A família Olimpiano e suas nações - Parte 1 escrita por Anne Claksa


Capítulo 12
Poseidon e reencontro com Anfitrite: Inglaterra


Notas iniciais do capítulo

Olá
Capítulo novinho, saindo do forno.
Poseidon vive feliz e apaixonado por Amimone, mas o reencontro com Anfitrite causa grandes mudanças.
Boa leitura.



A Escócia parecia um reino encantado, suas planícies verdes eram encantadoras, os animais eram belíssimos e o povo é feliz, e um lugar em que essa felicidade fica evidente é o palácio de Poseidon e Amimone, os dois vivem felizes e apaixonados. Estava amanhecendo, a luz do sol entrava pela janela e desperta Poseidon, ele abre os olhos e fica admirando Amimone, até sob a luz do sol ela é bonita. Amimone desperta ao sentir o toque de Poseidon em seu rosto, ela sorri e diz:

— Bom dia.

— Bom dia. – Disse Poseidon. – Sabe qual é a vantagem de não ser mais o deus protetor da Escócia? É que posso ficar aqui com você, sem preocupações para nos atrapalhar.

— Eu adoro momentos assim, junto de você, te ter só para mim. – Disse Amimone.

Os dois se beijaram apaixonados, Poseidon encontrou a mulher certa para ele, gentil, meiga, amiga e principalmente, calma. O momento de romance entre os dois é interrompido com o som de batidas na porta, era Stela.

— Mãe, pai, estão acordados?

— Estamos sim filha, pode entrar. – Disse Amimone.

Stela se tornou uma linda jovem, com longos cabelos castanho claro, olhos verdes e parecida com Amimone, Poseidon costuma dizer que Stela é uma segunda Amimone.

— Bom dia mãe. – Disse Stela.

— Bom dia filha. – Disse Amimone depois de dar um beijo no rosto da filha.

— Bom dia pai.

— Bom dia filha. – Disse Poseidon.

— O senhor ainda não está pronto? Nós vamos nos atrasar.

— Nos atrasar para o que?

— Ora pai, não me diga que esqueceu? Da reunião dos habitantes da ilha.

— Ah sim, agora que me lembrei, temos novos habitantes na ilha. Já estou indo, só vou trocar de roupa.

Poseidon se levantou da cama e foi se trocar. Depois de um tempo, Poseidon e Stela se despediram de Amimone e partiram. A reunião seria realizada na Irlanda, a deusa protetora do país, Inácia, recebeu Poseidon e Stela, os três conversavam quando uma mulher se aproximou de Inácia, Poseidon se espanta ao ver uma mulher de cabelos castanhos um pouco escuros e olhos castanhos, de baixa estatura e um pouco fora do peso, ele a conhece muito bem.

— Anfitrite? – Disse Poseidon espantado.

— Pois não... Poseidon? – Anfitrite respondeu com certo espanto.

— Vocês se conhecem? – Perguntou Stela.

— Sim, Anfitrite foi a minha esposa, mas nos separamos a um bom tempo. – Disse Poseidon se virando para a ex-esposa. – O que faz aqui?

— Bem, depois que nos separamos, eu viajei para bem longe da Grécia e agora estou morando estou morando em England. E você o que faz por aqui? – Perguntou Anfitrite.

— Eu fui embora da Grécia e fundei a Escócia. – Respondeu Poseidon.

— E essa mocinha, quem é?

— Ela é a Stela, deusa protetora da Escócia e minha filha e de Amimone.

— Amimone, eu lembro dela, a jovem que se sacrificou tendo um caso com você, para salvar a cidade dela. – Disse Anfitrite ironicamente.

— Anfitrite, não fale assim de Amimone. – Disse Poseidon em um tom bravo.

— Mas é verdade, bom acho melhor entrarmos a reunião já vai começar.

Todos se encaminharam para a sala de reuniões, muitos assuntos eram debatidos e depois de muita conversa, England foi apresentado como o mais novo membro da ilha, assim começava a se formar o que conhecemos como Reino Unido. A reunião se encerra, cada um se encaminhava de volta ao seu lar, em sua carruagem, Anfitrite observava Poseidon de longe.

...

Ao chegarem na Escócia, Poseidon e Stela foram recebidos por Amimone.

— Amimone, você não vai acreditar em quem eu acabei de encontrar na reunião. – Disse Poseidon.

— Quem? – Perguntou Amimone.

— A Anfitrite. Eu fiquei pasmo quando eu a vi, sabe onde ela está morando?

— Onde?

— Em England, as terras do sul.

— Ah, interessante. E o que achou desse reencontro com ela?

— Eu fiquei surpreso de vê-la, ainda mais morando aqui na ilha e...

Poseidon parou de falar assim que percebeu o ciúme estampado na face de Amimone.

— Por acaso, você me fez essa pergunta, por que está com ciúmes, Amimone? – Perguntou Poseidon com um sorrisinho.

— Não, só perguntei por curiosidade mesmo, ela foi a sua esposa e agora você a reencontra morando aqui por perto. Eu achei que esse reencontro tivesse significado alguma coisa para você.

Poseidon se aproximou de Amimone, enlaçou a sua cintura e a levou para perto de si.

— Amimone, não senti nada ao rever Anfitrite, só fiquei surpreso, mais nada, não sinto nada por ela, meu amor é todo seu.

— Tem certeza?

— Absoluta, eu te amo Amimone e nada nesse mundo vai mudar o que sinto por você.

Amimone sorriu e Poseidon a beijou com todo o carinho.

...

Anfitrite chegou em seu pequeno palácio em England e pediu para a sua criada Judith a acompanhasse até seus aposentos.

— Desculpa me intrometer, mas algo aconteceu nesta reunião que deixou a senhora um pouco mais alegre. – Disse Judith.

— Aconteceu sim Judith, eu reencontrei o meu ex-marido Poseidon. – Disse Anfitrite.

— A senhora havia comentado comigo que foram casados, mas o casamento de vocês não deu certo. – Disse Judith. – Vejo que a senhora precisa desabafar, então me conte o que aconteceu.

— Eu sempre fui apaixonada por Poseidon, mas ele não sentia nada por mim. Estava decidida a tê-lo, então usei uma artimanha, entrei no Palácio de Poseidon, me aproximei do seu quarto, quando ele me viu, me despi na frente dele, ficando completamente nua, eu sabia que essa era a fraqueza de Poseidon e usei isso ao meu favor. Ele tentou até resistir, mas ao ver meu corpo nu, o desejo subiu nele, me agarrou e transamos, me senti feliz e desejada naquele momento. No dia seguinte, acordei me sentindo realizada, dormi com o homem que eu amo, porém Poseidon ficou furioso ao me ver do lado dele na cama, eu disse que tínhamos passado a noite juntos, ele se irritou mais ainda, me acusou de ter o seduzido e me expulsou do Palácio, triste e magoada, vesti minhas roupas e fui embora. Dias depois, me senti muito mal e depois confirmou-se o que eu desconfiava: Eu estava grávida de Poseidon. Quando meu pai, Nereu, ficou sabendo da notícia, foi exigir que Poseidon se casasse comigo para reparar o mal que me fez. Entretanto, Poseidon se recusou e disse que foi seduzido por mim. Mas, meu pai fez uma ameaça, disse que se ele não se casasse comigo, iria desviar o curso dos rios para não desaguarem no mar. Pressionado, Poseidon aceitou se casar comigo. Nos casamos, não tivemos noite de núpcias, pois, ele disse que era porque eu estava grávida. Nosso filho Tritão nasceu, porém, Poseidon me tratava com indiferença, nosso casamento foi um fracasso, sempre que tinha a oportunidade, Poseidon me traía. Até o dia em que decidi ir embora e vir para England.

Anfitrite contou sua história, Judith ouviu atentamente e percebeu que sua senhora ainda não desistiu do ex-marido. No dia seguinte, Anfitrite enviou uma carta para Poseidon dizendo queria tratar de negócios, quando na verdade, sua intenção era outra. Não desconfiando das intenções de Anfitrite, Poseidon aceitou o convite e partiu para England. Chegando lá Poseidon, cumprimentou Anfitrite de modo cordial e deixou bem claro que estava para tratar de negócios, apenas isso. Anfitrite sorriu concordando, mas em pensamento: “ Quero ver se vai resistir a mim hoje à noite Poseidon, eu vou te ter para mim”. Trataram de negócios, Poseidon disse que já tinha terminado o seu compromisso e que ia voltar para a Escócia, mas Anfitrite insistiu, disse que estava tarde para voltar e sugeriu que ele passasse a noite ali, Poseidon concordou e ficou em England. Já tarde da noite, Anfitrite se arrumava, escovou os cabelos, se perfumou, vestiu apenas um robe branco e se encaminhou para o quarto de Poseidon, ele estava deitado na cama lendo um livro, Anfitrite se aproximou da porta, tirou seu robe e disse:

— Boa noite, Poseidon.

Poseidon fechou o livro e olhou para Anfitrite para lhe dar boa noite, quando a viu, disse:

— Ah não, de novo não! Sai do quarto Anfitrite.

Anfitrite fechou a porta do quarto.

— Anfitrite, eu te pedi para sair.

— Ora Poseidon, para que resistir, já fizemos isso uma vez e foi maravilhoso.

— E por causa disso, acabei me casando com você, não vou cair nesse truque outra vez.

Anfitrite se aproximou da cama e subiu nua em cima de Poseidon, ele tentava resistir por Amimone, mas o desejo falou mais alto e em segundos Poseidon estava agarrado a Anfitrite a amando. No dia seguinte, Poseidon acordou e se assustou ao ver Anfitrite ao seu lado.

— Não! Não acredito que cai nesse truque de novo! – Dizia Poseidon desesperado.

Anfitrite desperta com um sorriso no rosto.

— Bom dia Poseidon, dormiu bem? Eu dormi muito bem, depois da nossa noite de amor. – Disse Anfitrite.

— Como teve coragem de fazer isso de novo Anfitrite? Você sabe da minha fraqueza e se aproveitou disso de novo.

— Quem manda pensar com a cabeça de baixo, foi maravilhoso.

Poseidon se vestiu, pegou suas malas e foi embora, durante o caminho ele pensava em como contar para Amimone que dormiu com Anfitrite. Chegou à Escócia, Amimone o recebeu com muitos beijos, ele perdeu a coragem de contar para ela, porém, ela notou um ar de preocupação nele.

— Poseidon, está tudo bem? – Perguntou Amimone.

— Está tudo bem. – Poseidon respondeu disfarçando.

Dias depois, Anfitrite foi para a Escócia, ela estava feliz,pois, tinha uma grande notícia para dar. Stela a recebeu.

— Chame seu pai, tenho um assunto muito importante para falar com ele. – Disse Anfitrite.

Stela chamou Poseidon, ele desceu as escadas acompanhado de Amimone.

— Anfitrite o que quer aqui? – Perguntou Poseidon.

— Ah, que bom que a Amimone está aqui, assim todos ficam sabendo da notícia.

— Que notícia? – Pergunta Amimone.

— Eu estou grávida, nosso filho está em meu ventre, Poseidon.

— Como isso é possível, Poseidon só ficou uma noite em England.

— Querida, nessa uma noite seu amado Poseidon dormiu comigo, ele não te contou?

Amimone olhou para Poseidon querendo saber se era verdade, mas ao ver a reação dele, percebeu que Anfitrite não mentiu e subiu as escadas correndo, Stela foi consolar a mãe. No quarto Amimone chorava, ela ficava pensando, porque Poseidon fez isso com ela, o ama tanto.

— Mãe, me deixa entrar. – Disse Stela.

Amimone se levantou da cama e abriu a porta, Stela a abraçou, mãe e filha sentaram na cama e conversavam, Poseidon se aproximou e tentou se explicar.

— Amimone, eu sei que o que eu fiz foi errado, mas, Anfitrite me seduziu, se mostrou nua para mim, sabe que não resisto e se aproveitou disso.

— Por que não me contou? Por que deixou que eu soubesse dessa forma? – Perguntou Amimone com raiva.

— Porque não queria te magoar, te deixar triste, eu te amo.

— Me ama, mas dormiu com outra. Vai embora Poseidon, vai com a Anfitrite, cuide do filho de vocês.

— Amimone...

— VAI EMBORA!

— É melhor assim pai. – Disse Stela.

Poseidon saiu do quarto, deixando Amimone chorando nos braços da filha.

...

Poseidon desceu as escadas com as malas nas mãos.

— Anfitrite, eu vou para England com você, mas estou fazendo isso por nosso filho, não teremos nenhum tipo de relacionamento. – Disse Poseidon.

— Está bem. – Disse Anfitrite.

Poseidon e Anfitrite foram até a carruagem, ele olhou para trás, viu Stela e Amimone na janela e entrou na carruagem.

...

Ao chegarem em England, Poseidon pediu para conversar com Anfitrite.

— Anfitrite, nas duas vezes que estive aqui, tenho reparado em uma situação em England, as pessoas estão vivendo na miséria, doentes, com fome, o esgoto fica a céu aberto, como pretende fundar uma nação nessas condições? – Perguntou Poseidon.

— Ora, nós temos monarquia e isso já basta. – Respondeu Anfitrite.

— Não Anfitrite, não basta. Imagina, o que resto do mundo vai pensar de England, uma monarquia em que a população vive na pobreza? Eu vou cuidar de England, vou melhorar essa situação e você pode cuidar do nosso filho e de assuntos fúteis.

Os dias foram passando, Poseidon trabalhava duro para arrumar as cidades, Anfitrite só reclamava que seus vestidos não serviam mais, que estava inchada, mas Poseidon nem se importava, tinha assuntos mais importantes para cuidar. Um dia...

— Nossa, como essa barriga pesa. – Reclamou Anfitrite.

— Nosso filho está aí, não se preocupe, isso é normal nessa fase da gravidez. – Disse Poseidon.

— Então, nosso filho é um gigante, porque, olha o tamanho dessa barriga.

Anfitrite se sentou no sofá e sentiu uma dor.

— Está tudo bem? – Perguntou Poseidon.

— Foi só uma dor que senti, ai, ai, ai, está aumentando aiii.

— Vou chamar a Judith.

Poseidon mal terminou de falar quando a bolsa de Anfitrite estourou. Ele a pegou no colo e a levou para o quarto, ordenou a Judith que preparasse o quarto, pois, o bebê iria nascer. Judith cuidou de Anfitrite e depois de muitos gritos e muito esforço, nasceu uma menina, a empregada foi avisar Poseidon.

— Senhor Poseidon, nasceu, é uma linda menina. – Disse Judith.

Poseidon subiu as escadas e foi para o quarto, Anfitrite segurava a filha nos braços, loira como Poseidon, pele clara e os olhos castanhos  como os de Anfitrite.

— Vai se chamar Elisabeth Angélica. – Disse Anfitrite.

Alguns meses se passaram e uma festa no Palácio de Atlas foi realizada para a fundação da Inglaterra, todos como sempre compareceram.

— Senhoras e senhores, é com grande honra que anuncio o deus fundador da Inglaterra, a futura deusa protetora e toda a família divina.

Anfitrite encontrou com Elisabeth nos braços seguida de Poseidon. Zeus e Métis foram cumprimenta-los.

— Irmão, parabéns, mas me diga, você e Anfitrite voltaram? – Perguntou Zeus.

— Fui pego por aquela artimanha de novo, mano. – Disse Poseidon envergonhado.

— Parabéns Anfitrite, sua filha é linda, não fez aquilo de novo, não é? – Perguntou Métis.

— Fiz e olha o resultado, não é linda a minha filha? – Disse Anfitrite. – Devo dizer a Francine a cada dia fica mais parecida com você.

— Obrigada.

Era a hora do anuncio, Atlas começou:

— Seu nome?

— Poseidon Olimpiano.

— Nome da criança?

— Elisabeth Angélica Silverstone Olimpiano.

— Nome original da nação?

— England.

— Nome real?

— INGLATERRA.

Todos aplaudiram a fundação da Inglaterra, Anfitrite aproveitou e beijou Poseidon.

Já estava de noite na Inglaterra, Poseidon colocou Elisabeth no berço, a menina já dormia.

— Durma meu anjinho, o papai vai aproveitar cada segundo ao seu lado, você é o melhor presente que sua mãe poderia ter me dado, mesmo que tenha feito uma coisa errada, você não tem culpa disso. Que sua vida seja cheia de alegria, Elisabeth.



Notas finais do capítulo

Nome da filha de Poseidon:
Elisabeth Angélica: Elisabeth, em referencia a England, que em inglês significa Inglaterra e Angélica, em referencia a religião predominante na Inglaterra, o anglicanismo e Angleterre, que em francês significa Inglaterra.
Comente o que achou ;D



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A família Olimpiano e suas nações - Parte 1" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.