Apenas Um Olhar escrita por Dih_dangerous


Capítulo 27
Capítulo 10 - Parte um.


Notas iniciais do capítulo

Os personagens citados aqui são de autoria de Masashi Kishimoto. A história pertence a minha querida amiga que eu gosto muito Rafa. Repetindo, a história não é minha, só estou postando-a./LEIAM AS NOTAS FINAIS*



FIC – APENAS UM OLHAR

~~

CAP 10 – The Best part of me

Parte 01 – Airports

Estava a caminho da casa dela. Pedi o endereço em segredo à Sakura, já que nunca tinha ido lá antes. Não importava para mim que eu não tivesse um plano, que eu fosse idiota, que zombassem da minha cara ou que até mesmo o seu pai solte uma dúzia de pitbulls atrás de mim, eu iria ver Hinata. Tinha de dizer a ela tudo o que eu sentia; tudo que ela fez por mim e tudo que ela significava. Por precaução, tinha escondido no bolso traseiro um frasco de spray de pimenta, quero só ver que cachorro nesse mundo me segura!

Quando cheguei à frente daquele imenso portão esqueci como se respirava. Minha vida estava em jogo – E não, eu não estou sendo dramático demais – Porque minha vida era ela.

Toquei o interfone. Uma voz masculina atendeu:

— Residência dos Hyuuga, em que posso ajudar?

— Estou procurando por Hinata, por favor – Disse com a voz calma – Ela está?

— Quem deseja ver a senhorita Hinata? – A voz perguntava, sem emoção.

— Naruto, Uzumaki Naruto. Sou o namorado dela – Respondi sem hesitar.

Ouvi quando o interfone foi desligado.

— Provavelmente esses macacos castrados não vão me deixar entrar e falar com ela... – Sussurrei mordendo a ponta do dedo indicador. – Mas vocês estão enganados se pensam que podem me impedir com tão pouco... – Sorri de canto.

Olhei para os lados... Não havia ninguém na grande avenida em que se encontrava a mansão. Talvez por se tratar de um bairro nobre. Mas isso contava como um ponto a meu favor. Assim não teria nenhuma velhinha fofoqueira para me espetar bengalas ou atirar dentaduras... Enquanto eu estiver pulando o muro. E era isso que eu ia fazer. Subi a manga da camisa listrada até o cotovelo e me apoiei na parte mais estável que encontrei e fiz força para subir. Era um muro alto, mas nada que apresentasse grande dificuldade para mim.

Quando consegui colocar a cabeça acima do muro, pude ver a enorme casa que estava ali, guardada a sete chaves. E nenhuma cachorro monstruoso à vista, beleza!

— Eu devo me preocupar com a sua atitude e chamar a polícia ou você está apenas testando o esquema de segurança da mansão, garoto? – Uma voz gélida atravessou meu peito. Olhei de canto, com o suor me descendo pela testa. Um homem pálido, de porte fino e de aparência severa me encarava. Era ele. Hyuuga Hiashi.

Pulei rapidamente do muro e arrumei a roupa.

— Então você é o marginal que Hinata estava namorando? – Ele me olhava com arrogância – Minha filha tem um mau gosto indiscutível.

—  “Ele é extremamente contraditório ao falar em mau gosto e ter esse corte de cabelo, dattebayo” Estava não senhor... Está – Respondi sem gaguejar, sem desviar o olhar, sem tremer e nem vacilar.

— Estava, garoto – Cuspia as palavras em minha cara. O típico homem poderoso.

— Hinata está? É com ela que tenho assuntos, com todo o respeito – Dizia tentando transparecer calma, quando por dentro, queria fazê-lo cuspir as tripas pelo nariz – Não a achei hoje nem na escola, nem na casa da Tenten.

— Minha filha não mora mais na casa daquela garota alienada e interesseira, garoto. E nem estuda mais naquela escola – Ele falava – E esses tais assuntos que vocês têm a tratar... Acredito que já foram discutidos anteriormente diversas vezes.

Ele estava me dispensando. Óbvio.

— Posso parecer grosseiro demais ao dizer isso... – Falei alterando meu tom de voz – Mas Hinata já é grande e inteligente o suficiente para tomar suas próprias decisões. Não precisa mais do pai para interferir em sua vida de maneira tão intransigente.

— E quem é você para querer me ensinar a como educar a minha filha? – Ele se alterou mais do que eu. E cadê a classe numa hora dessas hein, seus bando de boiolinhas chiques e frescos?

— SOU ALGUÉM QUE SE IMPORTA COM ELA MAIS DO QUE VOCÊ! – Gritei.

De repente, um sorriso cínico saiu de sua face. Um sorriso que se transformou em gargalhadas estrondosas e diminutivas.

Ele então tirou se seu paletó uma carta. E apontando-a para mim disse:

— Isso foi o que minha filha lhe deixou... Uma carta – Me olhava, vitorioso.

Um frio me correu a espinha. “Deixou?” O que ele quis insinuar com isso?

— O quê? – Perguntei desorientado.

— Não se preocupe garoto, acho que foi uma surpresa até para ela mesma... A viagem ter sido antecipada – Ele dizia balançando a carta no ar – Ela me suplicou que lhe entregasse isto, de qualquer maneira. Se bem que não sei se você conseguirá ler... Com todos os borrões que as lágrimas dela causaram.

Trepidei internamente. O que ele estava me dizendo era verdade? Ela tinha ido embora? Não podia ser tarde demais, não podia! Não antes de termos uma última conversa, um último abraço, um último beijo... Ela não podia me deixar daquele jeito! De repente senti um frio me atingir o corpo. Aquela sensação que antes já tinha sentido antes, a horrível e angustiante sensação de solidão. De estar de novo, sem a vontade de continuar, de perder aquilo que mais se ama, de estar caindo num poço sem fundo.

Você está sozinho.

Num último ato de sanidade, estiquei minha mão em direção à carta que ele segurava e balançava ao vento.

Você está sem ela.

Mas antes que chegasse a meu punho, ele a segurou fortemente e com a outra mão, rasgou-a em pedaços e jogou ao vento.

Sozinho.

— Em alguns minutos o avião já estará saindo daqui e você nunca mais a verá em sua vida – Ele disse retomando a pose de antes – E saiba de uma vez por todas, que eu nunca permitirei que minha filha fique com alguém de classe tão inferior como você. Eu a controlo com a palma da mão. Assim como controlo a todos.

O vôo sai em alguns minutos.

— Bom, eu espero que você reconheça no futuro o quão petulante, arrogante e egoísta está sendo com sua filha – Sim, eu treinei palavras difíceis em casa. Grande coisa – Mas não espere que eu fique esperando e chorando por coisas que ainda não foram definidas! O destino da Hinata está nas mãos apenas dela! – Gritava com lágrimas descendo pelo meu rosto, mas eram lágrimas de raiva – Não me importa nenhum pouco a sua opinião distorcida sobre mim! Saiba que o amor que tenho por sua filha supera qualquer tipo de preconceito, e eu não vou mudar de idéia ou me abalar por tão pouca coisa!

— Você só tem palavras na boca – Ele disse com as sobrancelhas unidas – Mais nada.

Ele bem esperava que eu fizesse um escândalo, ou que partisse pra cima dele. E seria o que eu faria se não tivesse algo milhões de vezes mais importante a fazer naquele segundo.

— Não me confunda moço – Cuspi as palavras com certo desgosto – Eu sei muito bem o que fazer, e não perderei tempo nas suas expectativas de me deixar alterado. Saiba que nesse momento, eu estou sendo um homem melhor que você – Disse pegando meu celular.

Ele continuou a me encarar furioso, procurando o que dizer. Procurava um número e descontroladamente esperava que a pessoa atendesse.

— Teme! Porque demorou? Preciso de um favor, agora! Vida ou morte! – Gritava com o idiota do outro lado do telefone – Pega seu carro e vem me pegar na casa dos Hyuuga, como se sua vida dependesse disso! – E você velhote, sinta-se sortudo por sua filha ser uma garota com o coração grande, ou meu spray de pimenta não estaria no bolso até agora! Estaria nas suas calças, fedorento! – Desliguei rapidamente o celular e vi o Hyuuga entrar na casa, furioso. EU NÃO SOU DE FERRO E ELE MERECIA UNS BONS PALAVRÕES, MANDAR ELE TOMAR NAQUELE LUGAR E TUDO, ME DÊEM UM TEMPO!

Depois de alguns minutos

— Demorou, Teme! – Entrava no carro pulando pela janela – Rápido me leva no aeroporto principal, que a Hinata vai viajar e eu quero falar com ela! Não posso deixar que o pai dela nos separe!

Ele me olhou surpreso, deu a partida e desligou o som.

— Primeiro: De nada por deixar de arrumar uma surpresa muito importante que tenho que fazer para minha namorada hoje à noite. Segundo: Você é um idiota por demorar tanto a se declarar para ela. Terceiro:...

— CALA A BOCA, PORRA! TÔ NERVOSO! – Disse batendo o dedo compulsivamente no apoio de braço. Ele me olhou com aquele olhar cético e disse:

— Não vou retrucar contigo, mas só por consideração à Hinata – Disse acelerando – Mas você sabe que é um babaca, não sabe?

— Sei, obrigada – Sussurrei entre dentes.

— Já sabe o que dizer? – Perguntou.

— Escolho a improvisação – Disse sussurrando, tentando manter-me calmo. Mais fácil falar do que fazer é isso que se diz não é?

Ele me olhou segurando o riso. PORQUE NINGUÉM ME LEVA A SÉRIO NESSA BAGAÇA?

— Não seria melhor ensaiar alguma coisa pra não passar mico na frente de todos? – Ele disse ainda sem dar muito crédito às minhas incríveis habilidades. ARGH, OK NEM EU ACREDITEI NISSO.

—Apenas chegue ao maldito aeroporto – Ameacei olhando-o com um olhar mortal.

Em questão de minutos chegamos finalmente em nosso destino. Depois de uma traumatizante volta pelo automóvel da morte “De onde poucos saem vivos”. No caminho acho que o Sasuke furou uns três sinais vermelhos, burlou o limite de velocidade, assassinou um gato inocente que vagava pela estrada e atropelou uma velha que estava perdida no parque. Pobre velhinha... Ainda posso sentir o seu cheiro de mofo quando ela chamou o Sasuke de filho da puta e lhe deu uma dentada na mão. Velhos de hoje em dia não são mais como antes... Não te chamam mais pra comer leite com biscoito, cortar jornal velho, assistir o Faustão, pintar bigode de pasta de dente na sua tia chata ou comprar bala escondido; eles só querem saber agora de pedofilia, tratamentos de pele e sites de pornografia.

HINATA! SE FOQUE NA HINATA SEU DEBILÓIDE SEM ASSISTÊNCIA GOVERNAMENTAL! ELA É TUDO QUE VOCÊ TEM, O RESTO É UMA ESTADIA DE FIM DE VIDA EM ASILOS QUE FEDEM A VÔMITO E MOSTARDA – Nojo.

— Você está vendo ela? – Sasuke perguntou, enquanto eu maluco empurrava aquela multidão de pessoas que se encontrava lá.

Quanta gente! Será que hoje era promoção pague um e leve dois? Vou caçoar muito da cara do Hyuuga depois por isso, em uma segunda aventura. Mas não encontro Hinata em lugar nenhum! Será que o maldito velho estava mentindo?

— HINATA!  - Gritava desesperado, e todas as pessoas do lugar ficaram me olhando – HINATA VOCÊ ESTÁ AÍ?

Última chamada para o vôo 157, com destino à Nova York, embarque imediatamente e apresentem suas passagens no portão 23.

— É esse Sasuke! É nesse que ela vai! – Gritei para Sasuke que me olhava surpreso do outro lado do balcão.

— Já vai sair Naruto. Não dá tempo! – Ele gritou.

Por favor segure minha mão

Abrace-me agora

Você está indo como uma borboleta

Quero meu coração por dentro

Não tem que dizer adeus deus

Eu não vou deixar isso acontecer, nem que eu grite como louco que tenho uma bomba no corpo, ou comece uma briga falsa, QUALQUER COISA! Mas a Hinata não me vai ser tirada assim.

Olhei desesperado para minha única e última chance. Era aquilo ou nada. Ela iria me ouvir.

— “Alô? Será que esse troço tá funcionando mesmo? Acho que sim... AH, Hinata você tá me escutando? – Falava no microfone do balcão de informações, enquanto a atendente desesperada tentava me tirar dali – Hinata não vá! Fique comigo por favor, eu preciso... PERAÍ MOÇA É URGENTE!... Hinata, eu preciso de você aqui comigo. Eu sei que não sou nada perto de você, e que também somos diferentes... Mas nunca aprendi tanto com alguém, a ponto de querer proteger, amar e cuidar... Não me deixe sem isso, não me deixe sem você, ou eu acho que enlouqueço! Eu te amo tanto, que acho que não cabe tanto amor em um só coração... ESPEREM, NÃO ME TIREM AGORA, EU AINDA TENHO QUE... ESPERA! NÃO TERMINEI! AI!” – E dois seguranças monstros de anabolizantes me chutaram pra fora do aeroporto, e Sasuke veio correndo atrás de mim.

— Cadê ela Sasuke? Cadê a Hinata? Será que ela ouviu? – Perguntava mexendo no cabelo, maluco e sem noção do que poderia acontecer. – Sasuke, se ela não ficar, eu vou morrer... Eu juro que eu morro de solidão – Choramingava. Porque a essa altura eu já tinha perdido o orgulho e a pretensão.

— Não sei – Ele segurava meu ombro – Mas se ela ouviu algo vai acontecer, pode ter certeza.

Você que apertou meu coração tanto

Você sabe, eu não posso ir

Olhe para mim, nunca deixe isso ir

— Sasuke, eu não sei o que vou fazer, se ela embarcou nesse avião – Eu levei as mãos aos olhos – Por favor, me diz que ela não foi pra lá...

— Eu não fui Naruto-kun – A voz inigualável. – Eu ouvi você.

Pasmado virei rapidamente e atrás de mim, estava ela. Chorando e sorrindo ao mesmo tempo. Mas ela estava ali, do meu lado. E aquilo já era suficiente.

— Hinata... – Sorri para ela, e como se fosse bom demais, como se fosse sonho, ela veio correndo para mim e me abraçou. Eu a agarrei com força e tirei seus pés do chão. Coloquei a mão em sua cabeça e mexi em seus cabelos.

Ela estava comigo, e ninguém nesse mundo podia nos separar. Porque nós nos amávamos. E mesmo que digam que somos jovens, que somos loucos, não ligaremos.

Somos loucos de amor.

— Eu te amo, eu te amo, eu te amo... – Eu sussurrava em seu ouvido.

— Eu também – Ela sorriu. E quando eu vi seu rosto tão próximo do meu, eu a puxei para um beijo.

Que alívio.

De repente, eu ouvi aplausos. Era isso mesmo? As pessoas que estavam no aeroporto e ouviram a confusão estavam agora ali, na porta, aplaudindo a nós dois, inclusive o Teme.

Nós dois sorrimos sem jeito, e nos beijamos mais uma vez. Era perfeito aquilo tudo. Finalmente juntos, como sempre devia ser.

Você acalma as tempestades, e você me dá descanso

Você me segura em suas mãos, você não me deixará cair

Você rouba meu coração, e você me deixa sem ar

Porque você é tudo que eu quero

Você é tudo que eu preciso

Você é tudo, tudo

Continua ~



Notas finais do capítulo

oe desculpa demora, pretendo nao enrolar hoje ~estou triste, 63 pessoas acomapanham a fic e só 10 comentam :(Poxa galere isso desanamia, se a fic merece, vamos comentar né ?Bom motivo da demora : Camp de manha, a tarde academia, deveres e trabalhos. A noite = escola Sábado = curso.to sem tempo pra nada T.T, mas espero que entendam e continue acompanhando. Esse é o ultimo capítulo e tem mais duas partes!enfim é isso, comentem e até mais amoziss ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Apenas Um Olhar" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.