Quartevois escrita por Lily


Capítulo 6
Caitlin




Caitlin havia dito, jurado a si mesma que não estava com ciúmes, que aquela sensação que mais parecia uma aperto em seu coração era apenas passageira e que Barry não queria nada com Patty. Mas toda a sua confiança e convicção havia ido embora assim que ela pisou o pé no laboratório na manhã seguinte. Lá estava ela, mas linda do que na última vez, com o seu sorriso angelical e a capacidade de tirar a concentração de qualquer homem, Cisco era a prova viva disso. Mas o pior de tudo era o que Joe havia lhe dito assim que Cisco levará Patty para dar uma volta pelo laboratório, já que agora ela era o braço direito de Joe na luta contra os meta-humano, e precisava conhecer o lugar onde eles ficariam presos.
—Ela é perfeita para o Barry, não é? - ele tinha um enorme sorriso no rosto ao falar isso, como se tivesse a esperança do filho postiço finalmente ser feliz. Ela queria ter gritado em negação, mas não gritou, tentou ser uma dama quando falou.
—Não, não acho.
—Pensei que gostasse de Patty. - o detetive falou cruzando os braços e a encarando intrigado.
—E eu gostava, mas isso foi antes.
—Antes do quê?
Ela suspirou e inspirou profundamente.
Antes do quê? Antes de se apaixonar por Barry, antes de descobrir que suas vidas estavam entrelaçadas de uma maneira que ela nem ousaria sonhar, antes de descobrir que teria uma filha com ele, uma linda, complicada e mimada filha, ou seria antes dele quase ter se declarado para ela em sua cama de manhã do jeito que ela sonhara tantas vezes.
—Antes de eu perceber que eu não gostam tanto assim dela.
Joe pareceu não engolir a resposta, mas não insistiu. Agradeceu mentalmente por isso.
—Íris quer conversar com ele, mas não sabe por onde começar. Você poderia ajuda-la?
—Claro Joe, Íris é minha amiga.
O detetive sorriu agradecido.
Seu celular tocou dentro da bolsa.
—Com licença. - pediu saindo de perto do Joe, atendeu. -Alô?
—Oi Cait. É a Felicity.
—Ei Feli, tudo bem?
—Sim, sim, na verdade queria saber se vocês podem vir para cá amanhã.
—Por que? - indagou intrigada.
—Amanhã é o aniversário do Oliver e eu queria fazer uma coisa especial, mas ele não quer festa, então achei melhor convidar algumas pessoas para ir a um barzinho e beber algumas coisas. - Felicity falou, Caitlin se apoiou na mesa. - O que acha?
—É legal, principalmente quando consideramos com quem estamos lidando. Mas ele sabe?
—Não, é uma surpresa.
—Ah, isso vai ser engraçado. - disse. - Estou dentro.
— Perfeito. - Felicity comemorou.
—Quer que eu avise a Barry e Cisco?
—Seria ótimo, obrigado Cait.
—Não tem de que.
—Te mando uma mensagem com o endereço. Tchau.
—Tchau.
Caitlin sorriu. Aniversário de Oliver Queen, isso ela não perderia por nada.

[...]

Barry se remexeu inquieto, batucou os dedos sobre o tampo da mesa enquanto seus olhos estavam fixos no canto oposto do restaurante, Caitlin nunca havia entendido porque certos restaurantes da cidade tinham um espaço reservado apenas para crianças, parecia meio desnecessário, mas agora fazia todo sentido. Natali estava sentada no chão ao lado de um garotinho, ambos desenhavam em um papel. A área reservada para as crianças era lúdico e recreativo,  havia uma jovem que circulava observando atentamente as cinco crianças que ali estavam.
Barry voltou a batucar na mesa, ela revirou os olhos.
—Você quer parar com isso.
—Desculpa. Estou um pouco nervoso.
Ela apoiou o queixo sobre a mão e sorriu para ele.
—Isso é novidade para mim. Barry Allen nervoso? Está com medo do olhar repressor de Joe ao saber que sua filha não terá o casamento do sonhos?
Barry arqueou a sobrancelha.
—Não me diga que está com ciúmes de novo. Meu coração não aguentará mais uma crise de ciúmes em menos de dois dias. - ele falou dramaticamente, colocou a mão sobre o peito reforçando a brincadeira. Ela riu e socou o seu braço.
—Já disse, não estou com ciúmes.
—Apenas está protegendo o que é seu por direito.
—Oh céus, quem inflou seu ego hoje, em?
Barry deu de ombros.
—Apenas estou falando a verdade. Diga logo dra. Snow, sou seu sonho de consumo.
—Deus, eu te odeio.
—Não odeia não.
—Mas estou quase.
Eles riram, Caitlin então se sentiu mais leve, todo aquele nervosismo entalado em seu corpo pareceu sumir.
—Você acha que eles vão demorar muito? - indagou desviando o olhar para a porta no exato momento em que Joe e Cisco entravam.
—Acho que acabaram de responder sua pergunta. - Barry sussurrou e se levantou quando Joe se aproximou,  Cisco a encarou confuso notando-a.
—O que está acontecendo? - Joe indagou intrigado. -Você me chamou para almoçar em um restaurante do outro lado da cidade, nunca fomos além do Big belly Buger, isto está sendo uma novidade. O que você aprontou, Barry?
—Eu? Por que você acha que eu fiz algo?
—Porque eu te conheço.
—Joe ele não fez nada. - ela assegurou.
—E agora usando Caitlin para se defender. - Cisco acusou, Barry bufou irritado. Joe riu. - Isso é baixo até para você, Bar.
—Cisco...eu vou te bater. - Barry ameaçou.
—Como se tivesse medo de você. - Cisco riu, mas se calou quando Barry quase pulou por cima da mesa, Caitlin o puxou pela camisa, fazendo-o se sentar de novo.
—Céus, vocês dois são piores do que a Natali. - ela resmungou.
—Quem é Natali? - Joe indagou empurrando Cisco para o lado e se sentado na frente dela.
—É o motivo de estarmos aqui. - ela falou, então se virou para área das crianças com a intenção de chamar Natali, mas ela já estava de pé olhando para eles com um brilho diferente, ela torceu a barra do vestido e pareceu esperar. Caitlin sorriu e Natali entendeu isso como um sinal de confirmação, então ela correu até a mesa e pulou em Joe.
—Ei! O que...?
—Joe, lhe apresento Natali Nora Allen. - Barry falou, Caitlin notou a expressão de Joe mudar de surpresa para incredulidade, mas foi Cisco que realmente surtou. Seus olhos se arregalaram e ela teve certeza que eles estava prestes a desmaiar.
—O que? - Cisco indagou soltando uma risada esganiçada.
—Essa é Natali minha filha. - Barry repetiu, Joe olhou para a garotinha em seu colo.
—Papa, você está branco. - Natali falou tocando na bochecha de Joe com a ponta dos dedos. - Onde está sua barba, papa?
Joe parecia ter perdido a voz, mas então sorriu deixando-a mais calma.
—Alguém pode me explicar o que diabos está acontecendo?! - Cisco indagou.
—Natali é uma viajante do tempo, ela veio de 2027. - Barry explicou. - E agora temos que arranjar um jeito de manda-la de volta.
—Quando ela apareceu? - Joe indagou.
—A dois dias mais ou menos. - Caitlin falou.
—E vocês só nos falam agora!
—Cisco, Natali é um caso complicado.
—Quem é a mãe dela? - Cisco perguntou, ela mordeu o lábio inferior e desviou o olhar para Barry.
—Essa é a parte complicada da história, mas acho que Natali é a pessoa mais indicada a lhe responder isso.
Cisco se virou para Nat e em uma calma meio forçada perguntou.
—Senhorita, você poderia fazer o favor de me dizer o nome de sua adorável mãe?
Natali o encarou confusa, a testa meio franzida indicava uma certa incredulidade de sua parte, como se não acreditasse que teria que explicar novamente uma coisa óbvia.
—Você está igual ao papai e a mamãe, eles sempre esquecem das coisas, você acredita tio que mamãe esqueceu do Ralph! - ela falou cruzando os braços e  balançando a cabeça em reprovação. Caitlin revirou os olhos diante de tal cena. - Mamãe disse que é porque sua memória não está boa. Mas ela nunca esqueceu o meu aniversário, nem o do Ralph.
—É porque vocês fazem aniversário no mesmo dia, querida. - Barry falou, Natali franziu o nariz com a explicação.
—Tanto faz, mas você também se esqueceu de mim, tio Cisco?
—O que? Nunca! Acha mesmo que eu ia esquecer de você, chica. - Natali sorriu. - Nunca esqueceria da minha afilhada, por que você é minha afilhada, não é? Até porque eu sou o melhor amigo do seu pai e obviamente ele não escolheria Oliver para tal função, não é ?
Barry revirou os olhos.
—Claro tio. Mas você sabe que o tio Ollie é padrinho de Ralph.
—Claro que sei chica, apenas estou testando você. - Cisco falou, então Natali se virou para Caitlin e disse.
—Mamãe, o tio Cisco está tão esquecido quanto você.
—Parece que ele está mesmo, meu anjo. - ela disse esticando a mão para Natali pegar, a pequena desceu do colo de Joe e foi em sua direção. Desviou o olhar para Cisco que encarava abismado.

—Você?
—Eu!
—Mas...como? Quer dizer, sempre imaginei vocês dois, mas como?!
—Cisco não surta. -Joe mandou sem conseguir tirar os olhos de Natali, esta por sua vez estava entretida em em dobrar o guardanapo em triângulos. - Quantos anos ela tem?
—Cinco, mas fala francês quase fluente.
—Ela é perfeita.
—Com certeza.
Cisco se debruçou sobre a mesa, em uma tentativa de ver Natali melhor.
—Ela se parece com você, Cait.
—Eu sei. - concordou e se virou para Barry. - Mas ela tem toda a personalidade de Barry.
Ele sorriu. Ela sorriu.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Quartevois" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.