A Hospedeira - Coração Deserto escrita por Laís, Rain


Capítulo 30
Despertar


Notas iniciais do capítulo

I don't care if it hurts
I wanna have control
I wanna a perfect body
I wanna a perfect soul
I want you to notice
When I'm not around
You're so fucking special
I wish I was special

(Creep - Radiohead)



POV – Estrela

Oitocentos e vinte e sete pontos, ligados um a um, deixando apenas pouco mais de uma centena de conexões de reserva. Isso tinha sido explicado a mim antes... Antes de que mesmo? A lembrança parecia pronta para vir, de algum lugar bem próximo e tangível. Fechei os olhos com força, me esforçando para trazê-la à tona, mas ela não veio. Talvez as conexões não tivessem sido feitas corretamente, talvez por isso eu estivesse me lembrando desses números em lugar de reconhecer meu novo corpo.

Então esta era uma inserção? A lógica penetrou a névoa, porque o raciocínio fazia sentido. Os pensamentos vinham com fluidez agora que percebi o quanto a linguagem era familiar, delicada e imprecisa demais para expressar a intensidade dos sentimentos. Eu me lembrava disso. Mas era só, por enquanto.

Era como se eu sempre tivesse estado aqui, neste planeta. Em algum ponto inacessível ainda da minha consciência, eu sabia que este era meu lar. Então por que eu não conseguia “encontrar” este corpo mais rápido? Havia uma urgência em acordar que eu ainda não conseguia compreender, mas sentia em meu âmago. Urgência e outra coisa. Algo que se apossava de mim enquanto o ar à minha volta puxava meus sentidos.

Sentidos. Eu me lembrava. Eram como... ferramentas. Portas que se abriam para este mundo. Concentrei-me neles. O primeiro que me invadiu foi o olfato. Eu estava envolvida pelo cheiro dele. Lembrei-me de ter inúmeras vezes me afundado nesse cheiro tranquilizador e saber que estava em casa.

Mas quem era ele? De alguma forma, eu sabia que quando me lembrasse, me encontraria para nunca mais me perder. Mas a lembrança era tão forte, tão poderosa, que se recusava a vir. Talvez eu ainda não estivesse preparada para ela.

Devo ir aos poucos, então.

O cheiro dele! Estava em toda parte, acho que estava deitada sobre aquele cheiro.

É a cama dele, percebi. E quis tocá-lo, mas eu não sabia onde ele estava. Ou como era. Ou por que eu sentia um ardor gostoso no peito quando pensava nele.

Onde ele está?

E essa busca, esse anseio, me fez encontrar minhas mãos. Estiquei os braços lentamente e senti-os estranhos, mais longos do que deveriam ser. Meus dedos pareciam mais distantes do que antes. Era uma sensação esquisita! Fechei minhas mãos, contraindo-os. Eram dedos longos! Imediatamente senti algo macio sob eles. Lençóis, eu acho. Macios e com o cheiro dele. E eu só queria me envolver nessa sensação, puxando os lençóis para mim.

Então algo me impediu. Algo não. Alguém. Mãos quentes seguraram as minhas. Era ele! Suas mãos afagaram meus braços, das mãos até os ombros, e toda e minha pele reconheceu e respondeu àquele toque. Ele abriu meus dedos suavemente e pousou minha mão em seu rosto, sob o calor da dele.

— Acorde, amor. Abra os olhos. Você está no mundo que escolheu. Do jeito que escolheu. E está comigo.

Aquela voz... Eu a reconhecia. Havia algo sob ela. Eu reconhecia a língua, mas aquele som falava comigo através de outro tipo de linguagem. Um idioma que eu reconhecia com meu corpo, não com minha mente, e que me comunicava coisas sobre a minha existência no tempo e no espaço. Aquela voz, aquele homem, me diziam quem eu era.

Logan. Era esse o nome dele. E me lembrar dele fez meu coração se expandir com força e de forma repentina. No instante seguinte, eu vi seus olhos em minha mente e precisei lutar para respirar.

— Você está bem? Eu... Eu não acho que tenha feito algo de errado, mas eu nunca fiz isso antes. Por favor, Estrela, abra os olhos!

Senti meu coração ser inundado por uma onda intensa e vigorosa. Era um sentimento forte e poderoso que tomava tudo, se espalhando por mim e se ligando a todas as minhas conexões, como se eu fosse sua hospedeira! Era incrível!

Amor. Eu podia reconhecer. Já tinha sentido antes. Mas desta vez era diferente. Não parecia errado como antes. Não havia nada que me impedisse. Nenhuma névoa entre nós. Eu o amava. E nós éramos somente um do outro.

Agora eu estava pronta para abrir os olhos para ele. Estava forte o suficiente para a intensidade do que viria. Só precisava suportar o último jorro de lembranças deste corpo. Não achei que seria difícil. Eu estava repleta de amor e de promessas. Já tinha sido tomada pelo sentimento mais poderoso que havia. Então eu podia fazer isso. Apertei os olhos e me preparei.

Nervosa! Eu estava nervosa. Ele me deixava assim. Mas por quê? Um vislumbre dele comigo. Eu o via ao meu lado, só que não era eu. Era uma garota frágil de rosto redondo e cabelos cor de sol. Ela precisava ser cuidada. Também por mim, mas ele não cooperava. E me irritava às vezes. O jeito como ele às vezes parecia humano demais. Então ele mudou. E isso pareceu ainda mais humano para mim.

Eu o via com a garota loira repetidamente em minhas lembranças. Ameaçador, no começo. Depois, terno, preocupado, protetor. Quando ele tinha mudado? E por quê? Não entendê-lo era o que me inquietava mais. Mas não só isso.

Eu não sabia como reagir perto dele, então tive medo de vir ao seu encontro quando ele chamou. Mas eu queria saber dela. E queria vê-lo. Por isso eu vim. É mais forte do que eu e não gosto disso. Olho minha imagem refletida no espelho do elevador e ajeito meu cabelo, que é ruivo e comprido. Gosto dele e me distraio por um milésimo de segundo pensando nisso quando a porta do elevador se abre e eu o vejo. Meus pensamentos desaparecem enquanto meus esforços se concentram em respirar normalmente e responder a pergunta que ele me faz.

Minha nossa! Vê-lo pelos olhos dela é uma experiência totalmente diferente. Ela não sabia por quê. Não entendia. Mas eu sim. Sabia o suficiente sobre desejar alguém para ter alguma dúvida. Ela o desejava, mas eu não sabia se gostava disso. Era um consolo. Um sentimento acolhedor e bem-vindo estar num corpo que era receptivo a ele da maneira que ele merecia. Mas ao mesmo tempo não era.

“Meu!”, pensei. E me senti imediatamente estúpida por isso. Ela agora era eu. “Mas não quando isso aconteceu!”, lembrou a parte mais irracional do meu inconsciente.

Não estou mais nervosa. Estamos conversando e ele me conta uma história triste sobre um bebê morto. Parece tão angustiado.

Levo minha mão instintivamente à barriga e sinto uma lágrima descer por meu rosto.

— Ele está bem, Estrela – diz Logan, bem baixinho. – Está com a mãe dele. Com Peregrina.

Então eu me lembro que preciso voltar. Preciso voltar para eles. Preciso ir para casa. Estou com muitas saudades!

Logan enxuga minhas lágrimas, mas eu não sei ao certo se isso está acontecendo agora ou na minha lembrança.

Ele está me abraçando, tentando me tranquilizar. É triste demais e eu sei que deveria ir embora, porque estou gostando mais do que devia de estar aqui. Não quero gostar, mas não consigo me mexer. Reúno minhas forças para afastá-lo de mim. Faço isso com cuidado porque não quero que ele pense... Não sei o que não quero que ele pense. Ele me deixa confusa. Então me permito apenas ficar por perto, olhando para ele. Está calor e, enquanto conversamos, eu começo a sentir muito sono.

“Acho que não deveria dormir aqui”

Mas simplesmente não consigo evitar. Tento ao máximo manter os olhos abertos, mas fica cada vez mais difícil, e meu corpo começa a ficar pesado enquanto minha mente flutua.

Olho para Logan e ele sorri. Fica dizendo alguma coisa. Pede perdão. Não entendo bem, mas não me importo, porque tudo o que quero é olhar para seus olhos brilhantes de gato. Ele é tão lindo! Eu poderia amá-lo um dia. Acho que digo isso a ele, porque ouço sua voz ecoando distante.

— Eu também poderia me apaixonar por você se Estrela não existisse.

Logan me ajuda a me deitar e coloca minha cabeça em seu colo enquanto afaga meu rosto e diz que está tudo bem com a garota e com o bebê. Fico aliviada e ele me diz que posso dormir. Que posso me deixar levar.

Sinto o toque suave e delicioso dos seus lábios nos meus e gosto muito disso. Talvez eu quisesse mais, mas uma sonolência pesada como um nevoeiro toma conta de mim e me leva para longe enquanto adormeço ao som de uma canção de ninar.

Abro os olhos imediatamente, esperando que a claridade os machuque, mas está escuro. Há apenas uma luz pálida vinda de outro cômodo. Mas é o suficiente para que eu o veja quando me viro. Ele está sentado no chão com os braços cruzados sobre a cama, ao lado de meu rosto, o queixo apoiado nos antebraços. Sinto meu corpo ter um sobressalto.

— Olá, amor! Dormiu bem? Espero que tenha descansado bastante, porque não pretendo te deixar dormir – ele me provoca, com seu jeito costumeiro. – Vou acender a luz, ok? Achei melhor você acordar sem nenhuma luz forte nos seus olhos, mas agora quero ver você. A nova você. Feche os olhos mais um pouquinho.

Ele se levanta num pulo. Tem um corpo ágil e atlético e todos os seus movimentos parecem sutilmente calculados para me provocar. Ele acende a luz e eu pisco forte, porque não o obedeci quando ele mandou que eu os fechasse. Simplesmente não pude tirar os olhos dele.

Meu coração registra o gesto carinhoso: ele me deitou em sua cama e me deixou confortável e segura. Não quis que meus olhos fossem ofendidos pela luz e esperou no escuro enquanto eu acordava, enquanto eu me lembrava.

— Seu desgraçado! – eu disse, antes que pudesse segurar minha língua. A primeira coisa que eu dizia com minha nova voz, tão doce na boca dela, tão feroz e cortante na minha.



Notas finais do capítulo

Mas por que será que essa Estrelinha acordou tão brava?
Esperamos que tenham gostado da nova Estrela.
Eu só gostaria de fazer uma observação sobre essa música postada nas Notas Iniciais. Vocês sabem que nós sempre colocamos um trechinho de música como epígrafe dos capítulos, mas essa é especial para mim. Na minha opinião, ela é a música tema da fic, pois sempre que escrevo um capítulo no POV do Logan ela toca na minha cabeça. Eu mal podia esperar a hora de colocá-la na epígrafe de algum capítulo. Eu preferia que fosse num POV Logan, mas a hora dela chegou foi aqui mesmo. Mas só pra vcs saberem que ela é tão Logan quanto possível.
Beijos,
Rain