Operação Cupido. escrita por Mrs Prongs


Capítulo 6
| 'Cause she will be changed,


Notas iniciais do capítulo

*Juro solenemente que não pretendo fazer nada de bom*

WASSUP?
E aí amoras? Como estão? Antes de mais nada, queria pedir desculpas pela demora em atualizar OC. Bom, além da minha obvia falta de tempo, eu também comecei uma “segunda temporada” de Doce Ironia e essa idéia meio que exigiu a minha atenção. PORÉM, aqui está o novo capitulo de Operação Cupido e eu realmente espero que gostem.
Sobre ele: eu não sei se ficou legal. Honest. Eu particulamente achei que poderia ter ficado melhor e isso não é charminho da minha parte. Então me deixem saber o que vocês acharam dele. A partir de agora, as coisas realmente vão começar a acontecer.
MUITO OBRIGADA por todos os comentários dessa fanfic. Trully. Vocês são as melhores.
E gostaria de alertar para o fato de que – como eu comecei uma DI 2.0 – talvez eu demore um pouco pra ficar att OC, porque eu pretendo atualizar uma vez de cada. Se eu atualizei Operação Cupido hoje, a próxima atualização será de Doce Ironia: Os papeis se invertem. Mrs Prongs sendo justa.
Enfim, é isso.
Vejo vocês nas notas finais.
Enjoy it.
Ask: http://ask.fm/mrssprongs
Twitter: @okaymarauders

*Malfeito, feito.*



|| Anteriormente em Operação Cupido...

– Nós vamos ao shopping.

– O que?

– Para a sua transformação. – o moreno falou como se ela fosse muito lerda e isso a irritou, o que o fez se divertir mais. – Vamos todos ao shopping fazer uma senhora mudança na ruiva aqui. – completou se dirigindo ao resto do pessoal.

Lily tentou não se sentir traída ao ver a animação nos olhos das amigas.

– Nós não pegamos dinheiro nem nada. – Dorcas falou rolando os olhos tentando controlar a empolgação enquanto a Lily apenas encarava furiosamente o maroto.

– Vai ser por nossa conta. – Remus se pronunciou sorrindo para a castanha.

– O plano é meu, eu pago. – o James interrompeu antes que qualquer uma protestasse, com aquela mania totalmente independente que ele já havia reparado que as três possuíam. – Vamos nessa?!

– Sabe Potter, você está muito animadinho para fazer compras. Primeiro esse plano, agora isso. Estou começando a achar que você torce para o outro lado da força. Não seria surpresa para nenhuma de nós. Já desconfiávamos. – a ruiva se pronunciou cínica enquanto todos se erguiam para sair e arrancando risadas gerais, menos do moreno que apenas esboçou um sorriso torto que combinava muito com seu senso de humor. Sexy, não havia como negar.

– Sabe ginger eu até poderia te mostrar o quanto “gay” eu sou, mas agora não temos tempo. – falou lançando um sorriso malicioso para a ruiva que apenas lhe olhou com raiva e com vontade de deformar aquele rostinho bonitinho e convencido. – Amanhã tudo já tem que estar no lugar certo. – James falou pegando os óculos escuros e as chaves do carro, sendo seguido pelos amigos. – Vamos deixar essa ruiva aqui, irreconhecível.

.

|'CAUSE SHE WILL BE CHANGED.

.

– Podemos muito bem ir no carro da Dorcas! – Lily Evans exclamou rolando os olhos.

– Isso é um carro?!

Que os Marotos e as meninas não concordavam em absolutamente nada era algo que qualquer um a distância poderia ver claramente e, com certeza, não seria a idéia abrupta de um plano completamente insano que iria mudar esse fato. Os seis estavam na garagem dos Potter, enquanto discutiam – de modo nem um pouco discreto – como se daria aquela tarde no shopping.

A ruiva não estava nem um pouco ansiosa por aquela situação. E começava a se questionar ONDE estaria os pais do James que não haviam aparecido ainda para identificar a origem dos gritos que se faziam ouvir.

Dorcas pareceu ofendida com a observação que saiu da boca do maroto de óculos.

– Não fale assim do José Maria! – apontou o dedo, furiosa, em direção ao Potter.

– Esse é o nome do carro? – Sirius Black entrou na discussão, tentando controlar o riso.

– Falou o cara que se chama “Sirius”. – Carly ergueu uma sobrancelha não perdendo a oportunidade de ressaltar os defeitos do maroto e claro, defendendo a honra do carro que a levava todos os dias a HHS. Fazer o que... o José Maria era da família.

– Você sabe o significado do meu nome? – o garoto de olhos ônix, sorriu torto e de forma provocativa.

– Nem quero saber.

– O ponto é... – Remus tentou acalmar a discussão que iria se formar ali. Ou que já estava formada. – Não temos muito tempo. E não há necessidade de irmos em vários carros quando vamos resolver esse ãn... problema, juntos.

– Então sugerem que entremos em um carro com vocês. – Lily sorriu irônica. – Pode não parecer, mas ainda tenho amor a minha vida.

Sirius pareceu ofendido.

– Eu sou um ótimo motorista.

– Cachorros não deveriam saber dirigir. – a loira presente resmungou baixinho, porém se fazendo ouvir.

– Honestamente... – James rolava a chave do seu carro no dedo indicador, enquanto se pronunciava com um sorriso torto que exibia todos os seus dentes. – Eu acho que vocês correm mais perigo dirigindo aquela coisa.

Dorcas respirou fundo.

– Potter... – a voz da castanha era ameaçadora como eles jamais tinham visto. – Ou você cala a boca, ou vai perder a coisa que tem no meio das pernas.

– Pensei que você não fosse adepta a ameaças. – Remus ergueu uma sobrancelha para ela.

– Quando você é melhor amiga de Lily Evans e Carly Hills você aprende umas coisinhas.

– Essa discussão é estúpida. – Sirius rolou os olhos. – Vamos no meu carro e no do James. Por mais Dorquinhas, que seu carro seja... único, vai ser assim que as coisas irão funcionar.

– Quem te colocou na liderança, pulguento? Pensei que achasse o plano uma loucura. – James deu risada, fazendo o melhor amigo rir junto.

– E acho. – piscou divertido. – Mas você me conhece. Sempre do lado da diversão.

– Dorquinhas? – a castanha ecoou incrédula.

– E o José Maria? – Lily questionou cruzando os braços e ignorando a breve discussão anterior. Ele poderia não ser o mais tecnológico, ou com a cor mais normal, porém ela e o carro já haviam passado por muitas coisas juntos. Por favor, foi no José Maria que a ruiva e suas amigas saíram de casa escondidas à meia noite para assistir a premiere do seu filme favorito. – Vamos largá-lo aqui?

– Relaxa ruiva. – a voz do Potter era calma, e em contraste, absolutamente e lindamente rouca. Ele tinha seus óculos ray-ban escuros no rosto cobrindo suas orbes cor chocolate e olhava para a ruiva com cara de entediado enquanto rodava no dedo a chave do seu carro e em seguida apertava o alarme, fazendo as luzes do Audi R8 na garagem piscar. As três garotas fizeram cara de paisagem. – Depois eu peço para deixarem o “José Maria” em casa. Entra logo no carro. – completou.

– Vamos fazer assim? – Dorcas interferiu depois de piscar longamente, vendo que a ruiva ia retrucar. Qual é, ela tinha aceitado aquela loucura não era? Se a musica estava tocando, você tinha que dançar no ritmo, era o que a castanha sempre dizia. – Eu e Lily vamos com o Sirius no carro dele e o Remus e a Carly vão com o James. Ninguém vai matar ninguém no caminho.

– Perfeito. – a Carly sorriu irônica, já indo se colocar ao lado dos dois marotos. Claro que sobraria para ela. Pelo menos ela não iria com o Black, era o que a loira tentava mentalizar.

Lily bufou contragosto, mas entrou na BMW do Sirius sendo seguida pela Dorcas. A Carly e o Remus também entraram no carro do James que não tardou muito a abrir a garagem e arrancar dali, sendo seguido pelo Black que também pisou fundo no acelerador.

A ruiva olhou para Dorcas que estava sentada no banco de trás. Percebia que a castanha estava tão desconfortável com a situação quanto ela. Afinal, que planeta alienígena era aquele que elas haviam caído, onde estar no carro de Sirius Black era algo normal?

– Então Red... – por falar no mesmo, o maroto rompeu o silencio que segundos antes o incomodava. – O que te levou a aceitar essa aposta maluca? Sabia que você me fez perder 100 pratas?

– Não me chame de Red. – Lily retrucou prontamente e por algum motivo o cachorro sorriu mais. – E o que raios eu tenho haver com você ter ficado 100 pratas mais pobre?

– Porque eu e o Remus apostamos com o James que ninguém em sã consciência concordaria com esse plano maluco dele. – ele respondeu sorrindo torto, ao mesmo tempo em que diminuía a velocidade para fazer uma curva.

A ruiva ficou brevemente em silencio.

– Eu aceitei porque eu quero a vaga no jornal da escola. Apenas isso.

– E enquanto a parte de “sã consciência”, ainda não tenho certeza que a Lily esteja nela. – a Dorcas completou para descontrair o clima, levando um tapa da ruiva e arrancando uma risada latido do Sirius.

Depois disso os três foram em absoluto silencio exceto pela musica que passava no radio. Porém, diferente do silencio anterior, esse silencio era leve e quase agradável. Lily se internaria em um manicômio, a hipótese de se sentir confortável em um ambiente limitado com Sirius Black era quase tão insana quanto aquele plano inteiro. Na verdade, se sentir confortável qual qualquer maroto em um ambiente, era insano. E ao olhar para Dorcas, a ruiva sabia que a amiga compartilhava do sentimento.

A vida delas estavam tomando um caminho que elas não previam.

.

[...]

.

– Chegamos. – A voz rouca de Sirius soou anunciando, ao mesmo tempo em que o maroto estacionava o carro em frente a entrada do shopping, sendo seguido pelo James que estacionou ao seu lado. Ao olhar brevemente pela janela escurecida do carro, Lily teve a impressão que todas as pessoas num raio de 100 metros, haviam feito uma breve pausa para dar uma olhada no automóvel daqueles dois.

– Descrição não é um forte de vocês, não é? – a ruiva questionou rolando os olhos enquanto descia do carro sendo acompanhada pelos outros. Os marotos riram ao ouvir seu comentário.

– Com certeza não. – o Sirius respondeu sorrindo torto, e dando de ombros em seguida, enquanto o vento agitava seus cabelos negros.

– E, em breve, esse também não será mais o seu forte, ruiva. – James completou imitando o sorriso do amigo, ao mesmo tempo em que colocava mais uma vez o óculos ray-ban no rosto, retirando o seu de grau, já que estava fora do carro, e bagunçava seus cabelos castanhos, um gesto muito dele.

– Vamos logo com isso. – Carly falou animada, ganhando um olhar torto da amiga pela traição. A loira apenas sorriu angelicalmente. – Quero ver até onde a Lily aqui é capaz de ir.

[...]

Primeira parada: Roupas.

.

Os seis haviam entrado na maior loja de vestuário do shopping. Aquele lugar era paraíso feminino para qualquer garota com um cartão de credito ilimitado e um bom senso de moda. Apesar de possuírem o cartão de credito ilimitado, a parte de ser garota não se aplicava aos marotos, então, mesmo sabendo o que os homens gostariam de ver em uma mulher, essa seria a parte em que as meninas também entrariam em ação.

– Vamos nos dividir. – o Sirius falou com voz de comando para as três garotas a sua frente, duas delas que não conseguiam parar de olhar com os olhos brilhando para todas as peças ao seu redor.

– Não temos paciência para ficar olhando roupas. – Remus falou decretou. – Então essa será a tarefa de vocês três. Não acho que vai ser problema. – completou divertido vendo as expressões de Carly e Dorcas.

– Então vamos sentar ali... – James completou apontando para os pufes em frente ao provador. – E vocês três vão escolher as roupas, a Lily vai experimentar e nós vamos dizer se está aprovada ou não.

– Folgados. – a ruiva resmungou. Os três apenas sorriram.

– Apenas as que passarem pelo nosso selo de qualidade, serão levadas para casa. Abandonem esse negocio geek e essas calças duas vezes maiores que o seu tamanho. – Six decretou apontando para a roupa que Lily usava e levando um olhar homicida. – Quanto mais curto melhor. Decote é essencial.

As três meninas lhe olharam com caretas.

– Cachorro safado. – Carly resmungou e o maroto apenas piscou divertido para ela.

– Nada vulgar. – o Remus falou para as três em resposta aos seus olhares. – Apenas roupas que mostrem o corpo da Lily, já que ela não faz muita questão que isso aconteça atualmente. Não queremos que a ruiva aqui pareça uma vadia. – completou e a mesma sorriu minimamente para ele. Mesmo o maroto tendo a chamado de “ruiva”.

– Anotado. – a Dorcas disse com um sorriso que exibia todos os seus dentes.

– Carly você procura vestidos e roupas para festas. – o Sirius decretou e a loira fez uma careta para ele como se fosse o mandar dar ordens à mãe, mas logo saiu indo em direção as araras de roupas.

– Dorcas você procura roupas para o dia a dia. Lembre-se... “chamativo”, mas não vulgar. – Remus piscou em direção à castanha, que pela primeira vez não corou. Apenas sorriu, fez uma continência brincalhona e logo seguiu a loira.

– E você Lily... você vai ficar com as lingeries. – o James falou para a ruiva se divertindo com a expressão que tomou conta do rosto da mesma.

– Como é, cara pálida?

– Vermelhas, pretas, roxas... acho que brancas ficariam bem em você também. – o Potter continuou lançando um olhar de cima a baixo, se divertindo ainda mais do que antes. O rosto de Lily se tingiu de vermelho, de raiva e vergonha. – Nada de bancar a frigida, amor.

– Vai. Se. Foder. – ela pronunciou pausadamente e incrédula, ao mesmo tempo em que Sirius e Remus riam.

– Serio, ruiva... – até o maroto de óculos, havia rido um pouco. – As lingeries são por sua conta. Se quiser eu posso ajudar. – completou sorrindo.

– Nem fodendo. – a idéia de James Potter escolhendo lingerie para ela fazia seu rosto ficar vergonhosamente em chamas e era mais do que absurda. Ou ele sequer ver as lingeries que ela escolheu era constrangedor. Isso implicaria que ele imaginaria nela para saber se ficaria legal. Não, não. Ela faria aquilo sozinha. E faria bem feito. – Mas alguma coisa senhor? – a voz da Lily pingava ironia.

– Por enquanto nada. – o James provocou de volta.

– Eu vou matar esse garoto. – a ruiva resmungou para si mesma enquanto saía dali e ouvia a risada dos três marotos as suas costas.

Ela não tardou a achar a sessão de roupas intimas. E muito menos a parte dessa sessão que estava as lingeries no estilo que ela precisaria. Os marotos com certeza não sabiam, mas se havia algo que a ruiva adorava comprar eram sutiãs e calcinhas. Isso era meio inexplicável, já que ela com certeza não desperdiçaria seu tempo para comprar blusas ou calças, por exemplo. Então, não tardou muito para que a Evans estivesse com uma cesta cheia de roupas intimas do tamanho dela. Ela com certeza não experimentaria para os marotos avaliarem.

Não.

Não.

Não.

Never in a billion years.

Porém, ela sabia que estava entre os pré-requisitos. E claro, que serviriam perfeitamente nela. E foi com esse pensamento, que ela voltou para o provador, apenas para encontrar todos os outros já esperando por ela. Os olhos da ruiva se arregalaram assustados ao ver a quantidade de roupas que as suas duas melhores amigas carregavam.

Seria um longo dia.

As horas começaram a passar e quase todas as roupas eram recusadas pelos meninos. Por mais que as meninas tentassem dar o melhor de si, ainda não era bom o bastante para eles. Ou elas exageravam demais, ou eram puritanas demais, mas Carly, com certeza, havia sido a campeã em peças aceitas. Então eles entraram na luta e começaram a pegar roupas e jogarem para a ruiva experimentar. E, no final de tudo, o resultado havia sido satisfatório.

– Por favor, fala que já chega. – Lily pediu cansada se jogando em uma cadeira enquanto o James passava o cartão. Ela olhou para as quase 40 sacolas e fez uma careta. Aquilo ia sair uma fortuna.

– Relaxa. – o Potter falou como se tivesse lido seus pensamentos. – E sim, roupas acabaram. Mas ainda temos a segunda parada. – completou com um sorriso.

– Sapatos. – Carly e Dorcas adivinharam juntas, com os olhos brilhando e sorrisos radiantes.

Rindo das duas e da cara da Lily, os meninos se dividiram, pegaram as sacolas e as levaram para os carros, voltando em seguida para a próxima etapa.

.

Segunda parada: Sapatos.

.

– Minha nossa senhora amante dos unicórnios coloridos, isso é o paraíso. – a Dorcas exclamou com os olhos brilhando quando entrou na loja que era o céu na terra da maioria das garotas. Tinham de todos os tipos, desde allstars á sandálias de festas, scarpans, meia pata... era o paraíso feminino.

– Tenho que concordar. – a Carly falou praticamente correndo em direção a vitrine e babando em um sapato preto.

– Bom, aqui eu acho que vai ser mais fácil. E mais rápido. – Sirius falou para o James enquanto olhava as três amigas correrem de um lado para o outro com sorrisos colgates e olhos brilhando e com um monte de sapatos e sandálias na mão. O maroto assentiu sorrindo.

– Qual é o fetiche de garotas com sapatos? – o Remus perguntou enquanto olhava a Lily experimentando mais de 20 pares. Eles iam à falência nessa loja.

– É muito melhor que roupas, pelo menos não preciso passar horas dentro de um provador. – a Lily falou como se fosse obvio. E era.

– Além de serem lindos. – os olhos da Carly brilhavam como de uma garotinha que ganha um doce.

– E as mulheres normalmente costumam dizer: Homens são iguais a sapatos. Se forem bonitos irão te machucar. Eu particularmente discordo. Prefiro mil vezes comprar um sapato do que escolher garotos. – a Dorcas falou não dando atenção aos meninos e jogando sapatos para a Lily.

– Serio isso? – o Sirius perguntou incrédulo.

– Sim. – as três falaram juntas em tom irredutível. Os Marotos rolaram os olhos.

Meia hora depois os marotos estavam saindo atolados de sacolas com sandálias e as levando para o carro, para irem para a próxima etapa.

.

Terceira parada: Transformação.

.

– Aonde vamos agora? – a Lily questionou enquanto era arrastada pelos Marotos. E naquela altura já se sentia exausta e, naquele momento, tudo o que queria era a sua cama. Havia sido muita coisa para um dia só. Ou melhor, muita coisa para o ensino médio inteiro. E tudo isso havia acontecido em um único dia. Ela era só uma ruiva impulsiva com problemas de temperamento que mal conseguia processar no que havia se metido.

– Salão de beleza. – o Remus respondeu entediado, parecendo já tão exausto quanto ela.

– Tem um aqui que a minha mãe sempre me faz trazê-la, então deve ser bom. – o James falou despreocupadamente e a ruiva fez uma careta, porém não revidou, decidida a acabar logo com aquilo.

Chegaram em frente a um enorme salão de beleza que mais parecia um SPA. A fachada era rosa e gigantesca e Lily por um momento cogitou sair correndo. Ela não se imaginava entrando em um lugar chique como aquele e com certeza cabeleireiro nenhum ia chegar com uma tesoura ou uma tinta perto do seu cabelo, ou haveria homicídios.

– Senhor Potter, a que devo a honra da visita? Como vai? – o cabeleireiro do local exclamou assim que viu o James e a ruiva teve que prender o riso ao vê-lo enlaçar o maroto em um abraço no qual o outro parecia meio desconfortável. – Como vai a sua mãe? – lançou outra pergunta em cima da anterior.

– Vou bem sim Marcos. – o Potter respondeu calmamente lhe lançando um sorriso. – Minha mãe esta ótima, mas não foi por causa dela que eu vim. – completou.

– Quem são essas moças lindas? – Marcos perguntou colocando as mãos na cintura, se virando e olhando para as três amigas que se detinham um pouco envergonhadas.

– Essas são a Lily, Carly e Dorcas. – Remus apresentou, indicando uma de cada vez.

– Estou aqui para te dar uma missão. Deixar essa ruiva aqui... – o James empurrou a Lily, delicadamente, mais para frente. – Irreconhecivelmente linda. – completou.

– Vai ser fácil. – o cabeleireiro falou dando voltas e analisando a ruiva. – Mas você sabe disso, claro. – parou e piscou para o maroto, enquanto os amigos do mesmo ocultavam as risadas e a Evans corava de leve com o elogio. – Namorada?

– Quase como isso. – o Potter respondeu sorrindo, antes que a ruiva pudesse contradizê-lo. Porém ganhou um olhar furioso da mesma.

– Enfim... – Marcos bateu as mãos, animado, antes de se aproximar mais uma vez de Lily e pegar uma mecha dos seus cabelos. – As pontas do seu cabelo estão ressecadas, e precisam de hidratação. Seu corte é reto, e isso é da década passada. Mas em compensação seu cabelo é de uma cor que varias garotas matariam para ter, além de ser comprido e levemente sedoso. Só está maltratado. Um corte repicado, uma hidratação, talvez uma selagem e uma escova e pronto. Ficará perfeito. – descarregou de uma vez e ele teve que piscar levemente para conseguir captar a mensagem.

– Não quero meu cabelo curto. – Lily falou rapidamente segurando seu cabelo protetoramente já que ela amava o comprimento do seu cabelo que batiam exatamente na cintura.

– Ninguém irá chegar com uma tesoura perto desse cabelinho enquanto eu estiver aqui querida. – Marcos a tranqüilizou erguendo as mãos e a fazendo sorrir. – Vamos lá? – perguntou animado e a ruiva assentiu um pouco menos hesitante enquanto os amigos sorriam.

– Carmem, Miranda... – Marcos chamou alto e duas mulheres se materializaram ao seu lado. – Levem as amigas da Lily aqui e as ajude a selecionar maquiagens e outras coisas que combinem com a ruiva para levar. Chame a Charlotte e a mande vir fazer as unhas da Lily, tudo isso para agora. Vão. – completou rapidamente enquanto arrastava a ruiva em direção a uma cadeira e começava o trabalho.

Foi quase uma hora, em que a ruiva ria das histórias contatadas por Marcos e seus amigos a aguardavam na sala de espera. Segundo o cabeleireiro, os mesmos só seriam chamados ao fim. Não tardou muito para o processo terminar, porém. E Lily se sentia bem mais confiante ao fim do mesmo.

– Eu posso ver? – a Lily perguntou ansiosa. Marcos havia a proibido de se olhar no espelho até o final, alegando que seria uma surpresa para ela também.

– Chamem o senhor Potter e os amigos dela. – Marcos falou em voz alta e não demorou nada antes de cinco pessoas entraram impacientes na sala. – Vire-se Lily. – completou suavemente e a ruiva se virou de frente aos amigos e conseqüentemente de frente ao espelho que ficava localizado atrás deles.

As sobrancelhas de James se arquearam em apreciação, mas ele, ao contrario dos outros, não parecia surpreso.

Seus longos cabelos ruivos foram repicados em camadas até a cintura, com leves cachos nas pontas e uma franja de lado. Toda a parte quebradiça havia sumido e a cor de seus cabelos vermelhos parecia ter se intensificado, fazendo um contraste com suas orbes verdes como esmeraldas, dando um ar... felino. Suas unhas vermelho-sangue contrastavam com sua pele branquinha e seus lábios naturalmente rosados.

Ela não estava com nenhuma das roupas que compraram, muito pelo contrario, ainda estava com suas calças folgadas, mas mesmo assim já tinha mudado bastante. Lily Evans emitia um brilho próprio.

– Nossa. – a Lily falou impressionada. – Ficou incrível. Você faz milagres. – completou para o Marcos.

– Não vejo milagre algum aqui. – o cabeleireiro falou fazendo gesto com as mãos, enquanto sorria satisfeito.

– Mandou bem Marcos. – o James elogiou enquanto ia com ele para pagar a conta e os outros iam em direção à ruiva.

– Ficou lindo Lily. – a Carly exclamou sorrindo largo e pegando uma das mechas ruivas.

– O plano do James vai sair melhor do que imaginávamos. – Six falou rindo e analisando a garota enquanto Lily rolava os olhos e se erguia da cadeira.

– Vamos? – o moreno em questão chegou perguntando segundos seguintes e todos assentiram.

– Que desculpa eu vou dar para a minha família quando eu chegar com todas essas sacolas em casa? – a Lily perguntou em preocupação enquanto caminhavam pelo shopping em direção ao estacionamento. Ela definitivamente não era o tipo de adolescente que poderia ir ao shopping e estourar o limite do cartão de credito comprando tudo pela frente. Seus pais lhe davam tudo o que ela precisava, e nunca lhe faltava nada, porém os mesmos viviam com o orçamento apertado enquanto tinham duas filhas para sustentar. Uma na faculdade e outra na melhor escola de Londres.

Lily podia ser bolsista, mas o custo de estudar na HHS ainda era muito alto. Ela não tinha como explicar como aquelas sacolas apareceriam, e definitivamente não poderia contar a verdadeira historia.

– Seu aniversario não é daqui a um mês? – A Carly questionou retoricamente, mas mesmo assim a ruiva assentiu. – Fala que todos nós, seus amigos, juntamos e te demos um dia de compras no shopping de presente adiantado. – completou.

– Ele eles vão cair nessa?

– É uma ótima idéia. – o Remus falou.

– E caso houver alguma duvida, eu e a Carly podemos conversar com o tio e a tia. – Dorcas sorriu passando um braço pelos ombros da amiga, mesmo sendo um pouco mais baixa.

– Resolvido então. Não vai dar para ir todo mundo no carro por causa das sacolas então eu levo a Lily em casa... – o James começou mudando de assunto. – Vocês dois, Sirius e Remus, levam a meninas na casa delas. Provavelmente seu carro já esta lá Dorcas. – completou para a castanha que assentiu.

– Inteiro?

– Intocado. – James sorriu divertido.

– Vamos? – o Remus perguntou para as duas que assentiram, abraçaram a ruiva e falaram que mais tarde ligariam para ela, entrando em seguida na BMW sendo acompanhadas pelos dois marotos.

– Vamos ruiva. – o James chamou entrando no seu próprio carro.

– É Evans para você Potter. – a Lily resmungou para não perder o habito fazendo o moreno rir enquanto entravam no carro no banco da frente. O porta-malas e os bancos de trás estavam lotados de sacolas.

– Amanhã será um dia diferente. – o maroto comentou enquanto pisava no acelerador e olhava de relance para ela, com as orbes chocolates mais uma vez ocultas pelo óculos escuro.

– Nem me fale. – a Lily concordou baixinho enquanto encostava a testa na janela do carro e observava a paisagem passar quase como um borrão em alta velocidade.



Notas finais do capítulo

*Lumus*

E então? O que acharam amoras?
Espero que tenham curtido, porque eu to meio em duvida em relação a ele. Whatever.
Vamos então ao fato do dia, reclamação do dia e pergunta do dia.
Fato do dia: Está fazendo frio aqui. E isso é uma coisa rara. Pra quem não sabe... eu amo frio. Amo tanto que eu tenho certeza que nasci no lugar errado, no país errado e no continente errado. Porém também amo praias, e gosto de ser brasileira. Nunca disse que fazia muito sentido. De qualquer forma, tudo o que eu quero é ficar deitada na minha caminha, assistindo series. Não falo que também quero tomar chocolate quente, porque eu odeio chocolate quente. Me faz querer vomitar. E claro, o outro fato é que eu li The Heir. E o livro é completamente maravilhoso. Eadlyn completamente mimada... acho que alguém tem que mudar isso nela e ela tem varias opções. Fora isso, eu achei a sua personalidade independente, feminista e de liderança, muito parecida com a de alguém que eu conheço. Haha.
Reclamação do dia: SUPERNATURAL EM HIATUS? MAS JÁ? Eu sou uma pessoa que sofre de abstinência dessa serie. Pra quem não sabe, spn é a minha serie favorita e hiatus dela é muito para a minha pessoa suportar. Hiatus existirem é a minha reclamação de hoje. E claro, quero aproveitar a deixa para mandar mensagens positivas e de amor para o Jered que está passando por um momento difícil. Always keep fighting, Jered. Nós estamos contigo.
Pergunta do dia: QUEM SERÁ O BOY QUE VAI DOMAR A EADLYN? Façam suas apostas, porque devo dizer que todos eles conquistaram um lugarzinho no meu coração do mesmo modo como conquistaram um lugar no coração dela. Quero só ver como a tia Kiera vai acabar com isso haha.
Enfim, por hoje é só.
Xx
Ask: http://ask.fm/mrssprongs
Twitter: @okaymarauders

*Nox*