Casamento Arranjado escrita por Lillypad


Capítulo 9
Khoya





 

 

 

 

 

—------xx-------

—Daniel, você está ouvindo o que estamos falando? - Logan perguntou, olhei para ele e sorri.

—Nenhuma palavra.

—No que você está pensando? - Mike curioso do jeito que é perguntou. Apenas sorri tomando um gole da minha bebida.

—Maya dançou para mim- arqueei as sobrancelhas, eles arregalaram os olhos e riram.

—Maya dançou para você? aquelas danças super sensuais? - Logan estava de boca aberta, assenti com a cabeça deixando ele mais pasmo - uau, sortudo do caramba.

—E como foi? - revirei os olhos, sabia que eles iriam querer detalhes.

—Como sabem comprei um cachorro para Maya, um filhote de labrador.

—Você sabe que esse cachorro fica enorme né? - confirmo. - ok, continue.

—Dai acho que ela quis agradecer, porque outro dia quando cheguei do trabalho encontrei nosso quarto repleto de velas e do nada ela saiu do banheiro mexendo os quadris no ritmo da música,nunca havia visto cena mas sensual, estou abismado até agora.

—Eu também ficaria.

—E foi nossa melhor noite - pisquei para eles. Eles sorriram.

—Vou ter quer matricular minha garota numa aula de dança do ventre - Logan resmungou.

—Não é dança do ventre, eu acho - ele deu de ombros.

—Não me importo, só uma dança ia bem, podia até dançar Taylor Swift quer eu ia adorar.- Mike e eu gargalhamos imaginando Logan escutando músicas da Taylor. - acho que ia ser meio brochante, certo?

—Com certeza - falamos juntos, ele revirou os olhos. - e como anda o casamento de vocês?

—Está ótimo, depois da dança e do Brad parece que melhorou muito, as poucos nós vamos se acostumando um com o outro.  - fitei o liquido do meu copo. - ando preocupado com Maya.

—porque? - Mike perguntou.

—Ela anda tendo umas tonturas e ontem chegou a desmaiar, tenho medo de deixá-la sozinha - balancei a cabeça - não tenho ideia do que pode ser.

—Tem que leva-la ao médico.

—Já falei, mas ela teima que está bem - passei a mão nos cabelos - essa mulher me deixa maluco, da melhor e da pior maneira - bufei, eles riram.

—Agora você está oficialmente casado - Mike brincou - mulheres deixam nós malucos.

—é - concordei - como eu faço para levá-la ao médico? - perguntei beirando ao desespero, mas antes que eles me respondessem, meu celular começou a tocar e a imagem de Maya sorrindo apareceu na tela. Maya me ligando? ela nunca liga, apenas quando aperta sem querer o botão de ligar.

—Alô, Maya? - perguntei, ouvi barulhos altos na outra linha o que me deixou preocupado, nossa casa era silenciosa.

—Dani - Maya falou baixinho. Dani? ela me apelidou de Dani? gostei até.

—Maya onde você está? que barulheira é essa? - perguntei já ficando preocupado. Mike e Logan me olhavam preocupados também.

—Não sei onde estou, chamei um táxi, queria ir te fazer uma visita, mas acho que me perdi - falou assustada, levantei correndo e sai do restaurante. Mike e Logan me encontraram minutos depois no lado de fora. - Desculpa.

—Não precisa se desculpar, agora você precisa me dizer onde está - perguntei tentando me manter calmo.

—Não sei,hã tem um restaurante chamado Hooter, algo assim - falou alterando a voz - eu estou com medo Daniel, desculpa ter saído - sua voz começou a embargar e então eu soube que ela estava começando a chorar.

—Maya não chora, calma - olhei para meus amigos - vocês sabem onde fica o restaurante Hooter?

—Sim, fica aqui perto, dá pra ir andando - Mike falou apontando para direita, comecei a andar nessa direção com eles me seguindo.

—Maya? tais ai? - ela resmungou um sim. - fica calma, fica na frente desse restaurante e espera eu chegar.

—Uhum, ta bom! - desliguei o telefone e acelerei o passo.

—O que ela está fazendo aqui, Daniel? - Logan perguntou. Suspirei. Não sabia responder o porque dela não estar em casa, Maya não sabia andar por Nova York, nunca tinha saído de casa. Sua tontura e seu desmaio me veem na cabeça me deixando mais preocupado.

—Não sei, Logan, não sei. - quando virei a curva para entrar na rua do restaurante, vi Maya sentada no banco, encolhida olhando em volta com um olhar assustado, corri até ela que quando me viu suspirou aliviada e começou a chorar.

—Dani - falou meu novo apelido, a abracei fortemente - desculpa, desculpa, não sei o que me deu na cabeça, não aguentava mas ficar em casa.

—Já disse que não precisa pedir desculpas - beijei sua testa, arrumei seu véu que havia caído com a força do meu abraço. - Só por favor, não faça mas isso, fiquei preocupado, imagina se você tivesse se perdido num lugar mais longe? - segurei seu queixo obrigando-a me olhar nos olhos. - o que deu em você para sair sozinha?

—Queria sair de casa - falou baixinho.Mike e Logan estavam a alguns centímetros de nós, eles me avaliavam, se não soubessem que eu estava apaixonado por Maya, com certeza meu desespero me entregou. - Não achei que seria difícil, afinal morei na índia -  Mike e Logan riram chamando a atenção dela.

—Veio da Índia e se perde em Nova York? -  Mike brincou, ela sorriu fracamente.

—Oi, estraguei o almoço de vocês, né? - perguntou olhando para mim, sorri e beijei sua bochecha.

—Não estragou nada - segurei sua mão - não acredito que você tentou sair sozinha -  ri baixinho, de repente ela arregalou os olhos e se afastou de mim - o que foi? está se sentindo mal?

—Não, estou bem - ela chegou mas perto e falou baixinho - não podemos mostrar intimidade na frente de outras pessoas - arqueei as sobrancelhas e olhei confuso para meus amigos que riram diante da minha confusão.

—Indianos não podem demonstrar afeto em público, Daniel - Mike revirou os olhos.

—Você devia pesquisar mas - Logan me deu um soco no fraco, foi minha vez de revirar os olhos. Olhei para Maya que agora se encolhia tentando se esconder dos olhares.

—Maya, não precisa ficar assim, você vai encontrar muita gente mostrando muito afeto em público por aqui - falei apontando para um casal se engolindo encostados numa parede, Maya arregalou os olhos e me olhou assustada.- podemos apenas andar de mãos dadas - segurei sua mãe, ela suspirou e concordou.Entrelaçamos nossa mãos.

—Já que estão aqui, podiam ir no médico, ver o que Maya tem - Logan deu a ideia, Maya arregalou os olhos e negou.

—Boa ideia, obrigada por lembrar Logan.

—Não precisa, estou ótima, só tive uma tontura hoje pela manhã - ela fechou a boca rapidamente, se arrependendo de suas últimas palavras.

—Você ficou tonta de novo? - perguntei a olhando preocupado, ela acenou com a cabeça. - vou tirar o dia de folga, vou levar Maya ao médico - meus amigos concordaram.

—Beleza, é a melhor coisa a se fazer - Mike disse e foi até Maya lhe dando um abraço. Como sempre, ela não soube como agir, apenas ficou parada - tchau Maya.

—Também quero abraço - Logan brincou se aproximando dela e abraçando fortemente. - tchau.

—Vocês estão se aproveitando da minha esposa, saiam -empurrei Logan, eles riram.

—Valeu ai, ciumento - eles se foram.

—Bom, vamos indo - segurei sua mão e a puxei. Era bom poder andar de mãos dadas com Maya pelo centro de Nova York, dá impressão de somos um casal. Maya atrai muitos olhares, não sei dizer se é pela roupa rosa e pelo véu ou por sua beleza, ouso dizer que é pela junção das duas coisas.

    Andamos em silêncio até a clínica mas próxima. Foi difícil ser atendidos, pois não havíamos marcado horários, mas eles abriram uma exceção para nós. Talvez tenha percebido o medo em nossos olhos.

—Não quero estar doente - Maya sussurrou quando sentamos no sofá, sorri e entrelacei novamente nossas mãos.

—Relaxa, não deve ser nada - depois de uma hora de espera, a enfermeira nos chamou. Entramos na sala do médico, ele sorriu quando nos viu.

—Boa tarde, sou o Dr. David - estendeu a mão em minha direção, a apertou gentilmente, Maya apenas sorriu. -então o que aconteceu para marcar esse consulta tão em cima da hora?

—Minha esposa anda tendo umas tonturas e ontem ela chegou a desmaiar - o médico olhou para Maya e sorriu.

—Você anda tendo enjoos e vômitos? - Maya mordeu os lábios e olhou para mim. Sorri a incentivando a contar.

—Sim - e porque raios ela não me contou? me arrumo na cadeira.

—Com que frequência?

—Hum, ultimamente tem aumentado, acho que comi algo estragado - falou rapidamente, o médico riu e anotou algo no papel.

—Acho que já sei o que é, mas preciso de uma confirmação - ele estendeu um papel em nossa direção, me apressei e o peguei - preciso que ela faça um exame de sangue, ele pode ser feito agora mesmo e o resultado pode estar pronto dentro de dois dias.

—O senhor não pode adiantar o assunto? - perguntei ansioso.

—Prefiro ter a confirmação, antes de dizer algo - concordei com a cabeça.

Maya estava tão ansiosa que depois de ter feito o exame decidi levá-la para casa para descansar. Ela correu para o quarto quando chegamos em casa, Brad me ignorou e a seguiu para o quarto. Respirei fundo e fiquei torcendo para não ser nada demais.



Notas finais do capítulo

Comenteeem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Casamento Arranjado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.