Rebirth | NamJin escrita por Pauline


Capítulo 11
City Of Stars, Are You Shining Just For Me?


Notas iniciais do capítulo

Boa noite pra quem se apaixonou totalmente pelo capítulo e esqueceu de postá-lo!
Minha semana foi tão louca que esqueci completamente da fanfic, e quando finalmente me lembrei dela, empolguei-me!

Música do Capítulo: City Of Star - Lalaland
Com amor, Pauline ♥



Seokjin esfregou os olhos mais uma vez, tentando se concentrar no que seu diretor falava enquanto sua mente vagava para os acontecimentos de duas noites atrás, quando aceitou ficar e dormir na casa de Namjoon.

Abençoado seja esse dia e o fato de Jin estar bêbado de sono. Um Jin plenamente acordado nunca teria aceitado ficar e Deus sabe onde seu relacionamento teria ido parar se o loiro tivesse recusado aquele convite.

Relacionamento.

Só essa palavra causou um sorriso bobo em Jin. Não tinham colocado um rótulo no que eram, até porque estavam ocupados com algo levemente mais importante no momento e o dia que seguiu esse momento foi cheio de trabalho para os dois. Não que Jin achasse rótulos importantes, afinal ele ainda mantinha um grande ponto de interrogação sobre a sua sexualidade e isso não o incomodava nem um pouco.

Mas ele queria tanto ser o namorado de Namjoon, poder chamar Namjoon de seu namorado, poder beijá-lo sem pedir permissão, poder segurar a mão do moreno, poder ser um casal. Tudo isso pintava uma imagem bonita na mente do professor, e ele sabia o quão fácil seria torná-la realidade. Jin estava completamente apaixonado por Namjoon e era recíproco, Seokjin só precisava de coragem para fazer aquele pedido.

Ele balançou a cabeça levemente, voltando à realidade apenas para ouvir algo sobre a regra de cores de cabelo. O diretor era novo e entendia as ondas da moda, assim como o fato dos professores também serem seres humanos com vidas pessoais extremamente diferentes. Por essas e outras, aquela escola era uma das mais acolhedoras de toda a Seul. Mesmo com os resmungos dos professores mais velhos, ensinavam a todos sem discriminação nenhuma e não eram poucos os alunos que antes eram considerados párias, deixados de lado por outras instituições de ensino. Jin se sentia orgulhoso por ser parte desse movimento.

Sorriu quando a reunião terminou, curvando-se para o jovem diretor e seus colegas. Juntou sua agenda e canetas rapidamente, jogando-as na bolsa que carregava para que pudesse sair o mais rápido possível. Enquanto disparava pelos corredores para chegar logo no seu carro, puxou o celular e se pôs a ligar para Hoseok, que há essas horas estava em casa se entupindo de alguma comida não saudável.

—É melhor você ter um ótimo motivo para ter interrompido meu encontro – o avermelhado disse assim que atendeu pouco ligando para honoríficos.

—Você está em um encontro? – o loiro perguntou em tom duvidoso, entrando em seu veículo, largando suas coisas no banco de carona.

—Sim, num encontro superimportante com a caixa de pizza que acabou de chegar aqui.

—Aigoo – o mais velho riu enquanto acenava para um de seus colegas – Como é que você tem abs quando só come porcaria?

—Correr atrás de crianças o dia inteiro dá nisso – Hobi riu também, imaginando a cara de indignado que Jin faria – Hyung, qual foi o nobre motivo de você me ligar?

—Não posso apenas estar com saudades de você?

—Não quando você demora séculos pra vir me visitar.

—Pare de ser dramático Hobi, eu te vi ontem – Jin revirou os olhos – Estou saindo da escola e vou passar aí, você nem ouse dizer não. Preciso de ajuda pra uma coisa.

—Eu disse! Sempre tem um interesse nas vezes que fala comigo! – o mais velho podia ver Hoseok revirando os olhos – Mas se for o que eu estou pensando, tenho a tinta aqui.

—Você lê pensamentos Hobi. Chego em cinco minutos.

 Kim Seokjin é lindo, isso é um fato inegável, mas de alguma maneira, aos olhos de Namjoon, ele parecia ainda mais lindo naquela noite.

Quer dizer, talvez fosse uma miragem com todas as luzes da rua servindo de halo logo atrás de seus cabelos tingidos em um rosa delicado. Ou talvez fosse o fato de que Kim Namjoon estava perdidamente apaixonado.

Agora o produtor se sentia feliz em ter escolhido as flores em um tom mais claro de rosa, ao invés do vermelho que tinha chamado sua atenção. As rosas no buquê que trazia combinavam perfeitamente com os fios de Jin.

—Wow hyung – sussurrou fazendo o mais velho corar – Agora me sinto mal vestido.

—Yah, tudo isso por uma cor de cabelo? – riu para disfarçar a vergonha – Vamos?

—Claro. Isso é pra você hyung – Namjoon entregou o buquê, corando fortemente ao receber um grande sorriso de Jin. Era tímido, mesmo que não parecesse.

Entraram no carro de Namjoon e o rosado se distraiu rapidamente com as rosas, levando o buquê ao rosto para que pudesse sentir o perfume da mesma diversas vezes. Quando não estava fazendo isso, se perdia observando o homem ao seu lado. Namjoon estava sempre tão lindo, parecia impossível o moreno se mal vestir em qualquer ocasião. Mal sabia que o produtor tinha passado um pouco mais de duas horas se arrumando enquanto Yoongi tentava convencê-lo que aquilo não era necessário, já que os dois se conheciam muito bem.

Mas de nada adiantou. Para Namjoon, havia poucos momentos mais importantes do que o primeiro encontro, e com Jin não seria diferente.

—Eu consigo sentir você me olhando hyung – o moreno disse, cortando o silêncio confortável que tinha se instalado no carro. Olhou para Jin, que sorria pequeno por ter sido pego. – Gosta do que vê?

—Estaria louco se dissesse que não – aproveitou que estavam parados no tráfico para acariciar delicadamente a bochecha de Namjoon, fazendo um sorriso surgir, assim como uma covinha. – Mas você ainda não me disse onde estamos indo, Namjoon-ah.

—É uma surpresa.

—Wah – Jin exclamou – Eu não sabia que um lugar assim existia em Seul.

—Nem eu – Namjoon sorriu abobado para o céu cheio de estrelas – Vim aqui por pura indicação do Yoongi hyung, ele estaria muito ferrado se não fosse um lugar bom.

Estavam em um restaurante afastado da cidade. E quando dizem afastado, quer dizer afastado mesmo. As luzes de Seul se misturavam com as estrelas, apenas mais um pontinho no horizonte. A iluminação leve no restaurante, apenas o suficiente para ver o que se estava fazendo, criava uma atmosfera gostosa, e a noite estrelada fazia o lugar ser ainda mais aconchegante.

—Então Yoongi está a salvo – o mais velho sorriu, recebendo um olhar curioso do outro – eu adorei.

Jantaram em silêncio, aproveitando a companhia um do outro, e não se colocaram um limite de tempo no local. Chae estava sendo muito bem cuidada pelos padrinhos, Jin tinha o dia de folga e Namjoon era o próprio chefe, fazendo seus horários como bem entendesse. Ficaram até o mais velho bocejar, sonolento pelo dia longo na escola. Só então pediram a conta e se puseram a caminhar de mãos dadas até o carro.

Antes que pudessem entrar no veículo, Namjoon puxou Jin para perto uma última vez, sorrindo apaixonado para o rosto confuso de seu hyung.

—Jin-ssi, eu preciso te fazer uma pergunta.

—Não pode ser outro dia? Eu to morrendo de sono, Namjoon-ah.

—Não – o mais novo riu – Não pode ser outro dia. Eu sei que nós não demos um nome para o que somos e não sei o quanto disso é porque não estamos prontos pra um relacionamento ainda... – ele respirou fundo, tentando não tagarelar – mas eu quero que sejamos oficiais, sabe? Quero poder dizer que sou seu namorado e te apresentar como tal quando alguém perguntar, eu quero você na minha vida, e não só como um amigo. Jin hyung, eu quero você como meu namorado, você aceita?

Jin tinha um sorriso enorme no rosto quando assentiu repetidas vezes. Abraçou o moreno apertado e sentiu aquele calor gostoso no peito. Aquele calorzinho de amar e ser amado. Nem percebeu quando Namjoon deslizou uma aliança em seu dedo, mas durante todo o caminho de volta a admirou, como o metal frio da prata combinava com as rosas que ganhara e com seu tom de pele. Veio reparando em como ele e Namjoon se completavam sem querer, e se isso não fosse destino, Jin não sabia o que o destino era.

Kim Seokjin era o namorado mais sortudo do mundo, e as estrelas daquela noite de Seul estavam de prova.



Notas finais do capítulo

NAMJIN ESTÁ NAMORANDO VAMOS COMEMORAR EM COPACABANA BRASIL
Mentira, Copacabana é longe demais pra mim, no máximo vou comemorar em POA hehe

Com amor, Pauline ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Rebirth | NamJin" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.