Laços de Sangue escrita por Mel Dobrev


Capítulo 8
Aquela noite.


Notas iniciais do capítulo

Boa noite lindezas, tudo bem com vocês? Espero que sim. Aqui esta mais um capitulo, espero que estejam gostando da história em si e do rumo que cada personagem esta tomando... Também espero que possam comentar para que eu possa melhorar cada vez mais para vocês. Ótima leitura.



 

 

Era uma noite de domingo, Tyler e Stefan estavam levando suas namoradas para o dormitório depois de uma noite de degustação de pizzas. Tyler desceu do carro com Caroline para se despedirem. Elena e Stefan ficaram alguns minutos dentro do carro para também se despedirem.

— Então você não quer subir? – Elena perguntou meio que sem jeito para Stefan.

— Subir para o seu quarto? Mas e a Caroline? – Stefan estava a olhando com cara de surpreso.

— Ah, ela sabe ficar ausente por algumas horas. – Elena falou encarando Stefan.

— Elena... – Stefan falou o nome da garota demoradamente. – O que a senhorita tem em mente para nos ocuparmos durante algumas horas? – Stefan estava com um olhar malicioso para Elena.

— Ah, coisas que namorados fazem ne Stefan. – Elena queria lhe falar que estava pronta para o próximo passo na relação, mas não sabia quais palavras usar, e ela sentia também que Stefan tinha o mesmo desejo.

— Elena eu quero muito subir no seu quarto, mas esta tarde e amanhã você tem prova. É melhor deixar para outro dia não acha? – Stefan disse envolvendo Elena por trás em seus braços.

— É talvez você tenha razão, mas é que nunca ficamos sozinhos, e eu sinto falta disso. – Elena esta certa do que queria.

— Eu também quero ficar mais tempo com você. Vamos fazer assim: sexta, eu e você na minha casa, combinado? - Stefan disse mas desta vez dando leves beijos no pescoço de Elena. Elena sentia uma corrente elétrica transpassar por todo o seu corpo, todos os seus pelos se arrepiavam com aqueles beijos. Elena fechou os olhos e se virou para Stefan indo de encontro com sua boca. Os dois começaram um beijo selvagem, Elena decidiu esquentar as coisas e foi colocando suas mãos por dentro da camisa de linho de seu namorado sentindo seu abdômen, Stefan então aumentou o ritmo dos beijos e aproveitou para chupar e mordiscar os lábios de Elena. Eles então são surpreendidos por luzes, luzes do farol do carro de Tyler que sinalizavam para que eles entrassem.

— Acho que esse é o sinal de que estamos fazendo coisas indevidas. – Stefan disse arrumando sua camisa.

— Então vamos fazer coisas indevidas no meu quarto? – Elena lhe lançou um olhar provocativo.

— Sexta Elena. – Stefan estava decidido a não prejudicar os estudos de Elena por uma noite de sexo.

— Mas e seus pais? – Elena questionou.

— Eles não estarão na cidade, irão passar o final de semana em Chicago.  - Nessa hora Elena olhou nos olhos de Stefan e viu que sexta não teria como adiar: finalmente eles teriam sua primeira noite juntos.

— Bom então tudo bem, então até sexta. Mal posso esperar até lá. – Elena disse piscando para Stefan e logo em seguida lhe dando um beijo demorado.

— Mal posso esperar também. – Stefan sorriu e ficou observando Elena adentrar no dormitório com Caroline.

Ao chegar no quarto Caroline percebeu que Elena estava mais pensativa do que o normal e ela não conseguiria dormir sem saber o motivo.

— Elena o que você esta martelando nessa sua cabeça? - Caroline estava perguntando ao mesmo tempo em que arrumava a cama para deitar.

— Nada. Só estou pensando. – Elena estava arrumando sua bolsa para a amanhã seguinte.

— Eu sei que você esta pensando, eu quero saber no que? – Caroline era bem direta.

— Já faz uma semana e meia que eu e o Stefan voltamos e não passamos para o próximo passo. – Elena agora estava vestindo seu pijama.

— Calma ne amiga, primeiro namora, depois, só depois que se noiva. – Caroline estava advertindo Elena.

— Não estou falando disso. – Elena olhou Caroline meio que sem graça.

— Não? Calma. – Caroline parecia surpresa. – Vocês ainda não transaram? - Caroline realmente estava surpresa. – Do jeito que vocês estavam no carro, se pegando, pensei que já tinham feito. – Caroline tinha visto bem o fogo entre Elena e Stefan dentro do carro.

— Não Caroline, não transamos. Aquilo só foi um momento. – Elena estava visivelmente irritada.

— Mas por que? Digo, você não quer? Esta com medo de que? Eu sei que é sua primeira vez, mas o Stefan parece ser tão bonzinho. - Caroline estava tentando encontrar um jeito de amenizar o medo de Elena, se é que era esse o seu problema.

— Não é nada disso Caroline. Eu quero, quero muito, mas eu e o Stefan não saímos dos beijos e amassos. Hoje quando eu sugerir que ele subisse ele falou que não porque amanhã eu tenho prova e esta tarde, tudo bem, mas eu senti como se ele quisesse dar uma desculpa sabe? – Elena estava sentindo que Stefan não estava seguro para dar o próximo passo.

— Desculpa para não transar? Se liga Elena, um homem só dá desculpa para não transar se ele for inexperiente ou se estiver com outra em vista. E acho que nenhuma das opções se parece com o Stefan. – Caroline estava muito certa do que estava falando.

— Então por que eu sinto isso? – Elena estava realmente confusa e olhava para Caroline como se não soubesse o que fazer.

— Porque você quer tanto ter sua primeira vez que não esta raciocinando direito. Final de semana agora vai ter uma noite fora do campus, tipo acampamento para arrecadar fundos para a instituição de moradores de rua aqui da cidade, porque vocês dois não vão e ficam a noite toda juntinhos? – Caroline estava empolgada decidindo como Elena deveria perder sua virgindade.

— Car. ele me chamou para ir na casa dele nessa sexta, só nós dois vamos estar lá. – Elena agora estava empolgada.

— Então pronto Elena, não tem nada de errado com o Stefan, ele só quer de deixar segura. Quer que sua primeira vez seja incrível. - Elena olhava para Caroline como se quisesse falar alguma coisa referente a essa última fala dela.

— Elena ele sabe que você é virgem ne? – Caroline olhou bem nos olhos de Elena.

— Bom, ele nunca me perguntou e eu nunca falei nada. – Elena estava fazendo uma cara de desentendida.

— Ok. Ele não sabe que você nunca fez sexo na vida e quer te levar para casa dele. Olha com certeza ele esta pensando em sexo. Vai dar tudo certo, você vai sentir um pouco de dor no começo mas... - Elena interrompeu Caroline – Tá Caroline, eu não quero saber o que vou sentir, eu quero ir tranquila, sem nenhuma pressão. – Elena disse a Caroline.

— Então tá Elena, mas se você quer estar tranquila e sem nenhuma pressão é melhor você ir dormir e deixar rolar, quanto mais você pensar nisso mais vai querer, relaxa. Tenho certeza que será inesquecível, ainda mais com aquele gatão do Stefan. – Caroline agora estava com um belo sorriso nos lábios. Elena a olhou com um olhar repreendedor, mas não pode conter o sorriso que brotavam em seus lábios também.

As duas calouras foram dormir, mas Elena não parava de pensar em como seria na sexta quando se encontrasse com Stefan em sua casa.

(...)

Eram 17h da tarde de quinta-feira quando Elena que estava na biblioteca estudando para uma prova foi surpreendida por Stefan. O rapaz chegou por trás da garota e lhe tampou os olhos com suas mãos. Elena levou suas mãos as mãos desconhecidas que estavam tampando sua visão e no primeiro toque já pode saber quem era.

— Stefan Salvatore. – Elena falava com um belo sorriso nos lábios.

— Seu namorado que esta morrendo de saudades. – Stefan sussurrou no ouvido de Elena. Elena sentiu uma onda de arrepios percorrendo sua espinha e um frio na barriga incontrolável.

Quando Elena viu Stefan ela já foi lhe beijando, e Stefan sentiu que aquele beijo queria algo a mais, era um beijo suplicando por algo a mais.

— Nossa se eu soubesse que você iria me beijar assim teria ficado mais tempo sem te ver. – Stefan estava muito empolgado com esse beijo.

— Engraçadinho. – Elena queria muito mais do que só um beijo.

— Então como esta indo nas provas? – Stefan era um namorado muito preocupado com as notas de Elena.

— Estou indo muito bem, amanhã tenho a última prova desse mês. E ai não preciso me preocupar em dormir cedo. – Elena estava querendo deixar algo subentendido a Stefan.

— Então vai poder dormir tarde? Hum interessante. – Stefan disse fazendo cara de pensativo para Elena.

— E amanhã você irá me pegar que horas? – Elena já se preparava para sua noite tão aguardada.

— Na verdade eu queria falar sobre isso com você. Não vai dar pra nós ficarmos em casa nesse final de semana. – Stefan estava um pouco triste.

— Por que não? – Elena falou um pouco decepcionada.

— Porque meu primo chegou da Austrália e vai ficar em casa conosco. Então não posso levar você lá com meu primo em casa entendeu? – Stefan estava notando a frustação no olhar de Elena.

— Ah já entendi, só posso ir na sua casa quando não tem ninguém ne? Entendi Stefan. – Elena começou a arrumar os seus livros e a se preparar para sair.

— Não é nada disso, é que eu quero te apresentar primeiro para os meus pais, e não para o meu primo. – Stefan estava segurando o rosto de Elena.

— Stefan tudo bem, sério, sem problemas.  Eu só pensei que teríamos uma noite só nossa, mas enfim, deixa para a próxima. – Elena se levantou da mesa que estava e foi caminhando para saída da biblioteca deixando Stefan para trás.

— Elena espera. – Stefan puxou Elena pelo braço e continuou... – Olha, não é porque não vamos ter essa noite que não podemos ter outras, calma, vamos ter uma noite nossa, mas em outra ocasião. - Stefan estava olhando bem nos olhos de Elena, ele estava chateado por não poder ficar com ela, mas ela tinha que entender.

— Eu sei Stefan, e eu acredito em você de verdade, eu só acho que você não quer ficar comigo, e eu até de entendo. – Elena estava com medo de qual seria as próximas palavras de Stefan, mas ela tinha que ser sincera.

— Como eu não quero ficar com você? Eu estou com você, aqui e agora. – Stefan estava tentando entender aquela garota que parecia tão decepcionada.

— Stefan eu estou falando de ficar a sós, como homem e mulher. – Elena sabia que não podia voltar atrás do que acabou de dizer e encarou os olhos castanhos esverdeados de Stefan.

— Você esta falando de fazer amor? - Stefan falou com cuidado, com receio de que não fosse isso que Elena queria dizer.

— Sim Stefan. – Elena pode ver a expressão de surpresa e ao mesmo tempo de sério no rosto de Stefan.

— Elena, não é que eu não queira estar com você desse jeito, acredite eu quero muito, mas eu não quero avançar sem você estar preparada. - Stefan pegou os livros de Elena. – Vamos pro seu dormitório, vou te deixar lá. Elena apenas fez sinal de positivo com a cabeça e selou sua mão com a de Stefan. Ao mesmo tempo em que estava se sentindo madura por enfim dizer a Stefan o que pensava Elena também sentiu que estava dando importância demais a um fato que deveria ocorrer naturalmente. Praticamente todas as suas amigas e meninas da sua sala já tinham sentido a dor e o prazer da tal primeira vez, ela queria dar esse próximo passo e sentia que Stefan era o cara certo, ela não tinha dúvidas, mas também ela não queria fazer nada na pressão e nem pressionar Stefan para isso.

No caminho para o dormitório Stefan tentou quebrar o gelo entre eles falando de como foi seus dias da semana, e Elena se deixou levar. Conseguiu esquecer por alguns minutos o que tanto lhe tirava o sono há alguns dias. Chegando no dormitório Stefan deixou Elena e lhe disse que talvez não daria para eles se verem no final de semana:

— É que meu primo veio a negócios para cá e nesse final de semana ele vai visitar alguns lugares e quer que eu vá com ele. – Stefan estava atento a cada reação de Elena.

— Tá fazer o que ne? Tudo bem, eu acho que vou acampar com as meninas então. – Elena disse se esforçando para não transparecer que estava decepcionada por não conseguir ficar com ele.

— Acampar? É para arrecadar dinheiro para a instituição de moradores de rua? – Stefan estava querendo ficar por dentro da rotina de sua namorada.

— Sim, como não vou fazer nada vou me inscrever com a Caroline e a Bonnie. Você vai deixar mesmo sua namorada dormir sozinha no meio do mato? – Elena falou com uma carinha de quem estava com medo de dormir só.

— Ah, não faz isso comigo. Você sabe que eu preferia mil vezes acampar com você do que acompanhar meu primo. – Stefan estava acariciando o rosto de Elena, e realmente ele queria muito estar com ela, mas já tinha dado sua palavra para seu primo.

— Eu sei, mas como você mesmo disse teremos outros finais de semana, então vamos esperar até lá. – Elena terminou de falar e deu um beijo em seu namorado, dessa vez um beijo delicado, apaixonado. Stefan a retribuiu.

(...)

Elena estava decidida a acampar com as meninas já que seu programa tinha sido cancelado, então no dia seguinte após sua prova ela foi até Caroline para saber aonde se inscrevia.

— Car. aonde me inscrevo para acampar com vocês?

— Elena você não tem compromisso com o Sr. Salvatore? – Caroline falou mexendo as sobrancelhas para Elena.

— Tinha, não tenho mais. – Elena quis fingir que não estava nem ai por não ter mais o compromisso com Stefan.

— Vocês brigaram? – Caroline estava com uma expressão de pesar.

— Não. Ele só vai ter que ficar acompanhando o primo que esta na cidade, só isso, então como eu não vou fazer nada quero ir acampar com vocês.

— O primo dele é gatinho? Pede pra ele apresentar pra mim. – Caroline não sabia mesmo se segurar.

— Ei, controle – se, que eu saiba você tem namorado. – Elena falava com um ton ameaçador.

— Eu tenho, mais nem posso ficar com ele esse final de semana. Você acredita que o acampamento será separado? De um lado mulheres e do outro homens... aff... quem é que faz isso hoje em dia? – Caroline era quem estava decepcionada.

— Car. você esta acampando por uma boa causa e não pra ficar transando, e aliás faz tempo que eu não acampo, quero muito ter essa experiência com vocês. – Elena estava começando a ficar entusiasmada com a ideia.

— Na verdade você irá ficar com nós, mas não na mesma barraca. – a loura estava fazendo uma cara de culpada para Elena.

— Mas por que? - Elena queria saber o que impedia delas ficarem na mesma barraca.

— Porque como você tinha falado que não iria vim eu e a Bonnie se inscrevemos juntas e pegamos uma barraca de dois lugares. Se você tivesse me falado ontem nós podíamos pegar a barraca de três lugares... A não ser que você pegue uma barraca de três lugares e nós se mudamos para a sua, o que acha? Mas já vou avisando que eu não vou te ajudar a pagar o aluguel da barraca porque eu já gastei com a Bonnie. – Caroline tentou dar uma solução.

— Ta bom Caroline, eu vou tentar pegar a barraca de três lugares, ai a de vocês nós deixamos vaga. – Elena disse aos risos.

— Vaga nada, vamos colocar nossas coisas nela e a outra deixar só pra nós dormir. – Caroline até dentro de uma barraca queria ser sofisticada.

Elena então foi se inscrever e tentou pegar uma barraca de três lugares, porém já não havia mais e só tinha de dois lugares.

— Car. péssimas notícias, não tinha mais a barraca de três lugares, tive que pegar uma de dois lugares. – Elena disse levantando seu formulário de inscrição.

— Fazer o que? Você vai dormir bem confortável e eu e a Bonnie apertadas. – Caroline não estava muito contente em dormir com Bonnie, o que ela realmente queria era estar com Tyler.

— Pelo menos minha barraca vai estar montada ao lado da de vocês. – Elena estava realmente muito otimista nesse dia.

— Isso é verdade. Venha vamos arrumar nossas mochilas para amanhã, porque o dia vai ser muito puxado. – Caroline já sabia como seria o roteiro do dia do acampamento, pois Tyler já havia lhe relatado como foram os outros anos em que ele participou.

(....)

O dia começou com todos os calouros e veteranos saindo do campus as 7h, todos foram até a praça da cidade onde continham várias oficinas para trabalharem. Caroline ficou junto com sua turma distribuindo cobertores para alguns moradores de rua, Bonnie também ficou com sua turma ajudando alguns senhores e senhoras a fazerem exercícios ao ar livre e Elena estava juntamente com sua turma ajudando a coletar alguns exames dos moradores.  O dia passou bem rápido e Elena notou que a bateria de seu celular havia acabado.   “Droga” pensou Elena, agora sim que ela não iria ver e nem falar com Stefan durante o sábado todo. No final da tarde os alunos se reuniram para comer e depois seguiram para uma trilha onde ficavam as barracas já montadas para que os alunos descansasse do dia agitado que tiveram e no domingo eles poderiam aproveitar a grande cachoeira que ficava há alguns minutos daquele lugar.

Chegando no local das barracas as meninas ficaram conversando um pouco até tocarem o sino para todos irem para suas barracas e dormirem. Caroline e Bonnie se despediram de Elena e seguiram para sua barraca, Elena ficou sozinha na barraca. Elena se trocou e colocou seu pijama: uma calça de plush azul bebê e uma blusinha de alcinha branca. Elena estava quase desligando sua lanterna quando ouviu alguém bater na sua barraca. Elena ficou quieta por um instante e então decidiu atender.

— Car. é você? - Elena estava com um pouco de medo, vai que não era suas amigas.

Ninguém respondeu Elena, somente o barulho dos grilos na mata. Elena esperou mais alguns instantes e abriu a barraca. Ela não podia acreditar quem estava do lado de fora.

— Não vai me convidar para entrar? – Stefan disse com uma voz baixa, quase que sussurrando.

— O que você está fazendo aqui? Não estava com seu primo? – Elena estava feliz em ver Stefan, mas queria saber como ele chegou até lá.

— Posso entrar primeiro e ai eu te explico, porque está muito frio e se alguém me pega aqui não será nada agradável. – Stefan sabia que se alguém pegasse ele ali no território feminino Elena levaria uma advertência.

Elena deixou Stefan entrar e fechou a barraca. Stefan não conseguia tirar os olhos de Elena e de seu pijama improvisado.

— Olha se eu soubesse que você viria aqui eu teria colocado um pijama melhor, porque você não me avisou? - Elena estava um pouco sem graça de que a primeira vez que seu namorado estava a vendo de pijama ela estivesse justo com aquele pijama.

— Eu te liguei, mas seu celular caiu na caixa postal, ai liguei para Caroline e ela me deu as coordenadas da onde você estaria. – Stefan não estava acreditando que tinha feito todo aquele esforço para estar ali com aquela garota que desde o primeiro dia tinha ganhado seu coração.

— Mas e seu primou? - Elena queria saber o porque ele tinha mudado de ideia.

— Eu contei que tinha uma namorada e que eu tinha planos de passar a noite com ela, então ele me liberou. – Stefan já estava tirando os sapatos.

— Ei, por que você esta tirando os sapatos? - Elena no fundo sabia a resposta, mas queria ouvir mesmo assim.

— Como é que eu vou dormir se eu não tirar os sapatos? - Stefan perguntou para Elena entre sorrisos.

— Então você veio só dormir comigo Sr. Salvatore? - Elena queria mais, ela estava ciente do que poderia acontecer ali.

— Ai é você quem decide Srta. Gilbert. Você quer que eu apenas durma com você? - Stefan falou de uma maneira que soou bem sensual.

— Eu quero que você me ame. – Elena sentiu a adrenalina correndo em suas veias. Antes que Stefan pudesse responder algo, Elena o beijou, ela não conseguiu se conter e colou seus lábios no de seu namorado com um beijo onde havia paixão, desejo... a língua deles estavam num ritmo que não se encontravam há tempos. A cada troca de beijos as caricias ficavam mais intensas, Stefan passava sua mão pelas costas de Elena e a outra mão estava nas coxas da garota. Elena estava tão ofegante, sua mão estava passeando pelos músculos do peitoral de Stefan e sua outra mão bagunçando aquele cabelo castanho. Num impulso Elena se levantou e se sentou no colo de Stefan de frente para ele. Ela sentiu o quanto seu namorado estava excitado a julgar pelo volume de sua calça que ela podia sentir bem firme pressionando a sua intimidade, Elena começou a fazer movimentos em cima de Stefan e aproveitou para tirar a camiseta dele, Stefan estava com as duas mãos apalpando a bunda de sua namorada. Quando Elena tirou a camiseta de Stefan ela pode ver seu peitoral, seus músculos tão definidos, Elena parou um pouco e ficou admirando cada detalhe daqueles bíceps, Stefan estava tão louco de vontade de ter aquela garota que não acreditava que seria naquela hora e naquela barraca, ele nunca tinha se sentido atraído assim por mulher nenhuma. Elena continuou a beijar Stefan e fazer os movimentos em cima dele liberando gemidos de Stefan entre os beijos. Stefan começou a beijar o pescoço de Elena e ela tratou de fazer o mesmo naquele cara de corpo tão gostoso. Elena mordia a orelha de Stefan, beijava o pescoço, o ombro, Stefan então parou e trouxe Elena pegando pelos seus cabelos para olhar em seus olhos e com a voz bem ofegante disse: - Elena você tem certeza disso?

— Certeza do que? - Elena não conseguia pensar direito.

— Certeza de que quer fazer isso aqui na barraca. – Stefan estava com muito desejo, mais queria saber se Elena estava realmente certa daquilo.

— Eu tenho, mas agora sou eu que quero saber se você quer mesmo isso? - Elena agora estava olhando diretamente para os olhos tão misteriosos de Stefan.

— Mais é claro que eu quero, por que não iria querer? - Stefan estava colando sua testa com a de Elena e pronto para começar novamente outro beijo quando Elena disse:

— Porque eu nunca fiz isso antes. – Elena pode sentir suas bochechas queimarem, mais mesmo assim se permitiu ver a reação de Stefan.

— Você é virgem? - Stefan parecia surpreso, mas também feliz.

— Sim, e me desculpa não ter falado antes, é que... – Antes que Elena pudesse terminar a frase Stefan a interrompeu e lhe beijou. Beijou profundamente, com desejo, porém apaixonado.

— Elena, o fato de você nunca ter feito sexo com ninguém me deixa mais encantado por você, porque eu sei que eu serei o seu primeiro e eu prometo que vou fazer te tudo pra ser o único. – Stefan estava realmente apaixonado por essa garota.

— Stefan eu te amo. – Elena pode sentir o coração de Stefan acelerar ainda mais depois dessas palavras que ela acabará de pronunciar.

Durante a troca de beijos Stefan inverteu de posição com Elena, ele a deitou delicadamente sobe a cama improvisada da barraca, beijou com muito mais desejo e mordiscou os lábios de Elena, Stefan foi até o ouvido de Elena e sussurrou : - Eu prometo que será uma noite inesquecível. Elena sorriu e sabia com toda certeza de que seria mesmo.

Stefan continuou beijando o pescoço de Elena e foi descendo até os seios fartos da garota, Stefan tirou a blusa de Elena e beijou suavemente seus seios, Elena apenas não conseguia tirar os olhos de Stefan enquanto ele lhe dava prazer. Stefan começou a sugar um dos seios de Elena e com uma de suas mãos ele acariciava o outro. Ele tratou de dar as mesmas caricias para ambos os seios. Depois foi descendo com leves beijos pela barriga de Elena, Stefan tirou a calça da garota e as meias, ele parou um instante para ver Elena somente de calcinha na sua frente, uma calcinha que não era fio dental, mais que deixava Elena tão sexy, ele não podia acreditar o quanto ela era linda, com um corpo que continha curvas estonteantes. Stefan começou a beijar uma das pernas de Elena até chegar a sua intimidade, ele beijou a por cima de sua calcinha e ele pode sentir o quanto aquela garota estava excitada. Stefan puxou a calcinha de Elena de uma forma romântica, sensual, nunca tirando os olhos dos olhos de Elena. Elena ficou um pouco constrangida por estar nua pela primeira vez na frente de um namorado, e Stefan percebeu. Ele a olhou e disse:

— Você é a garota mais linda que eu já vi. Como eu quero ter você. – Stefan disse se abaixando, se colocando perto da intimidade de Elena. Elena apenas sorriu e fechou os olhos. Stefan começou a dar leves beijinhos na intimidade de Elena e isso fez com que ela gemesse, Stefan gostou de ouvir aquilo. Stefan posicionou sua língua no clítoris da garota e percebeu o quão molhada ela estava, ele viu que ali era o ponto para fazer Elena queimar de tesão, então Stefan começou a brincar com sua língua pela intimidade de Elena, ele ficou a observando e realmente ele estava fazendo um bom trabalho: Elena estava se contorcendo de prazer, levando uma mão até seus seios e outra ao cabelo de Stefan, fazendo ele ficar mais tempo ali. Entre gemidos a garota falava:

— Stefan... Stefan, isso é muito bom. – Elena já não tinha mais vergonha de expressar o que estava sentindo.

— Está bom? Vou fazer ficar melhor ainda. – Stefan disse se levantando e se despindo de sua calça e cueca. Elena ficou acompanhando cada movimento de Stefan com o olhar, seu membro era tão grande e tão firme, por um breve momento ela pensou “vai doer pra caramba, olha o tamanho dele”, mas esse pensamento foi por um breve, bem breve momento.

Stefan retirou do bolso de sua calça uma camisinha e enquanto colocava -a perguntou a Elena:

 - Tem certeza? – Stefan estava queimando de tesão.

— Eu nunca tive tanta certeza de uma coisa em minha vida como agora. Me faça sua. – Elena já não podia mais esperar para sentir ele dentro dela.

Stefan sorriu e colocou -se por cima de Elena.

— Se doer você fala que eu paro. – Stefan também estava um pouco preocupado. Elena apenas fez sinal de positivo com a cabeça.

Stefan começou a penetrar Elena e pode sentir o quanto ela era gostosa, pensou consigo mesmo : “nossa como ela é tão apertada”, e isso o fazia ficar mais excitado. Stefan foi penetrando cada vez mais, sempre olhando nos olhos de Elena. Elena assim que Stefan começou a entrar dentro dela ela sentiu uma dor, mais uma dor suportável, uma dor que foi desaparecendo conforme ele ia mais fundo. Stefan ficou um tempo parado para que Elena se acostumasse com o volume dele dentro dela.

— Esta tudo bem? – Stefan perguntou a Elena.

— Esta, continua vai. – Elena não podia acreditar o quanto aquilo soou safado.

Stefan sorriu e começou a se movimentar dentro de Elena, conforme Stefan ia aumentando o ritmo dos movimentos Elena ia sentindo mais prazer e com isso gemia mais alto. Stefan parou um pouco e adverdiu:

— Elena. Shhh. Ninguém pode saber o que estamos fazendo aqui. – Stefan estava se sentindo um adolescente.

— Não para, continua, continua. – Elena queria mais, e mais.

Stefan continuou com as estocadas cada vez mais fortes, Elena se abraçou ao corpo daquele cara de olhos misteriosos e excitantes, e começou a morder o ombro dele para abafar seus gemidos. Stefan também começou a soltar gemidos altos e a sussurrar no ouvido daquela garota que estava te enlouquecendo:

— Elena... você me deixa louco. – Stefan estava louco de desejo, de tesão.

— Stefan... que delícia, não para. – Elena nem sabia mais aonde estava, só queria sentir Stefan mais e mais.

Elena começou a sentir uma sensação que há alguns dias ela não sentia lhe invadindo, aah... aquela mesma sensação de quando o cara de olhos azuis a acariciou com os dedos. Elena já estava ciente do que estava acontecendo: Ela estava chegando ao seu ápice. Com mais alguns movimentos de Stefan e o corpo todo de Elena se contorceu por segundos e depois amoleceu, Elena sentiu uma sensação de poder, de satisfação, de prazer a consumindo. Não demorou muito e Stefan sentiu uma explosão também o invadindo, o preenchendo por completo.

Stefan ainda dentro de Elena a olhou nos olhos e disse:

— Você tem noção do que você acabou de me fazer sentir? – Stefan estava muito ofegante.

— Não. Mas tenho a certeza de que essa sensação que eu estou sentindo é a melhor que eu já sentir em toda minha vida.  – Elena estava realmente sentindo a melhor sensação que ela já experimentou na vida.

— Eu te amo mais que tudo. – Stefan se declarou olhando nos olhos de Elena.

— Eu também te amo, e obrigada por tornar essa noite inesquecível. – Elena disse selando seus lábios com os do Stefan.

 

 



Notas finais do capítulo

E ai pessoal o que acharam do meu primeiro hot? Por favor me falem o que acharão pleaseee :)
No capitulo da semana que vem Elena terá uma grande surpresa.. espero vocês aqui. Até. Xoxo.

Músicas:

Noite de amor entre Elena e Stefan - (Selena Gomez - Good For You)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Laços de Sangue" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.