Como Fazer Nossos Pais se Apaixonarem? escrita por Influenza


Capítulo 4
Reencontro - Parte 2


Notas iniciais do capítulo

Voooolteeeeeiiiii!!! E então, como vocês estão? Olha, eu acho que os capítulos sairão semanalmente, pra eu me organizar mais pra postar ^^
Eu quero agradecer a CathyGlass, May Hyuuga, Elinor Sinclair, Helenhina15, Emiko Nekokayo, Yuki rin, Shinobi Uzumaki, Dastan, DaniiHyuuga, th4y4n3 e Linyh Hyuuga por terem comentado, eu adorei seus comentários ^^ (Perdão se escrevi o nome de alguém errado)
Espero que gostem e boa leitura! ^^



Himawari estava andando por Konoha, procurando algum lugar para ficar, mas sem sucesso. Afinal, quem daria um quarto de hotel para uma criança ficar sozinha, e ainda por cima sem ter como pagar?

– E agora, o que eu faço?! – Perguntou-se, andando olhando para os lados, quando de repente esbarrou em alguém.

Himawari e a pessoa misteriosa caíram no chão. Todas as coisas que a pessoa estava segurando caíram também, eram umas sacolas de compras e uma lista com alguns ingredientes para comprar no mercado de Konoha, talvez.

– D-Desculpe! E-Eu n-não queria es-esbarrar em v-você. Eu t-te ajudo. – Gaguejou a pessoa, uma garota, levantando e estendendo sua mão para a Uzumaki.

– Não, tudo bem! A culpa foi minha, eu não estava vendo por onde andava! – Responde Himawari, aceitando a ajuda da garota.

Ela se levantou, e ainda sem ter olhado para a garota, tirou a poeira de sua roupa passando sua mão, de cabeça baixa.

– N-Não, a culp-pa f-foi minha! Eu... Eu est-tava olhando p-para o-o papel.

– “Espera... Essa voz... Não pode ser!” – Himawari reconheceu a voz. Ela levantou a cabeça para ter certeza de quem era, e para sua surpresa, viu uma garota de lindos cabelos azulados e curtos, parecidos com os dela, de olhos lilás lavanda, mais parecendo perolas, com suas feições delicadas e gentis e com o símbolo do clã Hyuuga estampado em seu casaco. – “Mamãe...”

– O que f-foi? Por... Por q-que está m-me olhando assim? – Pergunta a de olhos perolados.

– Hm? – Pergunta Himawari, sendo tirada de seus devaneios. – Ah, não é nada! Você é só... Muito parecida com uma pessoa que eu conheço.

– Entendo... Meu nome é Hinata Hyuuga. – Fala ela, com um sorriso gentil em sua face, perdendo completamente sua timidez. Ela não entendia o por que, mas não gaguejava mais, tinha a sensação de que já conhecia Himawari, como se ela fosse de sua família, como se tivesse um laço muito forte com ela, mesmo não se conhecendo ainda.

– Meu nome é Himawari Uzumaki. – Responde a azulada menor, com um largo sorriso.

– U-Uzumaki?! Você é parente do Naruto-kun? – Hinata se surpreende.

– Falei de mais... – Sussurrou.

– O que? – Pergunta Hinata.

– N-Nada não! Q-Quem é Naruto? Eu não conheço nenhum Naruto! Você só pode estar enganada, Hinata. – Mentiu, e sim,era estranho pra Himawari chamar sua mãe pelo nome.

– Talvez... Mas o Naruto-kun também é Uzumaki, por isso que eu achei... – Começou ela, mas logo foi cortada pela mais nova.

– B-Bom... Eu devo ser uma parente distante! Beeeeem distante mesmo! Claro que a gente não se conhece, e muito menos sou filha dele. – Ela mente de novo (Deu pra perceber que Himawari não sabe mentir muito bem, afinal ela não costuma mentir, muito menos para seus próprios pais).

– Entendo... – Responde a Hyuuga, nem tão convencida assim. – Bom, eu nunca te vi por aqui, Himawari-chan. De onde você veio?

– Isso é uma loooonga historia... Mas o importante é que eu e meu irmão estamos longe da nossa família, e estávamos procurando onde ficar até os encontrarmos de novo. – Explicou.

– Vocês podem ficar na minha casa! – Responde Hinata, sem nem pensar duas vezes. Como já foi dito, era como se ela já tivesse um laço de família com Himawari e com seu irmão mesmo sem se conhecerem direito. – Seria legal ter alguém para me fazer companhia.

– Serio?! Que legal! – Responde, com um largo sorriso. – “Vai ser legal ficar na casa da mamãe do passado, tenho certeza que as pessoas de lá vão ser bem legais comigo e com o Onii-chan, e também poderemos ficar perto da mamãe! E vai ser mais fácil de cumprirmos a nossa missão” – Pensa.

– Mas, espera... Acho que meu pai não vai deixar. – Disse Hinata, com uma expressão triste.

– Mas, por que? – Pergunta Himawari, confusa, afinal seu avô Hiashi sempre fora muito compreensivo com Himawari e com Boruto, mesmo sendo muito rígido às vezes.

– Bom... Meu pai não gosta de pessoas fora do clã dentro do distrito Hyuuga. Acho que ele não vai permitir que você fique lá até encontrar seus pais, e provavelmente vai brigar comigo. Seria tão bom ter companhia lá, ter alguém para conversar, ter alguém para me ouvir... Ter alguém para me compreender. – Diz Hinata, ainda com a expressão triste, de cabeça baixa.

Himawari surpreendeu-se. Nunca vira seu avô brigar com sua mãe, ou até mesmo com sua tia Hanabi, por trás das expressões de indiferença dele, sempre havia um sorriso lá, que ele muitas vezes dava quando estava sozinho com sua família, sem aquele maldito conselho do clã Hyuuga. E também, a Uzumaki não sabia que Hinata não era compreendida pelos membros do clã e que ficava sozinha. Talvez, a Hinata mais velha tenha ocultado isso para proteger seus filhos.

– Bem... Mas eu sou uma Hyuuga também!

Hinata levantou a cabeça, sua expressão triste foi substituída por uma expressão de surpresa.

– Como assim?! Você não tem o byakugan, seus olhos são azuis!

– Bom, é que minha mãe é uma Hyuuga, sabe... Ela se casou com um Uzumaki e teve eu e meu Onii-chan fora do clã. – Explicou, e cada palavra era a mais pura verdade. – E eu tenho o byakugan, sim, posso não ser uma Hyuuga pura, mas ainda assim, tenho o byakugan. Byakugan! – Dito isso, ela ativa o byakugan, deixando a azulada mais velha surpresa.

– N-Nossa! Que incrível! – Exclamou, logo depois de Himawari desativar o byakugan. – Então tem chances do meu pai aceitar você e seu irmão! Aí vocês poderão ficar comigo até encontrarem seus pais! – Fala, com um sorriso gentil em seu rosto.

– Que legal! Estou muito feliz, Hinata! Acho que nenhuma outra pessoa iria querer nos aceitar, afinal, somos apenas crianças e nem dinheiro temos.

– Vai ser um prazer ter vocês lá comigo! Só falta convencer meu pai.

– Eai, Hinata! – Uma voz masculina chamou a Hyuuga.

Dois garotos estavam vindo em direção a elas. Um deles tinha uma expressão brincalhona, duas marcas vermelhas, uma em cada bochechas, cabelos castanhos, e um pequeno cachorro branco repousava em sua cabeça. O outro tinha uma expressão seria, usava óculos pretos que impedia de ver seus olhos, cabelos castanho e parecia muito misteriosos. Logo que Hinata os reconheceu, ela disse:

– Kiba-kun! Shino-kun!

– “Tio Kiba, Akamaru-chan e Aburame-sensei...”

– Quem é essa menininha, Hinata? – Pergunta Kiba.

– Meu nome é Himawari! – Se pronunciou, antes que Hinata pudesse responder.

– Muito prazer em te conhecer, Himawari. Lindo nome, girassóis são muito bonitos. – Cumprimentou Shino.

– Faço das palavras do Shino as minhas. – Esse foi Kiba.

– O-Obrigada. – Agradeceu Himawari, com um leve rubor nas bochechas por ter recebido esse elogio. Não negava ser filha de Hinata.

– Bem, o que foi? Kiba-kun, Shino-kun?

– Ah, sim! Kurenai-sensei já está nos esperando para a missão. – Explicou Kiba.

– É mesmo! Eu já estava levando os suprimentos para a missão! Himawari-chan, você pode esperar só um pouquinho? A missão será rápida, quando eu voltar conversaremos com meu pai!

– Claro, eu tinha mesmo que conversar com o meu Onii-chan sobre isso! – respondeu, com um sorriso doce.

– Então, a gente se encontra aqui? – Pergunta Hinata para Himawari.

– Claro, esse será nosso ponto de encontro! – Himawari sorri.

– Tchau, Himawari! Adorei te conhecer! – Disse Kiba.

– Um fato interessante é que os girassóis sempre ficam “olhando” para o sol, isso porque...

– Vamos, Hinata! A Kurenai-sensei está nos esperando! – Interrompeu Kiba, praticamente puxando Hinata.

– C-Calma, Kiba-kun! Até mais, Himawari-chan!

– Até, Hinata! – Despediu-se.

– Por que eles sempre me esquecem? – Perguntou-se Shino, seguindo os seus companheiros de equipe.

– A mamãe não parecia tão tímida como ela me disse que era. – Comentou Himawari, como um sussurro.

A Uzumaki se virou e foi em direção ao ponto de encontro entre ela e Boruto. Enquanto caminhava, percebeu o quanto Konoha havia mudado ao longo dos anos. No passado, quase não se tinha tecnologia, as casas não eram muito grandes, muitas das grandes lanchonetes que existem no futuro ainda estavam pequenas, quase começando seu negocio, entre muitas outras coisas.

Chegando perto do prédio do fogo, ela avistou seu irmão sentado em um banco perto dali.

– Onii-chan!!! – Chamou.

– Hima! – Boruto olhou para sua irmã correndo até ele, se levantou e foi até ela.

– Encontrei um lugar para ficarmos... Ahn? – Exclamaram em uníssono, primeiro com um tom de entusiasmo, e depois com um tom confuso.



Notas finais do capítulo

------------------ Momento Divulgação ^^ ----------------------
https://fanfiction.com.br/historia/659453/MonsterHighSchool/
Essa fanfic aí em cima é NaruHina e SasuSaku, eu comecei ela esse fim de semana e é de um tema bem diferente dos que eu normalmente escrevo ^^

E então, o que acharam do capítulo? Eu espero comentários! E se vocês tiverem alguma crítica ou sugestão também serão muito bem-vindas ^^ Espero que tenham gostado, e até o próximo capítulo! ^^