Light Of Darkness escrita por lininhaaa


Capítulo 18
XVIII - Sentimentos Nunca Esquecidos




Capítulo 18 – Sentimentos Nunca Esquecidos

 

 


 

Os dias passaram rápido para o Uchiha. Com o despertar da Haruno, Sasuke decidiu sair de casa e procurar outro lugar para ele e enquanto isso, ficaria novamente na casa de Naruto. Apesar de ainda estar inconformado por ser “esquecido” por ela, estava feliz... feliz por saber que Sakura estava bem e acordada.

Graças a Naruto, ele tinha informações sobre o estado da rosada. Segundo a própria Hinata, a responsável por cuidar dela, Sakura estava bem e os exames não acusaram qualquer dano cerebral, exceto a perda de memória que poderia ser provisória ou não.

Talvez não fosse para ela se lembrar dele, até porque quanto que Sasuke a fez sofrer?! Existem coisas que se esquecidas, não deixam cicatrizes...

 Aos poucos, Sakura começava a se acostumar com a idéia de que Naruto era o atual noivo da melhor amiga, e não mais Kiba. Claro que ainda estava confusa, mas Hinata e o Uzumaki a ajudavam no que podiam, principalmente Naruto. Ele queria convencê-la que era mil vezes melhor que Kiba e, com esse pretexto começou a fazer post-cards com diversas informações sobre a vida dela.

“Seu nome é Haruno Sakura”

“Trabalha no hospital de Tóquio e é a chefe da Emergência”

“ Sua melhor amiga é Hinata, que vai se casar em breve com Uzumaki Naruto”

“Você será a madrinha de casamento juntamente com o Teme”

Todos esses avisos e muitos outros foram colocados por todo o quarto da rosada durante sua estadia no hospital, como uma forma de fazê-la lembrar de seu passado... ou pelo menos, do resto dele.

 

~*~

 

O céu estava límpido e o sol começava a se por em Tóquio quando o carro de Naruto parou em frente à casa da rosada.

- Tem certeza que você ficará bem, Sakura-chan?! – perguntou a Hyuuga virando-se para trás.

- Tenho Hina-chan. Não se preocupe, estou bem... – sorriu.

- Bom, então tudo bem! – Hinata pegou sua bolsa e retirou os post-cards de dentro dela, entregando-os à Sakura.

- Para que isso, Hina-chan?! – perguntou com curiosidade.

Naruto fez o mesmo gesto que Hinata e sorriu para a Haruno.

- Para você não esquecer. É sempre bom colocar eles espalhados pela casa. – tomando os post-cards das mãos de Hinata, Naruto pegou um dos últimos e o colocou como o primeiro. – Não esqueça desse aqui!

“ O noivo da Hinata é o Naruto e não o Kiba!”

- Sinto muito por ter falado sobre o Kiba, Naruto-san... – sorriu sem graça, pegando os post cards. – Prometo que colocarei esse aqui bem em frente a cama, para não esquecer.

- Isso aí! – Exclamou Naruto.

Sakura pegou sua bolsa e saiu do carro dos amigos, despedindo-se deles logo em seguida. Os mesmos esperaram ela chegar até a porta para finalmente irem embora, apenas por questão de segurança.

- Eu não me lembro de ter um carro. – comentou para si mesma ao ver um carro parado em frente à sua calçada. – Talvez Hina-chan tenha esquecido de me dizer...

Apesar de estranhar, colocou sua bolsa no chão e  pegou a chave da porta da frente. Novamente, tomou sua bolsa em mãos e abrindo a porta, entrou em casa e fechou a mesma.

A casa lhe parecia bem familiar com exceção da chave pousada sobre a mesinha próxima da porta.

Colocou sua bolsa ao lado da chave e pôs-se a andar pela sala da sua casa. Foi até a cozinha, verificando tudo em seu devido lugar e, voltando para a sala, escutou um barulho de alguma coisa caindo.

Sakura engoliu em seco e em passos receosos, andou até o seu quarto e parou na soleira, encontrando um notebook fechado sobre o edredom com uma bolsa ao seu lado.

- Sakura?! – uma voz atrás de si a fez pular para o meio do quarto. – Desculpe, não quis te assustar...

Os olhos arregalados da Haruno analisaram o rapaz de cabelos escuros de cima a baixo.

- O-o que está fazendo aqui?! – ofegou.

- Eu estava morando aqui. Sua irmã deve ter lhe contado que alugou sua casa enquanto você estava... em coma. – ele viu a Haruno confirmar com  a cabeça. – Sinto muito, pensei que você viria somente amanhã.

Ela piscou algumas vezes, tentando forçar sua memória. Por que aquele homem lhe parecia tão familiar?!

Sasuke começou a se sentir constrangido com o olhar dela sobre si e fitou um ponto do quarto.

- Já estou de saída... Apenas preciso pegar essas coisas e já vou embora. Não se preocupe...

- Tudo bem. – sorriu.

Sem jeito, o Uchiha passou por ela e arrumou o restante da bolsa enquanto sentia que ela estava o observando.  Ao olhar por cima dos ombros, confirmou suas suspeitas: os grandes olhos verdes dela o fitavam curiosos.

- Algum problema?!

Instantaneamente, Sakura sentiu suas maçãs do rosto corarem e desviou o olhar para o chão.

- Você parece irritado. Acho que estou te atrapal...

- Não estou irritado, droga! – Exclamou em tom alto. – Olha...- ele suspirou pesadamente. – Esqueça. Não estou irritado! – respondeu voltando aos seus afazeres.

- Mas parece... – balbuciou. – Desculpe...

Um silêncio horrível pairou sobre os dois por intermináveis segundos. Do que adiantava ela estar ali se sequer lembrava-se quem Sasuke era?!

- Antes de sair, eu queria te mostrar uma coisa... – comentou o Uchiha, recebendo um olhar curioso dela.

- O quê?!

Sasuke agachou-se e esgueirou-se para debaixo da cama, retirando a caixinha de madeira em que ela guardava suas lembranças. Com cuidado, ele colocou nas mãos dela.

- Isso pode te ajudar a se lembrar de alguma coisa...

Por alguns segundos, Sakura olhou a caixinha atentamente e depois, voltou-se para Sasuke que mantinha-se parado em frente a ela.

- Me desculpe se não lembro de você... – sorriu triste.

- Não se preocupe.

- Não! Alguma coisa me diz que você fez parte da minha vida, mas eu não consigo mesmo me lembrar... – disse ela. – E você não me dá uma pista!

Sasuke pigarreou e colocou as mãos nos bolsos.

- Eu realmente te conheço... melhor do que imagina! – respondeu por fim.  – Por que não abre essa caixa?!

Sem entender o porquê do moreno ter desconversado, Sakura destampou a caixa em suas mãos, vendo os objetos e cacarecos todos arrumados.

- Acho que me lembro disso... – comentou pegando a foto de flor de cerejeiras feita somente com traços. – Essa foto...

- Você queria colocá-la na parede ao lado da sua cama... – interrompeu-a, com um sorriso de canto. – Você me disse uma vez.

- Ah, sim! – sorriu sem graça.

- Por que não vira para trás?! – perguntou-a. – Espero que goste...

Sem pensar duas vezes, Sakura voltou-se para trás encontrando o mesmo desenho do papel em suas mãos pintado na parede. Uma flor de cerejeira com o tronco em traços de preto e as flores em tons de rosa.

- É... Lindo! – respondeu com um sorriso bobo nos lábios. – Foi você?!

- Foi!

Sakura colocou a caixa aberta sobre a cama e como uma criança subiu no móvel para tocar o desenho pintado na parede. Era como um sonho tornando-se realidade, por mais simples que fosse.

- Obrigada! – comentou voltando-se para ele. – Muito obrigada...?

- Sasuke... – suspirou.

Ela sorriu sem graça antes de descer da cama e fitá-lo, analisando cada traço do rosto do moreno. Apesar de seu semblante sério e fechado, ele era bonito... talvez uma das pessoas mais bonitas que já tinha visto, ou lembrava-se ter visto.

- Por que não me ajuda a lembrar quem é você, Sasuke-san?!

Sasuke franziu o cenho ao ouvir seu nome sendo pronunciado com o sufixo  “-san”. Querendo ou não, “Sasuke-kun” era o jeito como Sakura o chamava... como a verdadeira Sakura o chamava.

- Você nunca me diz nada e isso torna as coisas mais difíceis. – lamentou.

Novamente, ele não a respondeu. Dando-lhe as costas, Sasuke pegou a mala e o notebook em mãos e, por cima dos ombros, disse:

- Preciso ir...

Não era exatamente o que Sakura queria ouvir, mas aquele tal de “Sasuke-san” parecia cada vez mais irritado. Observou-o atravessar a porta do quarto em silêncio até Sasuke desaparecer  pelo corredor.

Ainda maravilhada com o presente que o suposto estranho havia lhe dado, Sakura sentou-se na cama admirando a sua “nova parede”.

-  O que é... – Sakura parou de falar ao ver a foto. - ... isso!?

 

~*~

 

Sasuke colocou as últimas malas no porta-malas e fechou-o, dando uma última olhada no exterior da casa. Não conseguia acreditar que tudo acabaria daquela forma entre eles.

- Merda... – praguejou batendo o punho na lataria do carro.

Por que tinha que ser tão covarde a ponto de abandoná-la de novo?! Novamente estava mentindo para si e para ela, só que dessa vez estava sendo mais cruel...

- Covarde!

Sem paciência, Sasuke apalpou os bolsos das calças a procura da chave do carro. Assim que a encontrou, tratou de procurar pela única lembrança da Haruno: a foto.

Nos bolsos das calças não estava. Abriu o porta-mala e começou a remexer as malas arrumadas... também não estava lá.

- Não acredito... – lamentou para si mesmo.

Com passos duros, Sasuke fez o mesmo caminho que tinha feito a pouco tempo. Já estava sendo doloroso demais ter que sair sem dizer nada a ela, agora teria que voltar e perguntar sobre uma foto em que ela estava junto e que não se lembrava.

Adentrou a casa e procurou por toda a sala, sem encontrar nada. Nem Sakura, nem a foto.

Atravessou o corredor e rapidamente entrou no quarto, encontrando o que menos queria ver. Ela segurando a foto. Sabia que aquilo seria inevitável já que ela também tinha uma cópia. Mas pelo menos quando ela a achasse, ele estaria bem longe.

Sasuke permaneceu estático no mesmo lugar onde parou e fitou a expressão de Sakura, que fitava a foto em suas mãos. Aos poucos, viu os olhos verdes dela voltarem-se para a sua direção.

- O-o que você está fazendo nessa foto?! – perguntou quase que inaudível.

Hesitante, Sasuke não respondeu e caminhou até entrar de uma vez no quarto. Percebia que Sakura dividia seu olhar entre ele e a foto.

Aquilo definitivamente era horrível o suficiente para Sasuke.  Por que tinha que ser tão orgulhoso ao ponto de fazê-la sofrer ainda mais.

Aproximou-se mais de Sakura, que ainda permanecia sentada na cama, e agachou em sua frente.

- Me dê isso! – ordenou sério.

Sakura piscou algumas vezes e negou co a cabeça.

- Me responda... o que você está fazendo nessa foto?!

- Me dê isso, Sakura! – sua voz saiu ainda mais baixa. – Preciso ir embora...

Os olhos dela encheram-se de lágrimas e suas mãos perderam as forças, soltando a foto e deixando-a cair.

Sem hesitar, ele pegou o papel, dobrou e colocou no bolso.  Porém diferente do que queria, permaneceu ali olhando o rosto entristecido da Haruno. Não podia deixa-la naquela situação.

As mãos dele foram até o rosto dela e com a ponta dos dedos, secou as lágrimas que teimavam em cair dos olhos dela. Vagarosamente, tomou o rosto dela entre as mãos e, ignorando os olhos surpresos dela, aproximou o seu rosto do dela e a beijou.

Nenhum deles soube o que sentiu naquele momento.

Diferente do que ele pensava, Sakura em nenhum momento resistiu ao beijo dele.

E de repente, as imagens de todos os momentos entre ela e Sasuke passaram em sua mente. Desde o primeiro encontro deles, o primeiro beijo, os aniversários de namoro, o término e o reencontro... Todos os momentos em que ficaram juntos.

“ Me desculpe, Sakura...”

Assim que aquelas palavras lhe vieram a mente, Sakura o afastou, surpreendendo-o.

- Eu... – ele começou a dizer, mas Sakura o interrompeu.

- Sasuke-kun... – murmurou fitando-o.

- Sakura...?! – indagou vendo a confusão estampada em seu rosto. – Você...

Ela não soube o que estava fazendo quando abraçou-o, pousando o rosto no ombro de Sasuke.

- Por favor... não vá embora! – suplicou chorosa. – Não me deixe nunca mais, por favor.

Sasuke envolveu-a em seus braços, aproximando-a mais.

- Você... se lembra?! – perguntou confuso.

- Uhum... – sussurrou. – É muito difícil esquecer... –sorriu.

Sim, o destino pode ser muito cruel às vezes... mas também, pode ser imprevisível.

 

~*~

 

3 meses depois...

 

Hospital de Tóquio

 

O  conversível preto acabara de parar em frente ao enorme prédio branco. Desligou o carro e olhou para a pessoa ao seu lado com um sorriso de canto.

-  Trouxe todos?! – perguntou com um sorriso cético. – Não esqueceu de nenhum?!

- Engraçadinho. Esqueceu que já recuperei a memória?! – respondeu-o com as sobrancelhas juntas em sinal de irritação. Claro que não estava irritada... não naquela situação.

- Está certo, então vamos!

Ambos saíram do carro e Sasuke ativou o alarme do carro. Esperando-o na frente da porta do hospital, os olhos dela fixaram-se na figura atravessando a rua e em segundo, parando ao seu lado.

- Vamos?! – perguntou-o.

- Hum... – respondeu-a,  pegando-a pela mão e entrelaçando seus dedos nos dela.

Sakura sabia que aquele “Hum...” significava um sim estilo Uchiha. E não podia reclamar, afinal gostava do jeito monossilábico de Sasuke.

Caminharam até a recepção do hospital e Sakura foi recebida por cumprimentos das enfermeiras e médicos que acompanharam todo o seu caso.

Depois de conversar por algum tempo com os colegas de trabalho, Sakura acompanhada de Sasuke seguiram para a sala de Tsunade.

Foram necessárias duas batidas na porta rústica de madeira para ouvir um “Entre!” mal-humorado por parte da chefe do hospital. Sem dizer absolutamente nada, Sakura entregou o envelope branco com delicados detalhes lilases nas mãos dela.

- Oh não creio... vou perder uma das minhas melhores médicas! – Exclamou Tsunade com tom dramático, olhando o envelope em suas mãos. – Ainda não posso acreditar.

Sakura riu das caras e bocas da chefe e Sasuke deu-se o trabalho de revirar os olhos.

- Você não perderá sua médica preferida... – respondeu Sakura fazendo uma careta. – E você deveria estar feliz pela Hinata!

- Eu não disse que não estou! Só estou um pouco... surpresa! Só isso! – Sorriu. – Avise Hinata que estarei lá!

- Ok! – sorriu irônica.

Tsunade e Sakura conversaram por mais alguns minutos enquanto Sasuke sentia-se completamente avulso, apoiado na parede com as mãos nos bolsos.  Ele perdeu a conta de quantas vezes Tsunade perguntou quando ela marcaria o casamento e quando ele próprio tomaria vergonha na cara para fazer o pedido. Se ela soubesse o quanto aquilo estava o irritando...

Olhou para o relógio uma, duas, três... dez vezes! E quanto mais ele olhava, mais a conversa entre elas se prolongava.

- Algum problema, Sasuke-kun?! – perguntou Sakura, acomodada confortavelmente na cadeira em frente à Tsunade. – Você parece... impaciente.

- Já estamos aqui há quase uma hora... – respondeu com um desânimo notável, recebendo um olhar nada agradável de Tsunade. Olhar que foi facilmente ignorado por ele. – Podemos ir?!

- Uma hora?! Kami-sama, claro! – respondeu exasperada. – Tsunade, desculpe ter te importunado tanto tempo. Acabei perdendo a noção de quanto tempo ficamos conversando...

Sasuke suspirou aliviado quando viu Sakura levantar-se desajeitada. Aquilo era um indicativo que estavam muito próximos de ir embora.

- Realmente precisamos ir... ainda temos outros convites para entregar, Tsunade.  Hinata me pediu– comentou a Haruno colocando-se ao lado de Sasuke. – Até amanhã...

- Até, Sakura! – respondeu a médica mais velha. – Ei, espere aí!

- Sin, Tsunade...  – fitou-a curiosa, fazendo o Uchiha resmungar algo que ela não entendeu.

- E quando será o seu casamento?! – Tsunade estreitou o olhar para Sasuke. – Já está mais do que na hora, certo?!

- Precisamos ir, Tsunade... Depois conversamos. – desconversou a Haruno não conseguindo esconder o desapontamento.

 

~*~

 

- Eu ainda não sei o porquê de você ajudar o Dobe com isso... – resmungou o Uchiha fitando a felicidade da namorada. -  Por que eles mesmos não podem entregar?!

- Em primeiro lugar, somos os padrinhos do casamento deles. Segundo, Hinata foi viajar para entregar os convites do casamento para os pais e Naruto está trabalhando feito um louco para adiantar o serviço e eles poderem viajar... – respondeu-o com irritação. – Não seja tão egoísta, Sasuke-kun...

Sasuke revirou os olhos e apenas concordou com a cabeça. Sabia que dali poderia nascer uma discussão.

- Falta quem?! – perguntou Sasuke tentando desviar o assunto.

- Esse foi o último... – sorriu, pendurando-se no braço de Sasuke. – Satisfeito?!

- Muito... – sorriu de canto.

Depois de mais de duas horas, finalmente poderiam ir embora e ter um pouco de sossego.

Caminhando lentamente pelo corredor do hospital, Sakura e Sasuke estavam quietos. Essa atitude não era menos esperada por parte do Uchiha, mas Sakura quieta era algo incrível...

Observando-a pelo canto dos olhos percebeu que mesmo quieta, a Haruno tinha um sorriso no rosto. Era inegável a felicidade dela pelo casamento dos amigos. Estava feliz por poder ajudá-los e, principalmente, estar viva. Hinata havia lhe contado sobre os dias angustiantes que passara imaginando a falta da melhor amiga no dia em que se tornaria uma Uzumaki.

- O que foi?! – perguntou divertida.

O Uchiha foi pego de surpresa e apenas voltou  seu olhar para frente e sorriu de canto.

- Nada... – respondeu-a.

Sakura soltou uma risada baixa e encolheu os ombros, ainda focada em andar.

- Tia Saky! – uma voz estridente ecoou pelo corredor silencioso do hospital.

A Haruno, ao ouvir aquela voz, parou de andar e olhou perdidamente para o final do corredor.

- Você ouviu isso?! – perguntou Sakura a Sasuke.

- Acho... que sim. – respondeu.

Voltando-se para trás, Sakura observou uma menina usando um vestido rodado em tons de bege e com os cabelos loiros presos em duas maria-chiquinhas.

- Não pode ser... – sussurrou arregalando os olhos esverdeados.

Sakura acompanhou a menina vir de encontro a si, abraçando suas pernas com força.

- Tia Saky! – gritou de felicidade.

Ela não conseguia se mexer ou dizer qualquer coisa. Seus olhos só poderiam estar a enganando, mas não estavam...

Sakura permaneceu na mesma posição por segundos, até perceber que tudo o que estava acontecendo era real.

- Lyn-chan... – sussurrou agachando-se e abraçando a menina. – Eu... Kami-sama, você está bem!

Lyn apenas concordou com a cabeça e beijou o rosto da Haruno. Não havia como não se emocionar com aquele gesto de carinho.

- O que está fazendo aqui, Lyn-chan?!

- Vim fazer exames... – respondeu com uma careta. – A mamãe não me deixa fazer quase nada...

- Mas você está bem, não está!? – Em resposta, Lyn fez um sim com a cabeça e Sakura suspirou aliviada.

Novamente o Uchiha sentiu-se completamente avulso, mas diferente de antes conseguiu se localizar na conversa. Então aquela era a garotinha que Sakura tanto falava?! A mesma que desaparecera , fazendo a Haruno sentir-se sozinha...

- Lembra dele?! – Sakura apontou para o moreno que olhava a cena.

Lyn piscou algumas vezes e depois voltou-se para Sakura.

- Esse é o Sasuke-kun?!

- Você lembra, não é?! – respondeu sorrindo. – Sim, é ele!

A menina voltou seus olhos cor de mel para o Uchiha que permanecia a encarando e sorriu.

- Oi!

- Oi... – respondeu.

- Vocês são namorados?! – perguntou de forma inocente, ora olhando para a Haruno ora para o Uchiha. – Hein?!

Sakura deu uma risada sem graça e olhou para Sasuke. Surpreendeu-se ao  ver as maçãs do rosto dele avermelhadas.

- Sim... somos! – respondeu por fim.

De longe, Sakura avistou uma mulher correndo ao encontro deles. Ela tinha o mesmo tom de cabelo e praticamente o mesmo rosto que Lyn.

- Oh, me desculpem pela minha filha! – disse a mulher ofegando. – Sinto muito, mas não consegui segurá-la...

- Sem problemas... – sorriu a Haruno. – A senhora deve ser a mãe dela, não?!

A moça suspirou e sorrindo, concordou. Seu semblante mudou ao pousar seus olhos sobre a filha que prontamente escondeu-se atrás das pernas de Sakura.

Vendo o clima tenso instalado ali, Sakura resolveu se pronunciar:

- Lyn é uma... paciente muito especial para mim!

- Paciente?! – repetiu a moça. – Então você cuidou dela durante o período que ficou no hospital?!

- Digamos que sim... – respondeu sem graça, tirando a menina detrás de si. – Na verdade, acompanhei o caso dela a distância...

Era óbvio que Sakura estava mentindo e apenas Lyn, Sasuke e a própria Haruno sabiam. Como contar a uma mulher, que mal a conhecia, que conheceu Lyn enquanto estava em coma?! Na melhor das hipóteses, Lyn seria arrastada de perto da rosada.

- Fico feliz que tenha tanto carinho pelos seus pacientes, principalmente por Lyn. – sorriu encabulada. – Fiquei tão nervosa que nem mesmo me apresentei. Sou  Sato Akemi. – disse estendendo a mão.

- Haruno Sakura. – apresentou-se. – E esse aqui é o meu namorado, Uchiha Sasuke!

Sasuke apenas gesticulou discretamente para Akemi que retribuiu com um sorriso. O Uchiha já estava irritando-se com o fato de ser ignorado constantemente pelas pessoas, ou talvez estivesse mais implicante e impaciente do que o normal naquele dia.

- Foi um prazer conhecê-los e espero poder nos ver em breve. – disse Akemi fitando o casal.

- Nos veremos com certeza! – Voltando-se para Lyn, completou: - Não é, Lyn-chan?!

- Uhum! – concordou prontamente, abrindo um enorme sorriso .

- Agora realmente precisamos ir... – lamentou Akemi. – Até logo...

- Até... – responderam o Uchiha e a Haruno em uníssono.

Ambos acompanharam as duas afastarem-se até as perderem de vista.

-Podemos ir embora?! – perguntou ironicamente vendo uma Haruno irritada.

- Você parece uma criança birrenta! – Sakura cruzou os braços em frente ao corpo, vendo um sorriso irônico brotar dos lábios de Sasuke. – Não sei porque tanta pressa!

- Você verá... – respondeu, pegando-a pela mão.

Agora, ninguém mais o interromperia e cruzaria o seu caminho para colocar em prática o seu plano.

 

~*~

 

O sol já começava a se pôr quando eles chegaram ao tão famoso parque. Sakura não entendeu o porque da insistência do Uchiha em passar lá antes de irem para casa.

Ele, por outro lado, suspirou aliviado quando percebeu que estavam adentrando o parque. Era ali que tudo havia terminado entre eles. Naqueles bancos, Sasuke a “abandonou” e mentiu, acabando com a alegria do aniversário de namoro deles.

- O que estamos fazendo aqui?! – insistiu a Haruno enquanto acompanhava o moreno.

Sasuke não respondeu e apontou o banco próximo deles para que se sentassem.

- Aqui estamos... – comentou ele, vendo a confusão espantada no rosto da namorada. – Lembra-se desse lugar?!

- Claro que me lembro... – respondeu encolhendo os ombros. Aquele lugar não era o melhor cenários e nem mesmo guardava as melhores lembranças. – Mas ainda não entendo...

Sasuke a interrompeu.

- Foi aqui que tudo acabou naquele dia... – refletiu.  – Quando eu menti dizendo que o namoro tinha acabado e fui embora de Tóquio sem te dar uma explicação.

- Sasuke-kun... – sussurrou com pesar. – Não precisa dizer essas coisas. Tudo foi resolvido.

Sentado, Sasuke apoiou os cotovelos nos joelhos, repousando o rosto entre as mãos.

- Deixe-me terminar... – cortou-a, vendo Sakura acenar um sim com a cabeça. – Sei que te fiz sofrer, Sakura.... e muito! Sei que sou egoísta,  sei que não sou o senhor sorrisos e sei que não sou simpático com todos... Mas mesmo assim, eu preciso tentar.

- Tentar o quê?! – Sakura arregalou os olhos. – Você está me deixando nervosa, Sasuke-kun.

Voltando o olhar para ela, Sasuke prosseguiu:

- Andei te observando nesses últimos dias e vi o quanto você está feliz pelo casamento da Hinata e do Dobe...  – ponderou, vendo a Haruno concordar. – Depois de tudo que aconteceu com você, eu não quero arriscar te perder de novo.

- Isso não vai acontecer... – respondeu sorrindo, acariciando os cabelos espetados.

- Mas eu não quero arriscar, Sakura. Por isso te trouxe aqui!

- Continuo sem entender... – comentou analisando o semblante sério do Uchiha.

Sasuke levou uma de suas mãos até o bolso da calça e de dentro dele retirou uma caixinha de veludo vermelha. Ao ver aquilo, Sakura mal conseguia acreditar naquela situação.

- Sasuke-kun...

- Não sou a melhor pessoa para demonstrar o que sinto com palavras mas... – o moreno abriu a caixinha, revelando um anel dourado em seu interior. – Eu te trouxe aqui por que foi nesse exato lugar que nós terminamos há anos atrás... – Sasuke viu os olhos esmeraldas enxerem-se de lágrimas. – E é aqui que quero recomeçar tudo com você...

Aquilo só poderia ser um sonho e ela não queria acordar. Quem diria que um dia, depois de tudo, Sasuke estaria ao seu lado e exatamente naquele lugar?!

- Eu...

- Case-se comigo, Sakura. Prometo que farei o impossível para te fazer feliz. – Sasuke estendeu a caixinha até a Haruno. -  Não quero correr o risco de te perder novamente!

Olhando incrédula para ele, Sakura tomou a caixinha das mãos de Sasuke e fechou-a, colocando-a no banco onde estavam sentados. Cada movimento que ela fazia era analisado pelo Uchiha, que a olhava um pouco surpreso.

Em um movimento rápido, Sakura jogou-se nos braços dele e enterrou o rosto no pescoço do Uchiha. Não demorou muito para ela sentir os braços dele a envolverem e

- Eu amo você, Sasuke-kun. Mesmo não sendo o senhor sorrisos, mesmo não sendo bom com palavras, mesmo sendo antipático com os outros... – ela levantou a cabeça, fitando-o. – Eu amo você, por ser exatamente como é! – sorriu. – É claro que eu aceito me casar com você...

Sasuke a apertou com mais força junto de si e aproximou seus rostos até ficarem a milímetros de distância.

- Sakura... Obrigado por tudo! – sussurrou apenas para que ela ouvisse.

Sakura sorriu e fechou os olhos, deixando uma discreta lágrima escapar pelo canto dos olhos. Apesar de aquele parque ser o lugar de lembranças não muito agradáveis, tudo mudaria a partir daquele momento.

- Eu sempre soube que você seria a luz que iluminaria a minha escuridão... – disse ele antes de selar os lábios da Haruno.

Quando uma história chega ao fim e não tem um final feliz é porque ela ainda não terminou...

Porque a partir daquele momento, Sasuke percebeu que não poderia viver sem ela. Afinal, era Haruno Sakura que sempre preencheu a sua existência vazia.

 

 

~*Fim



Notas finais do capítulo

T.T Por que minhas fics estão acabando?! Isso não é justo! U.u
Mas, enfim... é mais uma que consigo escrever fim! *--*
O capítulo não saiu como eu queria, mas espero que tenham gostado. Viram, eu não esqueci da Lyn-chan! *---*
Queria agradecer a cada um que deixou review ou que simplesmente leu essa fic. É bem difícil fazer uma fic assim, levando em conta que eles “não se tocavam” e tal... ou seja, não tinha pegação entre eles! Uahuahuahuahaua
Agradecimentos especiais: GabiU, Uchiha Mary, Sakurinhah_chan, MarinaJonas, Black Cat, Uchiha Manu, Raay Marinho, Tutfrut, Buneary, Anna e sakura haruno m que tiveram a bondade de recomendar a fic! Obrigada queridas!
Bom, vou ficando por aqui. Lembrando que “Mais do que Irmãos” já está com o epílogo postado no Nyah! e, consequentemente, acabou. T.T
Maaaaaas.....
Postei uma fic nova e preciso admitir que estava ansiosa. Chama-se “Procura-se uma Acompanhante” e é SasuSaku, só pra variar! >.< Quero avisar que a Sakura não é prostituta viu! u.u hahahahahha
Quem se interessar, o link é: http://fanfiction.nyah.com.br/historia/79355/Procura-se_Uma_Acompanhante
Quem se interessar e quiser marcar presença, será bem-vindo!
É isso, pessoal! Obrigada por tudo ! Beijooooos