Remember Me escrita por lininhaaa


Capítulo 6
- VI -




Capítulo O6


Dessa vez, parecia que o trabalho estava rendendo. Sentado em um canto escuro da sala de estar, o moreno mantinha-se concentrado na correção das notícias. Perdeu a conta de quantas vírgulas, pontos e erros de gramática já tinham sumido de sua leitura.

Olhando para o canto do notebook, percebeu que já estava tarde e precisava dormir. Suspirou pesado pelo sono ainda não ter tomado conta de si em plenas quatro horas da manhã.

- Papai?

Saky apareceu no final da escada com a roupa que havia ficado o dia inteiro. Ela coçou os olhos e andou até ele, colocando-se ao seu lado.

- Você deveria estar dormindo.  – ele resmungou analisando-a. – O que faz acordada?

- Pesadelo... – ela respondeu com um bico choroso e caminhando até ele, completou:- Posso ficar aqui?

- Precisamos dormir. Já é tarde...

Saky abaixou os olhos entristecidos em direção ao chão. Sasuke fechou seus arquivos e colocou o notebook em modo descanso para pousá-lo em cima da mesa de centro da sala. Suas costas doíam tanto ao ponto dele fazer uma discreta feição de dor.

- Vamos. – ordenou colocando a mão nas costas da pequena e guiando-a para o caminho que ela havia feito minutos atrás.

- Eu não quero ficar lá. – chorosa, ela agarrou uma das pernas do moreno impedindo-o de andar. – Tem monstros lá dentro.

- Não há monstros no quarto, Saky. – retorquiu um pouco irritado e sentiu a pequena negar a afirmação, como se não acreditasse nele. – Acredite em mim. – resmungou impaciente.

Sasuke a pegou no colo e adentrou o pequeno mundo cor de rosa da filha. Saky agarrou-se no pescoço do Uchiha sem qualquer intuito de soltá-lo. Ela percebeu que ele se sentara em sua cama desfeita.

- Fica aqui, papai. Não quero ficar sozinha...

O Uchiha fechou os olhos , mas por algum motivo não conseguiu negar o pedido da pequena. Se fosse antes, há alguns dias atrás, Saky correria para a mãe e não para ele. De certa forma aquilo o incomodava, mesmo sabendo que não tinha o menor jeito com crianças.

- Tudo bem. – respondeu.

Um pouco sufocado pelo abraço apertado da menina em seu pescoço, o moreno tentou ajeitar-se na pequena cama. Era óbvio que só o tronco dele ficariam no espaço do móvel enquanto suas pernas ficavam penduradas para fora da mesma.

Percebendo que seu pai não sairia dali pelo menos até o amanhecer, Saky ajeitou-se melhor. Ela não se lembrava a quanto tempo tinha se aconchegado no colo do pai.

 - A mamãe vai ficar boa, né? – ela resmungou sonolenta.

A pergunta o pegou de surpresa.  Ele sabia que a menina tinha medo de perdê-los. Mais precisamente, de perder Sakura.

- Creio que sim, Saky...

Ele ouviu um suspiro baixo da menina. Saky era doce e amável como a mãe.

Sakura. Sakura. Sakura. Como temeu em perdê-la! E só Kami sabia o quão arrependido ele estava de quase abandonar sua família. Aquela era a melhor solução naquele momento. Sair de casa e tentar esfriar a cabeça parecia a escapatória ideal, porém não era certa.

Sasuke percebeu que a menina já estava dormindo novamente. Com cuidado, depositou o corpo da menina onde antes estava deitado e saiu silenciosamente. Tudo o que queria era deitar, mesmo que fosse por pelo menos alguns minutos e relaxar o corpo.

Caminhando sorrateiro pelo corredor, notou uma luz fraca em seu quarto. Não lembrava de ter deixado a luz ou sequer o abajur ligados. Parado na soleira da porta, Sasuke a encontrou recostada na cabeceira da cama fitando uma caixa nas mãos.

- Sakura?

O som da voz dele a fez sobressaltar-se e instantaneamente, Sakura levou a mão aos olhos e virou o rosto. Aproximando-se mais dela, o Uchiha notou um álbum de fotos ao lado dela e analisando-a percebeu que a mesma estava chorando.

- O que aconteceu?

Ela apenas negou com a cabeça algumas vezes. Havia perdido o sono, talvez por ter dormido demais, e decidiu conhecer melhor o quarto onde estava. A caixa em seu colo estava em uma das gavetas da cômoda e por isso resolveu abri-la. Um sorriso tinha brotado nos lábios dela... aquele álbum poderia ser a ponte para ligar suas lembranças esquecidas, mas tudo o que sentiu foi frustração.

- Sakura, o que aconteceu? -  a voz de Sasuke saiu estranhamente preocupada.

- E-eu não sei quem eu sou. – ela resmungou e encarou-o. – Eu pensei que esse álbum me ajudaria a lembrar de qualquer coisa, mas... – Sakura fechou o álbum com força. – Nada!

O moreno suspirou.

- Se lembra o que Tsunade disse? – ele perguntou calmo. – Você não pode forçar suas lembranças. Elas virão naturalmente...

- Você não entende... – Sakura resmungou.

Ele estava cansado e sem um pingo de paciência, mas ver Sakura com aquela agonia era terrível.

- O que aconteceu para eu sofrer esse acidente, Sasuke?

Como diria à ela que  foi por causa de uma droga de discussão que esse pesadelo começou? Que a culpa afinetava-o a cada dia?

- Você caiu da escada... – ele respondeu. – Isso não importa agora, Sakura.

- É claro que isso importa! – ela explodiu. – Por Kami...

- Nesse momento, não é importante! – exclamou. – O importante é que nada de mais grave aconteceu. – as palavras dele fizeram efeito nela. – Não force as coisas. Cedo ou tarde, você se lembrará de tudo. – disse com ar de lamento.

Não era exatamente o que ele queria. Se pudesse fazer com que a vida deles começasse do zero... mas não podia. E as lembranças viriam à tona, assim como tudo o que acontecera entre eles. Cedo ou tarde, Sakura o odiaria novamente pelas suas atitudes.

- Você parece aborrecido. – ela comentou percebendo o cenho franzido do moreno.

- Daqui a pouco vou trabalhar.- anunciou e,em um piscar de olhos, Sasuke caminhou até o banheiro do quarto.

Enquanto via a porta sendo fechada e Sasuke sumindo, Sakura se perguntava como ela havia casado com ele. Eram tão opostos, mas algo nele a fascinava e não era a beleza...

Ela voltou a folhear o álbum e o analisou. O maior sorriso que encontrou nas fotos era um sorriso de canto. Deduziu que talvez aquele jeito reservado de Sasuke já era algo da natureza dele. Suspirou... queria conhecê-lo melhor

*

O banho não demorou mais que 20 minutos. Enrolando a toalha azul na cintura, o moreno preocupava-se em enxugar os cabelos molhados. Aquele banho só havia piorado a sensação de cansaço. Já no quarto, Sasuke abriu o guarda-roupa a procura de uma camisa social e uma calça escura, mas voltou sua atenção para Sakura que virou o rosto constrangida.

- O que houve? – ele perguntou curioso.

- Nada. – respondeu tão rápido que Sasuke quase não entendeu.

E de repente, ele entendeu tudo... Estava constrangida por causa dele. Suspirou pesado. Ótimo!

- Já estou saindo do quarto. – resmungou um tanto irritado.

- N-não.. e-eu-

Ele a cortou, já com a roupa em suas mãos.

- Tudo bem. Vou me trocar em outro lugar e vou direto para o trabalho. – Sasuke viu-a assentir.- Se precisar, Shizune tem meu telefone. Até a noite.

- A-até.

E novamente, Sasuke desapareceu do seu campo de visão. E aquela dúvida se ela estava ou não atrapalhando começou a novamente tomar conta  de seus pensamentos.

*

Os dias passaram mais rápido do que a rosada esperava. Quando se deu conta, estava em casa há uma semana. As dores na perna tinham diminuído de forma importante e Sakura ganhava sua independência pouco a pouco. Os degraus da escada já não eram grandes obstáculos e tomar banho parecia estar menos complicado.

Era o dia do retorno a Tsunade e ambos lembravam-se disso, principalmente Sasuke. Também pudera com tantas ameaças por parte da médica mais velha.

- Você está ótima, Sakura. – Tsunade a parabenizou. A recuperação estava sendo excelente. – Essa semana retiraremos o imobilizador da perna e você estará livre.

Pela primeira vez, Sakura pareceu feliz.

- Obrigada, Tsunade-san.

- E a memória, como está? – a loira viu-a abaixar os olhos e sabia exatamente o que significava. Suspirou. – Isso é o esperado, Sakura. Não será de um dia para o outro que sua memória voltará... Isso pode levar alguns dias. – “ou meses ou até anos” completou em seus pensamentos.

- Eu sei. Sasuke já me disse isso.

E finalmente, Tsunade desviou seu olhar para ele. Sempre era assim... a médica não fingia simpatias para com ele e Sasuke não fazia por menos.

- Está cuidando bem dela? – ralhou.

- Sim. – limitou-se a responder.

A médica deu os ombros, resmungando um ” é bom mesmo...”, fazendo-o revirar os olhos.

- Quando teremos que voltar aqui? – a voz de Sasuke saiu um tanto irritada.

- Quinze dias. – Tsunade respondeu enquanto fazia uma receita. – Se precisar de qualquer coisa me ligar, Sakura.

Sakura sorriu.

- Pode deixar.

*

Eles já estavam vontando do hospital. Sasuke permanecia dirigindo e com os olhos vidrados nas ruas. Algumas vezes, ele desviava o olhar para verificar se a figura rosada ao seu lado estava bem. Sentia falta das conversas longas que os dois tinham antigamente, nas quais Sakura “tagarelava” a maior parte do tempo e ele apenas ouvia e respondia com simples “Hum”, “Sim” e “não”. Sentia falta dos sorrisos que Sakura direcionava à ele e, principalmente, as risadas dela... como queria tudo isso de volta!

-Sasuke? – ela resmungou olhando-o.

- Hum?

- Íamos colocar Saky em alguma escolinha ou algo assim? – o farol fechou e Sasuke olhou-a surpreso. – Isso me veio a pouco...

- Conversamos sobre isso há algum tempo. – respondeu. Por mais que Saky ainda fosse pequena, ambos acreditavam que seria importante que a menina começasse a se relacionar com outras crianças da sua idade. – Mas... – ele cerrou os olhos. – Como você sabe?

Surpresa tanto quanto ele, Sakura colocou-se a pensar.

- N-não sei... apenas lembrei, eu acho. – e sorriu.

Impressionado, o Uchiha sorriu de canto.

- Quando lembrou disso?

-  Agora, na verdade. – murmurou. – Mas conversamos mesmo sobre isso? – perguntou com um misto de incredulidade e satisfação.

Sasuke apenas sorriu. Estava feliz pelas memórias “certas” estarem começando a dar as caras, mas principalmente, estava feliz por vê-la daquela forma... sorrindo!

"Você é tudo que eu preciso, a razão pelo qual eu sorrio..."



Notas finais do capítulo

Heeey! Volteeeei! :D
Demorei, mas cheguei pessoal! Espero que tenham gostado do capítulo.Estou escrevendo partes da história e prometo que essa fic prometerá fortes emoções. :)
Agradeço imensamente os reviews, sempre lindos. Vocês são muito importantes :D
A fic "Procura-se um Acompanhante" será atualizada em breve também... não se preocupem, ok?
Críticas/ elogios? Reviews!
Perdoem por erros de português. Não consegui betar o capítulo.
Beijooos :*