Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 23
Capítulo 23


Notas iniciais do capítulo

Esse capítulo ficou meio ameba, sei lá. D: uhuh




ALICE’S POV

Acordei no outro dia em minha cama, com a sensação de ter dormido demais. Olhei no visor do iPod e vi que eram 8:57 am. Puta que pariu! Perdi o horário da escola! Na verdade, eu nem sabia se valia a pena acordar e me despencar até a escola; será que eu ainda tinha uma matricula lá? Enfim, agora que já estava atrasada mesmo, não ia adiantar nada sair correndo, então levantei calmamente e tomei um demorado banho. Saí do banheiro e me vesti dentro do closet, desci as escadas e fui para a cozinha tomar café. Só Jaz estava lá, e pela primeira vez, a casa estava totalmente silenciosa.

- Bom dia... Ahm, onde estão os garotos? – eu disse numa voz ainda rouca devido ao sono.

- Oi. Eles saíram cedo e foram para a gravadora, disseram que voltam depois do almoço.

- Hm, e o que vamos fazer hoje? – eu disse dando uma mordida numa barra de cereal.

- Aí é com você, fofa. Eu não faço ideia. – ela disse me encarando e divertindo-se com minha cara de sono.

Ficamos mais algum tempo tomando café e depois começamos a limpar a cozinha; é, duas pessoas limpam mais rápido e fazem menos bagunça do que oito. Terminamos de lavar toda a louça em 15 minutos e depois fomos para a sala. Ficamos algum tempo conversando e assistindo programas de fofocas, até que tudo aquilo estava muito tediante.

- Jaz, vamos achar um advogado? – eu disse de repente.

- Ahm? Mas agora Alice? Aonde a gente vai achar um advogado bom agora, assim do nada? – ela disse meio espantada.

- Hm... Pior. – comecei a pensar em alguma solução... E... Ahm... Ah! – Já sei, Jaz! Essa hora Edgar não está em casa, nós pedimos para sua mãe abrir a casa e vamos para o escritório dele. Eu duvido que não tenha o número de um advogado sequer.

- Ai, tá Alice, vamos. – ela disse vencida.

Subi para o quarto e me arrumei correndo (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=41443100) mas só pra variar, Jazmin conseguia ser mais rápida que eu. Deixamos um bilhete sobre a bancada da cozinha para os garotos e saímos em direção a minha casa. Não, a minha antiga casa.

Chegamos a casa e fomos direto cumprimentar a mãe de Jaz, que obviamente, nos deixou vasculhar o escritório de Edgar. Depois de algum tempo revirando todo o ambiente, Jazmin encontrou uma caixinha lotada de cartões. Olhamos um por um e encontramos 3 de advogados que nos pareceu chamar a atenção. Depois de almoçarmos com os pais de Jaz e pegarmos mais algumas coisas pessoais, voltamos para a casa dos garotos.

A casa ainda se encontrava sem ninguém, e assim que chegamos fomos ligar para os advogados. Entre os 3, teve um  que mais pareceu dar importância para a história, e também o que pareceu mais simpático e atencioso. Chamava-se John Scarllet, e ficou combinado que eu e Jaz iriamos a seu escritório no outro dia à tarde.

Passado mais algum tempo, os garotos chegaram, deixando a casa novamente com a gritaria e bagunça costumeira; tudo perfeito, do jeito que tinha que ser. Eu e Jaz fomos para a cozinha e começamos a fazer bolo de chocolate para o café, logo depois Bruna chegou e foi nos ajudar. Eu estava de costas para a porta na bancada do meio da cozinha, Jaz estava na pia lavando a louça e Bru a ajudava secando. Nenhuma de nós percebeu que cinco garotos entraram na cozinha e pegaram o saco de farinha da mesa. Pronto, foi só perceber que o saco tinha sumido que vimos uma chuva de farinha se formar sobre nós dentro de toda cozinha. Começamos a gritar de susto ao mesmo tempo em que eles gritavam e riam da nossa reação.

Em meio a nuvens de farinha, só vi Harry vindo em minha direção e passando a mão toda suja em meu rosto, depois disso, braços me seguraram pela cintura e me rodopiaram no ar, e quando botei os pés no chão e virei-me, Zayn me deu um beijo totalmente enfarinhado. Eu passei a mão por cima da bancada, peguei uma boa quantidade de farinha e passei por todo o cabelo dele, que prendeu meus braços atrás de seu corpo, numa espécie de abraço, e me deu um sorriso, aquele que tirava meu fôlego.

- Olha, agora já sei que você vai ser um velhinho bem gato, de cabelo branco e tudo. – eu sorri brincalhona, depois ele sacudiu o cabelo tentando livrar-se da sujeira, num gesto que eu julguei parecer meio canino, depois ele me roubou um selinho e fomos encher o cabelo de Harry de farinha.

Após três sacos de farinhas desperdiçados, o meu cabelo, o de Jaz e o da Bru se encontravam em estado de miséria, assim como o de todos os garotos, principalmente os cachos de Harry. Desistimos de continuar nossa culinária e fizemos um sorteio não muito justo, onde Liam e Louis ficaram para limpar a bagunça de toda a cozinha. Eu subi para meu quarto e tomei um demorado banho para conseguir tirar aquela quantidade exorbitante de farinha do meu cabelo e corpo. Saí do banho, me vesti e desci as escadas. Na sala, tinham apenas Niall e Bru, e lentamente o resto do pessoal começou a aparecer, e obviamente, a conversa recomeçar.

- Meu Deus, aquela cozinha deve ter alguma coisa; já teve chuva de pipoca, guerra de água e sabão, e agora a farinha. Qual é o próximo? – Bruna perguntava irônica.

Pedimos comida chinesa e jantamos todos no chão da sala. Mais tarde, Bru foi embora e cada um foi indo para seus quartos. Fui para o meu, coloquei o pijama e deitei-me na enorme cama, colocando o despertador do iPod para tocar na manhã seguinte. Em menos de cinco minutos, não lembrava de mais nada, apenas de um sono sem sonhos.



Notas finais do capítulo

Juro que mais tarde posto mais um, ok? Continuem comentando tá? Beijos.