Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 8
Capítulo 8





ALICE’S POV

Acordei no domingo com uma leve dor de cabeça, resultado de dormir chorando, isso sempre acontecia comigo. Levantei meio tonta e fui para o banheiro lavar o rosto com água bem fria. A temperatura da água em contato com minha pele estava tão boa que resolvi tomar um banho, igualmente frio. Depois de sair do banheiro e vestir-me (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=41418417), desci para tomar café.

Era domingo. Concluí que Edgar não trabalharia hoje e ficaria em casa, e eu também não tinha planos de sair hoje. Ótimo, eu iria ficar em casa com ele, e certamente teria que acontecer uma ‘conversinha’.  Quando cheguei à mesa, Edgar já estava lá, é claro, e no lugar de sempre estava Jazm... OPA! Aquela ali não era Jazmin! Edgar já tinha contratado outra empregada? Uau, ele era rápido. Cumprimentei a nova funcionária com um sorriso e comecei a comer meu cereal.

- Alice, esta é a Norma, ela trabalhará aqui em casa agora, e Jazmin será apenas sua, hm, assistente, enquanto você estiver na escola. – disse Edgar, com um tom monótono.

-Olá Norma, seja bem vinda. – eu disse sorrindo e encarando-a. Ela aparentava ter uns 40 e poucos anos, seus cabelos eram castanhos e estavam presos num coque baixo. Ela era baixinha e vestia a mesma roupa de empregada que Jazmin vestira. Voltei a tomar meu café sem dar nenhuma palavra.

E assim se passou, nem eu abria a boca, e nem Edgar fazia questão de quebrar o silêncio. Depois do café, resolvi ir até os fundos de minha casa de bater na porta da casa que existia lá. É claro que Jazmin atendeu a porta, pois seus pais estavam trabalhando em alguma tarefa na casa.

- Oi, me convida para entrar? – falei sorrindo para ela.

- Ah, para com isso, entra de uma vez sua tonta. – disse ela num tom irônico e rindo.

- Nossa, é bom ver seu amor matinal por mim, viu?

Fomos para a sala da casa e ficamos ali, conversando por um bom tempo. A casa de Jazmin era menor que a minha, é claro, e menos luxuosa, mas era decorada com qualidade e muito bom gosto. Durante nossa conversa, Jaz não comentou em nenhum minuto sobre o acontecido no cinema entre ela e Niall, e eu estava morrendo de curiosidade.

- Mas, agora falando sério Jaz, me conta logo o que aconteceu naquele cinema, criatura! – eu disse não conseguindo mais me aguentar.

- Não, antes me conta você. – disse ela categórica.

- Eu, o que?

- Vamos, me conte tudo: porque estava chorando no cinema, porque Zayn foi atrás de você, porque vocês foram para os jogos, e o mais importante, se rolou algo entre vocês. – disse ela me encarando.

- JAZMIN! Para com isso agora tá? Não rolou nada entre a gente. – eu falei quase gritando. - Enfim, eu tenho fobia a filmes de terror, eu sei, isso é ridículo e eu devia ter contado pra vocês antes de comprarmos os ingressos, mas eu tentei resistir e ver o filme junto com vocês, mas não deu, eu comecei a sentir uma angústia muito grande e comecei a chorar, o Zayn viu e foi um fofo me abraçando, mas foi só, ok Dona Jazmin? – disse com um olhar penetrante na direção dela. – E depois, como eu não conseguia ficar naquele lugar, eu saí do cinema, e o Zayn foi atrás de mim pra, me consolar, eu acho. Daí nós fomos para o fliperama de novo, jogamos tudo de novo, e o resto vocês já sabem. E, de novo: não rolou nada entre a gente! Mas, por outro lado, não tenho essa mesma certeza em relação à outra pessoa. Vai, pode começar a contar tudo! – eu disse um tanto quanto eufórica.

- Bem, eu não sei se rolou algo mesmo... – disse ela deixando essas palavras no ar.

- Como assim não sabe??! – eu disse, implorando por uma continuação da história.

- Tipo, nós estávamos ali no hall do cinema e eu também estava um pouco nervosa com o filme, mas daí Niall, que estava sentado a meu lado percebeu, me abraçou e sussurrou no meu ouvido ‘não precisa ter medo, eu vou estar com você’ – não pude aguentar, e depois dessa soltei um ‘awn’. Jaz me olhou de uma forma meio constrangida, mas continuou. – Daí depois que entramos na sala de cinema, ele sentou a meu lado e segurou minha mão. Quando começaram as piores cenas do filme, eu me encolhia a cada 5 segundos, então Niall me abraçou e eu deitei em seu ombro. Ele ficava acariciando e beijando minha cabeça. Então eu levantei o rosto de seu ombro para falar com ele e um de seus beijos acabou no canto de minha boca. – e depois dessa noticia, era a minha boca que estava na forma de ‘O’.

-AAAAAAAAH JAZ! Que lindos, eu sabia que vocês tinham muito a ver um com o outro! – eu disse abraçando-a.

- Calma Alice! Não aconteceu nada sério ainda! É, eu admito que estou começando a gostar dele de um jeito diferente, mas não sei, será que essa história vai pra frente? – ela perguntou com a voz insegura.

- É claro que vai Jaz! Tá mais do que na cara que vocês estão a fim um do outro. E digo mais: não dou até o próximo fim de semana pra vocês terem ficado mesmo. – disse sorrindo maliciosamente.

Depois de receber uma almofadada na cara, continuamos ali um bom tempo, quando a mãe de Jaz chegou dizendo que estavam me chamando para o almoço. Despedi-me delas e fui em direção a minha casa. O almoço e Edgar já estavam à mesa, sentei-me e comi em silêncio novamente. Eu estava me levantando da mesa e indo para meu quarto, quando ouvi Edgar dizer:

-Alice, será que nós podemos conversar? – Droga, isso era a ultima coisa que eu queria no meu domingo, mas ok.

- Claro. – eu disse o seguindo para seu escritório. Sentei na poltrona em frente à mesa e ele sentou-se do outro lado.

- Bem, eu sei que essa mudança está sendo um pouco difícil pra você, e pra mim também, se quer saber. Eu nunca tive filhos e não sei como agir ou cuidar, e s...

 – ESPERA, - eu o interrompi com um grito. - nunca teve filhos? Se não tivesse me deixado com dois anos de idade você saberia o que é ter um filho, e talvez, mas só talvez, tivesse aprendido como cuidar. – eu disse num jato, com uma fúria que impressionou até a mim mesma.

- Alice, olha, - ele recomeçou com o mesmo tom calmo de antes.- eu sei que é difícil esse começo, mas eu quero que você se sinta bem aqui, e que tenhamos um bom relacionamento. Eu sei que errei quando te deixei no passado, mas eu quero recuperar isso, concertar. E você, não quer isso também? – ele disse cuidadoso.

- É, eu acho que sim. – falei baixando a cabeça. Eu tinha mais coisas para dizer a ele naquele momento, coisas como ‘não gosto de te chamar de pai’ ou ‘você tirou toda minha vida de mim’, mas ele estava tentando se redimir comigo, tentando um diálogo, achei melhor guardar pra mim. – Me desculpe. – falei quase sussurrando.

- Que bom. – disse ele sorrindo. – Mas te chamei aqui por outro motivo também. – ele disse tirando um envelope de alguma gaveta. – tome, é seu. É um cartão de crédito, eu sei que você tem 17 anos e necessita de uma mesada. Nele são depositados automaticamente todos os meses 5 mil libras, até você completar 21 anos. É seu.

- Uau, muito obrigada. – foi só o que eu consegui falar, vendo aquele pedaço de plástico dourado e azul marinho, que continham 5 mil libras. Dirigir-lhe um sorriso e saí do escritório. Voltei para meu quarto e deitei-me a cama. Minha mente começou a ecoar a pergunta que eu me fiz em minha primeira noite aqui: “será que todo esse luxo e mordomia eram pra tentar conquistar minha confiança mais rápido?”. E agora um cartão de crédito? Não sei, mas eu tinha motivos para desconfiar. Cansada de ficar mergulhada em pensamentos o tempo todo, saí do quarto e fui até a casa de Jaz e a chamei para ir comigo até a casa dos garotos; eu nem sabia se eles estavam em casa, mas aquela conversa tinha me deixado um pouco zonza, eram muitas informações para serem absorvidas, eu precisava rir um pouco. Segui com Jaz pelo pátio, entramos em casa, subi no quarto para pegar meu celular, coloquei-o no bolso da calça e escrevi num bilhete no escritório de Edgar ‘Saí com Jazmin, volto antes da noite’.  Saímos de casa e fomos em direção a, quem diria, casa do One Direction.

ZAYN’S POV

Estávamos todos levantando da mesa e discutindo quem lavaria a louça do almoço quando a campainha tocou, Louis foi abrir a porta e gritou ‘olha quem está aqui’. Todos nos amontoamos na porta da cozinha olhando em direção à entrada da casa, nos deparamos com dois sorrisos nos encarando. Olhei para o rosto de Niall, que olhava abobalhadamente em direção a Jaz. Olhei pra ela e percebi que retribuía o sorriso em direção a ele. Mas, sem pensar muito, meu olhar se focou no rosto ao lado dela, e quando dei por mim, eu também sorria de forma abobada.

As garotas entraram e seguimos todos para a sala. Quer dizer, os outros foram para a sala, eu perdi o sorteio e fiquei na cozinha lavando a louça. Eu ouvia risadas e conversas altas vindas do outro cômodo, e sentia um pouco de inveja dos garotos quando ouvia uma risada de Alice ou a via abraçando algum deles; eu queria ser o motivo daquelas risadas, queria que aquele abraço fosse para mim. Mas por que eu estava pensando nisso? Ela era só minha amiga, certo? Eu estava tão confuso que nem essa resposta eu tinha agora. Meus pensamentos foram interrompidos por uma campainha e um grito ‘Zayn, atende a porta’.

- Vai você, Liam! Aposto 1 semana de louça que é a sua namorada. – eu gritei de volta para ele, parando na soleira da porta da cozinha, o vendo levantar-se e abrir a porta.

- Rá, espero que goste de lavar a louça, Liam. – eu disse rindo para ele. – Oi Bru, tudo bem?

- Perdi alguma coisa?- ela perguntou olhando para nós dois.

- Acontece que eu apostei com ele que era você na porta, e agora o seu namoradinho vai passar uma semana comandando essa cozinha! - Ele e mostrou a língua e foi com Bru em direção à sala, enquanto eu voltei para a cozinha para terminar com aquela tortura.

Fiquei ali por mais algum tempo, terminando de lavar a louça em meio a mais alguns pensamentos, hm, estranhos. Eu já não sabia se estava realmente lavando a louça ou só encharcando a minha blusa.

- Zayn? – disse uma voz fina e baixa atrás de mim, fazendo-me virar de costas para a pia.

- Oi Alice. – eu disse tentando parecer o mais casual possível, mas a julgar pelos embrulhos em meu estômago, eu estava nervoso demais para isso. Como assim, nem agir normalmente perto dela eu consigo mais?

- Zayn, eu queria te agradecer pelo o que você fez por mim ontem, de verdade, aquilo foi muito importante pra mim. – ela disse se aproximando, até manter nossos pés quase unidos.

- Imagina Alice, eu vi que você estava triste, e eu definitivamente não gosto de ver pessoas assim. – eu disse e antes que terminasse de falar, ela passou seus braços por minha cintura e me abraçou. Retribui seu abraço o mais forte que pude. Depois daquele momento gracinha, eu a levantei do chão e rodopiei, ainda mantendo o abraço.

- Ah, Zayn me solte!! Você está todo molhado! – ela começou a gritar e se debater em meus braços, então delicadamente a soltei no chão.

- Eu só queria ver esse sorriso no seu rosto. – eu disse fazendo-a sorrir, e sentindo meu rosto sorrir também num ato reflexo.

- É, mas se não percebeu ainda, Sr. Malik, agora eu também estou toda molhada! – ela disse fingindo brabeza e me dando um tapa no peito.

- Ops! – eu disse fazendo uma cara levada. Credo, porque quando eu estava perto dela eu agia como se tivesse cinco anos? – Vamos, eu vou trocar de roupa, e te empresto uma blusa seca. – Saímos da cozinha e antes que eu desse por mim, eu já estava segurando a mão de Alice, puxando-a para o segundo andar da casa.



Notas finais do capítulo

E aí????? O que acham que vai acontecer no próximoo??? :99 NN iushaisauh. Deixem seus reviews e replys, ok?? Beijos :* // @july_wolff