Quartevois escrita por Lily


Capítulo 7
Barry




Barry nunca mais duvidaria que Natali era filha de Caitlin, porque além de serem fisicamente semelhante, às duas tinham um certa intolerância a pessoas atrasadas, por isso fora muito engraçado vê-la esperando - o , com as mãos na cintura e a testa franzida de irritação, uma mini cópia de Caitlin. Ao seu lado estava Raíz, a babá, ele nunca tinha visto-a até aquele momento e ela não era muito diferente do que ele imaginava, cabelo pretos pintados de azul, esguia porém um tanto bruta, mexia no celular e ria consigo mesma. 
—Você demorou. - Natali falou em tom mandão, Raíz tirou os olhos do celular e sorriu para ele.
—Você deve ser o Barry namorado da Caitlin. 
—E você a babá da Natali, mas eu não sou o namorado de Caitlin, não ainda. - ele se agachou pegando Natali no colo. - Agora com licença que eu tenho que levar Natali para casa.
—Tchau Raíz.
—Tchau Nat, nós vemos amanhã. - Raíz acenou se despedindo e saiu em direção ao grupo de adolescentes que conversava animadamente. Barry caminhou de volta para o carro de Caitlin, o havia pegado emprestado para ir buscar Natali com Raíz. A levaria para seu apartamento, pois jantariam com Joe e Cisco. Colocou Natali no banco traseiro e deu a volta no carro.
—Papai para onde vamos? - ela indagou fechando o cinto de segurança.
—Temos que passar no supermercado, depois ir pegar Caitlin no laboratório e por fim ir para o meu apartamento e preparar o jantar. - explicou enquanto tirava o carro da vaga.
—Pro seu apartamento?
—Sim, pequena.
—Você não mora com a mamãe, papai?
—Não minha pequena. - pelo retrovisor observou Natali, ela parecia emburrada, torcia a ponta do casaquinho e mordia o lábio inferior. Ele suspirou. -Natali, sei que as coisas parecem estranhas, mas por pouco tempo, está bem?
Ela não respondeu, apenas virou o rosto para a janela. Caitlin havia falado que Natali era esperta o suficiente para saber que algo estava errado e eles estavam tentado ao máximo manter um nível de normalidade na frente dela, mas Nat não parecia engolir isso tão bem.
Segurou firme a mão dela enquanto caminhavam pelos corredores do supermercado.
—O que você quer jantar Natali? - indagou, ela deu de ombros, estava calada desde de que tiveram aquela breve conversa, Barry não sabia como ela se sentia, mas tinha uma vaga idéia de como lidar com aquilo. Se agachou ficando na altura dela, colocou uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.
—Natali, sei parecemos estranhos agora e sei que você está uma pouco confusa sobre o que está acontecendo, mas eu prometo uma coisa, tudo vai voltar a ser como era antes, está bem? - ela assentiu. - Essa é minha garota. - sussurrou beijando-a na bochecha e se levantando. - Então, o que você quer para o jantar?
—Macarrão.
—Ótimo, vamos comer macarrão.

[...]

Ele abriu a porta deixando elas passarem, Caitlin retirou o casaco o colocando no cabide, Natali correu para o sofá e se jogou em meio às almofadas, ficando parcialmente escondida.
—O que aconteceu? - Caitlin perguntou, Barry deu de ombros e seguiu para cozinha deixando as sacolas de compras em cima do balcão, ela se sentou ao lado de Natali. -Docinho, o que houve?
Natali resmungou contra a almofada, Caitlin calmamente a retirou antes de ajudar Nat a se sentar e questionar novamente.
—O que houve Natali?
—Os amigos da Raíz perguntaram para ela onde meus pais estavam, aí ela respondeu que eles estavam ocupados, mas uma menina foi e falou: Ah, então eles não gostam dela e a empurraram para você. Raíz até falou que era mentira, mas ela não acreditou. - Natali falou tão rapidamente que ele quase não conseguiu acompanhar, se aproximou do sofá e se inclinou sobre o encosto. - Vocês não me amam mais, é por isso que me deixam com Raíz?
—O que? Não Natali! - Caitlin falou estupefata com o questionamento. - Ela está mentido, nós amamos você e nunca mais repita isso, está bem?
—Natali só deixamos você com Raíz porque não podemos leva-la para o laboratório ou pra delegacia, queremos que você fique bem. - falou acariciando o cabelo dela. - Se pudéssemos ficaríamos com você o dia todo. Mas somos adultos e temos que fazer certos sacrifícios.
—Por que eu não posso ficar no laboratório? Eu sempre ficou lá.
—Eu sei docinho, mas existem algumas coisas que podem te machucar e eu não quero que você se machuque. - Caitlin disse puxando Natali para o seu colo.
— Nat você é preciosa demais para nós dois e se alguma coisa acontecer com você, muito provavelmente sua mãe vai surtar. - falou beijando o topo da cabeça dela, Natali sorriu. - Se lembre de uma coisa, pequena, às vezes os dias podem ser nublados...
—...mas sempre à um arco-íris depois da tempestade. - Natali completou como se lê-se seu pensamento. - Você sempre fala isso papai. Mamãe diz que é o lema da nossa família.
Caitlin riu, ele a admirou, adorava o som de sua risada.
—Nossa família tem um lema, sempre quis fazer parte de alguma coisa que tivesse um lema. - falou fazendo Cait aumentar o riso.
—Papai o vovô vai vir hoje? -Natali perguntou.
—Vem e o Cisco também.
—Oba! - ela comemorou dando pequenos pulinhos que quase tiraram o ar de Caitlin.
—Natali. - Cait a repreendeu.
Ele riu e se afastou delas indo para a cozinha preparar o macarrão.
—Doutora Snow, será que eu poderia me aproveitar dos seus dotes culinários por hoje? - indagou fazendo-a rir novamente.
—Se você não se lembra sr. Allen, meus dotes culinários se resumem em macarrão instantâneo e café amargo.
—Mas a senhorita seria de grande ajuda na cozinha como minha assistente.
— Sério Barry, eu sou horrível na cozinha. É capaz de eu conseguir queimar o macarrão e termos que jantar pizza. - ela falou, Natali se levantou com um sorriso sapeca.
—Deixa a mamãe cozinhar papai. - Nat pediu e ele riu.
—Ei! - Caitlin exclamou indignada, puxou Natali pela cintura e começou fazer cócegas nela. -Olha aqui pequena, não vamos pedir pizza porque quem vai cozinhar é o Barry.
—Papai?
—Cait vamos lá, me ajuda por favor. - junto as mãos à frente do corpo e fez cara de cachorrinho sem dono. -Por favor.
Caitlin o encarou por um tempo, em seus olhos ele podia ver que ela estava  em um conflito interno, tentou se segurar para não sorrir.
—Argh! OK, eu ajudo. - ela cedeu e se levantou do sofá. - Mas se algo queimar a culpa é sua.
—Vamos fazer a melhor macarronada que esse mundo já viu. - disse passando o braço pela cintura dela, Caitlin não pareceu se incomodar.
—Para quantas pessoas é está macarronada?
—Cinco.
—Então vamos aumentar para sete.
—Por que? - indagou, ela sorriu para ele.
—Barry, se eu deixar você come tudo isso sozinho, então vamos aumentar para sete.
—Você é demais. - falou e então a beijou na bochecha. Caitlin de repente ficou vermelha, ele teria adorado falar alguma coisa, mas provavelmente acabaria com algum machucado em algum lugar.

[...]

Joe e Cisco chegaram pouco tempo depois deles terminarem de fazer o jantar, Natali estava sentada na sala assistindo TV quando ele abriu a porta.
—Vocês demorara, em?
—Joe quis passar em um lugar antes. - Cisco falou passando por ele e entrando. -Ei chica.
Natali se levantou e correu na direção dele, Cisco a apanhou no pulo e a rodou no ar.
—Cuidado. - Caitlin pediu deixando a travessa com o macarrão em cima da mesa.
Ele sorriu para Joe, o detetive entrou no apartamento. O jantar ocorreu normalmente, o que era um pouco estranho até para ele, Natali tagarelava sobre inúmeros fatos que aconteceram no seu dia, às vezes deixa escapar algum fato sobre o futuro que deixava Cisco animado e Caitlin preocupada. Joe havia trago para Natali um urso de pelúcia marrom com manchas brancas, a pequenina havia ficado tão feliz que mal conseguia comer, tinha o o apelidado de Guarda Ricky,  por algum motivo que até agora ele não sabia.
—Felicity nos convidou para ir a um barzinho amanhã para comemorar o aniversário do Oliver. - Cait falou enquanto retirava os pratos da mesa. - Vai uma surpresa pra ele.
—Ótimo, a gente vai. - Cisco disse animado. - Happy Hour no meio da semana é somente o que eu preciso agora.
—Mas que vai ficar com Natali? - indagou.
—Eu posso ficar. -Joe ofereceu, ele é Natali estavam sentados no sofá assistindo algum filme infantil. - Na verdade eu adoraria ficar com essa coisa fofa.
Barry olhou para Caitlin, ela ponderou.
—Não sei, Íris estará lá.
—Ela provavelmente ficará no jornal até mais tarde e Wally estará com Jesse, então só sobrará eu e Natali. - Joe falou, Caitlin mordeu o lábio inferior, então Barry tomou conta da situação.
—Perfeito, Joe fica com Nat, a gente vai pra Star City e todo mundo se dá bem.
—Eu não sei Bar.
—Vamos lá Cait, o que de ruim pode acontecer em uma noite?





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Quartevois" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.