A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 29
Um Beijo, Uma Pequena Fuga e Um Novo Mistério...


Notas iniciais do capítulo

Gente, gente, gente, gente! Me desculpem pela demora, mas eu estava total e completamente sem inspiração. Espero que este capítulo compense, pois tem romance e mistério. Então não tentem me matar antes de lerem...




Pov Kenna

Acordei me sentindo estranha, muito mais do que o normal. Talvez seja por causa do que aconteceu algumas horas atrás, eu não imaginava que ele fosse fazer aquilo, fui pega de surpresa e aparentemente ele também. Depois que Feo acordou e todos os outros foram descansar Élio veio até o meu quarto.

– Olá - Ele falou. - Será que podemos conversar?

Claro.– Eu respondi. - Entre.

– Eu só queria que você soubesse que me sinto mal pelo que Dione fez.– Élio se explica. - Não imaginava que ela nos trairia daquele jeito.

Certo.– Eu fiquei sem graça pois me lembrei que antes eu tinha praticamente o culpado pelas ações de Dione. - Eu sei que não foi culpa sua, me desculpe pelo o que eu disse antes.

– Ótimo. - Ele sorriu.- Então, como você está?

Eu?– Estranhei sua pergunta. - Estou ótima. Porque?

É só que.. Bem, você me pareceu desanimada.– Élio falou me olhando sério.

Mesmo? - Eu disfarcei.- Eu só estou cansada, é uma jornada bem difícil.

– Sendo assim vou deixar você dormir.- Ele faz menção de sair, mas se detêm.- Eu sugiro que você feche as cortinas.

– Ah! Bem que tentei, mas são diferentes das que eu tinha em Alfhanor.– Falei sem graça. Imagina só, eu não sei nem fechar umas cortinas.

É fácil..– Élio caminhou até as janelas e eu fui atrás. - Só você puxar essa cordinha e pronto, cortinas fechadas.– Ele puxou a corda e tudo ficou escuro e foi então que aconteceu. Élio se virou bruscamente e eu dei de cara contra seu peito. - Me desculpe.– Ele Falou e uma vela se acendeu do nada no criado mudo, trazendo ao quarto uma fraca iluminação - Velas mágicas.– Explicou e sorriu.

As velas élficas são melhores... elas iluminam mais...– Falava sem pensar até me dar conta de seus olhos âmbar sobre mim.

Eu tenho certeza que sim.– Ele sussurrou e foi ficando mais próximo a mim, se é que isso era possível.

É ... eu..– Tentava falar alguma coisa, mas nada vinha a minha a mente, então eu simplesmente o beijei. Isso mesmo, eu o beijei.

E logo seus braços envolviam minha cintura e minhas mãos se enroscavam em seus
cabelos. Uma completa loucura eu sei, mas confesso que queria isso desde o momento que descobri que o homem dos meus sonhos realmente existia e eu sabia que aconteceria mais cedo ou mais tarde, só não previa a intensidade do momento, pois minha vontade era permanecer ali para sempre, em seus braços. Mas acho que Élio não queria a mesma coisa. Ele interrompeu nosso beijo e me afastou dele. - O que...– Eu tentei perguntar, mas Élio saiu apressado pela porta, como se tivéssemos cometido um grande erro.

E agora eu estou aqui sentada nesta cama, mal consegui dormir duas horas. Mas tudo o que importa agora é que Feo está bem e finalmente poderemos prosseguir com nossa jornada. Não posso deixar de pensar que apesar de todos os problemas que tivemos, estamos cada vez mais próximos do objetivo, a Caverna da Morte. Isto porque Lady Aurora me revelou algo incrível, existe um atalho que pode nos levar mais rapidamente até a Caverna, o Rio Dourado, um rio místico é claro, capaz de levar a qualquer lugar desde que quem deseja usar seu poder saiba como navegá-lo e Lady Aurora me ensinou o que preciso fazer, eu só preciso morrer.

POV Élio

Por que você contou a ela sobre o Rio Dourado?– Questiono Aurora, ela não devia ter feito isso.

Foi preciso Élio. - Ela me diz com sua serenidade de sempre. - Quanto antes ela chegar na Caverna será melhor, "ele" não pretende deixar ela chegar viva até lá, então é melhor ela pegar um atalho.

Viva? E então você diz a ela para se sacrificar para o Rio?- Eu a olho incrédulo.– E esse é seu plano para mantê-la viva?

Ela não morrerá.– Aurora tenta se explicar.

E você tem plena certeza disso? - Eu indago mas Aurora não responde. - Quantos já se sacrificaram para o Rio e permaneceram vivos?- Dessa vez eu grito . - Ninguém Aurora! Ninguém e você está mandando Kenna para morte!

Você não entende Élio, mas eu sim!– Ela exclama. - O destino de Kenna não é morrer no Rio Dourado. Ela morrerá sim, mas não será no Rio e você sabe muito bem disso, por que você é uma das duas únicas pessoas que podem matá-la e tenho certeza que não fará isso no Rio, fará?

Eu nunca vou matá-la.– Foi tudo o que consegui dizer.

Ótimo.– Aurora me encara. - Então "ele" a matará, mas devemos garantir que isso só aconteça depois que ela destruir o Coração de Ônix, por que ela é a única capaz disso, a única capaz de nos salvar.

Só espero que você esteja certa Aurora.– Falo e saio de seu quarto, e as coisas só pioram a cada momento, pois dou de cara com Kenna assim que fecho a porta do quarto de Aurora. - Kenna você...– Falo e ela sai correndo e eu vou atrás é claro, será que ela ouviu alguma coisa?

Kenna.– Eu bato na porta de seu quarto . - Kenna por favor me dixe entrar, precisamos conversar.

Não tenho nada pra conversar com você.– E essas foram suas últimas palavras para mim. Mesmo depois de eu insistir muito em sua porta, tudo o que eu recebi foi o seu silêncio. O que será que ela ouviu?



Notas finais do capítulo

Não sou muito boa neste lance de romance, então gostaram do beijo?

E quem será "ele" sobre quem Aurora falou? É o mesmo cara que apareceu para Kenna? Será que sua autora postará o próximo capítulo? Fiquem ligados em A Maldição do Dragão!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.