Sobrevivendo ao inferno escrita por Kat Mikaelson


Capítulo 4
Confissões


Notas iniciais do capítulo

Eu acho que esse capítulo foi muito especial pra mim, não exatamente o porquê mas encontrei uma música de uma das minhas bandas favoritas que combina muito com a história e principalmente com o Daryl e a Alice. Então se quiserem, a música é House On a Hill, da banda The Pretty Reckless. Espero que gostem do capítulo.




Enquanto subíamos as escadas empoeiradas estive pensando se seria possível realmente construirmos uma vida ali sem precisarmos nos preocupar em fugir a todo momento, mas eu não gostava de pensar muito nisso, porque mais cedo ou mais tarde teríamos que sair dali.

Meus pensamentos foram bruscamente interrompidos pela voz de Maggie.

–Então, vamos! Vocês tem que conhecer todos. –Ela disse parando no topo da escada e indicando uma porta à esquerda-

Assim que entramos eu pude sentir todos os olhares sobre nós, me senti estranha com isso, não fazia a mínima idéia se seriamos bem recebidos e não posso dizer que isso melhorou a situação.

–Quem são eles Maggie? –Shane perguntou em tom acusatório-

–Obviamente sobreviventes Shane. –Respondeu Maggie. –Eu os encontrei naquela casa abaixo da avenida.

–Algum de nós por acaso lhe deu permissão para sair por aí buscando novos sobreviventes e trazê-los para o grupo sem nem saber quem eles são? –Shane perguntou. –

–Acho que não preciso de permissão de ninguém, muito menos a sua! Sei que somos um grupo e que temos que permanecer juntos, mas isso não impede que outros não possam ser salvos também!

–Parem com isso! –Rick gritou para os dois –

–Maggie, quem eles são? –Beth perguntou para a irmã–

–Bom, já que pelo menos alguém aqui tem a capacidade de me fazer uma pergunta com educação. –Maggie ironizou encarando Shane amargamente –

–Meu nome é Alice. –Interrompi, sabia que Maggie não iria responder antes de matar Shane, pelo menos mentalmente–

–E como sabemos que sua amiguinha bonitinha aqui não vai nos apresentar, eu sou Merle e este é meu irmão Daryl. –Merle disse fitando Maggie, provavelmente deixando-a envergonhada.

–Nós podemos aceitá-los, mas temos uma condição. –Rick disse se dirigindo a nós três.

***

Rick havia nos deixado passar a noite com o grupo, isso já poderia ser algum tipo de ponto positivo para nós, mas talvez eu estivesse enganada. Nos deixaram ficar com um apartamento do prédio, era tão pequeno quanto um ovo, mas acho que era o suficiente já que pelo menos Daryl e Merle não protestaram em nada.

Havia dois quartos, Merle deixou mais do que claro que ele ficaria com o quarto que tivesse a maior cama. Não disse nada, já que eu não dormia a dias não via porque reclamar sobre algo.

Daryl me deixou com o outro quarto, eu não podia me lembrar de qual foi a última vez que vi Daryl dormir. Quero dizer, desde que me lembro eu nunca o vi dormir, mesmo antes dessa confusão, ele nunca esteve acostumado a dormir, pelo menos não que ele tenha me dito alguma vez. Já o Merle assim que chegamos ele já havia praticamente desmaiado no quarto ao lado.

Meus pensamentos foram novamente interrompidos, dessa vez por Daryl.

–Alice?

–Me desculpe, o que?

–Acha uma boa idéia ficarmos aqui? Quero dizer, não sei se podemos conviver com essas pessoas. –Daryl perguntou se sentando ao meu lado no sofá me oferecendo um copo de uísque que roubamos do Merle.

–Por que não poderíamos? Eles não parecem perigosos nem nada do tipo, pelo menos não para mim. O problema é que não vejo Merle se adaptando à eles.

–Nenhum de nós vê Merle se adaptando a nada exceto bebida. –Daryl riu.

–Isso é verdade. Mas para ser sincera o único problema que obviamente temos aqui é aquele tal de Shane.

–Shane não me parece nada de mais, claro que ele não nos quer por perto mas, se ele for mesmo um problema nós podemos dar um jeito, mesmo se isso nos colocar de novo na estrada. –Daryl me respondeu.

–Se tivermos que voltar para a estrada não vou me importar, mas acho que você sabe que aqui nós estamos correndo tanto perigo quanto estaríamos se ainda estivéssemos na estrada não é?

–Todos sabemos disso. Mas acho que dessa vez podemos arriscar.

–Com tanto que ainda estejamos juntos. –Falei.

–Não precisa se preocupar com isso. –Ele respondeu.

–Como assim?

–Eu nunca vou te deixar sozinha, estamos sempre juntos e prometo que isso não vai mudar Alice.

–Obrigada. –Sussurrei deitando a cabeça em seu ombro.

Ele beijou o topo da minha cabeça carinhosamente e eu sorri, não sei o que houve naquele momento, mas sei que me senti segura e feliz.

Acabamos dormindo ali, no sofá. Pela primeira vez em bastante tempo Daryl dormiu, e acho que para nós dois foi a primeira noite tranqüila que tivemos em muito tempo, porque dessa vez estávamos realmente juntos.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado, e também espero que comentem. Até o próximo capítulo,beijos!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Sobrevivendo ao inferno" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.