A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 6
Audiência com o Rei...


Notas iniciais do capítulo

Feliz demais com os comentários ^.^ Mas pela dica do querido Finn, resolvi tentar descrever os personagens. ( NÃO SEI SE DEU CERTO RSRSRS)Descreverei Kenna no próximo cap.Bjos Amores e Amoras...




POV Kenna



Lorcas. Uma cidade extraordinária. Enorme em tamanho e em beleza, nada que se compare a Elgan, a capital de Alfhanor, porém Lorcas tem sua glória, era realmente uma cidade lendária. Ao chegarmos nos portões, os sentinelas reconheceram o príncipe e passamos sem problemas, as pessoas paravam para nos ver, bem, para ver seus soldados comandados por Terry, que acenava para elas com satisfação, ele gostava de seu povo. Terry é um príncipe no sentido exato da palavra, é gentil, educado, corajoso e habilidoso, pude ver enquanto ele lutava contra a Dríade, eu estava cavalgando na floresta quando os encontrei guerreando contra a criatura, esperei para ver como eles se saiam, os hábitos humanos são muito estranhos para mim, a maioria dos homens que encontrei pelo caminho até aqui eram asquerosos, ladrões e saqueadores, mas os jovens cavaleiros me pareceram bons, eu resolvi ajudá-los e o príncipe confirmou minha impressão. Ele se mostrou agradecido e prestativo comigo, é muito bonito também, alto, bem mais alto que eu, com cabelos castanhos e olhos de um azul celeste ressaltados por sua pele branca, é forte como um soldado deve ser, porém tem o porte típico da nobreza que um soldado comum não possui, parece ser um pouco mais velho que eu , diria que tem vinte e quatro anos. Já Luc, que nesse momento lança piscadelas para as moças derretidas, bem, ele não é um cavalheiro mas é muito galante, bonito, tem cabelos negros, é quase do tamanho de Terry e os mesmos olhos azuis, devem ser parentes. Parece ser mais novo que eu e muito, muito imaturo, vive me olhando sedutor desde que começamos a cavalgar, com certeza está pensando que vai me conquistar, mas não me renderia a um tipo como ele.

Adentramos ao pátio do palácio, deixamos nossas montarias com os cavalariços, Snow reclamou um pouco, eu o acalmei e ele segui tranquilo para a estrebaria real. Terry, Luc e eu entramos no palácio, mas não seguimos para a sala do trono, fomos a ante sala, o lugar onde o rei ficava a maior parte do tempo, era um lugar luxuoso e confortável, com bandejas de frutas, queijo e é claro vinho, os humanos gostavam muito de vinho. O rei Akeen estava em pé olhando para um mapa estendido na mesa, é tão bonito quanto o filho, mais velho é claro, deve ter quarenta e poucos anos, com o mesmo cabelo castanho de Terry, mas ainda não vi seus olhos. Só depois de um tempo foi que ele percebeu que tinha companhia e sorriu alegre ao ver seu filho. Eles se abraçaram, conversaram um pouco e depois o rei cumprimentou Luc com um abraço forte, e só então ele olhou pra mim pela primeira vez desde que cheguei. Seus olhos verdes pousaram em mim e fui avaliada com curiosidade pelo rei e com um certo... Espanto? Ele pareceu surpreso ao me ver e perguntou a Terry quem eu era, este por sua vez lhe contou como eu matei a criatura e salvei sua vida, confesso que Terry exagerou em seu relato, afinal eu não fiz nada de mais, já enfrentei criaturas malignas diversas vezes. Ele também diz ao pai que eu desejo uma audiência, o rei aceita e me diz:

Aproxime-se, me diga seu nome e de onde veio.- Disse ele se sentando. Eu chego mais perto e tenho que repetir meu nome a ele, Terry já o tinha dito, mas parece que o rei é esquecido.

Meu nome é Kenna majestade- Faço uma pequena reverência- Venho de Alfhanor, eu sou...filha do rei Felon - Acrescento exitante essa pequena mentira, uma mentira que era verdade a dias atrás, mas acho que citar meu pai de criação vai facilitar as coisas pra mim.

Filha de Felon?- Ele indaga curioso- Mas você não se parece com uma elfa. Quem é sua mãe?

– Minha mãe era humana majestade, o nome dela era Kenzie, Kenzie de Lineor, é uma peque..- Sou interrompida por ele.

– Uma pequena aldeia ao sul de Hommes, eu sei menina, conheço bem o meu Reino- Falou um tanto ríspido comigo, sua expressão estava fechada, seus olhos parecia cheios de raiva. Será que o ofendi de alguma forma?- Mas me diga o que você deseja, merece uma recompensa por ter salvado meu filho.

– Eu desejo apenas uma coisa majestade, falar com uma mulher conhecida por Fênix– Falei com alívio, finalmente as coisas estão se encaminhando como quero.

– Com a feiticeira? Que assuntos você pode ter com Lira?- Lira? Eu quero falar com Fênix. Minha expressão deve ter me denunciado, porque o rei acrescenta- Lira é o nome verdadeiro, Fênix é como gosta de ser chamada, e não acho que deva falar com ela, Lira foi banida de Lorcas, está confinada as Terras Negras, da última vez que recebi notícias dela estava morando na Montanha Que Foge, é um lugar extremamente perigoso e viajar até lá é suicídio. Não lhe darei permissão.

– Mas senhor, eu tenho que falar com ela, é muito importante pra mim, minha vida depende disso.- Eu suplico, minha vida realmente depende disso, afinal Fênix parece ser a única capaz de me dar as respostas que procuro.

– Sua vida depende de falar com uma feiticeira? Por acaso seu pai sabe disso?- E agora? O que digo?

– Sim, majestade e sim, meu pai sabe que vou consultar Fênix- Minto, mas não tem outro jeito.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.