A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 31
Encarando a Verdade...


Notas iniciais do capítulo

Olá! Como estão? Mais um capítulo pra vcs. Espero que gostem. Perdoem qualquer erro, mas estou super ocupada. Trabalhando hoje, ninguém merece!




POV Kenna

Acorde.– Ouço uma voz ao longe me ordenar. - Vamos Kenna, acorde.– Abro os olhos e dei de cara com Aaminah. Olho ao redor e percebo que não estou mais no barco. Estou no campo de tulipas?- É um de seus lugares favoritos não é?– Aaminah afirma.

Onde nós estamos exatamente? A um segundo atrás estávamos no barco.– Falo surpresa.

Você está morta. E nós estamos dentro do seu mundo.– Aaminah fala com sua voz infantil. É difícil acreditar em alguém com essa aparência.

Por que?– Ela me pergunta e eu me assusto. - Por que é tão difícil pra você confiar em mim?

Eu...– Tento dizer mas não sei o falar.

Você deveria confiar em si mesma.– Ela diz por fim, me deixando mais confusa.

O que você quer dizer com isso? - Fico brava com ela, não tenho tempo pra joguinhos, mas espera ela disse que estou morta! - Eu estou morta? Como?

Primeiro você se ofereceu em sacrifício, sabia que isto iria acontecer...– Asminah tenta explicar.

Sim mas, não esperava que fosse tão rápido...– Tento falar novamente, mas dessa vez Aaminah me interrompe.

Segundo...– Ela enfatiza pra me fazer calar.- Eu sou você agora. E antes que me pergunte como é possível...– Ela diz quando ia justamente perguntar isso. - Como eu disse antes, sou um ser etéreo e represento a pessoa que você é por dentro. Por isso neste momento eu sou você.

Quer dizer que por dentro eu sou uma garotinha?– Como pode? Uma garotinha frágil, indefesa e irritante.

Exatamente.– Aaminah confirma.

E então? O que vamos fazer agora? - Pergunto ansiosa. - Tem algum teste pra eu fazer ou um desafio?

Não.– Ela diz simplesmente.

– E como vamos saber se eu sou forte ou fraca? Se eu sou digna de navegar no Rio Dourado?– Questiono já perdendo a paciência.

– Eu já sei tudo o que preciso saber. Olhei seu coração e lamento informar que você fraca, não é digna de receber as dádivas do Rio Dourado.– Aaminah fala tranquilamente, como se não fosse algo importante.

Você é maluca?– Eu grito com o ser etéreo. - Como você pode decidir isso assim, sem nem fazer um teste?

Não é preciso testes.– Aaminah continua tranquila. - Já lhe disse que sei tudo o que preciso saber.

O que você sabe?– Grito furiosa. - Você não sabe nada sobre mim!

Olhe para mim.– Ela ordena. - Eu sou você não está vendo? Sou o que você é por dentro. Uma garotinha frágil, indefesa e irritante.

Você está usando meus pensamentos contra mim?– Digo sem entender o que está acontecendo.

Seus pensamentos fazem parte de quem você é.– Afirma Aaminah.

Isto não está certo, eu não sou assim. - Falo com firmeza.- Eu não vou aceitar este julgamento.

Então você acha que é forte?– Aaminah sorri.

Sim!– Afirmo confiante -Eu sou!

Não, você não é!– Ela diz em tom baixo -Pare de tentar enganar a si mesma, não pode negar a verdade. Você é fraca.

Por que você está fazendo isso?– Pergunto olhando firmemente em seus olhos. - Você sabe o que vai acontecer se eu não destruir o Coração de Ônix? A maldade prevalcerá e todos serão corrompidos.

Eu sei disso, mas tudo o que eu quero é voltar pra casa.– Aaminah diz em voz de choro. O que ela está dizendo? Não faz sentido!

Mas do que você está falando?– Eu grito com ela. Agora perdi a paciência de vez!

– Eu quero voltar pra casa, voltar pro meu pai. Quero que tudo seja como antes. - Ela diz isso já chorando, como uma criança perdida. E eu fico sem reação.

Onde é a sua casa? Me diz que eu te levo. - Eu me agacho pra ficar na altura dela. Acho que ela é só uma criança mesmo.

Mesmo? Podemos voltar pra casa?– Aaminah fala tentando parar de choras. - Podemos voltar pro voltar pro papai?

Voltar pro papai? Mas o que?– Pergunto, mas já sei a resposta. - Entendo. Você sou eu e tudo o que eu quero é voltar pra casa.

Sim. Vamos? Vamos pra casa?– Ela me pergunta esperançosa.

Não podemos.– Falo calmamente, tudo faz sentido agora. - Tudo o que eu mais queria era voltar pra casa, correr pro papai como fazia quando sentia medo e ele cuidava de mim. Mas não posso fazer isso, muitos dependem de mim, dependem da minha coragem e força.

Eu entendo.– Ela sorri. - Temos que ser fortes. - E dizendo isso, ela me toca no peito novamente.


* * * * * *

Você está viva!– Minna grita e abraça forte.

Não por muito tempo se você continuar apertando ela!– Luc fala tirando Minna de cima de mim.

– Não seja chato. Só estou aliada porque se ela morrer todos vamos ser corrompidos! - Ela diz divertida e eu sorrio ao ver que estou de volta no barco. É bom estar com eles.

O que aconteceu Kenna?– Feo se agacha e eu percebo que estou sentada no chão. - Nos deixou muitos preocupados, por um segundo você pareceu estar morta.

Um segundo?– O olho sem entender. - Fiquei pelo menos cinco minutos conversando com Aaminah.

Ela pode manipular o tempo, este é o território dela.– Aurora se pronuncia, ela está um pouco distante. - Mas se você está viva , então suponho que passou no teste.

E você não parece nem um pouco aliviada. - Afirmo me levantando. - E muito menos surpresa.

Isto é porque já sabia que você passaria.– Ela diz com sua calma de sempre.

O que nós vamos fazer agora?– Élio intervem, vendo meu descontentamento com Aurora. Ela pode Lady e parecer boazinha, mas eu sei que está só me usando pra salvar seu próprio povo, sem se importar com mais nada. - Aaminah desapareceu logo após você ficar inconsciente. Por acaso ela lhe disse como navegar no Rio Dourado?

Ela não falou nada sobre isso . - Digo e todos parecem decepcionados .- Mas eu sei exatamente o que fazer, sei como navegar neste rio.

Como pode saber se ela não disse?– Luc pergunta com sua ingenuidade de sempre.

É simples priminho.– Afirmo sorrindo - Eu sou incrível.



Notas finais do capítulo

Não é dos melhores, mas já tava na hora de Kenna encarar a si mesma. Bjinhos...