Future of the Past escrita por Romanoff Rogers


Capítulo 9
40 40 40 40




Clint lançou flechas no peito do monstro de ferro, em quanto ele lançava raios repulsores em Visão, que desviou de todos, diminuído sua densidade. O hulk de ferro tirou de um compartimento no ombro uma metralhadora, e começou a disparar. Wanda protegeu Thor, Clint e Sam dos tiros, em quanto Steve correu pra dentro segurando James nos braços. Os tiros atravessaram a parede no corredor que os dois se encontravam, e Steve foi obrigado a correr mais, posicionando o escudo na frente das balas que estavam perto.

— Jarvis, onde está a senhorita Romanoff? – Ele perguntou.

— Não está na torre senhor Rogers. – Isso fez o coração de Steve parar. Mas James precisava de cuidados médicos, e os amigos estavam levando uma surra de um robô - bem grandinho- , mas ainda um robô. Chegando na ala médica, alguns enfermeiros estavam concentrados em um tipo de armário, tentando arrumar os suprimentos.

— Cuidem dele por favor. – Ele pediu, e os médicos começaram a examina-lo. Steve não  queria deixar seu filho, mas era preciso. Ele estava em boas mãos.

No salão principal, onde as catracas de entrada de funcionários ficavam, agentes que ele não fazia ideia de onde surgiram, estavam brotando em sua frente. Provavelmente as ruas estavam um caos. Mas descobriu de onde vinham os agentes: Da rua. Revidou os tiros jogando o escudo, o fazendo quicar pelo corpo dos agentes, os derrubando.

— Clint, tem agentes infiltrados na torre. Preciso de ajuda, os funcionários estão correndo perigo. Como está a situação do Hulkbuster?

—Estamos contendo, e avançando contra o Hulk gótico trevoso do Paraguai.- Tony sorriu, com o próprio comentário.

Sam, cuide dos civis na rua. Estão na linha de fogo.

— Okay! – O passarinho sobrevoou a torre, e começou a disparar contra alguns agentes que não tinham entrado, livrando alguns civis de um encurralamento. – Saiam daqui! – Ele lançava os flechetes nos agentes incessantemente.

Aproveitando a pequena distração temporária do Capitão, um deles atirou um laser em sua barriga. Ele gemeu, ignorando a dor.

Tiros e mais tiros foram disparados. O escudo estalava com um som metálico ensurdecedor. Ele estava sem armas, a preocupação com sua família do futuro o distraía, e eles eram no mínimo 60 agentes. Uma explosão ecoou em sua frente, onde os agentes se encontravam. Ele olhou pra onde a explosão vinha, e deu de cara com Clint, que piscou em agradecimento. Os dois avançaram pelas chamas e destroços no chão, e encontraram mais agentes entrando no grande Hall.

Um rugido raivoso ecoou, fazendo um Hulk rachar o solo. Sinal que o Hulkbuster estava contido. Thor, Sam, Tony, Hulk, Steve, Clint, Wanda e Visão estavam parados, olhando pras duas dúzias de agentes, que começaram a largar as armas e colocar as mãos na cabeça.

Steve imaginou o que James teria dito vendo todos naquela pose. “Podem ficar parados assim mais um pouco? S e eu postar essa foto ela vai bombar” Ele sorriu. E Natasha responderia: “Vem você aqui e fica no meu lugar, minhas pernas doem cacete!”

Mas os dois não estavam aqui.

Thor e Sam recebiam a SHIELD, que veio levar os agentes.

— Cadê a Nat, Steve? – Wanda perguntou, fazendo todos se calarem, e olharem pra ele, esperando desesperadamente a resposta que ele não tinha.

— Eu não a protegi. Ela disse que ia atrás de James e... – seus olhos se enchiam de lágrimas a cada palavra. Ele apenas se sentou em meio aos destroços e levou as mãos a cabeça, em uma demonstração de frustração.

— Vamos acha-la. – Stark disse confiante. – Você vai beija-la depois disso né? – Wanda deu um tapa nele.  – O que?

— James sabe? – Clint perguntou se agachando do lado do loiro. J

— Melhor nem saber.

(...)

Cerca de uma hora antes

Natasha corria pelos corredores. A vontade de chegar a seu filho dava forças a ela. A ruiva só queria chegar até ele, e poder dizer que ela e seu pai haviam se acertado. E estavam mais que bem.

Mas ela queria desesperadamente contar a Steve que ela era mãe do filho dele. Steve quase não ficou com ela, por não saber quem é a mãe de James. Não seria mais fácil se ele soubesse? Não tivesse medo de magoa-la? Sim, ela falaria isso com James.

Qualquer inimigo na sua frente estava instantaneamente morto. Raiva, era o que definia Romanoff agora. Por que diabos não me deixam ter um momento em paz? Cara, eu estava beijando Steve!

Um agente disparou contra a ruiva, mas ela foi mais rápida e se abaixou, conseguindo dar uma rasteira nas pernas do agente. Mais vieram, e ela disparou os ferrões da Viúva nos dois. Os deixou se contorcendo com choques, em quanto avançava mais pelo corredor.

Natasha finalmente alcançou o elevador, e rapidamente, apertou o número de seu andar. A espera era torturante. E a música irritante que Stark colocou no elevador para irrita-la, estava irritando. Ela atirou na pequena caixa de som, que parou de tocar, como era esperado.

O elevador se abriu, mas ela não teve tempo nem de ver a quantidade de agentes que estava do outro lado da porta. Cinco deles foram com tudo pra dentro do elevador, prendendo ela contra a parede de aço do elevador.

— Pegamos ela.

— Não tão rápido... – Ela resmungou, já eletrocutando os homens aos montes.

O homem que antes comunicava sucesso com um ponto no ouvido, estava no chão, levando socos da ruiva. As pernas do homem impediram o elevador de fechar, possibilitando a entrada de mais homens. Ela levantou num pulo, já chutando com força a coxa de um, desferindo um soco desacordando outro.

Sacou a arma, vendo uns vinte homens entrarem no elevador que tinha espaço pra um hipopótamo. Atirou simultaneamente na cabeça dos homens que entravam no local. Mas dois deles, seguraram seus braços, e outros dois as pernas.

Com esforço, ela conseguiu atirar no ombro do cara que segurava sua mão na qual estava a arma. Se equilibrando, ela atirou nos dois que estavam agarrados em suas pernas. Com a esquerda, ela chutou a barriga de um que se aproximava, e atirou no que segurava seu braço direito.

A ruiva olhou pro chão, vendo uns 40 caras mortos no chão. Que maldição ela estava enfiada. Conseguia matar 40 brutamontes em alguns minutos. As vezes ela se perguntava se isso era realmente bom.

Num segundo que ela se distraiu, um agente no chão – O que levou um tiro no ombro - disparou contra ela, usando a arma laser, que atingiu sua perna. Ela gemeu, perdendo o equilíbrio e indo ao chão. Os miolos do atirador estavam pela sala toda naquele momento. A dor era grande, mas nada com que não pudesse lidar.

Mas mais algumas dezenas de agentes entraram pela porta, mirando na cabeça dela. É, já era.

— Caraca, menina você arrasa os quarteirões hein? Você matou no mínimo, uns 40 dos meus. – Um cara de óculos redondo e desta grande, com cabelo extremamente loiro, disse. – Mas você perdeu dessa vez, Viúva Negra. – Ele segurou o queixo dela.

— Me matem logo, sua cara me dá vontade d... – ele deu um tapa forte no rosto dela.

— Sedativo. – ele pediu, sendo atendido pelo agente a seu lado. A agulha perfurou o pescoço dela, o que a fez segurar um grito. Como uma agulha doía tanto?

Em segundos, ela estava apagada.

Um agente a pegou no colo, e os outros seguiram o loiro até o térreo, entraram num jato de Tony, e saíram.

Levando Natasha.

Agora ele tinha um problema com o Capitão América.



Notas finais do capítulo

40 40 40 40
Ah, tava sem idéia de nome.

HEEEYCHEGAY
Agora fudeu pro lado dos Hidra. Eles tem um problema com o Caps! Quem mandou se meterem com a Nat???
HÁ TUCHÊ BITCHES
SHAZAM
*Some do nada*
Ah pera.
*Volta do nada*
Tenho outras fics no perfil
SHAZAM