Personas in my Ice Heart escrita por Haruyuki


Capítulo 4
Mask 4 ~ The Home (O Lar)


Notas iniciais do capítulo

~ Novos personagens!
~ No jogo, Àrsene tem limite de skills. Eu irei adicionar outras para balancear com Zorro.



A sorte parece que está ao meu lado. É fim de semana e decido ajudar novamente no restaurante dos Katsukis, após aprender com a professora Katsuki a criar Lockpicks. Eu compro alguns remédios na farmácia local, tanto para os meus machucados quanto para navegar. Deveria ser uma noite qualquer mas, para a minha surpresa, Hiroko-san me leva até uma mesa onde uma mulher alta e magra, com cabelos castanhos presos em um coque e maquiagem no rosto se alimenta.
"Lília-san, este é Yuuri-kun, de quem eu lhe falei antes." Hiroko-san diz, me deixando embaraçado. "Você pode dar uma olhada nos machucados dele?"
Velho a mulher me olhar de cima para baixo e prendo a respiração.
"Muito bem. Iremos em breve." Ela diz, e eu me sinto mais aliviado.
Logo, eu a acompanho até a clínica dela, em silêncio.
"Quem bateu em você?" Ela pergunta, me pegando de surpresa.
"Alguém." Respondo, com um sorriso no rosto.
"Você ainda é menor de idade. Prestou queixas?" Ela pergunta, me olhando.
"Eu não posso."
"Por quê?"
"Porque eu sou um criminoso." Respondo, dando de ombros.
"Você é?" Ela pergunta, franzindo a testa para mim.
"Quem sabe?"
...
Lília-san na verdade se chama Lília Baranoskaya. Na parede de sua clínica, percebo diplomas e certificados. Olho em volta, aproveitando que ela está se preparando para me atender, e me sinto estranhamente à vontade naquele lugar.
"Venha." Ela me chama e eu a acompanho.
Quando revelo para ela que comprei medicamentos aleatórios, ela me deu bronca.
"Você não deve sair comprando remédios assim, aleatoriamente, sem antes visitar um médico. Eu vendo remédios melhores, então venha para mim sempre que precisar. Meu estoque no momento é limitado devido à certos problemas que estou passando, mas posso te ajudar com seus machucados. Você está muito magro para o meu gosto, então tome aqui vitaminas e soro em pó." Ela fala, me estendendo uma sacola com os remédios em questão, após eu pagar para ela. "Fale para Hiroko e Toshiya o alimentar bem, garoto."
"Muito obrigado." Digo, satisfeito.
De repente, o celular dela toca e eu me despeço. Mas antes de fechar a porta atrás de mim, acabo escutando.
"...Não me interessa! Eu preciso de fundos para minha pesquisa, você sabe disso! Não faça isso, por favor..."
Eu respiro fundo e me afasto. Já está ficando tarde e não quero preocupar os Katsukis.
~x~
Domingo chega e hoje, decido pedir para Toshiya-san me ensinar a cozinhar. Quando desço, o vejo se preparando para fazer nosso café da manhã.
"Toshiya-san, Ohayo." Digo, me aproximando dele. "Posso ajudar a fazer o café da manhã?"
"Claro, venha aqui." Ele fala, abrindo uma gaveta e me estendendo um pano vermelho dobrado... Um avental?
"Eh?" Pergunto, surpreso.
"É seu." Ele diz e eu o pego, o abrindo.
"Arigatô Gozaimasu." Digo, emocionado.
Eu visto o avental, com um pouco de dificuldade. Logo, Toshiya-san me ensina onde estão cada igrediente e utensílios, ates de preparar arroz, misoshiro, tamagoyaki, peixe frito. "Você pode usar a cozinha nas manhãs, antes de ir para a escola. Como está começando agora, é bem provável que sua comida saia do mesmo jeito que a minha, que tem anos e anos de prática. Não desanime e continue praticando sempre." Ele diz, e eu afirmo com a cabeça. "Agora, por que não tenta preparar seu café da manhã com o que eu ensinei?"
"Ei, Toshiya-san." Digo, olhando para a mesa cheia de igredientes. "Eu vou trabalhar duro aqui no restaurante, em troca de usar seus ingredientes."
"Yuuri-kun, você não precisa." Ele diz, sério.
"Eu preciso sim, Toshiya-san. Eu preciso."
...
Como Toshiya-san disse, a comida que eu preparei não tinha o mesmo sabor que o dele, mas segundo ele, me saí melhor do que ele esperava. Quando Hiroko-san soube disso, ela gritou de felicidade. E então, vejo surgir em cima da mesa.


Arcada Update: The World ~ Nivel 02


O resto da comida, coloco em um pote e a sopa, em uma garrafa térmica. De volta no meu quarto, abro minha mochila e coloco os remédios, os Lockpicks, a garrafa e o pote dentro. Pego o meu celular e ativo o aplicativo de navegação.
"Phichit Chulanont. Café Leblanc. Lar."
"Três andares liberados. Iniciando navegação."
~x~
Eu e Morgana avançamos por entre os Shadows, os derrotando com facilidade. Com as Lockpicks, abro os tesouros e acesso portas antes trancadas. Fico cada vez mais e mais forte, com o suporte de Morgana.
E então, finalmente chego em uma porta brilhante.
"Bom trabalho, Eros. Atrás dessa sala, se encontra o tesouro do Palácio." Morgana diz, satisfeito. "Para acessar ele, precisamos da permissão do dono do Palácio no mundo real. Você disse que tinha algo em mente."
"E tenho." Digo, amostrando para ele um papel retangular médio, vermelho, com o desenho de minha máscara, e o nome Phichit Chulanont escrito. "Isto aqui é um Calling Card, um convite que ladrões famosos usam para se convidar quando pretendem assaltar algo. Geralmente eles entregam para a polícia ou para o dono do local a ser furtado."
"Que idéia brilhante!" Morgana grita, animado. "Só precisa entregar agora."
"Pode deixar comigo."
~x~
Está anoitecendo e mesmo cansado, pego o cartão e coloco dentro do livro dele, e saio em direção ao café, que está aberto. Eu entro, sendo recebido por um homem de longos cabelos castanhos presos em um rabo de cavalo e olhos verdes.
"Seja bem vindo ao Café Leblanc." Ele diz para mim, estendendo uma xícara de café para um homem que está sentado no balcão de cabelos prateados.
"Boa noite." Digo, me sentando em uma das mesas do café e colocando o livro em cima dela. "Café com leite, duas colheres de açucar e um sanduíche de queijo com presunto, por favor."
"Imediatamente." Escuto, e pego meu celular e meus fones de ouvido, já me preparando para assistir novos episódios de Kaitou Kid.
"Aqui está." Escuto, vendo o homem me servir o que pedi e notar o livro na mesa.
"Muito obrigado." Falo, notando que o homem me olha.
"Você... Não estava envolvido no acidente na estação de trem dias atrás?" Ele diz, se virando.
Eu o reconheço como o homem do lado de fora da estação naquele dia, e afirmo com a cabeça.
"Oh, eu estava preocupado com você. Depois que te deixei no hospital, não tive mais notícias. Mas você me parece bem melhor."
"Sim, estou." Digo, me curvando para ele. "Muito obrigado por me levar para o hospital e me desculpe por qualquer incômodo que eu tenha causado."
"Incômodo?" Ele pergunta, surpreso.
"Sim, incômodo." Digo, bebendo um gole do café, adorando o sabor dele.
De repente, o celular dele toca, o fazendo soltar um longo suspiro.
"Da, da." Ele diz, se levantando. "Celestino, aqui está o dinheiro do meu café."
"Obrigado pela preferência!" O homem, de nome Celestino, acena para o outro, que sai do café.
Ele então me olha e cruza os braços.
"Você é novo aqui, não é?" Ele pergunta, me olhando friamente.
"Meu nome é Yuuri Kunogi. Estou morando com os Katsukis e fui transferido para a escola Shujin." Digo, finalizando o sanduíche. "Eu encontrei esse livro dentro da minha mesa e depois de falar com a professora Katsuki, ela me disse de quem era o livro e onde ele mora. E eu estou aqui apenas para devolver ele, nada de mais."
"Deixe o livro ai, que eu entregarei para ele." Celestino diz, eu abro um sorriso.
"Muito obrigado." Digo, bebendo o resto do café e deixando o dinheiro na mesa. "Estava delicioso. Gostaria de aprender a fazer um café assim um dia desses."
Ele ergue a sobrancelha para mim, surpreso.
"Obrigado pela preferência." Ele diz, e eu saio do café.
~x~
Celestino sobe as escadas que dá para o sótão do café e deixa o livro em cima de uma mesa.
"Alguém da sua escola veio deixar isso. Um aluno transferido, que aparentemente se senta na sua mesa agora." Celestino Cialdini diz, para o garoto que está concentrado em uma das telas de seu computador.
Sem ver nenhuma reação, Celestino solta um longo suspiro e desce as escadas, deixando-o sozinho. Horas depois, o garoto se levanta e nota o livro, se assustando. Ele o abre e vê o cartão vermelho, o pegando e o virando.
"Prezado senhor Phichit Chulanont,
Você está perdido na escuridão, sem saber que caminho deve trilhar. Você está isolado, cego, e não consegue ver as mãos estendidas na sua direção, prontas para te ajudar. Você quer continuar assim? Você pode. A escolha é totalmente sua. Mas se você quiser mudar, você também pode. Me permita roubar de você essa dor que te assombra todos os dias.
Se você quiser mudar, se aproxime da janela.
Ladrão Fantasma Eros."
...
Phichit olha da carta para a janela, hesitante. Ele leva as mãos nos ouvidos, ouvindo novamente as vozes que o culpam da morte de sua mãe. Vozes que o pertubam diariamente.
Ladrão Fantasma Eros... Ele pode me ajudar mesmo?
Lentamente, Phichit Chulanont se aproxima da janela. Lá, ele percebe alguém olhando para ele. Alguém que acena para ele e se afasta, para a surpresa dele.
~x~
Assisto as aulas normalmente, faltando apenas Educação Física por causa dos meus machucados. Sigo para fora da escola, vendo que está chovendo e retiro meu guarda-chuva da mochila. Mas antes que eu pudesse o abrir, vejo uma aluna com feições orientais e estranhos machucados no rosto olhando de um lado para o outro.
"Você está bem?" Pergunto, a assustando.
"Oh, eu... Estou sim." Ela diz, e eu noto que ela se treme.
"Você não tem guarda-chuva?" Pergunto, abrindo o meu.
"Não, eu acabei me esquecendo." Ela diz, e se surpreende quando eu estendo o meu para ela.
"Pegue." Digo, a vendo balançar a cabeça. "Pegue."
Ela, timidamente, pega o guarda-chuva da minha mão, abrindo um sorriso.
"Muito obrigado." Ela diz, dando dois passos para frente e se virando para ele. "Meu nome é Chihoko Nakamura."
"Yuuri Kunogi." Digo, a vendo se afastar.
Sem saber que alguém também estava nos vigiando.
De volta para casa dos Katsukis, me tranco no quarto e começo a navegar.
~x~
Finalmente pude acessar o quarto andar, que segundo Morgana, estão o dono do Palácio e o Tesouro. Tesouro esse que é um estranho CD, o que me faz franzir a testa.
"Quem ousa invadir minha sala do tesouro?" Escuto, olhando em volta à procura do dono da voz. "Oh."
"Eros, olha ali!" Escuto, e então vejo um...Hamster gigante?
Salto para a direita, desviando do ataque dele.
No meu ombro, Morgana me auxilia com itens de cura enquanto eu me concentro em atacar ele direto.
"Eiga!" Grigo, usando uma das novas habilidades de Àrsene, ja trocando por Zorro. "Garula!"
Enfrentar o Boss Hamster(??) não é algo fácil, logo percebo. Sinto que se não fosse por Morgana, com certeza não sobreviveria. Preciso ficar ainda mais forte. Mais e mais forte.
E então, depois de muito suor, finalmente eu derroto ele. 
"Esplêndido, Eros. Agora, vamos pegar o tesouro." Morgana fala.
De repente, um alto som de diversas pessoas gritando ecoa ao meu redor, me assustando. 
"Parem de gritar!" Escuto, notando um garoto de pele escura e cabelos negros de joelhos no chão, chorando. "Eu já sei que é minha culpa que mamãe morreu!"
"Phichit Chulanont?" Pergunto, o vendo erguer o rosto e me olhar com olhos dourados brilhantes.
"Você é... Ladrão Fantasma Eros?" Ele pergunta e eu abro um sorriso.
"Eu sou." 
"Você disse que ia me ajudar. Mas como? Eu não quero mais continuar sofrendo." Ele e eu respiro fundo, indo até ele e me ajoelhando.
"Eu não posso te ajudar com as vozes. Elas certamente irão te pertubar por um tempo. Mas eu posso te ajudar a enfrentar elas, se você quiser." Digo, olhando para ele firmemente. "Se você aceitar ser meu amigo."
"Você quer ser meu amigo?" Ele pergunta, surpreso.
"Eu quero." Digo, estendendo a mão. "Agora, você.quer ser meu amigo?"
"Eu... Eu não tenho amigos." Ele diz, voltando a chorar.
"E nem eu." Digo, o assustando. 
"Então... Posso ser seu amigo?" Ele pergunta, me fazendo dar risada.
"Mas é claro!" Digo, e ele sorri.
"Ótimo." Ele se levanta, pega o Tesouro e me entrega. "Entregue isso para o meu eu verdadeiro. Assim poderei me juntar a você."
"Eh?" Pergunto, surpreso.
"Eros! O Palácio está se desmoronando!" Morgana diz e eu sigo correndo em direção à saída.
"Encerrando totalmente a navegação para Phichit Chulanont, Cafeteria Leblanc e Lar para usuário Yuuri Kunogi. Trasportando usuário para o mundo real junto entidade desconhecida."
Quê...?



Notas finais do capítulo

Status
Compendium active
Personas: 02 - active
Arcana Bonds: 04
Masks: 04 - Max Persona Limit
Hearts Changed: 00

Arsene - fim do dia
Nível: 23
Poderes: Eiga (Maldição), Cleave (Físico), Sukunda (de-buff), Dream Needle(Físico), Invigorate 1 (Passivo), Maeiha (Maldição), Counter (Passivo)

Zorro - fim do dia
Nível: 24
Poderes: Garu (vento), Diarama(Cura), Me Patra(Cura Status), Media(Cura), Lucky Punch(Físico) e Magaru(vento)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Personas in my Ice Heart" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.