Regresso escrita por BiahCerejeira


Capítulo 10
Visita inesperada


Notas iniciais do capítulo

Capitulo quentinhu!!!! Espero que gostem.



Guiava o caminho enquanto passavam pelo meio da vegetação rasteira em alguns pontos da praia. Olhou-a de canto observando os lábios rosados em um tímido sorriso.

- Mais um pouco e chegamos.

- Esta bem. – Puxou o ar e soltou-o de uma só vez, tentando manter o ritmo do moreno.

- Desculpe. – Parou e olhou-a. – Estou indo muito rápido? Esqueci por um momento o quanto você é pequena.

A rosada parou recuperando o fôlego.

- Não tudo bem. Não estou acostumada com caminhadas longas.

- Claro. – Sorriu vendo-a vermelha e levemente suada pelo sol do meio da tarde.

- Podemos seguir?

- Sim. – Sorriu.

Caminharam mais alguns metros e finalmente enxergaram o manto de rochas em meio à água azul.

- Venha. – Sasuke largou as bolsas ajudando-a a largar as dela. Pegou a mão pequena e entrelaçou os dedos. – Ainda tem algum resto de fôlego nos pulmões?

- Acho que sim. – Sorriu envergonhada.

- Então vamos correr até lá.

Tentava agüentar a corrida frenética de Sasuke, mas muitas vezes as pernas quase cederam, o que fez o moreno ampará-la e ajudá-la a continuar. Chegaram às pedras subindo-as devagar para não caírem até chegarem ao topo. A rosada trancou a respiração deslumbrada com a linda vista.

- Oh que belo. – sorriu dando um pequeno passo a frente equilibrando-se em uma das grandes pedras.

- Fico feliz que gostou.

- Gostar? Sasuke? É simplesmente maravilhoso.

O mar ali de cima ficava em uma tonalidade esverdeada. As ondas quebravam-se abaixo, formando espumas brancas. As pedras cinzentas e de formas variadas ajudavam no cenário romântico.

Virou-se para o moreno que a olhava fixamente.

- Obrigada. – sorriu travessa. – Como posso retribuir este presente maravilhoso?

O moreno olhou para os lábios rosados pensando em uma forma de dizer o que queria sem assustá-la, mas não foi preciso.

Percebeu quando ele olhou seus lábios e sorriu internamente.

 Então era isso que ele queria?- pensou.

Passou a língua levemente pelos lábios e aproximou-se do moreno. Sentiu-o estremecer ao pousar as mãos em volta do pescoço dele, trazendo o rosto de encontro ao seu.

- Era isso que queria? – Perguntou antes de juntar os lábios.

O beijo era lento e combinava com a paisagem romântica. Os corações batiam descompassados, enquanto as mãos se juntavam e entrelaçavam. Separaram-se em um selinho lento e demorado.

- Vamos descer. – Sasuke sorriu vendo a rosada corada e com os lábios inchados.

- Sim. – As pernas ainda tremiam assim como a cabeça rodava. Estar com Sasuke deixava-a fora de órbita. – Podemos entrar na água antes de retornarmos certo?

O moreno desceu as primeiras pedras ajudando-a em seguida. Parou e sorriu para a garota antes de responder.

- Claro. Afinal viemos até aqui para isso.

Ela retribuiu o sorriso e desceu mais algumas pedras com a ajuda dos braços fortes do moreno. Sentia-se uma adolescente que fugira para encontrar-se com o príncipe encantado.

- Nossa, eu achava que a subida era difícil. – Sorriu após escorregar e cair em cima de uma pedra grande. – Acho que sou meio estabanada.

- Meio? – Sorriu ajudando-a a levantar. – Vai ficar um belo hematoma aí. – Apontava para os glúteos da rosada.

- Ai, nem me fale. Terei que passar algo quando chegarmos.

- sim.

Continuaram a descida sem mais tombos, já que Sasuke dobrou a atenção para que a garota não caísse.

Já na areia Sakura tirou a blusa e o shorts, correndo para a água sem esperar o moreno. Pulou a primeira onda entrando na água fria. Sorriu olhando para aquela imensidão azul e mergulhou.

Sorriu observando a garota retirar as peças de roupa apressada sem se dar conta que estava observando-a. Retirou a sua regata largando na areia enquanto Sakura corria para a água. Não agüentou mais ficar só observando e correu para junto dela.

Arrumou os cabelos após o mergulho ainda com os olhos fechados e sentiu que alguém a abraçava pelas costas. Sorriu timidamente sabendo que era o moreno.

É errado, pensou, mas como resistir?

- A água está ótima não é?

- Sim. – Respirou profundamente. – Relaxante.

Ouviu a risada alta do moreno.

- Está rindo de mim Sasuke?

- Não necessariamente. – Beijou a nuca sentindo-a arrepiar-se. – Você parece uma criança brincando na água.

- Hum. É, talvez pareça mesmo. – Virou-se se afastando dos braços fortes do outro. – Mas este é meu jeito.

- Sim. – sorriu pegando a mão dela. – E eu gosto.

- Pois você não parecia gostar muito de mim antes.

- Nunca disse isso.

- Mas deu a entender. – Revirou os olhos.

- Você é irritante sabia? – Olhou-a serio.

Sakura viu o olhar dele fixar-se no seu e a seriedade a fez tremer por dentro.

- Você ainda não confia em mim, não é?

- Você que está dizendo Sakura.

Sorriu sarcástica.

- Ok Uchiha, está na hora de voltarmos.

Saiu da água e colocou suas roupas sem esperar pelo moreno. A raiva estava querendo sair de alguma maneira, mas não gostaria de se explicar ao moreno. Sabia que aquilo iria acontecer, estava muito bom para ser verdade. O Uchiha queria apenas usa-la para seus propósitos. Afinal por que estava tão enraivecida se sabia desde o começo que aquilo era errado? – Pensou. Não iria mais se deixar iludir. Prometera a si mesma quando tinha dezesseis anos que não deixaria outro homem toca-la, mas Sasuke fora tão terno e carinhoso com ela que não resistiu. Afinal necessitava de amor, mas o que ambos tinham não era amor, pelo menos não era da parte dele. O que ela sentia era algo que se misturava. Às vezes tinha vontade de amá-lo em outras de esganá-lo.

- Esta pronta? – A voz estava grave e fria.

Sakura pulou com o susto deixando sua bolsa cair, colocando ambas as mãos no peito.

- Calma. – Aproximou-se dela devagar. – você se assusta facilmente.

- Não. – Falou convicta dando um passo para trás.

- está com medo de mim? – Olhou-a confuso. – Até agora a pouco deixava eu lhe tocar e agora esta me olhando aterrorizada.

- A culpa é sua! – Falou com a voz alterada. – Você me assustou. Não gosto quando me olham do jeito que você fez antes ou como esta fazendo agora. Muito menos quando é frio e indelicado comigo.

- Você parece uma criança.

- Ok Uchiha, já não é a primeira vez que me chama de criança. Pare com isso, não lhe dou o direito de ficar me julgando. – Pegou a bolsa pendurando-a no ombro e passou pelo moreno indo pelo caminho que haviam feito até ali. – quer saber. – Parou virando-se para ele que a encarava com as sobrancelhas arqueadas. – Pense o que quiser, afinal irei embora dentro de nove dias.

Continuou a andar rapidamente sem esperar respostas ou a companhia de Sasuke. Podia ouvir a respiração e os passos apressados dele chegando perto dela, mas não desanimou. Não iria facilitar as coisas mais. Tentou o seu máximo e chegou a entregar um sentimento a ele para que? Nada. Ele a queria por propósitos próprios, não ligava para seus sentimentos. Todo homem era igual afinal? Por um dia achou que pudesse se entender com ele, mas não, as coisas tinham que ser mais complicadas do que já eram. Suspirou sentindo o cheiro de perfume masculino. Virou o rosto deparando-se com o moreno de cara fechada sem encará-la.  Respirou fundo e seguiu para a casa de Yoko sem pronunciar uma palavra.

 

 

 

 

Chegou a casa pela trilha e encontrou Chyo na porta os esperando. Sorriu para a mulher que a ajudara desde que chegara a ilha.

- Chyo.

- Olá garotos. Que bom que voltaram. – Virou-se para Sasuke. – Tem visitas senhor. Tentei faze-la esperar na sala, mas foi impossível. – fez cara de nojo ao se referir a visita.

- Quem é Chyo? – Perguntou enquanto todos entravam na sala e seguíamos pelo corredor em direção a escada.

- É...

- Olá Sasuke querido.

Olhei para cima vendo uma ruiva descer a escada sorridente. A reconheci de imediato. Era a ruiva que trabalhava no aeroporto e a ajudou a conseguir transporte com Sasuke naquele dia. Notou o vestido curto e colorido como todas as roupas que as mulheres da ilha usavam. O corpo dela era cheio nos quadris e no busto, a cintura era fina comparada ao resto. A pele bronzeada e os cabelos lisos. Os olhos eram escuros com cílio longos, apesar dos óculos que usava. Era o tipo de mulher que deixaria um homem completamente apaixonado. Olhou para os pés sentindo-se um patinho feio em meio à beleza da mulher. Não que se achasse feia, mas comparando-se com a beleza local ela era diferente.

- Olá. – A voz melosa da ruiva encheu seus ouvidos irritando-a.

- Oi. – sorriu tímida erguendo o olhar para a outra.

- Olá Karin. – Sasuke sorriu amigavelmente.

Karin foi até o moreno abraçando-o e dando um pequeno beijo nos lábios. Sorriu e acariciou o rosto moreno e másculo de Sasuke.

- Como está?- Sorriu afastando-se e engatando o braço no do moreno. – estava com saudades de você.

Sakura viu a cena enciumada, sentindo-se tola e deslocada. Olhou para Chyo tentando não dar atenção ao casal.

- O que está fazendo na ilha Karin?

- Ah consegui sete dias de despensa. Você sabe que trabalho muito e tenho muitas horas para tirar. Trabalhar em aeroporto grande vale a pena, além de o salário ser ótimo sempre tem muito trabalho e consecutivamente dispensas. – Sorriu. – Então vim para a festinha de amanhã.

- A festa da lua. Havia até me esquecido da festa.

- Oh, eu não esqueço. Adoro esta festa, é tão linda! – A ruiva sorria e suspirava.

- Ah. Estou subindo, não quero atrapalhar. – Sakura deu as costas ao casal subindo as escadas.

- Espere Sakura querida preciso falar com você. – Chyo subiu atrás da garota.

Sakura abriu a porta do quarto entrando e esperando Chyo fazer o mesmo.

- Fale Chyo. – disse enquanto largava a bolsa e retirava as coisas de dentro.

- Saki, você está bem?

- Sim, estou ótima! – Falou parando o que estava fazendo e erguendo as mãos para o alto.

- Ok. Fale para esta velha o que aconteceu.

Sorriu triste.

- Nada mesmo Chyo. O que aconteceu foi nada, se é que me entende. – Sentou na cama olhando para as próprias mãos. – Sou uma idiota, isso sim.

- Não, você não é Saki. –Sentou na cama ao lado da rosada. – Você é uma menina incrível, que viajou muito para vir falar com o pai. Esta enfrentando o Sasuke, que consegue ser um idiota na maioria das vezes, para poder estar perto de Yoko.

Sakura tinha nos olhos lagrimas reprimida.

- Oh querida. Você tem um coração bom, eu consegui ver isso no instante em que coloquei os olhos em você.

- Obrigada Chyo. – Abraçou a senhora derramando as lagrimas. – Nunca me esquecerei do que esta fazendo por mim.

- Você não teve uma vida fácil, não é Saki? – Perguntou enquanto acariciava os cabelos longos e rosados da garota.

- Não, mas não gosto de falar do passado. Apenas queria que fosse diferente. Quando achei o endereço de Yoko agi por impulso e quando vi já estava aqui. Fiquei tão feliz ao poder ter a chance de ver meu pai que não pensei nas conseqüências que poderia ter. E olha só para mim? – Afastou-se da senhora e levantou da cama. – finalmente estou no meu lar, no lugar que sempre quis estar, mas não estou feliz de todo por que não consigo conversar com Yoko sem me sentir uma idiota medrosa. Não consigo falar com Sasuke, pois tenho medo da raiva que ele sente por mim e que desconheço a razão. – Sorriu triste limpando as lágrimas. – Hoje achei que conseguiria mostrar a Sasuke que não sou o que ele pensa, mas foi tudo em vão. Por um momento achei que estávamos nos dando bem e então... – Suspirou. – Tudo desmoronou.

- Não fique assim querida. Sasuke é um homem frio e fechado, mas um bom garoto. – Levantou e foi até ela pousando as mãos nos ombros de Sakura. – Eu sinto que ele gosta de você, mas tudo o que escutou e viu acontecer com Yoko o fez ter esse sentimento por você.

- Entendo. – Sorriu tristemente. – Bom, acho que você não agüenta mais ficar escutando minhas lamurias. – Olhou para a senhora. – Obrigada novamente Chyo. Você é um amor de pessoa.

- Não precisa me agradecer. Faço isso por que acredito em você Saki. Agora vai tomar um banho e depois direto para a cozinha. Estarei preparando o jantar e você pode me ajudar.

Chyo observou a rosada sorrindo o que a deixava linda e meiga. Aquela menina tinha muitos sofrimentos em seu ser, podia notar isso ao olhar fundo nos seus olhos verdes. Deu um beijo na testa da rosada e saiu do quarto deixando-a sozinha.

Continuava sorrindo depois de receber todo aquele carinho de Chyo. A mulher era algo fora do comum. A aceitara e ajudava sem pedir nada em troca como se a conhecesse desde criança. Queria que sua mãe tivesse sido assim, mas muito pelo contrario sempre preferiu acreditar nos homens de sua vida.

Podia recordar o dia em que chegara à casa da mãe e encontrara o homem que a mãe namorava. Dara o apresentara sorridente e feliz, pelo menos foi isso que ela viu nos olhos dela. Sentiu-se bem ao ver a mãe feliz. O homem era grande e forte, aparentava ter trinta anos no máximo. Jovem para a mãe, pensou, mas não tinha preconceitos só queria ver a felicidade aquela que amava. A única pessoa que restara de sua família já que o pai não dera noticias. Seguiu para seu quarto, ainda tímida com aquele novo individuo na casa. Fora tão inocente que não reparara no olhar de cobiça e malicia que o homem a fixava.

Mais tarde naquele mesmo dia a mãe saiu para as compras deixando-a sozinha em casa. Falara que não demoraria a chegar. Mas demorou. Pelo menos para ela demorou demais. Ouviu o toque da campainha e foi atender saltitando de felicidade. O homem que a mãe apresentara estava ali querendo entrar e ela deixou, este foi seu primeiro erro. Foi simpática e fez companhia a ele na sala conversando coisas amenas e sem muita importância. Dara já estava fora há uma hora e sentia-se chateada pela demora.

- Dara sempre demora quando vai as compras. – O homem sorriu malicioso.

- Oh eu nunca reparei. – Sorriu tímida. – tenho que tomar banho e me arrumar antes dela chegar. Importa-se de ficar sozinho por alguns minutos? – Falou como uma boa anfitriã.

- Sem problemas. – Ele a olhava fixamente o que a deixou encabulada.

- certo.

Levantou-se e foi ate o seu quarto onde tinha o próprio banheiro. Separou a roupa que usaria e retirou a que estava usando. Entrou no banheiro com apenas as roupas intimas esquecendo-se de fechar as portas, este foi seu segundo erro. Antes de entrar para o banho sentiu-se ser abraçada por trás. Tentou se desvencilhar das mãos do homem, mas não conseguiu. As lagrimas começaram a cair de seus olhos e ela se chacoalhava tentando soltar-se, mas o homem se aproveitava e a agarrava ainda mais. Levou-a para o quarto passando a mão nas curvas jovens da menina de apenas dezesseis anos.

- quietinha Sakura. – Falava em seu ouvido deixando-a apavorada. – Não irei lhe machucar se me obedecer entendeu?

Apenas sacudiu a cabeça em forma positiva sem conseguir pensar em outra coisa. Não queria ser abusada, apenas agia por impulso. O homem a tocava e apertava, passando a mão pelos seus seios e pernas.

- Você é gostosa menina. – falava de forma fria.

- Por favor me deixe, prometo não contar a minha mãe.

- ah você não irá contar Sakura. Você irá fazer tudo o que quero e ficará quietinha. Dara não acreditará em você. Darei um jeito para ela achar que você me provocou, afinal sou homem. – Sorriu sinistro deixando-a com medo.

- Não. – começou a se debater e socou o homem no rosto e barriga com toda a força que pode juntar. Correu para longe dele mas não muito já que a alcançou agarrado-a pelos cabelos.

- Vadia. – atirou-a no chão. Com o impacto cortou a testa que começou a sangrar e a latejar. Virou-a de barriga para cima deitando-se por cima. – Já disse para ficar quietinha. – Desferiu um tapa na cara da mesma cortando o lábio inferior. – Irá ficar quieta?

- Sim. – Sentia a mente atordoada devido as pancadas. Seu corpo estava dormente assim como a cabeça rodava. Não conseguiria ficar acordada por muito tempo.

Finalmente a porta foi aberta e Dara passou por ela vendo toda a cena. O homem pulou de pé deixando-a atirada no chão sem reação.

- O que esta havendo aqui? – Estava vermelha e com lagrimas nos olhos.

Como o homem falou Dara acreditou que Sakura o provocara a ponto dele batê-la para fazê-la parar. Sua mãe não acreditara quando contou que ele tentava estupra-la. Depois deste dia não conseguiu mais ir à casa de Dara e ficara sabendo tempos depois que o homem à traíra com uma de suas melhores amigas. Dara fora injusta com ela e o mundo fora injusto com Dara.

 



Notas finais do capítulo

E aí o que acharam??? Será q mereço reviews????
Ahhhh acho que sim né?
As coisas começam a desenrrolar e novos personagens estao a caminho!!!
Wouuuuuuu
bjux e qnto mais reviews mais rapido eu posto!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Regresso" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.