A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 28
Uma Fênix na Janela....


Notas iniciais do capítulo

Capítulo bem legal. Minna é das minhas e é muito divertida. Mas antes que vcs reclamem dizendo : Capítulo muito curto, vou te matar! Devo informar que o próximo será maior e terá momentos, como eu posso dizer? Bem românticos... O que será que vai acontecer? kkkkk Aguardem!




Pov Minna

    Um lugar extraordinário, é isso que posso dizer do Vale dos Dias. Imagine um campo repleto de papoulas amarelas até aonde os olhos podem alcançar, com um sol tão brilhante e agradável; é assim a vista da varanda do meu quarto, bem, meu e de Feo já que não posso sair de perto dele. Mas isso não me desanima, a beleza deste lugar e toda essa magia pura e espetacular me deixa totalmente renovada e com esperanças de que Feo se cure rapidamente, não que precisamos ter pressa, afinal, o tempo não existe por aqui, neste lugar se vive um eterno dia ensolarado. Podemos passar horas aqui e quando voltarmos ao nosso mundo, será exatamente o mesmo minuto que saímos de lá. É realmente uma sorte Lady Aurora nos ter trazido para cá, pois assim poderemos descançar para enfrentar o que vem pela frente e não será nada fácil, disto eu tenho certeza.

    - Está tudo pronto? - Kenna fala entrando no quarto.

    - Sim, podemos começar. - Respondo.

    Então eu fico de lado da cama e Kenna do outro, ela tem que estar presente pois é a ligação mais forte que Feo tem neste momento com o mundo real, afinal, ele está mergulhado em sua própria mente, se perdendo aos poucos dentro de si.

    - “ Enearme de axperia enoves. Turcon solem in ded ofel la que paiste ole fiery. Denyfiriei lave la siem delatry de piests kremon. En dolve kel en dy veig aimonb.” - Eu recito as palavras de cura.

    - " Enearme de axperia enoves. Turcon solem in ded ofel la que paiste ole fiery. Denyfiriei lave la siem delatry de piests kremon. En dolve kel en dy vaste lienesole.” - Kenna recita a outra parte. Então a luz do sol adentra pela janela, cada vez mais forte, até que não podemos manter os olhos abertos.

    - E então? - Kenna me olha com expectativa. Mas Feo não se moveu e muito menos abriu os olhos.

    - Eu não sei, pensei que ele fosso acordar. - Eu falo sem enterder. Pra que toda aquela luz se nada aconteceu?

    - Nós fizemos certo? Não falta uma poção ou algo assim? - Ela indaga com angustia.

    - Fizemos tudo certo Kenna. Sinceramente eu esperava mais. Talvez seja tarde... - Tento dizer mas algo chama minha atenção.

    - O que foi? - Kenna fala sem perceber o que está havendo. - Minna?

    - Olhe. - Eu aponto a janela atrás de Kenna.

    - Mas o que é isso? - Kenna pergunta boquiaberta.

    - É uma Fênix. - Sim, uma grande Fênix em chamas pousada na janela. Mas ela não permanece assim por muito tempo, levanta vôo e vem em direção a cama, e paira no ar bem em cima de Feo. E aos poucos suas chamas vão descendo em uma espiral lenta adentrando suavemente no corpo dele. Então depois de poucos segundos assim, a Fênix simplesmente sai voando pela janela, em rumo ao céu límpido.

   - Ah...por eu estou sem camisa? - Feo diz e levamos um susto. Não o vimos acordar.

    - Feo! - Kenna grita e pula em cima dele o abraçando.

    - Tudo bem irmãzinha não precisa me esmagar. - Ele fala divertido. - O que aconteceu? Até parece que não nos há muito tempo.

    - Eu só estava com saudade. - Kenna confessa com lágrimas nos olhos.

    - Certo! O momento fofinho acabou! - Eu interrompo os dois. - Agora que Feo está bem será podem me deixar descansar?

    - Claro Minna! - Kenna responde alegremente. - Mas tem certeza que ele está bem? Quer dizer, você não conferir se o feitiço foi mesmo desfeito?

    - Feitiço? - Feo indaga.

    - Você foi enfeitiçado por aquela Dione maldita e ... - Kenna começa a explicar.

    - E é melhor você explicar isso tudo em outro lugar. - Eu digo puxando os dois.

    - Mas você não vai examinar ... - Kenna tenta dizer de novo.

    - Ele está ótimo! Não está vendo? - Eu passo a mão no peito de  Feo. - Lindo e loiro como sempre. Thauzinho! - Eu digo e fecho a porta. Preciso dormir um pouco. Mas primeiro é melhor eu providenciar grossas cortinas, afinal de contas o sol aqui é eterno!





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.