Yuu-kun’s Life Journal escrita por Haruyuki


Capítulo 4
Entrada Extra 01




#Lilia Baranoskaya

Lilia está apreciando um delicioso chá quente em uma fria tarde no início de Dezembro quando uma batida na porta a faz franzir a festa. Quem é que está querendo incomodar ela neste momento? Ela se pergunta, esperando um de seus empregados aparecer e explicar o que está acontecendo para ela. Algo que não leva muito tempo para acontecer.

“Madame. Queira me perdoar por interromper seu chá da tarde, mas acabou de chegar uma estranha encomenda para a senhora.” Pyotr, um de seus mordomos, aparece carregando uma pequena caixa de papelão.

“O que quer dizer com 'uma estranha encomenda’?” Ela pergunta, franzindo a testa para a caixa.

“Ela vem do Japão. De uma cidade chamada Hasetsu.” O mordomo responde, nervoso.

Hasetsu? Esse nome não é estranho para ela...

“Abra a caixa.” Ela ordena, cruzando as pernas e bebendo mais do chá.

Pyotr obedece, pegando uma faca e cortando a fita adesiva que lacrava a caixa. Ele a abre lentamente e se vê surpreso ao retirar um cachorrinho preto de pelúcia de dentro e uma carta, com o nome dela escrito.

“Madame.” Ele diz, após abrir e estender a carta para ela.

Ela pega o envelope branco aberto dele e retira um papel e um novo envelope de dentro, para a sua surpresa. Um novo envelope endereçado para Victor Nikiforov. Este ela coloca em cima de sua mesa, e abre o papel que está com o nome dela escrito. Em russo. Como o resto de toda a carta.

Saudações, Madame Lília Baranoskaya.

 

Meu nome é Yuuri Katsuki, tenho neste momento 8 anos de idade e sou da cidade de Hasetsu, no Japão. Eu danço balé desde bem pequeno sob a tutelagem de Minako Okukawa e estou trabalhando duro para ser um patinador de gelo que deixe meu país orgulhoso.

Como deve ter percebido, eu mandei uma outra carta e um cachorro de pelúcia. Eu gostaria de pedir que os entregue em segurança para Victor Nikiforov imediatamente, por favor. Ele vai precisar deles em breve e gostaria muito de pedir que o acolha quando o momento chegar. Peça para ele abraçar o cachorro quando terminar de patinar em Sofia, para que eu possa ter certeza de que ele o recebeu em paz.

Além disso, gostaria de pedir que fique de olho em Svetlana Plisetskaya, uma de suas ex-alunas. Ela pode estar em perigo e uma tragédia poderá ocorrer com ela em breve. Uma tragédia que infelizmente não pode ser evitada nem mesmo por mim, que sei o que vai acontecer no futuro. Mas eu estou aqui para tentar fazer com que as consequências dessa tragédia não sejam tão graves assim, principalmente quando se trata do bebê que ela está esperando nesse momento. Por favor, faça com que ela assine um documento passando a guarda do bebê para o pai dela, Nikolai Alexanderiev Plisetsky se caso algo acontecesse com ela. Além disso, peço que dê todo o suporte para ela e o bebê.

Eu sei que tudo pode parecer estranho, mas eu desejo que acredite em mim quando eu digo que minha maior tristeza nesse momento é não poder estar aí em São Petersburgo quando eu sei que Victor e o bebê vão precisar demais. Eu poderia ter mandado uma carta para o Técnico Feltsman, mas não acho que ele sequer iria abrir antes de rasgar e jogar no lixo, do jeito que ele deve estar nesse momento, obcecado em fazer seus alunos vencer pela Rússia e se esquecer que eles são humanos. Eu lamento que tenha sido isso que tenha atrapalhado o casamento de vocês dois…

O quê?

Ela franze a testa, voltando a reler as últimas linhas.

Como ele sabia eu era casada com ele e que foi exatamente isso que fez com que eles dois de separassem? Algo que nem mesmo a família dos dois sabiam disso, pois seria algo bastante problemático para os dois, visto que ele é obrigado a ser assim pelo FFKK.

Eu lamento que tenha sido isso que tenha atrapalhado o casamento de vocês dois, mas acredito que nem tudo foi perdido. Não deixe que isso a faça perder as esperanças. Se você ainda sente amor por ele, acredite nesse sentimento. O use como inspiração para uma coreografia pessoal, íntima. Uma coreografia apenas para você.

Eu não sei quando poderei ir para São Petersburgo. Mas prometo que assim que eu tiver certeza, eu entrarei em contato para avisar. Até lá, farei o possível para mandar cartas antes do aniversário de Victor, com presentes para ele e o bebê.

Como eu disse antes, eu sei o que vai acontecer no futuro. Coisas tristes, coisas estúpidas, coisas insanas. Eu não obrigo a senhora a a acreditar em mim. Mas saiba que meu coração estará sempre orando pela senhora, pelo Técnico Feltsman, por Victor, pelo bebê e por todos a quem adoro, mas não posso alcançar ainda por causa da minha idade.

Com os cumprimentos de Yuuri Katsuki, danseur japonês, patinador de gelo e History Maker, eu encerro esta carta.

27/10/1997

Após terminar de ler a carta, Lília se foca em um termo peculiar nela. ‘History Maker’. Isso a deixa com um olhar de expectativa para saber o que esse tal de Yuuri Katsuki será capaz de fazer. Depois, ela volta ao topo e mantém seu olhar no nome da professora de balé dele, o reconhecendo imediatamente como sua antiga colega de quando se apresentava internacionalmente.

Ela abre um sorriso, algo que surpreende o mordomo ainda ali presente, imaginando se aquela mulher ainda continua fazendo coisas malucas.

~x~

Quando Lília entrega o poodle e a carta para Victor, se assusta ao ver ele lendo a carta com um brilho peculiar nos olhos. Brilho que se mostra ser lágrimas, que ele sequer pensa em limpar. Ele pega o poodle de pelúcia nos braços, se ajoelhando no chão e chorando silenciosamente, para a surpresa dela.

O que diabos está acontecendo?

Mas Victor se recusa a dizer nada e se despede, saindo dali com um sorriso e mais lágrimas no rosto.

~x~

Lília procura saber notícias de Svetlana Plisetskaya e descobre que ela está grávida, e internada em um hospital. As duas conversam seriamente e Svetlana revela que está com câncer, mas que não pode tratar por causa do bebê. Ao ser perguntada pelo pai da criança, a moça diz que não sabe quem é e revela que uma prima sua está a importunando para que ela deixasse a guarda do futuro filho para ela. Lília franze a testa e pergunta se não seria melhor considerar o próprio pai dela, mas Svetlana diz que não tem mais contato com ele.

Uma semana depois, Lília e a tal prima se encontram no hospital e a ex-bailarina a assusta, a fazendo desistir da idéia de perturbar Svetlana. Ela também vai atrás de Nikolai e o leva até a filha dele. Ela então revela a carta de Yuuri para eles, o que os deixa assustados com o conteúdo dela.

No dia 1° de Março de 1998, nasce Yuri Nikolaievich Plisetsky. Svetlana comenta que estava em dúvida se o nomeria Yuri ou Andrei, mas decidiu pelo primeiro em homenagem ao anjo que tornou a situação daquela família melhor do que se esperava. A saúde dela começa a deteriorar lentamente e dois anos depois, ela acaba falecendo.

~x~

8 anos depois.

Lília está estranhamente animada pois o misterioso Yuuri Katsuki finalmente irá até São Petersburgo para participar do acampamento de patinação de Yakov. Além disso, ele está vindo com Minako e os cachorros dele. Heh, vamos ver que tipo de pessoa ele realmente é.

“Minako Okinawa.” Lília diz, sentindo seu rosto latejar de inveja.

Blyad! Que bruxaria essa mulher anda praticando para manter a mesma aparência de 20 anos atrás? Malditos genes asiáticos!

“Lilia Baranoskaya.” Minako diz, a cumprimentando.

E então ela vê o adolescente de longos cabelos negros bagunçados e um rosto cansado que surge logo atrás dela, empurrando o carrinho com a bagagem deles e as caixas contendo os dois cachorros dele.

“Yuuri Katsuki.” Ela diz, o vendo abrir um sorriso.

“É um prazer finalmente conhecer a senhora, Madame Baranoskaya.” Ele diz em Inglês, para a surpresa dela.

Afinal ela sabe que ele é fluente em russo também. Quem diabos é esse menino?

Quando Minako pede para usar sua sala de dança para colocar em dia o treino de Yuuri, Lília decide ver o nível do garoto no balé. O que ela não esperava é ver um garoto 14 anos que é patinador no gelo dançando como um bailarino profissional. E então ela se choca quando o vê se tornar uma Prima Ballerina, inclusive ficando en poité perfeitamente.

~x~

O tempo passa rápido e finalmente chega o dia em que Yuuri e Minako precisam retornar para o Japão. Lília sabe que o menino entrou em contato com Nikolai Plisetsky e causou muita confusão no acampamento, inclusive envolvendo Victor. Mas para ela, o verdadeiro impacto da presença dele só acontece no dia seguinte, quando ela recebe a surpresa visita de Yakov Feltsman.

“Podemos conversar?” Ele pergunta, segurando seu fedora com as duas mãos, um sinal de que ele está nervoso.

“Entre.” Ela diz, e Pyotr, que estava pronto para colocar o homem que quebrou o coração de sua patroa no passado no olho da rua, dá a ele passagem para dentro da mansão.

Sentados na mesa e tomando chá, ambos ficam em silêncio pois esperam que o outro fale alguma coisa. Lília solta um longo suspiro e decide começar.

“Anos atrás, neste exato horário, uma peculiar correspondência chegou para mim. Era uma caixa, contendo duas cartas e um cachorro de pelúcia preto.” Ela diz, o fazendo perceber do que ela está falando. “Tal caixa veio do Japão. De uma cidade chamada Hasetsu. E o remetente se chamava Yuuri Katsuki.”

Yakov arregala os olhos, assustado com o que ela diz.

“Impossível! Isso faz mais de 8 anos!” Ele exclama, a fazendo dar risadas.

“Exatamente. Só que a carta que era endereçada a mim, estava toda em russo e falava sobre ele, sobre Victor, sobre Svetlana Plisetskaya e sobre nós.” Ela diz, o olhando seriamente.

“Esse menino… ele é incrível, Lília.” Yakov comenta, a surpreendendo. “Ele fez todo mundo presente parar o que estava fazendo para ver ele apresentando um programa que chega ao nível atual de Vitya.”

Isso a faz o olhar em choque, pois ela não esperava que ele fosse tão bom assim.

“Mas eu não acredito que seja isso que você queria conversar comigo.” Ela diz, levando a xícara de chá para a boca para esconder o sorriso de empolgação dela.

“Não. Não é.” Ele diz, bebendo chá também. “Ele conversou comigo sobre certas coisas, e me fez pensar muito esses últimos dias. Ele me fez perceber que eu cometi erros no passado e estava cometendo agora. Com você, com Victor, e com todos os outros meus alunos. Eu me deixei ser pressionado pela FFKK em criar campeões que trouxessem orgulho para nossa nação, e acabei não só ignorando os sentimentos de todos ao meu redor como os meu próprios. Ele me falou para mudar de atitude, antes que eu perca algo muito mais importante do que medalhas de ouro, recordes e até a própria pátria.”

“Seus alunos.” Ela deduz, o vendo afirmar com a cabeça.

“Meus alunos.” Ele repete, soltando um longo suspiro. “Eu fiquei com medo, sabia? Das coisas que ele me disse? Eu fiquei com medo porque eu percebi que sem meus alunos eu não sou nada mais do que um velho ranzinza e solitário, e eu não quero isso. Eu não quero mais. Você pode estar achando que estou falando coisas sem noção, e eu entendo que você não queria me perdoar por tudo o que fiz com você, mas apenas acredite em mim quando eu digo que eu estou arrependido e que eu quero muito poder voltar para você. Eu…”

“Yasha.” Ela o interrompe, o assustando por usar o apelido de quando estavam juntos. “Eu acredito em você.”

E ela percebe que ele realmente está arrependido quando o vê derramar uma lágrima.

“Lilyusha.” Ele diz, se levantando da mesa e indo até ela, a abraçando. “Me desculpe, Lilyusha.”

Se você ainda sente amor por ele, acredite nesse sentimento.

Lília relembra aquela frase da carta de Yuuri, com um sorriso no rosto.



Notas finais do capítulo

1º ~ Blyad é um palavrão russo.

2º ~ Consertado erro grave no capitulo anterior, que é a cidade e o pais do Mundial da temporada 03/04. Sem querer coloquei a cidade da temporada passada u.u



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Yuu-kun’s Life Journal" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.