabia quem era .Feo.

Eu não queria te ver assim- Não falei nada.- Tudo bem, não fale, apenas me ouça. Não podia te contar, nosso pai proibiu, disse que você era uma de nós e que sempre seria. Tudo o que eu fiz foi te tratar como minha irmã, o que não foi difícil porque logo sentia que você era mesmo, me esqueci que não temos o mesmo sangue. Eu te amo como se fosse minha irmã.– Disse e acrescentou erguendo meu rosto me fazendo encará-lo- Você é minha irmã.

Eu também te amo- Foi tudo o que consegui dizer. O abracei e chorei mais um pouco. Depois de um tempo assim. Ele separou o nosso abraço.

Temos que voltar ao acampamento, todos estão preocupados com você- Se levantou e eu também. Fomos em silêncio até onde os outros estavam. Já me sentia bem melhor, era hora de continuar, não desisti de descobrir a verdade.

Ao me ver Terry pareceu aliviado, perguntou como eu estava e quis saber por que corri daquele jeito para o meio da floresta, eu não disse nada sobre minha pequena briga com Feo, apenas falei que estava bem e que partiríamos ao amanhecer, continuaríamos nossa jornada. E foi aí que as coisas ficaram feias de novo.

Você não vai continuar com essa loucura– Feo falou bravo novamente.

Ela vai se quiser– Terry retrucou- E eu a ajudarei a chegar lá.

Você é muito tolo se pensa que vou deixar!– Feo gritou. Isso está fora de controle!

Ela vai!- Gritou mais alto Terry

Ela não vai!- Feo gritou no mesmo tom. Isso é ridículo, eles pensam que mandam em mim!!

– Eu já disse que vou Feo e não há como você impedir– Felei tentando encerrar o assunto e Terry sorriu.

–Então eu irei junto, não a deixarei desprotegida– Feo retrucou

– Não é necessário que você vá, eu protegerei Kenna. Além disso você não foi convidado a se juntar a nós!- Falou um Terry muito indignado

É mesmo? Vai protegê-la como fez mais cedo?– Feo debochou de Terry- Eu irei e já está decidido, minha irmã não andará sozinha com um humano tolo que não pode defender a si próprio.- Eles realmente acham que podem decidir por mim, mas não ficarei quieta.

– Podem parar de querer decidir minha vida!- Eu falei fazendo os dois se calarem- Sou eu quem decido as coisas por aqui e se não gostarem podem deixar que eu vou sozinha!

E pela segunda vez neste terrível dia, eles me olharam surpresos. Não só eles é claro, Luc e os outros elfos, que presenciavam seus líderes nesta disputa idiota, ficaram de boca aberta. Eu havia me auto proclamado líder naquele momento, eu não devia fazer isso é claro, já que tinham dois príncipes herdeiros ali altamente classificados e acostumados a dar ordens e não recebê-las. Mas não me importei, é a minha vida que está sendo decidida, nada mais justo que eu tome as rédeas da situação.



Notas finais do capítulo

Um dia de cão!kkkk



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.