A New Life 2.0 escrita por L Angels


Capítulo 11
Capítulo 11 - O verdadeiro culpado.


Notas iniciais do capítulo

Nada melhor do que uma conversa para esclarecer algumas coisas.




** PDV Michael

 

 

 

— Você é ótima! – O Zach disse empolgado assim que a Sophia acabou de tocar.

— É Cameron... Acho que alguém pode perder o lugar na banda, e esse alguém não sou eu. – Brinquei, mas ninguém riu.

— Acho que já acabamos por hoje! - O Cameron pegou o baixo de volta.

— Bom... Acho melhor eu ir pra casa. – A Sophia disse séria.

— Qual é, pra que a pressa? Que tal tomarmos um sorvete? – Perguntei.

— Já tomei sorvete de mais por hoje. – Ela disse caminhando em direção á porta.

— Então um lanche quem sabe? Vai dizer que não está com fome? – Tentei novamente.

— Melhor deixar isso para outro dia! – O Zach disse.

— Qual é gente... – Resmunguei e o Cameron deu de ombros.

— Amanhã pode ser? – Tentei pela ultima vez e a Sophia riu.

— Ok Mike, amanhã pode ser. Foi um prazer te conhecer. – Ela me deu um abraço.

— Que isso... O Prazer foi todinho meu gata! – Pisquei e ela riu.

— Tchau Zach! Até amanhã! – Ela deu um abraço no Zach.

— Até, se cuida! – Ele disse e ela concordou com a cabeça.

 

Então ela foi embora sem nem se despedir do Cameron, mas ele também não ligou muito. Logo o Zach e o Cameron começaram a guardar as coisas silenciosamente.Tem alguma coisa muito errada aqui acho que perdi algo.

 

— Mas que merda é essa?? – Falei um pouco alto e os dois me encararem.

— Qual é o problema? – O Zach perguntou.

— Qual é o problema pergunto eu! Vocês dois estão muito estranhos um com o outro, acham que eu não percebi? – Comecei a falar.

— Você está maluco isso sim Mike... – O Cameron deu de ombros.

— Eu posso ser doido, mas não sou maluco. E tem diferença sim! Vocês estão com algum problema e não querem me contar. – Os encarei serio.

— Você está viajando isso sim. – O Zach revirou os olhos.

— Ok, é o seguinte, está na hora de vocês resolverem isso. Eu vou embora agora e espero que vocês se acertem, porque se não quem vai acertar vocês sou eu!! – Peguei a chave do meu carro e fui embora.  

 

 

 

** PDV Cameron

 

 

 

— Qual é Zach? Pode falar, eu conheço esse seu olhar de reprovação. – Falei me sentando no sofá.

— Eu não acredito que você fez aquilo com a garota... – O Zach cruzou os braços. 

— Até você vai começar com essas loucuras? O que foi que eu fiz? Será que da pra me explicar? – Perguntei confuso.

— Até parece que você não sabe do que eu to falando. Pode parar de fingir Cameron. – O Zach disse sério.

— Mas o que ta acontecendo com vocês? Primeiro a Sophia vai até a minha casa só para me ofender, agora isso? – Me levantei.

— Não acredito que ela foi até a sua casa, eu falei para ela que iriamos resolver isso depois. – O Zach mudou o foco.

— RESOLVER O QUE? QUAL O PROBLEMA DAQUELA GAROTA COMIGO? – Gritei irritado.

— Qual o problema daquela garota contigo? Você colocou um sapo no armário da garota sendo que você sabia do trauma que ela tinha. Trauma esse que foi provocado por você! Poxa Cameron eu não estou te reconhecendo... – O Zach disse sem perder a calma.

— O que? – Perguntei confuso.

— Todo mundo viu o que aconteceu com ela coitada, como se já não bastasse ser a novata, agora tem esse mico. O pessoal daquela escola não perdoa Cameron, você sabe bem disso. – O Zach me olhou com reprovação.

— Zach não foi eu! Porque eu faria uma coisa dessas? Não faz sentido! Você tem que acreditar em mim! – Eu disse mais calmo.

— Eu queria muito acreditar em você cara, mas a Sophi foi bem direta quando disse que mais ninguém sabia disso! – O Zach falou e uma cena começou a passar na minha cabeça.

 

 

*Flashback on*

 

 

— Não entendi... Porque a garota te odiaria? Você está me enrolando Cameron... – A Selina olhou bem no fundo dos meus olhos.

— É uma longa história... – Eu respirei fundo.

— Eu tenho todo tempo do mundo! Pode começar...

 

 

*Flashback Off *

 

 

— Alôoo!! Terra chamando Cameron! – O Zach interrompeu meus pensamentos.

— Droga Zach! Tem mais uma pessoa que sabia... – Comecei a falar.

— Quem??? Não é quem eu estou pensando é? – Ele começou a fazer a cara de reprovação novamente.

— Não posso acreditar que ela fez uma coisa dessas. – Disse inconformado.

— Eu não posso acreditar que você falou uma coisa dessas para a Selina! Qual é Cameron, ela é uma psicopata controladora. Como você pode namorar alguém assim? – O Zach disse revoltado.

— Mas que merda, eu estou sendo crucificado e quase perdi a cabeça com uma garota por causa de uma coisa que nem foi minha culpa. – Ignorei a pergunta do Zach.

 - É claro que foi sua culpa! Até parece que não sabe a namorada que tem. Você só pode estar brincando comigo. – Ele bufou.

— Como que eu ia adivinhar que uma coisa dessas ia acontecer? – Me senti a pior pessoa desse mundo.

— É óbvio que uma coisa dessas ia acontecer! A Selina é uma peste só você não enxerga isso! Se você não fizer alguma coisa, quem vai dar uma lição nela sou eu. - O Zach disse me deixando sozinho.

 

Em uma coisa ele esta certo, amanhã eu preciso conversar com a Selina e fazer com que ela e as amiguinhas dela deixarem a Sophia em paz. Esse ciúminho que está ultrapassando os limites, nunca vi a Selina fazendo algo do tipo.

 

 

[...]

 

 

 

** PDV Sophi

 

 

 

O dia seguinte na escola foi tudo bem até de mais, as únicas pessoas que tocaram no assunto do incidente foram a Manu e a Carol, porque de resto era como se nada tivesse acontecido. Até a Selina e as seguidoras dela ficaram fora do meu caminho hoje.

Aquilo estava muito estranho, no fundo eu estava com medo, não sabia o que podia estar por vir. No final da aula o Zach perguntou se eu não queria ir na lanchonete com ele e os meninos.

Ele também disse que o Cameron precisava conversar comigo e era óbvio que eu não queria ir, mas depois de muita insistência eu acabei cedendo, liguei para o meu irmão e avisei que ia almoçar fora.

 Assim que saímos da escola o Mike já estava nos esperando, fomos todos os quatro no carro dele, o Cameron no banco da frente e eu e o Zach nos bancos de trás. Não troquei uma palavra se quer com o Cameron durante todo o caminho e pretendia continuar assim.

Logo chegamos na lanchonete e sentamos em uma das mesas do fundo. Os meninos começaram a pedir muita comida, eu não acreditei quando vi o tanto de coisa que começou a chegar na mesa, eles não vão conseguir comer isso tudo, é impossível. 

Estava tudo muito tranquilo, eu comi um pouco, mas a verdade é que eu estava muito curiosa para saber se eles realmente iriam conseguir comer todas aquelas coisas, e não vou negar que também queria saber o que o Cameron tinha para falar.

 

— Então... O que você tinha pra me falar? – Perguntei tomando um gole do meu Milk-shake.

— Olha Sophia. Eu sei que você está brava comigo, mas não foi eu que coloquei aquele sapo no seu armário. – O Cameron disse meio tenso.

— Que história é essa? – O Mike perguntou confuso e todos olharam pra ele com uma cara tipo “Agora não”. – Ok... Não falo mais nada.

— A claro! Se não foi você então quem foi, meu irmão? – Perguntei brava.

— Foi a Selina, mas... – O Cameron começou a falar.

— Como que é? Você contou isso pra Selina? SEU DESGRAÇADO! – O interrompi.

— Calma Sophi. Não precisa gritar... – O Zach disse baixinho.

— Eu não podia imaginar que ela ia fazer uma coisa dessas com você. Desculpa. – O Cameron tentou se defender.

— Ah você não podia imaginar? Como se você não soubesse a namorada que tem! Eu estou naquela escola a uma semana e já sei que ela é uma vadia. – Me revoltei.

— Ta tudo bem... Eu já dei um jeito nisso, eu conversei com a Selina e ela vai te deixar em paz. – O Cameron disse como se fosse o rei do mundo.

— Não está tudo bem coisa nenhuma! Não estou pedindo para ninguém me defender. Quer saber... Você é pior que ela, pelo menos ela não finge ser boazinha para agradar as pessoas. É muita falsidade. – Eu estava pronta para ir embora.

— Olha... Eu não devia ter falado nada, agora eu sei disso. Me desculpa ok? A Selina não é uma má pessoa, ela só estava com ciúmes.  – O Cameron disse calmamente.

 

Olhei bem no fundo nos olhos dele, respirei fundo, me levantei, tirei a tampa do meu Milk-shake, derramei tudo na cabeça dele e saí andando.

 

 

 

** PDV Cameron

 

 

 

— É cara! Acho que ela não te desculpou. – O Mike começou a rir.

— Qual é o problema dessa garota? – Perguntei sentindo aquele líquido gelado escorrer pela minha cabeça.

— Isso eu não sei dizer... Mas que foi engraçado isso foi! – O Zach também começou a rir

— Sério? Então riam disso! – Peguei um pouco de Milk-shake que tinha no meu cabelo e esfreguei no sanduíche deles.

— Poxa cara que vacilo! Eu ia comer isso aí. - O Mike reclamou. 

 

Os deixei falando sozinhos e fui a traz daquela maluca todo sujo de Milk Shake mesmo. Tenho quase certeza de que ela não vai saber voltar para casa sozinha, tudo que eu menos preciso agora é que ela se perca por minha causa. 

 

— EI! – Gritei e corri pra alcança-la.

— O que foi agora? Quer outro banho? – Ela perguntou irritada.

— Eu não devia te ajudar, mas você está indo para o lado errado. – Eu ri e apontei para o caminho certo.

— Ok... – Ela voltou a andar, mas agora na direção certa.

— Calma! Espera. – A Segurei pelo braço.

— Será que da pra me largar? Você está todo grudento! – Ela tentou se soltar.

— Eu estou assim por sua culpa, então não reclama! Poxa eu te pedi desculpas. – Soltei o braço dela.

— E se você não percebeu, eu não aceitei! – Ela começou a andar novamente.

— Ok, eu não ligo se você não me desculpar, mas eu vou te acompanhar até a sua casa de qualquer jeito. – Eu disse a seguindo.   

— Não vai não! Eu sei me virar. - Ela disse seca. 

— Não quero saber, vou assim mesmo! Sou amigo do seu irmão e ele me mataria se soubesse que deixei você sair andando por aí sozinha. – Disse por fim e ela bufou.

 

Enquanto caminhávamos lado a lado eu comecei a observa-la, ela parecia não estar mais com tanta raiva como antes.

 

— Da para parar de me encarar? – Ela me pegou de surpresa.

— Só estou me certificando de que você não vai tentar me matar! – Me defendi.

— Se eu fosse te matar não faria isso em público. – Ela deu de ombros.

— Bom saber... – Eu ri.

— Acho que daqui eu já posso me virar sozinha. – Ela fechou a cara novamente.

 

Caramba, não é possível que eu não consiga arrancar um sorriso sequer dessa garota, eu desisto de tentar ser legal. A casa dela ficava no final da rua, ela estava certa, acho que ela consegue chegar bem.

 

— É, já fiz a minha parte. – Dei meia volta e ela continuou o caminho dela.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A New Life 2.0" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.