Rebirth | NamJin escrita por Pauline


Capítulo 10
I Will Love You Unconditionally


Notas iniciais do capítulo

Boa tarde pra quem anda viciando a irmã mais velha em BTS! Sem vergonha nenhuma inclusive.
Esse capítulo foi escrito em um computador diferente, então se tiver algum erro de digitação me perdoem! É difícil se acostumar a um teclado diferente!

Música do capítulo: Unconditionally - Katy Perry
Com amor, Pauline ♥



Era oficial: Kim Namjoon e Kim Seokjin estavam num encontro.

Quer dizer, se comer sem trocar uma palavra enquanto Chae tirava um cochilo no quarto ao lado pudesse ser considerado um encontro, eles estavam em um encontro.

—Jin hyung, eu já disse que você é o meu herói? – o moreno exclamou animado ao ver que o mais velho trouxera comida novamente.

—Não exagere Namjoon-ssi – Jin revirou os olhos – Só estou cumprindo meu dever como um bom hyung.

—E eu achando que você vinha me visitar porque gostava da minha companhia – fez um biquinho, se encolhendo levemente.

—Eu só venho aqui por Chae-Won – o loiro provocou, logo caindo na risada. Namjoon, mesmo querendo parecer bravo, não se aguentou e riu também, fechando seus olhos em um eye smile adorável. Cobriu a boca, tentando se controlar, o que apenas o deixou mais fofo na opinião de Jin, já que agora o moreno estava reduzido a um eye smile e covinhas. – Yah, é óbvio que eu venho aqui por você, Namjoonie.

O mais velho esticou o braço direito para que pudesse fazer carinho na bochecha de Namjoon. Não precisou de muito, já que os dois estavam sentados frente a frente na cama de casal do produtor, perto o suficiente para que o mais novo pudesse notar as leves sardas no rosto de Seokjin.

—Hyung, você foi sempre bonito assim? – perguntou deixando a vergonha completamente de lado. Jin riu baixinho negando, o rosto pegando fogo de timidez.

—Já fui muito mais bonito do que estou hoje – ele recolheu a mão, observando os dedos – Não sou mais tão jovem assim. É o preço da idade, não é?

—Yah, cadê a confiança que Jimin sempre fala? – o moreno encarou seu hyung quase com um olhar bravo, encontrando uma expressão confusa no rosto de Jin – Não foi você que se autodominou bonito no mundo todo?

—Eu estava bêbado! Aigoo – escondeu o rosto nas mãos – eu vou matar Park Jimin!

—Não posso permitir isso – Namjoon falou sério – Se você matar Jimin, você vai preso, e como é que eu sobreviveria uma semana sem a sua comida?

—Aish – Jin tirou as mãos da frente do rosto – você é um grande aproveitador, sabia?

—Ah é?

—É! Você se aproveita do meu grande coração bom e ganha comida, ganha ajuda, ganha carinho – Jin começou a listar nos dedos, fazendo Namjoon rir baixinho. Ele até prestaria atenção se soubesse que o mais velho estava bravo de verdade, mas esse não era o caso.

Puxou delicadamente o loiro pela nuca, sentindo-o arfar. Eles estavam apenas a centímetros de distância agora.

—Posso? – o moreno pediu baixinho. O desejo em seu peito era enorme, porém não faria nada sem a permissão do mais velho.

—Por favor – Jin respondeu.

E então os lábios se conectaram em um beijo doce, cheio de novidade e paixão ardente, compartilhada pelos homens. Namjoon podia jurar que a boca de Jin tinha um gosto adocicado, ou talvez seus sentidos (que tinham entrado em curto-circuito no momento que os lábios se encostaram) estivessem completamente cegos pelo cheiro doce que emanava do cabelo loiro.

Não que Jin estivesse se sentindo muito diferente. Tinha levado a destra para a bochecha do mais novo novamente, embriagado pela sensação das mãos do produtor o segurando perto, não deixando que ele se afastasse. Sentia-se nas nuvens, de verdade, e queria por mais que tudo que aquele momento nunca acabasse. Que ele e Namjoon pudessem ficar ali, compartilhando daquele instante, para sempre.

Mas a realidade resolveu que era hora de acabar com o contato. Puderam ouvir Chae começar a chorar no outro quarto e se afastaram, as respirações e os corações igualmente acelerados. Os olhos se encontraram por um segundo e um sorriso tímido surgiu no rosto de Namjoon, assim como um igualmente tímido, porém animado, nas feições de Jin.

—Eu vou buscar Chae – sussurrou – e nós vamos conversar sobre isso.

—Leve ela na cozinha, provavelmente é fome – o loiro sussurrou, fechando os olhos quando o mais novo pressionou um beijo em sua testa antes de sair do quarto. Respirou profundamente, tocando os lábios com a ponta dos dedos, um sorriso bobo invadindo o rosto novamente. Pegou seu celular, que tinha sido esquecido ali em algum momento, e enviou uma mensagem para o grupo que tinha com Taehyung, Jimin e Jungkook, da época em que o mais velho tinha recém se mudado para Seul. Deixou o aparelho ali, já que ele seria bombardeado com perguntas, e foi em direção à cozinha, encontrando Namjoon a ninar Chae.

—Não acho que ela vá dormir de novo – o moreno disse baixinho – mas tinha que tentar.

—Não desse jeito – Jin riu, afinal nunca vira os olhos de Chae tão acessos. A menina, como resposta, abriu um sorriso e estendeu os braços para que o mais velho a pegasse, o que aconteceu rapidamente – Não consegue mais dormir, princesa?

Ela balbuciou algumas sílabas desconexas de volta antes de deitar o rostinho no ombro do loiro, que prontamente beijou o cabelo de Chae, indo automaticamente procurar algo para a menina comer na geladeira, afinal, mais cedo naquele mesmo dia, tinha preparado vários potinhos para que Namjoon não precisasse se preocupar com isso.

O moreno observou a cena encantado. Ele amava ter sua própria casa e tinha muito orgulho de ser um pai solo bem sucedido, mas com Jin ali, cuidando de Chae de um jeito quase maternal, não pode deixar de perceber o quanto eles pareciam uma família.

Esse pensamento fez com que mais um sorriso surgisse no rosto de Namjoon.

Jin desligou o abajur ao lado do berço de Chae, saindo do quarto lentamente. Beiravam às dez da noite e ele precisava ir para casa. Certo, o dia seguinte era seu dia de folga, mas ele estava tão cansado que mal se considerava capaz de dirigir até a sua residência. Foi até a sala se espreguiçando, tentando acordar ao menos um pouco, apenas para encontrar Namjoon o esperando de braços cruzados na sala.

—Então, até um dia que combinarmos – disse em tom de despedida, estendendo seu braço para pegar o casaco que deixara no sofá, apenas para ter seu pulso segurado pelo mais novo.

—Fica.

—Namjoonie, eu tenho muita coisa pra fazer amanhã... – o professor começou a argumentar com a voz manhosa de cansaço.

—Fica hyung, por favor – o moreno pediu de novo – Você tá tão cansado que não é seguro te deixar dirigir.

—Mas...

—Além do mais, eu posso te ajudar com qualquer coisa que você tenha que  fazer amanhã, nós temos que conversar sobre hoje e... – Namjoon engoliu em seco, tropeçando nas palavras – eu quero você comigo hoje. Fica por favor.

O loiro não teve muito que dizer depois disso, e nem se lembrava da suposta conversa que tiveram. Apenas se lembrava de dormir confortavelmente sobre o peito de Namjoon, com os braços do mesmo apertados ao redor de si. Se aquilo fosse errado, Jin erraria sorrindo.

Namjoon resmungou ao ser acordado pelo seu celular tocando cedo na manhã seguinte. Mexeu-se cautelosamente para não acordar Jin, que ressonava tranquilamente abraçado a um travesseiro, e atendeu ao telefone sem olhar quem o ligava.

—Alô?

—Kim Namjoon, como você pode dizer que eu sou seu melhor amigo sendo que descubro que você finalmente beijou o Jin hyung pelo meu marido? – Yoongi gritou do outro lado da linha.

O moreno esfregou os olhos rindo. Teria que explicar muito para seu hyung, mas estava feliz por poder fazê-lo enquanto observava Jin dormir ao seu lado.

Melhor ainda porque o loiro não usava roupa alguma.



Notas finais do capítulo

NAMJIN SE BEIJOU PELA PRIMEIRA VEZ!!! BOTEM ESTOURAR FOGUETES EU DEIXO!!!!!! E fizeram outras coisinhas também (aquela carinha).
Amo vocês.
Com amor, Pauline ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Rebirth | NamJin" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.