Rebirth | NamJin escrita por Pauline


Capítulo 12
My Wish For You


Notas iniciais do capítulo

BOOOOA NOITE BRASIL.
Tudo bom com vocês, meus amores? Comigo está tudo bem hehe
Sem muita enrolação, eu amo esse capítulo ♥ Um pouquinho de paz e NamJin antes que coisas aconteçam...

Música do capítulo: My Wish - Rascal Flatts
Com amor, Pauline ♥



Chae arrancou a tiara novamente, rindo da cara de decepção de seu pai. O nenê crescia cada dia mais esperta, e seu novo truque parecia ser discordar de todas as escolhas de roupa que Namjoon fazia pra ela.

—Aigoo, sua safadinha – ele fez coceguinhas na barriga da filha, que se esbaldava rindo, os quatro dentinhos que possuía (Namjoon realmente não queria lembrar-se do pesadelo que passou quando eles começaram a nascer) à mostra. – Vai me deixar louquinha assim.

—Appa – a menina exclamou, fazendo com que os movimentos do homem parassem. Ela já tinha balbuciado as sílabas daquela palavrinha algumas vezes, mas nunca tinha a dito inteira.

Era a primeira palavra de Kim Chae-Won.

—Appa – ele repetiu baixinho, sorrindo – Appa ama muito você, Chae.

—Appa – ela riu de novo – Appa, appa.

—Gostou né? – Namjoon beijou a bochecha da filha, que sorriu também – Agora nós temos que nos arrumar, certo? Não podemos estar atrasados pra buscar o tio Jin.

—                 

Assim que tirou Chae do bebê-conforto, a menina jogou a tiara no chão. Tinha puxado, e muito, o lado teimoso do pai. Namjoon revirou os olhos, rindo mais uma vez ao pegar o acessório do chão e guardar na bolsa da menina, desistindo da ideia completamente. Trancou o carro e se dirigiu à escola, procurando pela cabeleira rosa característica de seu namorado.

O encontrou fazendo mudanças em um cartaz de última hora, escrevendo com uma caligrafia invejável os números que identificavam as turmas. Murmurava alguma coisa enquanto fazia tal, e só foi perceber Namjoon quando se virou para longe do cartaz e o viu, parado ali, parecendo adoravelmente perdido.

—Eu amo ser professor, mas não sinto falta nenhuma dessas loucuras nos dias de apresentação – comentou se aproximando do mais velho – Tá tudo pronto?

—Gostaria que estivesse. Se eu desistir de ensinar e virar produtor, você me contrata?

—Só se você me cumprimentar direito, hyung.

Jin riu e se aproximou ainda mais de Namjoon, deixando um breve selinho nos lábios do homem. Teoricamente, ainda estava trabalhando, então não poderia demonstrar afeto de maneira tão óbvia.

—Feliz agora? – Namjoon apenas assentiu, beijando o professor mais uma vez – Namjoon-ssi! Eu estou trabalhando.

—Me desculpa hyung, não pude resistir.

—Aproveitador – o rosado sussurrou, voltando sua atenção para Chae – Me prometa que não vai crescer e ficar igual ao seu pai, tá bom?

—Appa – a menina exclamou, apontando para o pai e abraçando-o. Jin olhou surpreso para o namorado, deixando que um sorriso se abrisse em seu rosto. O sorriso de Namjoon era ainda maior, cheio de orgulho e amor.

—Ela aprendeu hoje, faz uma meia hora – disse baixinho, a proximidade dos três era tanta que algo mais alto que um sussurro seria demais – Não parou de repetir.

—Namjoon-ah, isso é tão... – Jin riu encantado – Você me surpreendeu menininha – ele fez algumas cócegas na barriga da criança, que se contorceu no colo de Namjoon, tentando escapar. Porém, Chae não estava satisfeita em ter apenas uma primeira palavra: Assim que aquele “ataque” de cócegas acabou, ela estendeu os bracinhos em direção ao mais velho e exclamou:

—Jin – abriu e fechou as mãozinhas, pedindo colo – Jin, Jin.

—Ela disse meu nome – o professor sussurrou em choque - ela disse meu nome, Namjoonie.

—Eu sei amor – o apelido carinhoso escapuliu sem nenhum dos dois perceber – É que o tio Jin é muito importante para nós, né filha?

Aquela cena era tão bonita, tão familiar, que ninguém teve coragem de interrompê-la. Eles apenas saíram daquela bolha quando o evento começou, já que a qualquer momento as famílias chegariam e Jin ainda não estava pronto para expor seu namorado assim. Não por enquanto.

Era um show de talentos, e o professor logo se viu correndo de um lado para o outro, enlouquecido e tentando fazer sentido da bagunça que dias assim eram. Namjoon resolveu deixá-lo se concentrar no evento e se pôs a caminhar pela escola, já que sabia muito bem como era organizar uma apresentação daquelas: fora paraninfo de mais turmas do que podia contar e a arrumação sempre acabava caindo na mão dos pobres professores.  Era enlouquecedor, mas observar os sorrisos de seus alunos e os olhares orgulhosos dos pais fazia tudo, absolutamente tudo, valer a pena.

Em algum momento daquela manhã, Chae adormeceu em seu colo, cansada de todos os estímulos que aquele ambiente trazia. Namjoon se pegou sendo extremamente prático ao colocá-la (sem acordar) no canguru, tendo apenas a bolsa para carregar, e essa tinha se tornado muito menor e totalmente preta. A única coisa que a entregava como uma bolsa de bebê era o nome da menina bordado em azul escuro em um dos lados. Deus abençoe Park Jimin e suas ótimas escolhas de presentes.

Encontrou seu namorado apenas algumas horas depois, quando o show foi parado para que o almoço pudesse ser servido. Mesmo cansado, Jin se viu correndo para encontrar com o moreno. Essa coisa de se apaixonar realmente tinha o rejuvenescido.

—Então você encontrou minha sala – disse ao encontrar o mais novo visitando seu local de trabalho. Namjoon estava tão distraído com as pinturas dispostas nas paredes que não percebeu a entrada do professor, apenas notando a presença do rosado quando ele se anunciou. – Com fome?

—Um pouco – o moreno se aproximou do namorado, que estava parado no batente da porta – estava pensando em irmos ao restaurante do Jiminie, o que acha?

—Uma ótima ideia, eu não tenho que voltar de tarde mesmo – Jin depositou um beijo rápido nos lábios cheinhos de Namjoon assim que estava perto o suficiente para tal. Ele poderia passar horas olhando para aqueles lábios, era sua maior fraqueza. Tirando as covinhas, claro. – Você está muito sexy com esse canguru.

—Eu imagino – o produtor riu, ajeitando a filha no objeto – a vida de um pai, não é?

—Você nem imagina – o rosado riu – espera até ela estar andando antes de reclamar, Kim Namjoon.

Eles acabaram encontrando Yoongi e Hoseok também fazendo uma breve visita ao jovem chef, que fez questão de servir aquela mesa pessoalmente. Seu restaurante era grande se comparado aos seus vizinhos, mas Jimin ainda conseguia deixar seu toque em cada coisinha, e isso era totalmente visível para quem o conhecia. Yoongi, por exemplo, se descobriu apaixonado pelo modo com que o marido replicara o buquê que usou no casamento para o arranjo no centro da mesa.

Chae acordou assim que foram servidos, quase como se o cheiro da comida tivesse a despertado, e logo foi para o colo de Jin, que já tinha pegado o jeito de comer com uma criança curiosa tentando puxar tudo o que via para si. Acabou sendo alimentada pelos quatro adultos na mesa, uma vez que todos eram apaixonados por si, e até Jimin entrou na dança, gastando algum tempo a mais naquela mesa do que deveria. Mas, hey, Jimin era o chefe, ele fazia o que bem entendia naquele lugar.

Algumas pessoas apareceram, pedindo delicadamente para tirar fotos com Yoongi, que não recusou nenhuma delas. Os outros três nem se incomodavam de parar a refeição, o fazendo só para cumprimentar quem chegasse, e Chae sinceramente amava toda a atenção que recebia. Com oito meses e meio, já adorava estar nos holofotes, puxou a característica de seu pai.

Ela ainda estava no colo de Jin quando uma última pessoa se aproximou, e logo a foto foi tirada. A menina, que não podia ter mais de 16 anos, agradeceu diversas vezes a todos na mesa, e antes de ir, fez o dia de Namjoon um pouquinho melhor, apenas por dizer:

—Sua filha é linda, oppa.

Porém, ela não se referia a Namjoon, e sim a Jin. Não que isso o incomodasse, pelo contrário, era um erro comum.

O que fez o dia de Namjoon mais feliz foi o pequeno “obrigado” que seu namorado disse diante a declaração.



Notas finais do capítulo

Capítulo de fortes emoções! Primeira e segunda palavra da Chae, Namjoon chamando Jin de amor... Eu amo escrever essa fanfic, sério♥
Com amor, Pauline ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Rebirth | NamJin" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.