Desaparecidos escrita por Gabriela Germano, Indignado Secreto de Natal


Capítulo 5
Desaparecidos




Professor e aluna de Hogwarts são dados como mortos, após um ano desaparecidos.

 

"Severus Snape e Luna Lovegood sumiram após entrarem na Floresta Proibida localizada nos terrenos de Hogwarts. Com diferença apenas de duas semanas do desaparecimento de um para o outro, caso é encerrado pelo Quartel-General de Aurores. Leia caso completo na página 15".

 

— Fomos dados como mortos, acredita? — Questionou Severus, enquanto lia o jornal e tomava um chá de ervas que ele não fazia a miníma ideia do nome. — Não sei se fico feliz ou triste por isso.

 

Luna só riu, pegando o jornal na mão do homem a sua frente e o colocando na mesinha central junto com dois livros que estavam ali.

 

— Vamos nadar na cachoeira, Severus? — Pediu, vendo-o suspirar aborrecido com o pedido. — Por favor, não custa nada. Você pode ficar apenas sentado lendo, mas me faça companhia.

 

Durante aquele ano de convivência extrema, Snape havia pegado o maldito habito de não conseguir negar nada para Luna. Ela pedia e ele fazia, mesmo que os pedidos fossem incabíveis como aquele.

 

— Severus isso, Severus aquilo. — Resmungou, levantando-se da sua poltrona confortável, deixando a xícara na mesinha de centro. — Severus vamos construir uma horta; Severus me ajude a arrumar o atêlie de pintura; Severus cozinhe essa noite; Severus o que acha de fazer tal poção; Severus o que você acha de morar aqui comigo e ser dado como morto? Ótimos pedidos Luna, ótimos pedidos.

 

Luna deteve-se do lado de fora da casa, sentindo a grama quente sob os pés descalços, amando cada dia mais aquele lugar e o homem a sua frente. A convivência não fora fácil nos primeiros meses, pois Severus arrependia-se diariamente de estar ali e não atuando duplamente para Albus e Voldemort, ajudando em uma guerra que sempre diziam que iria acontecer e nunca acontecia. Mas os dias passavam-se, a amizade entre os dois crescia, igualmente ao sentimento quente dentro de seu peito. Eles conversavam de tudo, sobre passado, poções, estudos, livros. Ele a ouvia sobre suas insanidades e até opinava sobre a revista de seu pai. O mau humor sempre estava presente em algum momento do dia, mas Luna ignorava e sempre arrumava algo para ambos fazerem juntos.

 

A casa havia se modificado com um laboratório muito maior e mais protegido para os experimentos dela. Ao redor, ambos haviam construindo uma horta com verduras e frutas. Até mesmo uma casa de árvore incrível, eles haviam construído, onde estudavam Astronomia juntos.

 

Severus parou enfrente a ela, observando-a. Luna era incrível. Não entendia como as pessoas conseguiam zombar de um ser tão puro e fantástico como ela. Ela conversava de qualquer assunto de modo leve e envolvente. A inteligência para Poções e Astronomia era algo que o fazia ficar bobo a cada dia mais. Obvio, que ela tinha as loucuras dela e algumas manias chatas, como sempre deixar bilhetes de bom dia junto ao chá para ele ou querer sempre dormir um de bem do outro. Mas podia dizer que amava cada singela faceta dela.

 

Os olhos negros de Snape encontraram os azuis daquela maneira tão natural que ambos haviam aprendido e um sorriso iluminou o rosto da loira.

 

Sem pedir permissão ou questionar, Luna aproximou-se de Snape, erguendo-se nas pontas do pé e apoiando as mãos no ombro do mesmo. Os lábios tocaram os dele e permaneceram unidos durante alguns segundos de maneira casta. Afastando-se apenas para questionar em meio de uma brincadeira:

 

— Severus, vamos nos beijar, o que acha?

 

— Ótimos pedidos, Luna, ótimos pedidos.

 

Luna e Severus haviam finalmente encontrado um lugar para chamar de lar e ao contrário de muitos o lar era longe de Hogwarts.



Notas finais do capítulo

Bom, eu sei que a história é muito corrida, mas não podíamos usar mais que 3000 palavras (eu eu passei um pouco), então não teve como explicar mais coisas. Eu pretendo um dia reescrever ela, com mais detalhes e maiores explicações. Mas enfim, espero que tenham gostado, pois eu adorei.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Desaparecidos" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.