A Filha De Ártemis escrita por Carol C


Capítulo 26
Especial de Halloween e Aniversário





Demorou mas consegui, espero realmente que vocês gostem! Eu estou escrevendo para postar semana que vem! Eu ia postar semana passada, como o Fanfiction estava em manutenção... Aqui está!

É extremamente curto, mas eu gostei bastante de escrever!

A noite de Halloween é a noite em que o mundo físico está mais próximo do espiritual. No caso dos semideuses, é o único dia em que monstros e meio sangues vivem em harmonia.

O dia em que todos os condenados podem sair.

A jovem arrastava seu vestido pela floresta, sem rumo. Queria apenas se afastar, dos risos e da alegria.

Quanto mais se afastava, mais ruídos ouvia, ganidos, lamentos, grunhidos, gemidos.

Uma névoa densa se formou a sua frente, mas não a impediu de continuar. Cada passo parecia irracional. No meio da clareira havia uma mulher esquelética, as roupas que vestia estavam esfarrapadas, o cabelo prateado caia em tufos sobre os ombros. Sua cabeça pendia sobre o peito e os ombros sacudiam por causa dos soluços, ela chorava baixinho, e este som quebraria o coração de qualquer ser vivo.

A jovem hesitou antes de dar um passo em sua direção.

– Quem é você? - não pode evitar perguntar, ela sentia o desespero crescer dentro de si, destruindo todas as suas esperanças.

A mulher levantou o rosto, fazendo com que a outra ficasse com os membros rígidos. Suas bochechas tinham cortes e sangravam, como se ela tivesse arranhado o próprio rosto, seus olhos eram fundos e sem qualquer brilho de vida, ela soluçou, seu nariz escorria.

– Mais uma que não me conhece. - voltou a baixar a cabeça e o choro tornou a preencher o silêncio do vale.

– Akhlys, a deusa da miséria. - sussurrou a garota.

A deusa levantou os olhos tristes, que brilharam levemente ao vê-la. Ela se levantou e andou em sua direção, a cada passo parecia que ela ia quebrar, desmoronar.

– Eu sinto... Nem você deve saber... - ela esticou a mão para o ventre da jovem, que deu um passo para trás, estava sem fala.- Ou você já sente? Pela sua expressão deve me achar louca. Deixe-me tocá-lo. O primeiro toque de uma deusa é sempre uma benção.

A garota cruzou as mãos sobre a barriga, negando qualquer aproximação. Isso fez os olhos da deusa brilharem perigosamente.

– Não quer minha benção? - a menina balançou a cabeça, e os olhos de Akhlys estavam raivosos. - Agora terá minha maldição. - ela se afastou um passo. - Você jamais poderá dizer que esta criança nasceu, o primeiro 'eu te amo' que ela ouvir será em seus braços.

A jovem não relaxou, as palavras eram confusas, mas o final, não era tão ruim. A deusa da miséria esboçou um sorriso enquanto proferia as palavras que rasgaram o coração da mãe.

– E você apenas irá segurá-lo quando ele estiver perecendo.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Filha De Ártemis" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.