Future of the Past escrita por Romanoff Rogers


Capítulo 8
Felicidade


Notas iniciais do capítulo

Surprise! ♥



Cinco horas antes.

Narrador

— Jarvis, pode me dar acesso ao andar da Nat? – perguntou Steve.

— Me dê um minuto. – Ele encostou no elevador, esperando a resposta. – Ela pediu para dizer qu enão está. – ele riu.

— Você leva tudo ao pé da letra sabia? Diga a ela que você disse “Ela pediu para dizer que não está.“

— Um minuto. – ele pediu novamente. – Ela disse: “Merda, Jarvis, mandarei Tony te reciclar. Deixe-o entrar“— ele sorriu, vitorioso. O elevador abriu, e ele entrou meio receoso.

— Nat?

— Estou aqui. – ele ouviu uma voz fraca vinda do quarto. Ele bateu duas vezes, e esperou. – Entra logo Rogers. – Steve obedeceu, vendo a ruiva sentada de costas pra ele, encarando a janela. Ele devagar, se sentou ao lado dela.

— Nós terminamos. – ele a olhou.

— Por minha causa. Me desculpe, a culpa foi minha.

— Foi por sua causa sim. – ele a puxou pela mão, a fazendo levantar. – Mas a culpa foi minha. Quem mandou eu me apaixonar por você? – ela sorriu, como nunca sorriu antes. É James, eu te amo.

— Sabe quem me disse exaamente a mesma coisa? – ela perguntou, segurando a outra mão dele.

— Outro Steve? Cheguei tarde? – ele parou de sorrir, o que fez ela rir da cara dele.

— James. Ele disse exatamente isso, que a culpa foi sua por se apaixonar por mim. Eu achei que ele era maluco. Mas o maluco é você.

— É, talvez eu seja. Maluco por você. – ela sorriu.

— Você vai me beijar ou terei que chamar a equipe S.T.R.I.K.E inteira? – ele sorriu, mas desistiu em seguida.

— James existe. E se você não é a mãe dele, eu acho. Ele teria dito. Não quero magoa-la como Sharon.

— Não quero pensar no futuro agora. Você devia se preocupar no presente. E James é um garoto tão ótimo. Fico feliz em saber que será feliz com ele.

— Não fico feliz se você não estiver. – ele deu um sorriso triste. – James apareceu, e eu estou condenado a magoar as pessoas até conhecer a mãe dele. Mas é o preço para salvar o mundo. Não quero magoa-la.

— Então me beije.

— Não posso te magoar.

— Ridículo. – ela sorriu, e celou seus lábios em seguida. Steve realmente não queria magoa-la, mas foi dificil resistir ao amor de sua vida.

Ele agarrou sua cintura, a trazendo mais perto, em quanto ela passava os braços pela nuca dele. Só pararam quando os faltava ar.

— Prefiro morrer do que nunca ficar com você. – ela disse, por impulso. Mas era de coração, ela só não quis dizer em voz alta.

— Eu também. – ela apenas deixou as lágrimas que segurava cairem. – Por que está chorando? – ele perguntou, se sentando na cama, com ela em sue colo.

— Só... – A ruiva limpou as lágrimas e sorriu. – Achava que não merecia ser feliz.

— Você já sofreu de mais. Paga por isso. Não dorme a anos, eu sei, sempre te acordo dos pesadelos. Permita-se ser feliz. – ela sorriu, e o abraçou.

— É, o que você fez comigo? Estou com vontade de dizer que te amo. – ele sorriu.

— Eu também te amo Nat. – eles ficaram com as estas encostadas por muito tempo, apenas sentindo o calor um do outro.

— Senhor picolé, senhora Aranha, o mini Rogers e os outros estão procurando vocês.

— Não diga onde estamos. – ele disse, se levantando. – Vamos.

— Onde?

— Não estrague. – ele reclamou.

Os dois seguiram pelo elevador, e subiram em silêncio para o último andar da torre. Depois, usaram as escadas para subir até o terreo, onde Loki montara seu portal, anos antes.

— Vir aqui me tras calma. E ainda me lembra de 2012. Quando conheci você, todos vocês. Minha família. Perdi uma em 1945, mas ganhei vocês. Minha nova fámilia, e minha nova mais que familia. – ela riu. – Está com sono? – ele perguntou. Ela negou com a cabeça. – Vai dormir. – ele encostou na peuena muralha, e mandou natasha se sentar ao lado dele.

A ruiva sentou no colo dele, e colocou a cabeça em seu peito.

— Boa noite. Tenha bons sonhos. – ele disse, fazendo ela sorrir.

Os dois estavam assim há alguns longos minutos. Natasha não dormia tão calmamente assim a anos. Sem pesadelos. Só teve sonhos bons. Com James, Steve, e o resto de sua família. As únicas coisas que importavam pra ela.

Uma explosão acordou Steve e Natasha. Eles se olharam e pensaram na mesma coisa: James. Steve olhou lá para baixo, e viu Tony voando pela janela, agarrado a um Hulkbuster... preto.

— Vá ajuda-los, eu vou até James. – ele lançou um olhar que dizia: Cuidado. – Vai, ficamos bem.

Steve seguiu pelo corredor, matando todos que impediam de ter um momento de paz, apenas protegendo sua ruiva, e seu loiro. Ele estava com raiva. Exatamente com raiva.

— Cadê a Natasha? – perguntou,

— Não a vejo desde antes da reunião da Kriptonita. Steve estavasentindo o desespero tomar conta. Natasha tinha ido atrás dele a uma hora. Algo havia dado errado, ele sentia seu coração morrer.

E isso doía.