Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 9
Dormitorio




 

 

 

 

 

 

 

 

Uma mulher, de cabelos loiros até o ombro, com um vestido justo vermelho, sem sapatos, com o corpo todo sujo de terra acordou por um momento, tentando reconhecer onde ela estava. Quando ela tentou se mover ela se viu presa em amarras. Ela estava deitada em uma maca cirúrgica. 

A mulher começou a olhar em volta, o local era mal iluminado, onde ela mal podia ver os moveis e os objetos que tinham no local. Ela começou a ficar nervosa. O que estava acontecendo? Onde ela estava? Só havia luz em uma escadinha perto da porta. Ela parecia estar no porão de alguém. 

Não, aquilo nao podia acabar assim. Ela tentou se soltar, mas nao conseguiu. Devia ter alguma coisa que ela pudesse fazer. Alguma fuga.  Ela ouviu passos de alguém descendo a escada. Um homem olhou para ela e ficou em silencio. O coraçao da mulher começou a bater mais forte.

Ele lentamente se aproximou dela e tocou no seu pescoço para checar seus batimentos vitais. A mulher ficou ofegante e lagrimas encheram em seus olhos.

— Por favor.. Nao faça isso.. - Disse ela em sussurro

O homem ficou em silencio.

— Por que voce está fazendo isso?! Por que?! Me tire daqui!

O homem continuou em silencio e aquilo deixou a mulher ainda mais nervosa.

— O que voce quer?! Me diga.. Por favor.. - Suplicou a mulher, entre lagrimas

O homem ficou em silencio e tocou no braço dela para sentir a rigidez. Ela ficou mais nervosa ainda e começou a gritar. Mas logo foi silenciada por uma bofetada no rosto. Ela ficou em silencio com os olhos arregalados, o rosto começando a inchar. O homem fez carinho no rosto dela e depois se distanciou, subindo as escadas e fechando a porta.

A mulher olhou para o lado e tentou mexer as mãos. Ela tinha que sair dali, ela precisava..

Enquanto isso, Matt celebrou um placar que ele tinha feito. Ele estava orgulhoso de si mesmo. A multidão começou a vibrar e ele ergueu os braços para cima em pura vitória. Seu celular começou a tocar no bolso. Ele se distanciou um pouco do jogo e atendeu o celular.

— Alo? Donovan? Eu já vou desligar, voce nao vai.. O que?! 

Lisa estava sentada na cama de Mayra Simons lendo seu diário. Quanto mais lia, mais ela percebia que Mayra era uma adolescente confusa que estava fazendo péssimas escolhas na vida. Mas será que isso era bastante para que ela tenha se envolvido em algo com Chad? Ele teria feito alguma coisa contra Mayra? O que ele teria feito teria ligação com Becky? Vários pensamentos inundavam a mente de Lisa.  Ela foi surpreendida por Matt que bateu na porta.

— Até que enfim achei voce.

— Matt! Que susto! O que voce faz aqui? Nao devia estar aproveitando o jogo?

— Já aproveitei, Parker. Temos trabalho pra fazer.

— Como assim?

— Há um desaparecimento.

Lisa olhou para Matt surpresa. Ele estava serio.

Enquanto isso, Donavan e outros policiais estavam no muro onde a prostituta tinha sido vista por uma ultima vez.  Havia um sapato de salto vermelho e uma carteira de identidade deixada para trás. Donavan limpou a testa suada e colocou a mão na cintura.

— Até então pode ser caso de desaparecimento, ou até mesmo ela poderia estar tão bêbada que deixou os pertences dela por aqui.

— Voce acha mesmo isso? - Perguntou o policial

— Voce sabe como essas prostitutas são. Nao me admiraria em nada ela ter apenas largado as coisas dela por aqui. Honestamente, acho que estamos perdendo nosso tempo, nao sei porque locais foram comunicar esse desaparecimento.

— Clarker pediu para investigar.

— E é só por isso que estou aqui, Ethan.

Ethan olhou para Donanvan e suspirou. Ele era novo na corporação e foi designado para ser parceiro de Donavan. Por mais que os dois se dessem bem, ele nao conseguia entender Donovan as vezes. 

— Vamos aguardar aqui até a dupla de bobões chegar.

Donavan olhou para frente com uma expressão seria.

Enquanto isso, Lisa estava chocada olhando para Matt.

— Como é que é?

— Isso mesmo que voce ouviu. Houve um desaparecimento. Temos que fazer nosso trabalho. Vamos Parker.

Lisa se levantou e seguiu Matt para fora do dormitório.

— O que aconteceu, Matt?

— Eu nao faço ideia. Só que Donavan me ligou me comunicando do desaparecimento de uma mulher em um beco de uma rua do centro de Nova York. De alguma forma, Clarker pediu para investigar.

— Mas eu nao entendo.. Não somos do departamento de desaparecidos. Por que isso seria nosso caso? - Questionou Lisa

— Depois das duas ultimas vitimas, o departamento de desaparecidos achou melhor fazer uma operação em conjunto, porque pode ser..

— Nosso assassino. - Complementou Lisa

— Exatamente. - Matt olhou para frente seriamente

Enquanto isso, já estava anoitecendo, e a mulher estava cada vez mais nervosa. Tudo era tão silencioso que ela nao sabia o que esperar, mas só de uma coisa ela sabia: de um jeito ou de outro ela precisava sair dali. Mas a questão era como? Aquele homem, seja ele quem fosse, estava determinado em mantê-la ali. 

A mulher olhou para os lados em uma tentativa desesperada de achar alguma forma que a pudesse se livrar de seu novo cativeiro. Mas o que ela podia fazer? Ela tentou mexer nas mãos que estavam presas na maca. E se o homem voltasse? Ela decidiu ficar quieta e ela tinha razão, nao demorou muito até que o homem destrancasse a porta do porão e descesse as escadas. Ele carregava alguma coisa. O homem colocou o que ele estava segurando em uma mesa ao lado da maca.

A janela atrás da mesa iluminou um pouco e a feição de nervosismo da mulher, mudou em puro espanto ao ver cabeças de bonecas. Ela começou a gritar. No meio da escuridão a única coisa que podia se ver era o sorriso perverso do homem. 

Enquanto isso, Lisa e Matt caminhavam até o carro de Matt. Lisa tocou nas suas costas e parou.

— Droga!

— O que foi, Parker? - Perguntou Matt, olhando para ela

— Esqueci meu distintivo lá dentro.

— Como voce é desastrada, Parker. Vamos lá buscar.

— Ei, eu estava sob muita pressão.

— É, eu também, naquele jogo que voce inventou de me por para participar.

— Ah, vai me dizer que nao divertiu?

— Claro que me diverti, mas estou no meu horário de trabalho. Nao é para.. -

— Espera, Matt. Voce ouviu alguma coisa? - Sussurrou Lisa, colocando um braço na frente dele

— Ouvi. E ouvi muito bem. - Disse Matt já com a mão perto da arma

Lisa rapidamente entrou no quarto e viu alguém de capuz pegando o celular de Mayra. Lisa ficou chocada. A pessoa estava na janela, quando viu Lisa, ela pegou umas cadeiras e jogou no chão e correu. 

— Ei! - Exaltou Lisa

Lisa rapidamente saltou os obstáculos e foi atrás da pessoa misteriosa. Matt ficou surpreso com a agilidade de Lisa, a seguindo também. A pessoa misteriosa corria entre os corredores, atirando obstáculos para dificultar que Lisa alcançasse. 

A pessoa misteriosa continuou correndo. Lisa rapidamente saltou outro obstáculo, saltando para cima da pessoa. Matt nao perdeu tempo e apontou a arma para ela.

Lisa estava ofegante. Ela se levantou rapidamente e sacou sua arma.

— Vamos mostre-se! Quem é voce?!

A pessoa abaixou o capuz.

— Andy?!

Matt ficou do lado dela com a arma apontada para ela, enquanto Lisa a olhava chocada.

 

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.